Feeds:
Posts
Comentários

Enfermeiros estão proibidos de prescrever medicamentos

Fonte: FENAM

O Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª região, em Brasília, tornou sem efeito a Resolução 272/2002 implantada pelo Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) que permitia que enfermeiros fizessem exame médicos, prescrição de medicamentos e diagnostico de doenças.

A decisão, válida em todo o território nacional, foi tomada pelo tribunal depois de um mandato de segurança impetrado pelo Sindicato Médico do Rio Grande de Sul (Simers). Os profissionais de enfermagem devem ser orientados pelo Cofen para que não pratiquem atos reservados aos profissionais médicos.

 

A população deve informar os Conselhos de Medicina, Ministério Público ou órgãos de saúde, caso tenham diagnósticos ou medicamentos prescritos  por enfermeiros.

About these ads

664 Respostas

  1. Nunca recebi precrição de medicamentos por enfermeiros e, se acontecesse, acharia muito estranho.. afinal o nome já diz tudo: “prescrição médica”

    Este é um atributo exclusivo dos médicos. O papel do enfermeiro é aplicar os medicamentos prescritos (pelo médico) e ponto. Acho que cada profissão tem seu papel e valor, mas não podemos misturar as coisas! Certa a decisão do tribuna!!


    • Concordo que cada profissão tem sua peculiaridade e seu valor mas para quem não sabe o papel do enfermeiro não administrar a medicação que o médico prescreve e sim o TÉCNICO de enfermagem! o papel do enfermeiro em um centro hospitalar é a principalmente a parte admistrativa entre outros procedimentos que não compete ao técnico de enfermagem!


      • Quem aplica medicamentos é o Técnico ou auxiliar de enfermagem e ponto! O Enfermeiro estuda 4 anos em uma “FACULDADE”, para fazer muito mais que isso… sem um Enfermeiro um hospital não funciona direito e os pacientes ficam largados.Mas os médicos estão tão absolutos em seus pedestais que esquecem de olhar para o outro e até mesmo para o seu paciente.


    • sou enfermeiro e todos os dias luto por pacientes como vc Aline….o medico prescreve pra vc uma simples dipirona, mas quem te pergunta se vc tem alergia sou eu….(quem seria mais capacitado)quem sai prescrevendo ou quem sabe que uma simples dpirona tem 10 anos de pesquiza e pelo menos 1 bilhao de reais gastos em pesquizas e que nao se trata de doce que o Raul Gil vende nos seus programas de final de semana.Quem e mais capacitado….quem prescreve ou quem sabe que uma dipirona tem efeitos colaterais serissimos ao paciente alergico…..e te digo mais, quantas vezes ja tive de tirar soro glicosado prescrito pelo medico de paciente diabetico porque o medico nao sabia que ele era diabetico….ainda bem que o enfermeiro sabia, porque se nao, o paciente teria entrado em como diabetico…..quando for se consultar, pense nisso….se vc der sorte, tera um enfermeiro pra te atender…..ou entao….podera acontecer como eu ja vi varias vezes, paciente chegou andando e saiu morto…dai a gente se pergunta porque….sabe porque….porque o medico nao identfcou um sinal de enfarto(o paciente disse que tava com dor no estomago e nfelizmente o medico nao sabia que dor gastrica pode ser sinal de enfarto,porque o paciente confunde a ocalizaçao)….


      • IMAGINE QUANTOS ENFERMEIROS SABERÃO TAAAAAANNNTAS COISAS FAZENDO SEUS CURSO EM FACULDADES CAÇA-NÍQUEIS QUE EXISTEM EM TODAS AS ESQUINAS DO BARSIL.


      • Nobre Daniel
        Atitudes e comentários como esse, é que denigrem o bom relacionamento médico/enfermagem, a medicina é um pilar Hipocrático onde estudamos e aprendemos através de muita labuta a arte de curar.
        Anos são necessários de estudos, residência, especializações e finalmente a prática médica.
        A arte da enfermagem é a arte de cuidar, o que acontece nos psf é uma atitude errônea do governo federal que promove chefias e gerenciamentos por enfermeiros despreparados gerando atritos entre as profissões.
        A arte médica é curar e a arte da enfermagem é cuidar, esses são caminhos paralelos que jamais devam se encontrar.


      • O medo macabro de utilizar soro glicosado em diabético é típico de quem não tem profundidade científica suficiente pra prescrever medicação, Tudo depende da glicemia atual do paciente. Vc já estudou o tratamento do coma hiperosmolar ou da cetoacidose diabética, vai soro glicosado também…


      • Daniel, você tá generalizando as coisas. Toda consulta que se preze deve constar de antecedentes pessoais do paciente, inclusive a alergia a medicamentos por você citada. O problema é que, com a superlotação (principalmente dos pronto-atendimentos), muitos médicos perdem o hábito de interrogar adequadamente os pacientes, afinal, atender 250 pacientes em 24hs é desgastante, nem robô aguenta. Todo medicamento tem seus efeitos colaterais, como a Dipirona (alergias, agranulocitose – a mais temida de todas, motivo pelo qual a medicação foi banida da comunidade européia e dos EUA). E quem disse que pacientes diabéticos não podem receber soro glicosado? Não é conduta comum para todos, mas um dos principais problemas do diabético é a hipoglicemia causada por hipoglicemiantes orais, insulina ou até por dietas muito restritivas, e a correção do problema é com solução glicosada. Por isso, não vamos generalizar. Quanto ao infarto, dor epigástrica é sinal do mesmo sim (pois a manifestação álgica depende da região do coração que sofreu o infarto), todo médico sabe disso, o fato é que não dá pra pedir ECG ou dosar enzimas (como a troponina) pra todo mundo com esse sintoma, que muitas vezes corresponde a 50% das queixas em pronto-atendimento. Suspeita-se sempre de IAM com queixa de dor epigátrica se o paciente apresenta-se hemodinamicamente instável, com dispnéia, desorientado (não é que o paciente confunde a localização, a dor é epigástrica mesmo), cabendo ao médico fazer o diagnóstico diferencial adequado. Acho que tá na hora de todos os profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapêutas, odontólogos) atuarem de forma conjunta pra equacionar os problemas de nossos pacientes no cotidiano, exercendo cada um a sua função pra qual está capacitado. Qual minha primeira atitude? Não trabalho em condições insalubres (como a que citei no início do texto, com desgaste intenso por uma jornada de trabalho extenuante). Se todos tomarem posição semelhante, os gestores nas três esferas, começam a investir em recursos humanos (colocam mais profissionais – inclusive mais enfermeiros) para trabalhar no serviço público. A sua posição ao comentário da Aline em nada acrescenta, pois ao invés de você esclarecer e defender a sua profissão de forma adequada, apenas ataca um profissional que poderia ser seu parceiro no dia a dia. Agora pergunto: quando você precisa de assistência, a quem você recorre: a um colega Enfermeiro ou a um Profissional Médico de sua confiança? Responda sem ofender mais ninguém, por favor! Escrevi esse comentário pra que você reflita que nem todo Médico é incompetente, e que sabemos medicina, assim como você deve ter amplos conhecimentos de enfermagem…


      • Daniel, quem prescreve tem que perguntar se há alguma alergia ou contra indicação. Vc está colocando que essa responsabilidade faz parte da função do enfermeiro, qdo na verdade, faz parte de quem prescreve. Sem querer, (sei que suas atitudes são bem intencionadas pelo seu discurso) auxilia esse grupo de médicos despreparados, que se acomodam por saber que “vc dará um jeito”. Me questiono qto o tipo de local que vc trabalha, pq eu sou médica, trabalho num posto de saúde simples, no interior do RJ, e apesar de ser acessorada por uma ótima equipe de enfermagem (técnica e gerente) te garanto que eles não passam por esse tipo de “sufoco” que vc narra em suas experiencias. E olha que sou uma médica “comum”, apenas procuro ler, ir a Congressos ou seja, me manter informada. As situações que vc coloca são “básicas” , por isso questiono o local que vc trabalha.Se esse tipo de profissional médico não passar por “nenhum aperto” vc sempre trabalhará com médicos que devem ter passado na faculdade a base da cola e que não se importam com o próximo. Mas te garanto, que a solução desta situação, não é o enfermeiro prescrever a fim de “facilitar” pro médico. É o médico agir como tal, e estudar mais!


      • Desculpa aí enfermeiro Daniel, mas vá primeiro aprender português. Tenha a certeza que com a sua grafia jamais passaria em um vestibular de Medicina. Pra enfermagem tudo bem (10 vagas por aluno!). Só te resta reclamar.


      • Engraçado é ver o erro de português nas prescrições médicas, fato este já conhecido por todo povo brasileiro é tanto que o CFM editou uma resolução a esse respeito. Abraço


      • Nao sou medico ainda!!! acho que cada um tem que ficar no seu lugar, por que nao fazem como eu estudem medicina ao invez de enfermagem, outra tenho um amigo enfermeiro que esta estudando medicina, ele me disse que já salvou varias vidas mais também já tirou varias, ai fica a dica .


      • Daniel, respondendo a você, que por sinal se julga um excelente enfermeiro, e talvez até seja, porém você não estudou 6 anos, não participa de congressos, não fez anos e anos de residência, e o que você viu no seu curso de enfermagem é uma porcentagem minuscula dos conteúdos em uma faculdade de medicina. Se o médico não identificou os sinais de, como você disse, Enfarto (o correto infarto) é porque o SUS nos obriga a atender 40, 50 pacientes por hora, e todo médico sabe muito bem que uma anamnese bem feita toma tempo. E você falou em pesquisas (sim, pesquisa se escreve com S e não com Z como você colocou mais de uma vez), o que isso tem haver com as prescrições feitas por vocês? Quer diagnosticar, prescrever e realizar outros atos privativos dos médicos? Faça medicina meu caro, e não enfermagem. E caso você não saiba, o tratamento de cetoacidose diabética e do coma hiperosmolar leva soro glicosado. Você fica culpando os médicos, mas nesse caso que você ignorou a prescrição, quem poderia ter matado o paciente era você! Se vocês são tão capacitados quanto nós médicos e acadêmicos de medicina, então porque existem 2 cursos distintos? Cada um na sua área de atuação, respeito mútuo, isso sim vai trazer benefícios para os pacientes.


      • Primeiramente não estou respondendo ninguém, só estou fazendo um comentário particular. Acho que o espaço do blog não é para se criticar um profissional ou outro. Está claro, pelo teor dos comentários, que o foco desta discussão não é mais saúde e sim luta de categorias profissionais, portanto seria prudente e ético que pensassem na saúde pública e a realidade da mesma. De fato os profissionais deveriam se ver e se reconhecer enquanto equipe multiprofissional, ou melhor transdisciplinar, mas isso não ocorre.
        Por questões, diríamos assim, “hegemônicas” e “culturais”, os médicos se intitulam detentores únicos do saber, está aí o Ato Médico (AM) que não nos deixa mentir; uma lei que regulamenta o exercício profissional da medicina atingindo diretamente as regulamentações jurídicas de outras profissões da área de saúde e humanas (como a psicologia) acordadas a mais tempo (ou seja, inconstitucionalidade).
        Mas deixando o AM de lado e voltando a prescrição medicamentosa, acredito que o profissional mais indicado para prescrever medicamentos seria o farmacêutico, porque ele sim estudou 5 anos, 4 em algumas instituições superiores de ensino, farmacodinâmica, farmacocinética, interação medicamentosa, ou seja todas as questões relacionadas a medicamentos. Acredito eu, enquanto profissional e usuária de serviços de saúde, que todos os profissionais são importantes dentro de qualquer unidade, seja ela básica ou especializada. O que falta é o reconhecimento por parte dos profissionais, porque quando um bom trabalho é realizado, o usuário reconhece.
        Se a finalidade da prescrição medicamentosa é facilitar o serviço no SUS, e quando falo SUS não falo de categorias profissionais inseridas nele e sim nos usuários que o utilizam e muitas vezes dependem deste serviço para sobreviver, acredito que esta tarefa possa ser delegada sim à outros profissionais, é claro que com restrições. No entanto estes profissionais devem receber treinamento específico para tal.


      • em junho 21, 2012 at 8:47 pm Paulo Roberto

        Apenas uma crítica ao parceiro João Paulo… Não sei se vc sabe o que é a Enfermagem. Não é uma profissão mística que o unico conhecimento é limpar a “bunda” das pessoas meu caro. Com relação a congressos e tantos anos de residencia que vc diz, nos vamos sim em congressos, convenções, capacitações e tambem temos residencia em enfermagem e especializações, qe por sinal é o mesmo tempo que a residencia da medicina.

        Por isso, ao inves de ficar na frente de um computador escrevendo bobagem, vai atender os não sei tantos pacientes q vs diz atender por hora…que mentira… obrigação?? sei!!

        Engula o seu conhecimento e demonstre no dia a dia com os pacientes que precisam. Outra coisa, o medico sem a enfermagem não é nada, assim, a enfermagem sem o medico tbm nao eh nada…éh a multidisciplinaridade que faz a diferença!!


      • A PREPOTENCIA DE ALGUNS QUE SE DIZEM MEDICOS ME LEMBRA O FILME FOMOS DEUSES KKKKK…


      • Dani….. não preciso falar mais nada, falou tudo…. vc foi maravilhoso em suas palavras..parabéns coléga….
        Enfermeira Mara


      • Impressionante como se escreve tanta bobagem em um único comentário.
        Se sua capacidade técnica for proporcional a sua ortografia, você deve trabalhar em um local onde só há incompetentes. Dos enfermeiros aos médicos. Um comentário que usa de alguns profissionais para generalizar sobre toda uma categoria é, no mínimo, digno de pena.


      • vc tem toda a razao, em hospitais a equioe de enfermagem faz toda a diferença, eu sou tecnica e sei disso, o medico manda internar uma paciente mais naos perginta q remedios ela tomava e cada, suas alergias, e a anaminese quem faz somos nos.


      • Boa tarde Daniel, certamente não existe nenhum enfermeiro que conheça mais a farmacologia e reações adversas da dipirona e de qualquer outro medicamento! Hiperglicemia suficiente para causar cetoacidose até o ponto de levar o paciente a um estado comatoso, causada por soro glicosado? Fique tranquilo, nem você com todo este conhecimento que demonstra, conseguirá ver tal proeza. Bons e maus profissionais existem em todas as áreas, inclusive na enfermagem. Estas pessoas são fruto de excesso de faculdades e ensino medíocre que existe em nosso país, mas certamente a melhor faculdade de enfermagem não conseguiria capacitar o seu melhor aluno para diagnosticar e prescrever. Gostaria de prescrever? Não procure por atalhos, siga o único ( e mais difícil ) caminho, faça uma Faculdade de Medicina, torne-se um bom médico, diagnostique e prescreva com o direito que adquiriu às custas do seu esforço e competência, não por um atalho criado por oligofrênicos, megalomaníacos que acham as nossas formações comparáveis. Não há como, só começando outra vez!


      • em fevereiro 26, 2013 at 11:52 am Dr. Jorge (médico)

        Meu caro.
        Preliminarmente, gostaria de lhe informar que pesquisa se escreve com “s”, embora tenha som de “z”. Em segundo lugar, como voce sabe que não foi perguntado pelo médico se ele tinha ou não alergia a dipirona? Voce é prepotente e possui a arrogancia própria dos ignorantes. Desculpo as bobagens que voce diz em seu texto. É natural que não tendo conhecimento médico, e tendo um conselho profissional que lhe faz acreditar que você só não é médico porque os médicos não deixaram, diga bobagens como as que você disse, demonstrando sua frustração profissional, com a enfermagem (muitos colegas seus não são frustrados como você e exercem digna e eficientemente a profissão de enfermeiro, sem perder tempo falando essas bobagens). Acredite. Você não é médico porque não cursou medicina. E por ser enfermeiro, não pode fazer aquilo que o médico faz, por mais que você, equivocadamente, pense ter competência para isso.
        Meu conselho. Se você quer tanto desempenhar o papel de médico, volte a estudar. Preste vestibular para medicina. Conheço vários enfermeiros que cursaram medicina e hoje, são ótimos médicos. Não se exponha demonstrando sua total ignorância sobre assuntos que voce “pensa que sabe”.


      • Pesquisa é com S e o termo correto é infarto do miocardio… Portanto prefiro ser atendida por medicos…Sem mais…


    • Para quem não sabe, ao curso de enfermagem conta com uma grade currricular onde diversos conhecimentos cientificos são contemplados, dentre esse conhecimentos o de farmacologia, CUNSULTA DE ENFERMAGEM e PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM. Sendo assim o enfermeiro possui conhecimento cientifico suficiente para realizar consultas, alguns diagnóstico e prescrições tambem, que outrora, as pessoas pensavam que é só responsabilidade do profissional medico.


      • nobre Rogério. Curar como você disse lamento muito, a medicina infelismente precisa se preparar melhor os médico que estão se formando, vai te que ser muita labuta, mal sabe fazer exame fisico no paciente, melhor nem faz,e mal sabe interpretar exame, onde paciente se encontra com Ca de mama e manda , guarda o exame, porque não tinha dado nada. Isso aconteceu com minha mãe com 54 anos. E mais Referia de tosse secretiva abundante, estava lá RX onde outro colega médico interpretou pneumonia e sabe o que era CA de pulmão. Agora te digo belo médicos formado, mal sabe fazer interpretação de exame. Te pergunto você estudou para curar, que poder você tem?posso dizer que muitos médico são despreparados.Quero que vc saiba que a arte do médico é cuidar em todos aspecto, isso não um desabafo nobre Rogério.


      • Nobre Rogério, sou estudante de enfermagem da Universidade federal da Paraíba, que não é uma faculdade de ponta de esquina como citado em outros comentários, estudamos cinco anos e fazemos especialização, as maiores notas de monitorias são da enfermagem, o que demonstra a nossa profunda dedicação pela profissão. A arte do cuidar não se encontra com a arte de curar?!!! Espantei-me com o seu comentário, nunca quis outra profissão, acho que cada profissional tem o seu papel, mas sabemos que existem unidades básicas de saúde onde os enfermeiros precisam ter autonomia para resolver os problemas da população, além disso, o modelo de equipe interação pregrado pela interdisciplinaridade das USFs, exige autonomia profissional de todos os profissionais de saúde, mas voltando ao seu comentário infeliz, não existe cura sem cuidado. Leia mais, o que falta a todos nós é leitura para discutirmos o assunto com conhecimento de causa. Abraço. Brena Acioly.


      • Sr. Diego, não sabe quanta coisa já tive que consertar dos srs enfermeiros. Um curso de 4 anos não dá formação para prescrever. É muito básico, e muito menos para diagnóstico. Diagnóstico envolve hipóteses. Se nós médico, às veze,s ficamos com cruéis duvidas, imagina vcs com um curso de 4 anos e meio período apenas de estudo. A formação do enfermeiro é para cuidar. Se querem prescrever, fazer diagnótico, estudem!!!! Passem no vestibular. Sempre quis fazer medicina, fiz escola púiblica ( que todo mundo sabe que a maioria não é de boa qualidade ) e mesmo assim, passei no vestibula (após muito estudo) e ganhei bolsa. Respeitem o profissional médico. Assim também serão respeitados.


      • Devo discordar com vc Diego, pq não compete a nós Enfermeiros diagnosticar doenças. E discordo tbm com Sr. Nilton quando se refere a enfermagem como um curso básico. Não sei aonde!! Pode ser básico em algumas disciplinas que não são o foco da enfermagem, mas em termo cuidados, que é a essência, é muito amplo. Não estudamos para diagnosticar ninguém, mas devemos com absoluta certeza discutir os casos que acharmos irregulares, me compreende!! Evidencias não compatível com o diagnóstico!! E tbm levar ao médico suspeitas de alterações para ser avaliado e diagnosticar. Mas olha, não é só a enfermagem que comete essas “cácas”. Já ví várias,inclusive de prescrições e diagnósticos…e graves. E aos colegas enfermeiros que não discutem os casos, são despreparados para exercer a função.


      • E se o colega Nilton acha que cuidar é algo com valor inferior ao tratamento farmacológico, ou menos importante que um diagnóstico…sei lá!! , leia os estudos científicos!!

        Não se trata um doente sem o cuidado… aposto que vc também cuida!!


      • em fevereiro 26, 2013 at 1:26 pm Dr. Jorge (médico)

        Meu caro.
        Se você teve aula de diversos “conhecimentos científicos” e obteve qualificação para ministrar uma “CUNSULTA” de enfermagem, realizando “alguns DIAGNÓSTICO” de enfermagem e prescrição de enfermagem, não ouse pretender consultar alguém como médico e realizar prescrição médica. Caso você não saiba, isso caracteriza exercicio ilegal da medicina, sendo tipificado como crime, passível de prisão e multa. Não confunda seu conhecimento elementar, tratamentos elementares e prescrições elementares, com consulta médica e tratamento médico, que são bem diferentes do que voce possa imaginar. Juízo.


    • Data Publicação: 16/9/2008 | 13:35

      PREVISTO EM LEI: ENFERMEIROS PODEM PRESCREVER MEDICAMENTOS

      Não há motivos para preocupação. Os enfermeiros podem e devem prescrever medicamentos, solicitar exames e realizar consulta de enfermagem no exercício de sua função, pois tais atividades estão previstas em Lei.
      Os questionamentos sobre a atuação do enfermeiro ressurgiram após o Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) publicar que o profissional do Cuidar não poderia mais realizar essas ações, em função de o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) ter tornado sem efeito a Resolução COFEN N° 271/2002, que trata da prescrição de medicamentos por enfermeiros.
      Mesmo assim, essa Resolução havia sido editada apenas para explicar, de forma mais didática, o artigo 11 da Lei 7.498/86 (sobre o exercício profissional da Enfermagem) que, em seu inciso II, alínea “c” permite ao enfermeiro a “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde”; e o artigo 8° da referida lei versa, em seu parágrafo I, alínea “e” que é privativo ao enfermeiro a “consulta de enfermagem”.
      Vislumbrando que Resolução N° 271/2002 era redundante, já que seu conteúdo era previsto em lei, o Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) revogou-a.
      A Portaria N° 648/GM/2006, do Ministério da Saúde (MS), sobre as diretrizes de atenção básica para o Programa de Saúde da Família (PSF) também foi revogada e, em substituto, foi editada uma outra norma, após consonância entre o MS, o COFEN e o Conselho Federal de Medicina (CFM).
      Já que as normas contestadas perante o TRF1 deixaram de existir, o processo foi citado pelo Cremesp foi arquivado por “perda do objeto do recurso”.
      Mesmo assim, em nenhum momento a Lei 7.498/86 foi contestada ou perdeu o efeito. Portanto, já que a lei que permite ao enfermeiro prescrever medicamentos, não há motivos de preocupação.
      Para alertar os enfermeiros e os secretários municipais de saúde sobre o pleno direito de prescrição de medicamentos previamente estabelecidos, o presidente do COREN-MT, Vicente Pereira Guimarães, enviou a eles um oficio circular, no qual lista toda legislação vigente e esclarece o mal-entendido.
      O COREN-MT aproveita para tranqüilizar os enfermeiros e solicita que aquele que for coagido a não exercer suas funções denuncie ao órgão, que tomará as providências jurídicas para garantir o exercício.

      Para mais informações, é possível contatar a assessoria jurídica do Conselho, pelo telefone (65) 3623-4075.


      • Ler todos esses comentários me deixou muito decepcionada… Excluindo um ou outro profissional sensato, o que vemos aqui é um ranso de séculos… Quando vamos amadurecer??? Sou enfermeira mestre, formada pela UFSC, pós graduada na USP. Nunca pretendi ocupar a posição de um médico e discordo desses arranjos “tapa buraco” que apenas nos colocam mais uma obrigação, que não é nossa função. Se cada um fizesse seu trabalho adequadamente não teriamos tantos problemas e tantas iatrogenias. O papel do enfermeiro é gerenciar os cuidados de enfermagem, através da SAE, composta por cinco fazes: Histórico (entrevista e exame físico), Diagnósticos de Enfermagem, Resultados esperados, Prescrição de Enfermagem e Evolução. Para tanto temos também as linguagens internacionais de enfermagem, que nos auxiliam no diagnósticos, resultados esperados e prescrições (NANDA, NOC e NIC). Gostaria muito de saber que todos os enfermeiros prescrevem cuidados personalizados por que usam com maestria todos os instrumentos e literaturas disponíveis. E me faria muito feliz saber que os médicos estão ouvindo seus pacientes, realizando o exame físico de forma acurada antes de pedir inúmeros exames complementares. É fato que a saúde brasileira anda mal das pernas. Detalhe muito importante: somos nós, profissionais da saúde, que compomos este quadro, com auxílio do poder legislativo e do executivo. Por que ao invés de lutarmos uns contra os outros não lutamos por uma saúde melhor para todos??? Já ouviram falar de equipe multidisciplinar? Já trabalharam assim? Me perdoem se serei bruta ou indelicada agora, mas preciso lhes dizer como me sinto. Eu não estudei mais de 8 anos para enaltecer meu Ego, e sim para promover a saúde, prevenir doenças, suas complicações e auxiliar o paciente a reestabelecer sua saúde, a ter qualidade de vida. MÉDICOS E ENFERMEIROS: nunca se esqueçam que nosso principal objetivo é auxiliar pessoas!!!!


      • em fevereiro 26, 2013 at 1:37 pm Dr. Jorge (médico)

        Em tempo Neisa. A equipe só é multidisciplinar quando há várias especilidades diferentes de uma mesma profissão (ex.: Médicos anesntesistas, pediatras, ginecologistas, ortopedistas, etc, compõem uma equipe multidisciplinar – com as várias disciplinas da profissão de médico). O que voce quiz dizer foi equipe multiprofissional: Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapêutas ocupacionais, etc. OK?


    • é uma pena que ainda existam pessoas como voce que pensam que somente os medicos sao capazes de medicar, os enfermeiros estudam e muito na faculdade e sao de total capacidade da mesma coisa, concordo que nao poderiam prescrever qualquer medicamento, que seria um grupo expecifico do mesmo. E so pra constar ja vi muiti no hospital enfermeiros tendo que corrigir prescrissoes de medicos, pelo bem dos pacientes e pessoas como voce pagam desta forma pelo ato de tais grandiosos profissionais.


    • Lei n.º 7.498/1986) impõe, bem como as normatizações do Ministério da Saúde e as resoluções do COFEN que orientam em relação a essa atividade. Sendo assim, além do respaldo legal para prescrever medicamentos em determinadas circunstâncias, é imprescindível que haja um investimento das instituições formadoras, das entidades representativas de classe, dos estabelecimentos de saúde e do próprio enfermeiro, no sentido de buscar uma capacitação profissional e uma constante atualização, que tornem possível o exercício dessas atividades específicas.


    • Concordo que cada profissão tem uma função, mas antes de criticar, xará, devemos primeiro conhecer as funções da profissão.
      A título de conhecimento, quem administra os medicamentos prescritos pelo médico são os auxiliares e técnicos de enfermagem. O ENFERMEIRO é um profissional com graduação de nível superior realizada ao longo de cinco anos e, dentre outras funções, lhe cabe administrar a Assistência de Enfermagem em uma determinada unidade de saúde, realizar consultas de enfermagem, realizar procedimentos de grande complexidade e assistir pacientes graves. Não é uma profissão apenas para “aplicar os medicamentos prescritos pelo médico e ponto”. Há muitos conhecimentos de anatomia, fisiologia, bioquímica, farmacologia, saúde pública, entre outros, envolvidos, todos estes contemplados durante o curso de Enfermagem.
      Um dos grandes motivos de o sistema de saúde estar com tantos problemas é o fato de os pacientes e usuários, que contribuem financeiramente para o sistema estarem tão desinformados como você mostrou estar.


    • É notório com as respostas dadas, que as pessoas possuem uma imensa ignorância quanto à Legislação vigente. Para quem não sabe, o enfermeiro pode prescrever medicamentos sim: Lei 7.498, artigo 11, inciso 2, alínea c: “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde.”
      Pra quem quizer conferir, o link é este:

      http://www.corenmg.gov.br/sistemas/app/web200812/interna.php?menu=0&subMenu=3&prefixos=86

      É IMPRESSIONANTE COMO O POVO BRASILEIRO É IGNORANTE A PONTO DE PUBLICAR COISAS DO TIPO “ENFERMEIROS NÃO PODEM PRESCREVER MEDICAMENTOS E bla, blá, blá”.


      • em fevereiro 26, 2013 at 1:47 pm Dr. Jorge (médico)

        Resolução cassada pela Justiça Federal. Alguém tem bom senso “nessepaiz”…


      • Caro Jorge, fico triste em ver profissionais que discutem méritos de suas profissões ao invés de pensar no trabalho conjunto, a final, o individualismo não leva a nada não é!!
        Já se foi a época em que a Enfermagem era vista como atividade realizada por mulheres e caracterizada como serviços domésticos. Foi-se a época tbm de que eram os médicos os detentores de todo o conhecimento científico e que se sentiam os Deuses mais próximos da humanidade.
        Creio que esteja desinformado, mas as legislações vigentes permitem que o profissional Enfermeiro prescreva medicamentos contidos nos programas de saúde pública, ou seja, para mim prescrever um medicamento este deve estar documentado em forma de protocolo. há alguns municipios que aderem há esses protocolos e outros não. A solicitação de exame muitas vezes não necessita de desses protocolos. E uma vez que em nossa grade curricular de 6mil horas contempla farmacologia, fisiologia, patologia e outras cositas más, creio que Enfermeiros sejam competentes o bastante para solicitar e avaliar exames, porem não cabe a nós o diagnóstico, mas sim discutir o caso com o médico. Infelizmente poucos Enfermeiros hj possuem habilidades e domínio da clinica, mas a clínica tbm não é o bastante, existem outras necessidades que devem ser alcançadas e supridas no cuidado com o paciente!! ok?


    • PENSO QUE AS PESSOAS DEVERIAM OBTER CONHECIMENTO ANTES DE DAR QUALQUER TIPO DE OPINIÃO E MUITA BABOZEIRA QUANDO COMEÇA EU ACHO E POR QUE NÃO TEM CERTEZA, O QUE O ENFERMEIRO DE NIVEL SUPERIOR FAZ UMA AVALIAÇÃO CLINICA DE SINAIS E SINTOMAS E TRAÇA UM DIAGNOSTICO DE ENFERMAGEM ONDE O TRATAMENTO E DE CONDUTAS E MUDANÇAS DE COMPORTAMENTOS E NÃO DE MEDICAÇÕES A NÃO SER NAS TRANSCRIÇOES MEDICAS DOS PROGRAMAS DO MINISTERIO DA SAUDE….. PENSE BEM …..


    • acredito q voce nao sabe bem o papel do enfermeiro,o enfermeiro nao administra medicaçao,bom em fim,mesmo se administrar o medico que mal te olha te prescreve dipirona e quem vai perguntar ah vc antes de ser adiministrado é o enfermeiro ou o tecnico de enfermagem,isso vc deveria saber antes de ser prescrito pelo medico mais em fim se vc olhar nos protocolos temos reapaldos e podemos medicar sim de acordo com o protocolo sei q nao sao tudo q podemos


    • Aline, para que você possa falar sobre os afazeres e atribuições necessário se faz que você se informe destas, sendo assim ou cale-se ou esude para saber qual é o papel da enfermagem


    • em outubro 2, 2011 at 2:42 pm | Resposta Enfermeira com dois doutorados

      Atualize-se.


      • em fevereiro 26, 2013 at 1:50 pm Dr. Jorge (médico)

        Não importa quantos tenha: Doutorado somente lhe qualifica como pesquisador, não como profissional. Aprenda para que servem os títulos acadêmicos. Aliás, seu tempo está “sobrando”…


    • olha, primeiramente antes de fazermos um comentário é preciso sabermos o que estamos falando. Para os leigos, um tec. de enfermagem, aux. ou enfermeiro, é tudo enfermeiro. entãonão fale bobagem dizendo que o papel do enfermeiro é só aplicar a medicação. e se vc não sabe, não que o enfermeiros querem, mas são respaldados legalmente para prescrição de medicações em instituições onde haja protocolo para tal. Isto é legal. Então leia mais, não somos leigos, estudamos 5 anos. Nosso interesse não é prescrever, nem diagnosticar, nosso interesse é o cuidado com o paciente, muito diferente de 90% da classe médica. Agora me diga, quem assistem o paciente 24horas por dia?? é a enfermagem!!


    • prescrição médica é o médico quem diz. O verdadeiro e prescrição de medicamento. O enfermeiro estuda para isso e pode prescrever medicamento por lei.
      Resolução N.º 271, em 12 de Julho de 2002, que regulamenta ações do enfermeiro na consulta, prescrição de medicamentos e requisição de exames(3). Segundo esse documento, o enfermeiro tem autonomia na escolha dos medicamentos e respectiva posologia, respondendo integralmente pelos atos praticados. Assim, a prescrição de medicamentos é uma ação de enfermagem, quando praticadas pelo enfermeiro, como integrante da equipe de saúde. No entanto, os limites legais para a prática desta ação são os Programas de Saúde Pública e rotinas que tenham sido aprovadas em instituições de saúde, pública ou privada


    • descupa vc e muito (ignorante) porque nos auxiliar e tecnicos e enfermeiros podemos passar medicamentos e diagnostico de doenças. porque nos estudondo todas as doença –


    • O Enfermeiro exerce um papel extremamente importante, além de suas competências fundamentais e privativas desenvolve ainda ações que integram a equipe de saúde, entre outras atribuições, como: realizar consultas de enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicamentos.
      No que concerne a prescrição de medicamentos têm surgido muitos questionamentos, envolvendo o respaldo legal diante de tais atribuições. Nesse enfoque o Conselho Regional de Enfermagem de Rondônia (Coren-RO) vem destacar os parâmetros Éticos e Legais que respaldam a prática de prescrição de medicamentos do Profissional Enfermeiro, ressaltando a Lei do Exercício Profissional 7.498./86, a qual resguarda ao mesmo, privativamente a consulta de enfermagem e a prescrição de medicamentos, onde o mesmo texto foi reforçado no Decreto 94.406/87, que regulamenta a Lei acima citada, e ainda amparo no Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem e na Portaria nº 1.625/07 do Ministério da Saúde que dispões sobre as atribuições do Enfermeiro das Equipes de Saúde da Família, que passou a vigorar com a seguinte redação.
      Cabe ao Enfermeiro realizar consultas de enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicações, observadas as disposições legais da profissão e conforme os protocolos, ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo Ministério da Saúde.
      Dessa forma, as atividades desempenhadas pelo Enfermeiro, estão resguardadas na Legislação Federal. Em função disso, a fim de defender os direitos desse profissional, o Coren-RO ressalta que ao desempenhar tais funções o Enfermeiro está legalmente exercendo sua profissão.


      • Caro(a) Geni, essas legislações são criadas porque o enfermeiro(a) é um profissional mais barato para o governo. Mas o foco da enfermagem não é esse.
        Os gestores não se importam se o filho de um pobre for a uma consulta resfriado e receber um vidro de amoxicilina para o tratamento do mesmo. Porém, aposto que os filhos deles são acompanhados pelos melhores pediatras. Nada contra a enfermagem, mas a preparação de vcs não foi para isso.


    • Quanta ignorância, procure se informar um pouco melhor antes de opinar sobre algo, devemos falar apenas daquilo que conhecemos, informe se melhor e reveja seus conceitos. Existe uma prescrição chamada: prescrição de enfermagem, leia e depois opine melhor.


  2. Será que esta decisão é valida para a atividade do enfermeiro frente aos programas de Saúde Pública??

    A possibilidade de realização de consulta de enfermagem e prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde são competências previstas no art. 11, I, “i” e II, “c” da Lei 7.498/86 do ministério dasaúde e nenhuma decisão judicial declarou suspensa ou sem vigência tais dispositivos da Lei que regulamenta o exercício da enfermagem.


  3. esta nota esta foi equivocada.

    Diferente do que foi divulgado no site , a citada decisão judicial não se refere à Resolução Cofen nº. 272, que permanece plenamente vigente e que dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE – nas Instituições de Saúde Brasileiras;
    Adecisão judicial noticiada a vigência da Portaria nº. 648/2006 – Política Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde;
    ( fonte: CREMESP)
    vamos nos informar primeiro heim!!!


  4. A enfermagem é uma profissão com bem mais funções do que apenas administração de medicamentos,para falarmos sobre uma profissão devemos primeiro conhece-la e saber os seus atributos,poderia listar aqui inumeros, mas não vou perder tempo com isso.Divulgar noticia mentirosa e incorreta é crime e é passivel de multa e detenção,acho que o cofen deve tomar as medidas cabiveis contra esses atos.


  5. Prezado Tércio,

    também achamos que a profissão de enfermagem tem inúmeras funções e, todas elas, de fundamental importância para a Saúde brasileira.

    Consultamos a fonte indicada pela Lannara e realmente o CREMESP faz uma consideração sobre o assunto. Que será postada em seguida a este post.

    Esta questão é polêmica. E este blog é democrático e aceita e respeita todas as opiniões.


  6. ESCLARECIMENTO SOBRE NOTA DIVULGADA NO SITE DO CREMESP ACERCA DA COMPETÊNCIA PARA PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS E SOLICITAÇÃO DE EXAMES POR PARTE DE ENFERMEIROS NOS PROGRAMAS DE SAÚDE PÚBLICA

    Sobre a nota Enfermeiros não poderão diagnosticar e prescrever divulgada em 29 de agosto de 2008 no site do Cremesp, referente à Decisão Judicial transitada em julgado perante o Tribunal Regional Federal – DF – Mandado de Segurança – Processo nº. 2006.34.00.034729-1 e Agravo de Instrumento nº. 2007.01.00.000126-2-DF, esclarecemos:

    – as informações divulgadas pelo site do Cremesp utilizaram como fonte, notícia publicada pelo Conselho Federal de Medicina em 29/08/2008;

    – diferente do que foi divulgado no site do Cremesp, a citada decisão judicial não se refere à Resolução Cofen nº. 272, que permanece plenamente vigente e que dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE – nas Instituições de Saúde Brasileiras;

    – quanto à Resolução Cofen nº. 271/02, que tratava da prescrição de medicamentos, já havia sido revogada pelo Plenário do próprio Cofen;

    – a decisão judicial noticiada pelo Cremesp revogou a vigência da Portaria nº. 648/2006 – Política Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde;

    – finalmente, cumpre esclarecer que a Decisão Judicial citada não se refere às disposições do Artigo 11, I, “i” e II, “c” da Lei Federal nº. 7.498/86 e à Portaria do Ministério da Saúde GM nº 1.625/2007.

    Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo


  7. Infelizmente… o eterno jogo de brilhos…
    E quem mais perde com isso não são médicos ou enfermeiros, mas a saúde da população. Acho que mediante protocolos, principalmente nos postos, haveria mais agilidade e resolutividade para os problemas de saúde das pessoas. Uma verdadeira lástima… um retrocesso…


  8. Gostaria de saber a resposta do blog sobre o comentário nº 2 de Lannara escrito em 18/09/2008


  9. Cristiano, a resposta do Comentário da Lannara foi esclarecida na nota dada pela Cremesp (citado no post nº 6):

    a Decisão Judicial citada não se refere às disposições do Artigo 11, I, “i” e II, “c” da Lei Federal nº. 7.498/86 e à Portaria do Ministério da Saúde GM nº 1.625/2007; que define que o enfermeiro realize consultas de enfermagem e prescreva medicamentos estabelecidos em em programas de saúde pública.


  10. Prezados debatedores: acho que a Medicina e a Enfermagem têm atribuições próprias e bons médicos e bons enfermeiros devem se orgulhar de seus conhecimentos e utilizá-los em plenitude. Nenhuma dessas profissões têm necessidade de se afirmar invadindo atribuições e prerrogativas de outras. Na verdade essas ações judiciais, a que foi aqui noticiada e outras, decorrem não de iniciativas de médicos e enfermeiros ou de entidades de classe desses profissionais. Decorrem da ação nociva do Ministério da Saúde que, por dificuldades relativas à competência na gestão e no financiamento, quer atribuir a enfermeiros atribuições que eles nem precisam de ter. O problema não está na Medicina e nem na Enfermagem. Está no Governo. Precisa ser bem identificado. A derrota judicial e outras sentenças que estão saíndo não são uma derrota dos Enfermeiros, mas de um projeto de improvisação defendido pelo Ministério. Se médicos e enfermeiros fossem bem remunerados para exercer as funções que lhes são próprias e contratados em número suficiente para atender à demanda dos serviços de saúde, não haveria esse tipo de discussão. Temos que entender bem isso para não jogarmos pedras na vidraça errada e ficarmos igual um balde de caranguejos, onde o que está mais embaixo puxa a perna daquele que tenta sair e ficam todos emaranhados no meio da mesma confusão. Não podemos permitir que haja no relacionamento entre os profissionais esse tipo de indisposição determinada por medidas administrativas exdrúxulas e questionáveis.
    Acho que os enfermeiros estão de parabéns, por exemplo, ao recusarem o trabalho por meio de cooperativas nos hospitais. Os sindicatos do pessoal de enfermagem tem sido muito firmes nisso. Por outro lado, em algumas regiões do Brasil, a proliferação de cooperativas médicas tem criado uma casta de bóias-frias da Medicina. Isso é ruim para todos. Então temos que saber onde estão os problemas que afetam ambas as categorias profissionais ou prejudicam uma ou outra e combatê-los com firmeza. Não precisamos ficarmos procurando falsos dilemas, porque na saúde já temos muitos. Principalmente na saúde pública.


    • É gratificante ler um texto tão bem elaborado e inteligente, em meio a tantas agressões! Concordo com você, atirar pedra na vidraça errada não ajuda em nada! Parabéns!!!


  11. CADA UM NO SEU QUADRADO! QUER RECEITAR? DIAGNOSTICAR? ENTÃO VAI PASSAR POR UMA CONCORRÊNCIA LOUCA OU GASTAR UM HORROR PRA FAZER MEDICINA ALÉM DE ESTUDAR INTEGRAMENTE POR UMA MÉDIA DE 10/11 ANOS ! SÓ ISSO!


    • Ignorante filhinho de papai. Tenho medo é dos seus diagnósticos e das suas prescrições.


    • Tudo isso por nada, pois alguns como vc, estudam 10 anos e não sabem nada de farmacologia!


      • Passam 10 anos na fac e ao solicitar um simples hemograma , pede ht,hb, eritrograma, leucograma,hemograma em uma só solitação.Aprendam com uma simples tecnica no hemograma já esta incluso todos esses itens.


    • É isso ai André. Depois de gastar horrores para se formar, aproveita e aprende direito como medicar e diagnosticar certo também ajuda. No nosso país médicos ruins não pagam micharias pelas vidas que eles mutulam ou tiram. Não é só medicar, é ssaber se o que foi medicado não vai prococar a morte do outro, mesmo que seja uma dipirona.


    • peço a Deus que vc, André, não seja médico! Pois sua visão é deturpada e seu comentário é medíocre… A SAÚDE BRASILEIRA NÃO PRECISA DE PESSOAS COMO VOCÊ!!… digo isso como usuário e profissional!

      Medicina e Enfermagem são parte de uma equipe multiprofissional, capacitada com educação permanente (sabe o que é isso?), e que detém conhecimentos científicos necessários às suas atribuições, embora algumas delas sejam semelhantes, a autonomia de ambas permanece íntegra!

      Contudo, não se faz saúde apenas diagnosticando doenças ou prescrevendo medicações!!!

      se você fosse um profissional de respeito e integridade saberia que o ministério da saúde vem a anos preconisando o que chamamos de clínica ampliada, onde não vemos os pacientes como sistemas orgânicos, mas o vemos como um ser integrante de uma sociedade e que o seu meio interfere diretamente em sua saúde… ISSO SE CHAMA HOLÍSTICA!!!

      a medica sozinha não é capaz de dar isso ao usuário SUS, assim como a enfermagem sozinha também não é capaz! a saúde se faz em conjunto!

      a enfermagem não quer se apoderar das atribuiçoes médicas, mas visa, holisticamente, suprir as necessidades de uma população sulcateada com uma execusão a quém do que poderia ser de um sistema público de saúde… foram anos de uma cultura onde não havia ciências da saúde (e sim ciências médicas), hoje, o próprio ministério da saúde reconhece o erro e o tenta corrigir…

      espero que você e todos quantos compartilham da sua fala se informem sobre as mudanças que vêm ocorrendo e que ainda estão por vir. Do contrário, serão pegos de surpresa, e esta não lhes será favorável!


    • SOU TECNICO DE ENFERMAGEM E ACADÊMICO DE ENFERMAGEM VEJO TODOS OS DIAS MÉDICOS DITOS COMPETENTES, COMETEREM ERROS GRAVISSIMOS E FATAIS, MAS NOS TEMOS AQUI NA EMERGÊNCIA DO HOSPITAL EM QUE TRABALHO UM PROVÉRBIO; ERRO MÉDICO A TERRA ENCOBRE E O MAIS TRISTE NISSO É QUE OS CONSELHOS DE MÉDICINA SÃO CONIVENTE COM TAIS ERROS, O QUE SEI É QUE QUANDO NO MEU LEITO DE DORMIR PONHO MINHA CABEÇA NO TRAVESSEIRO SEI QUE CUMPRIR COM MINHA OBRIGAÇÃO DE 15 ANOS DE ENFERMAGEM COM MUITA DEDICAÇÃO E JAMAIS TROCARIA POR UM CURSO DE MEDICINA, LEMBRANDO QUE OS CURSOS DE MEDICINA TAMBEM ESTA ACESSÍVEL A QUALQUER PESSOA BASTA SE INTERESSAR. A MAIORIA DOS MÉDICOS SÃO PÉSSIMOS PROFISSIONAIS E NÃO TEM ESPECIALIZAÇÃO SÃO APENAS CLÍNICOS E ESTES NÃO SABEM NEM ENTUBAR UM PACIENTE JÁ VI CASOS AQUI ONDE TRABALHO EM QUE O ENFERMEIRO FOI QUEM ENTUBOU O PACIENTE PORQUE O MÉDICO NÃO SABIA E SE O ENFERMEIRO NÃO TIVESSE FEITO O PACIENTE TERIA IDO A ÓBITO. COMO TEMBEM NÃO SABEM FAZER SUTURA ENTÃO CARO ANDRE MELHOR VOCÊ CALAR A LATRINA OK FUIII…..


      • em janeiro 10, 2012 at 6:08 pm Gabriel silva

        MEU CARO AMIGO, SOU TÉCNICO E TAMBÉM ACADÊMICO DE ENFERMAGEM, E FIQUEI HORRORIZADO EM VER QUE VC ACHA BOM UM ENFERMEIRO ENTUBAR.
        ISTO É ILEGAL, ACHO QUE VC E ESSE SEU ENFERMEIRO DEVERIAM LER OS NOSSOS CÓDIGOS DE ÉTICA, PARA NÃO COMETER MAIS ESTE CRIME….UM ABRAÇO E ESTUDE MAIS…


      • GABRIEL SILVA
        EU NÃO DISSE QUE ERA BOM OU RUIM CERTO OU ERRADO, VOCÊ ENTENDEU MAL. SÓ DESCREVI UM FATO. QUANTO A ADMIRAR O COLEGA QUE FEZ O PROCEDIMENTO, PARA MIM É UMA HONRA TER TRABALHADO COM ELE. UM PROFISSIONAL EXTREMAMENTE COMPETENTE E DEDICADO COM VARIOS ANOS DE SAMU, PENA QUE NÃO ESTEJA MAIS TRABALHANDO COMIGO AQUI NA EMERGÊNCIA, PORQUE ESTA AGORA LESSIONANDO NA UFPE ENSINANDO A IMBECIS INEPTO QUE NEM VOCÊ. ACREDITO QUE VOCÊ SERÁ UM BELO PUXA SACO DE MÉDICO UMA DECEPÇÃO PARA SEU MESTRE UM PROFISSIONAL SEM INICIATIVA DIANTE DA POSSIBILIDADE DE MORTE DE SEU SEMELHANTE. DAQUELES QUE SERVIRÁ CAFEZINHO PRA MÉDICO SÓ PRA FICAR BEM NA FICHA OU OBTER FAVORES OU SEJA, UM TIPICO PUXA SACO, MAS GENTE COMO VOCÊ NÃO ENTRA NA MINHA EQUIPE QUE É MUITO COESA. QUANTO A LEI DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM CONHEÇO DE CABO A RABO BEM COMO AS RECENTES RESOLUÇÕES DO COFEN. NA TEORIA TUDO É MUITO BELO, NA PRÁTICA A COISA É DIFERENTE.


      • Que piada…quer dizer que a maioria dos médicos são péssimos profissionais?? Qual o problema em serem apenas clínicos? Tu quer que sejam radiologistas, cirurgiões , patologistas e obstetra ao mesmo tempo? O problema é que a enfermagem acha tudo simplório….acha que receitar é uma barbada, que suturar é uma barbada, que manejar uma parada é uma barbada….inclusive entubar!!!! É muito fácil mesmo quando a responsabilidade está nos ombros dos médicos e a enfermagem só assisti!!! Pra fazer tudo isso tem que ter embasamento clínico….ter feito inúmeras cadeiras em Clínica Médica…..coisa que a enfermagem não tem!!! Então meu caro zcarlsc….guarda esse teu recalque pra ti!!! Quer atuar em áreas médicas….então faça medicina!!!


      • SIMPLÓRIO É SUA RESPOSTA QUE É CHEIA DE ESTULTICE, VEJO QUE VOCÊ NÃO SABE NADA DE ENFERMAGEM NEM DE ENFERMEIROS E QUEM DISSE QUE NÃO TEMOS EMBASAMENTO CLINICO SÓ NÃO FAZEMOS PORQUE É ILEGAL E NÃO É POR FALTA DE CONHECIMENTO. ASSIM COMO A CLASSE MÉDICA TEM VARIAS ÁREAS DE EXPECIALIZAÇÃO NÓS TAMBEM TEMOS. INCLUSIVE SABEMOS SUTURAR SÓ NÃO É DEVER NOSSO, MAS DIREI UMA COISA AMO MINHA PROFISSÃO E ISSO PRA MIM BASTA. A SUA REVOLTA É QUE EU DESCREVI EXATAMENTE O FATO REAL LITERAL E VERDADEIRO AI A CARAPUÇA LHE CAIU BEM. ABRAÇO


      • Bom comentário brother!


      • Em situação de risco de morte iminente de paciente, na qual exista a impossibilidade de se contar com um profissional médico para a realização da intervenção, o enfermeiro poderá realizar este procedimento, desde que ciente da sua capacidade, competência e habilidade para garantir uma assistência livre de riscos provenientes da negligência, imprudência e imperícia.


    • Caro André qual é a sua profissão mesmo? vc sabe o que é realmente estudar?


      • em janeiro 15, 2012 at 12:48 pm Diva O.Urdangarin

        Caros colegas sim pois querendo ou não somos todos da mesma area ou seja saúde,cada um tem papel de suma importancia seja no hospital seja na saúde publica.Sou enfermeira e amo muito minha profissão e eu sei que um profissional complementa o outro tenho profissionais médicos na minha familia e conversamos muito sobre essa cumplicidade que deve existir entre os profissionais pois todos nós almejamos a mesma coisa ou seja a cura do nosso paciente.Olhem só meu cunhado chegou no PS com PCR o médico não conseguiu entuba-lo graças á Deus que tinha um colega enfermeiro que pediu licença pegou a canula e passou se não fosse isso meu familiar teria morrido e o médico olhou pro colega enfermeiro e agradeceu,isso é visão é trabalhar em equipe apenas buscando salvar o pte.Não existe o SABE TUDO pois na vida estamos sempre aprendendo.Tenho 32 anos de profissão trabalhei em UTIS e tbem vi auxiliar de enfermegem entubar pte porque o médico e o enfermeiro não conseguiram então fica minha pergunta para que este jogo de poder eu sei mais que o fulano isso é orgulho idiota pois somos todos profissionais que temos o mesmo valor pois somos anjos de uma só asa que dependemos do outro pra podermos voar.Abçs


    • Andrè, penso que você realmente ESTUDOU demais, deve ter feito mal ao cérebro, procure ajuda psquiátrica e não se culpe a loucura, revolta pode acontecer a todos nós, um conselho tire férias de prescrições. Nós seres estudados que devíamos construir um Brasil com maior ujustiça e oportunidade não devíamos dar maior crédito a faculdade mais cara, e sim buscarmos iguais condições a todos Ah! a enfermagem estuda muito não por 10 ou 11 anos mas a vida toda…
      Calma, vá se tratar depois vc volta o debate civilizadamente
      Abraços
      Michelle


    • Nossa… acho que na sua faculdade que você gastou um horror e estudou integramente ( de modo integro) ou integralmente ( de modo integral)…
      possuia a cadeira da arrogância!!! Você é apenas um ser humano … ou serão deuses?

      Fica um pensamento:”Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”
      Carl Jung


      • Darlange
        Desta eu gostei, muito bonito.


      • em maio 4, 2012 at 7:35 pm DANIEL ROBSON

        PRECISA-SE DE MÉDICOS PARA ATUAREM NO PSF EM ITAETÉ, CIDADE DA CHAPADA DIAMANTINA, INTERIOR DA BAHIA.
        SALÁRIO DO PSF R$ 9,000.00 LIQUIDOS + PLANTÕES NO HOSPITAL R$ 1,000.00 LIQUIDOS A DIÁRIA.
        CASO SE INTERESSE ENTRAR EM CONTATO PELO TEL. 75 33202175 (SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE).


    • em fevereiro 24, 2013 at 1:59 am | Resposta aurineia gomes de oliveira

      Por isso não,tenho um filho que fez enfermagem na UFF em 2003,tem mestrado e doutorado e estuda até hoje para se manter atualizado,faz as contas de quantos anos de estudo ele tem.


    • Caro André, onde vc viu o tempo do curso de medicina?? q hipérbole!! está louco….para se tornar médico são 6 anos integral, aprox. 9mil horas…se quiser ser especialista mais 2 ou 3 anos de residencia ou especialização…. e se quiser ser enfermeiro 5 anos integral em algumas instituições e outras não aprox. 5 a 6 mil horas ou até mais…. se quiser ser especialista, mais residencia ou especialização de 2 anos. E concorrencia há em todos os cursos, e mensalidades absurdas, isso eh Brasil…nos países vizinhos e em outros eh de graça, não precisa nem de vestibular!!


  12. Fica complicado. Por um lado, a maioria dos médicos, por enquanto, não quer se submeter a exploração de políticos corruptos, do outro, enfermeiros querendo trabalhar barato para tais políticos, iludidos com portarias de ministérios…mais tarde vamos colocar técnicos de enfermagem para prescrever…porque não..cria-se uma portaria e pronto, esta criado o “amparo legal”…convenhamos senhores…o governo quer mão de obra de cabresto…


    • tenho dúvidas quanto ter realmente sido um enfermeiro a escrever isto!!!!

      mas, se o enfermeiro não fosse cientificamente competente para exercer o que a CONSTITUIÇÃO FEDERAL lhe incumbe, EU NÃO ME PRESTARIA A SER UM GRADUANDO EM ENFERMAGEM!

      e creio que você também não!


  13. A prescrição de enfermagem é algo essencial para a saúde não no Brasil como também nos demais países. a saúde é uma área rica e com diversas diretrizes cabendo a cada profissional da saúde realizar o que lhe cabe. Não se trata apenas de garantir um direito ao enfermeiro, mas sim de garantir boa qualidade no atendimento ao paciente/cliente, os leigos possuem uma idéia fantasiosa da GRADUAÇÃO em enfermagem. para esclarecer, o enfermeiro é capacitado em sua graduação a prescrever medicamentos bem como requrer exames e fazer diagnósticos nas consultas de enfermagem, isso não é uma invasão no compo médico, todavia existem limites na prescrição de enfermagem sendo: na rotina das instituiçoes de saúde e no programa de saúde pública. por exemplo, um enfermeiro jamais receitará um medicamento para câncer, isso é expecialidade de um oncologista. Ao contrário do que Michele (comentário anterior) disse, a saúde não perde apenas ganha, por que ela é uma área de disciplinas complementares.

    “Enfermeiros não se fazem passar por médicos! Apenas cumprem seu papel perante a sociedade com competência e fidedignidade ao preceitos legais!”

    A saúde ganha quando ambos respeitam seus compos de trabalho e o realizam com excelência… Desavensas como esta só distânciam o desenvolvimento da saúde no país!!

    e sugiro aos cidadãos desconhecedores das atividades dos profissionais que pesquizassem em fontes seguras as funçoes de médicos, enfermeiros, fisioterapêutas, farmacêuticos, biólogos, biomédicos, tec. e auxiliares de enfermagem, odontólogos, e tantos outros…

    obrigado


  14. como esclarecimento e prova da competência do enfermeiro para a prescrição de medicamentos no programa de saúde pública bem como nas rotinas das instituições de saúde eu lhes informo a grade curricular da graduação. onde observarão o estudo de disciplinas que capacitam potencialmente o enfermeiro a prática de tal feito.

    1º Semestre
    Anatomia 120 – horas
    Biologia Celular e do Desenvolvimento 80 – horas
    Bioquímica 80 – horas
    Fundamentos do Cuidado Humano 120 – horas
    História da Enfermagem 60 – horas
    Seminário Interdisciplinar I 40 – horas

    2º Semestre
    Fisiologia 120 – horas
    Histologia Geral e dos Sistemas 80 – horas
    Psicologia Aplicada à Saúde 60 – horas
    Introdução ao Estudo das Ciência da Saúde 100 – horas
    Saúde Coletiva I 60 – horas
    Imunologia 60 – horas

    3º Semestre
    Seminário Interdisciplinar II 40 – horas
    Farmacologia 120 – horas
    Patologia 80 – horas
    Saúde Coletiva II 100 – horas
    Semiologia 80 – horas

    4º Semestre
    Semiotécnica em Enfermagem 180 – horas
    Microbiologia 60 – horas
    Parasitologia 80 – horas
    Ética em Saúde 60 – horas
    Enfermagem em Saúde Mental I 60 – horas
    Sistematização da Assistência em Enfermagem 60 – horas

    5º Semestre
    Seminário Interdisciplinar II 40 – horas
    Enfermagem em Saúde do Adulto I e do Idoso 220 – horas
    Enfermagem em Saúde da Mulher I 120 – horas
    Enfermagem em Saúde da Criança
    e do Adolescente I 80 – horas
    Enfermagem em Saúde Mental II 60 – horas

    6º Semestre
    Enfermagem em Saúde da Mulher II 120 – horas
    Enfermagem em Saúde da Criança
    e do Adolescente II 120 – horas
    Enfermagem em Saúde do Adulto II e do Idoso 160 – horas
    Urgência e Emergência 80 – horas
    TCC 60 – horas

    7º Semestre
    Gestão Servicos de Saúde I 60 – horas
    Internato I 600 – horas

    8º Semestre
    Gestão dos Serviços de Saúde II – 60 horas
    Internato II 720 – horas

    Carga Horária Atividades Complementares Obrigatória 240 horas
    Total da Carga Horária Obrigatória
    4660 horas

    ao contrário do que muitos pensam, na enfermagem não se aprende técnicas como “aplicação de injeções e a dar banho em leito”(até porque isso qualquer indivíduo faz), isso é um pensamento medíocre e preconceituoso. além disso, a Enfermagem também é uma área de pesquisa científica na busca do bem estar da sociedade. é uma situação irônica a sociedade não reconhecer e nem respeitar a enfermagem.


    • Tenho 12000, DOZE MIL horas na minha faculdade de medicina. TRÊS VEZES MAIS que isso colocado por você na enfermagem. Não compare faculdades e profissões distintas.
      Sem contar as horas de internato no 5to e sexto anos que excedem a tabela da faculdade, além das extremamente diferentes demandas de enferm. e médicos nas residências.
      Não estou criticando a enfermagem, só estou falando que nas 7500 horas a mais do curso de medicina, nós aprendemos muito. Você por ex. teve Anatomia-120 horas, já eu tive Anatomia A, Anatomia B, Anatomica C. Mesma coisa com fisiologia, A;B;C;D. Farmacocinética, dinâmica e terapêutica, três disciplinas distintas com cargas horárias monstruosas na PUC, muito diferente do curso de enfermagem(eu sei pois tenho colegas enfermeiros).


      • em julho 4, 2012 at 9:49 pm Paulo Roberto

        Quantas horas a mais vc colocou ai no meio das 12000 hein garoto!! fez especialização junto??

        Vc acha que sabe tudo de anatomia, fisiologia, e farmacologia…puts que ego o seu hein!!


  15. Danilo, vc está certíssimo.


  16. “como esclarecimento e prova da competência do enfermeiro para a prescrição de medicamentos no programa de saúde pública”

    … E onde está a parte que esclarece a competência em prescrição?


    • Sei que é difícil para voce compreender algo o qual não foi devidamente instruído. quero dizer, não é fácil contemplar a qualificação de uma profissão quando não a conhece, quando não sabe suas estruras, quando há uma pré conceito sobre ela, quando há uma cultura monocentralizada sobre o conceito de saúde e de se fazer saúde!


  17. O comentário gh7a foi o mais sensato que já li em toda a minha vida acadêmica. Enfermagem e Medicina são duas profissões diferentes. Interdependentes. Não vejo o porquê de tamanha confusão em relaçãso as atribuições de cada profissional.


  18. Se os profissionais de enfermagem estão aptos a prescrever exames e medicamentos dentro do que foi estudado em suas disciplinas acadêmicas , porque não por em prática ? afinal , na situação dificil em que se encontra a saude , precisamos de profissionais disposto a trabalhar para melhoria da saude pública ..Se médicos e enfermeiros trabalharem nesse proposito , todos so tem a ganhar, e nos usuários agradecemos…


  19. Sou estudante de medicina(sexto ano) e acho um absurdo que seja cogitado a possibilidade de um profissional de enfermagem prescrever medicações.Não por demérito a esta profissão,mas sim por acreditar que não há uma capacitação para tal.Gostaria de ver os enfermeiros que aqui escrevem,tratando uma crise de asma,uma pré-eclampsia,uma pneumonia em uma crinça ou ainda,diagnosticando e prescrevendo pacientes em uma enfermaria de clínica médica.São profissões diferentes,com responsabilidades diferentes.


    • a profissão médica é essencial à saúde humana, isso ninguém pode retorcer. mas cara colega, creio que voce não tenha lido o suficiente para saber do que ser trata a prescrição de medicamentos pela enfermagem e quais são os seus limites.

      são realmente profissoes diferentes com atribuições diferentes. tanto que na assistência terciária (hospitais e centros de tratamento) os enfermeiros não tem a prescrição como rotina…

      a prescrição da enfermagem é feita mediante medicamentos protocolados e disponíveis na rede pública. e em âmbito de assistência primária.

      por isso, enfermeiros não são preparados para prescrever nas situações que listou. mas são preparados para tomar outras medidas, medidas que são atribuídas apenas aos enfermeiros.

      espero que tenha sido esclarecido!!!


    • Michele por que você acha isso tão absurdo. Já que hoje em dia não se faz necessário um prescrição de um medicamento (medico ou enfermeiro) para obter uma medicação em qualquer farmácia. É incrível como os conselhos de medicina se acha no direito de desmerecer as outras profissões em suas particularidades (lembrando que não é apenas a enfermagem).E se você acha que o enfermeiro é incapaz de prescrever uma medicação, o medico também não seria o mais indicado, e sim o farmacêutico, que é o profissional que seria o responsável por este atributo caso não houvesse a interferência dos conselho de medicina. E só pra lembrar! Você viu o pq à medicina faz tanta questão desse direito. Veja no site do fantástico! Ma manchete é a seguinte: “Fantástico denuncia esquema entre médicos e farmácias. O percentual repassado ao médico varia entre 25% e 45% do total das receitas encaminhadas à farmácia, uma prática proibida pelos códigos.”
      Será que esse é o motivo real pra toda essa luta???


    • Michel, gostaria de agradecer o elogio e dizer que apesar de saber exatamente qual a medicação indicada, concordo com você, não tem necessidade de prescreve-la pois afinal , em qualquer hospital ou unidade de saúde obrigatoriamente deve existir toda uma equipe e cada um na sua função,podemos perfeitamente ter harmonia e paz , para cuidar de um cliente ,


      • para mim auxiliar;tecnico ou enfermeiro e tudo uma merda so, e o proprio enfermeiro tem pre conceito com a sua classe e ainda que mandar nos auxiliares de enfermagem que por sinal ajuda bastante em tais procedimentos, ja que nao podem fazer medicina, que tal fazer nutriçao, fisioterapia; biomedicina;ou psicologia e bem mais valorizado e indepedente.


      • Suellen, para começar esta profissão não é uma merda só, em segundo os técnicos e auxiliares são subordinados dos Enfermeiros… É o dever do enfermeiro supervisionar a equipe de enfermagem, e isso só compete a ele, e nenhum outro profissional irá interferir!! Nós Enfermeiros somos independentes, e se por acaso vc faz parte desta categoria e se sente frustrada por ser subordinada a alguém, saia desta profissão, faça um outro curso, quem sabe um dos citados por vc mesma… a enfermagem nao precisa de profissionais com esses pensamentos. E se vc não faz parte dela, com certeza não sabe o que esta falando…!!


  20. Gostaria, de ressaltar que o enfermeiro perante sua formação TÊM capacidade sim!!!de prescrever medicamentos básicos, uma vez que para conclusão do curso e formação ele têm a farmacologia como disciplina obrigatória!!!!Ficaria, grata se tivessem mais cautela para afirmarem algo que não os é inerente!!!Conheçam antes de criticar!!!!Concordo que há profissionais e profissionais, mas sem generalização!!!!Para atualizá-los pela resolução do Cofen o enfermeiro È apto de prescrever medicações na rede básica de saúde!!!Creio que cada profissional têm seu valor, chega de querer ser Deuses!!!Só é doutor quem faz doutorado, e eu sou!!!!Obrigado, pelo reconhecimento!!!Aliás, sou eu quem toma conta o tempo TODO do paciente….Não só passo visitas…


  21. Parabéns pelo teu doutorado, agora abre um consultorio pra prescrever medicações BÁSICAS(que não faço idéia de quais tu considere) e espera que algum paciente te procure e te chame de DOUTOR. Quanto aos pacientes que tu diz cuidar TODO o tempo,quem fez o diagnóstico e a prescrição dele?? Não faço medicina para ser chamado de doutor,muito menos por acreditar ser um Deus. Faço medicina por amor e prazer em tratar pessoas. Agora voltando ao assunto MEDICAÇÔES,não considero,na minha opnião,que alguma possa ser chamada de básica.Até um AAS,paracetamol ou captopril tem seus riscos.Básico para mim é chá de cidreira ou suco de maracujá!!


    • em junho 18, 2009 at 12:00 am | Resposta thiago enfermeiro

      Rapaz tu num tem outra besteira maior pra falar ñ??? No dia em que vc chegar em uma unidade básica e o medico faltar ou só atender um numero restrito de pessoas vc vai lembrar da idiotice q vc falou quando uma enfermeira vier ti atender!!! Pq nossa profissão ñ tem como obrigação apenas prescrever medicação, mas proporcionar um melhor atendimento e a saúde das pessoas que procuram a unidade! E lembre sempre q ñ é apenas enfermeiros q erra ao prescrever um medicamento. Muito médicos também cometem o mesmo erro! Pq ele ñ deixa de ser menos humano (passível a erros) por serem medicos!


    • a capacidade de um indivíduo dominar farmacologia não é determinado pela sua profissão, mas do seu empenho quanto acadêmico!!!

      um grande exemplo foi a morte de uma criança por dengue hemorrágica… ela estava sendo tratada por um médico do rio de janeiro com IBUPROFENO!

      faz algum sentido para você tratar um indivíduo com deficiência no sistema de coagulação devido a trombocitopenia, com inibidores de cicloxigenase?

      pois é. talvés você como boa acadêmica saiba disso, mas seu colega não sabia… mas ambos não saõ médicos?

      Pois se o conhecimento é determinado pela profissão, quem melhor conhece farmacologia do que os farmacêuticos? porque eles não prescrevem?

      nos estados unidos existem farmacêuticos clínicos. médicos cuidam apenas do que sua profissão os tornam bons: diagnóstico. mas os farmacêuticos clínicos assumem toda a prescrição e os seus riscos, com coopetência!

      não posso julgá-la como boa ou ruím pela sua profissão, por favor, NÃO O FAÇA COM OS ENFERMEIROS.

      OBRIGADO!


    • Michel, plantas medicinais tem interacao com outros remedios, por isso tem que se observar o que o paciente diz que toma. E importante quando entrevistando o paciente saber exatamente o que ele costuma tomar no seu dia a dia para prescrever. Voce deveria saber disso!


    • vc é bem ignorante para ser médico!


    • Michel, fazendo um curso tão prestigiado e com uma mentalidade tão medíocre… médicos e enfermeiros cada um tem suas atribuições… médicos estudam aprofundados e são capazes de atender qualquer enfermidade dependendo da especialidade, porém o enfermeiro também tem competência para algumas patologias … gente vamos para com essa guerra de competências … o sistema de saúde funciona com os dois e é preciso uma interação e respeito entre os profissionais… quantos médicos não gostam de atender ambulatório,, porque são consideradas algumas como básicas… pergunto a vc michel se vc teria a capacidade de trabalhar em uma unidade de saúde sem enfermeiro… atendendo ambulatório, urgências e emergências, pré-natais, consultas de anticoncepcionais, administração de medicamentos, entre outros. vc pode até dizer que sim, porém não será um bom médico já que estará sobrecarregado com tantas atribuições que vc julga serem apenas atribuições médicas… com certeza um enfermeiro sabe os risco que um AAS, paracetamol e capropil pode acarretar já que estudam as enfermidades e resoluções… do mesmo modo que o enfermeiro também fica de mãos atadas numa unidade de saúde sem médico…


  22. Sou médica e trabalho no PSF há 5 anos.Trabalho com uma enfermeira ,2 A/E e 5 ACS.Gosto muito do trabalho que desenvolvemos.Devido a todos esses comentários e confusões judiciais venho declarar que o trabalho que a enfermeira de minha equipe desenvolve é sério,responsável e que se limita aos protocolos muito bem colocado nos cursos que participamos,nas cartilhas do ministério.Nós médicos,ao prescrevermos uma medicação nos responsabilizamos pela nossa ação! a enfermagem também! nunca tive problemas com ela,pelo contrário, quando ela atende em consulta de enfermagem um indivíduo hipertenso faz anamnese e exame físico,orienta a dieta,acompanha os exames laboratoriais e se tiver no tempo de colher novamente ou nunca colheu ela mesmo os solicita.Eu, estou atendendo outros pacientes (geralmente já com exames alterados,renovação de receitas as quais o enfermeiro Não pode transcrever….) nós colaboramos uma com a outra,ela nunca deu diagnóstico,mas reforço que é a enfermagem muitas vezes que o faz! sim, esses profissionais nos passam detalhadamente os sinais e sintomas apresentados,lá no fundo os enfermeiros sabem sim,muitas vezes o que o pacte apresenta como diagnóstico,somente não o relatam verbalmente ao médico ou escrevem em sua evolução de enfermagem.Tenho como exemplo várias situações: a enfermeira fez ausculta cardíaca em um pacte e constatou arritmia,junto com isso o pacte estava iniciando processo de hiperemia,edema e calor local em MID.me trouxe as informações no mesmo momento.Assim,pedi um ECG imediato e iniciei tratamento medicamentoso ao quadro apresentado.Trabalhar juntos é o que devemos fazer! cada um com sua competência técnica e legal.


    • ANA PAULA, fico muito feliz em ler o seu comentário!

      isso é o exemplo do que nós acadêmicos vivenciamos nos estágios!

      infelizmente esta visão se restringe aos médicos generalistas que trabalham arduamente nos PSF’s e poucos medicos especialistas…

      creio que esta visão apenas poderá ser ampliada se as academias ampliarem seus ensinamentos para a clínica ampliada, assistência primária a saúde.

      eu espero um dia poder trabalhar com profissionais como você!


    • Ana Paula, aqui nos Estados Unidos e exatamente assim que trabalhamos. Nao ha uma competicao entre medicos e enfermeiros. Trabalhamos em conjunto com varios outros profissionais para atender ao paciente. Aqui temos a Nurse Practitioner, que e uma enfermeira com mestrado que se especializa numa determinada area, e ela prescreve sem muitas restricoes. Essa enfermeira trabalha tem a sua sala de consulta na mesma clinica que o medico atende. Ela tambem pode ter a sua propria clinica, ela atende em hospitais em qualquer area, desde que seja a area em que ela se especializou. Essa profissao foi criada aqui, depois da segunda guerra mundial, onde se tinha muitos pacients vitimas da guerra. Faltava medicos. Entao o pais criou essa profissao para atender a populacao. E deu certo. Hoje elas estao em toda parte aqui, sao muito respeitadas. E digo que muitos pacienes com quem eu ja conversei, dizem que preferem ver a enfermeira do que o medico, porque a enfermeira antes de prescrever ela/ele e enfermeira/o, e tem ja em sua pratica o desejo e a pratica de cuidar. Ela se dedica mais e melhor ao pacient, e ve o pacient de uma maneira holistica.


  23. Gostaria apenas de relatar que sem enfermeiros e suas prescrições não há saúde,PSF,pois somos nós que levamos a saúde para frente e defendemos o paciente,coisa que a sociedade atual não agradece. A enfermagem é a peça principal para o PSF dar certo pois a maioria dos atendimentos são de enfermagem.


    • colega, gostaria de salientar que a enfermagem não carrega tudo nas costas…

      mas a equipe carrega isso em unidade! não podemos nos tornar egocêntricos como alguns outros profissionais….


    • So posso dizer da minha experiencia aqui nos Estados Unidos. Os hospitais, asilos sao tocados com as enfermeiras. Quando elas pedem por examplo aumento de salarios e nao sao atendidas de imediato, elas dao um prazo de por examplo 30 dias para remanejarem os pacients, e fecham os estabelecimento. Sem elas nada funciona, pois os medicos so passam para visitas. As enfermeiras sao quem realmente conhece o paciente, sao quem sabe se o tratamento esta sendo efficaz, se algo precisa mudar. Essa profissao aqui e super respeitada. Ai no Brasil parece que ha um descaso e muita falta de informacao, ate mesmo das pessoas da area de saude, como os medicos. O que acontece e que antigamente qualquer um que vestia branco e aprendia a aplica injecao dizia que era enfermeira. Hoje em dia e uma profissao com base cientifica. Acho que o Brasil precisa divulgar melhor o papel da enfermeira/o, para que a populacao comece a diferenciar enfermeira/a, de tecnico de enfermagem e auxiliar de enfermagem. Percebo que ainda ha confusoes. Tenho primas que sao dentistas, que nao conhecem o trabalho da enfermeira e dizem barbaridades porque nao tem o conhecimento. E um constante processo de ensinamento dentro da minha propria familia.


      • Achei ótimo a sua visão do ser enfermeiro, pois (ele) o enfermeiro é que esta a cabeceira do paciente, é quem primeiro percebe os seus sintomas.A sua capacidade de resolver situações salva a vida deste paciente,imagine de madrugada …quando este paciente evolui para uma parada respiratória, é ele o enfermeiro que esta ali por perto e providencia os primeiros cuidados para manter aquele paciente vivo,pois ate o medico chegar, se não houver um atendimento imediato, aquele paciente fica sequelado.Pena que a sociedade no brasil não entende e reconhece o trabalho do enfermeiro. É logico que o medico exerce com excelência o seu trabalho, mas em um pais como o Brasil,onde a sociedade não sabe distinguir o profissional, a de se entender o porque de grandes questionamentos.Creio que devemos falar somente aquilo que temos conhecimento e a sociedade realmente esta equivocada,pois não sabe nem dizer qual é o trabalho que cada categoria desempenha, não sabe o trabalho do auxiliar,do técnico e do enfermeiro.
        Parabéns a você que vive em um pais onde o enfermeiro é respeitado.
        Att: Elisangela Vieira Lemes


  24. Dra Ana Paula e de médicos como a senhora que o Brasil necessita que reconhece a nossa importância!!!!!!!!!!!!!


  25. em novembro 9, 2008 at 7:56 pm | Resposta Enfermeira Drª Ângela Campos

    Ao enfermeiro incumbe, como integrante de uma equipe de saúde, prescrecer medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde em questão. Ato médico, nunca! Afinal de contas, todos temos nossas atribuições no serviço de saúde, sendo que um depende do outro na equipe de saúde tanto para troca de informações pertinentes ao paciente (para elaboração de seu diagnóstico e cuidados), como também para a devida medicalização e assistência. Como ressalta o comentário da médica Ana Paula acima descrito ” ………ela nunca deu diagnóstico,mas reforço que é a enfermagem muitas vezes que o faz! sim, esses profissionais nos passam detalhadamente os sinais e sintomas apresentados,lá no fundo os enfermeiros sabem sim,muitas vezes o que o pacte apresenta como diagnóstico,somente não o relatam verbalmente ao médico ou escrevem em sua evolução de enfermagem.Tenho como exemplo várias situações: a enfermeira fez ausculta cardíaca em um pacte e constatou arritmia,junto com isso o pacte estava iniciando processo de hiperemia,edema e calor local em MID.me trouxe as informações no mesmo momento.Assim,pedi um ECG imediato e iniciei tratamento medicamentoso ao quadro apresentado………” Enfim, as evidências estão mais do que claras, TRABALHO EM EQUIPE, pelo bem do paciente acima de qualquer aspecto. É claro que respeitadas as atribuições de cada profissional, o que nesse âmbito, a Enfermagem tem se destacado pelo crescimento progressivo destas.


    • PARECE ATÉ BRINCADEIRA O QUE ESCREVEM AQUI…SERÁ QUE SÓ ENFERMEIROS(AS) QUE CONHECEM AS LEIS.


      • Não Daniel, não somos só nós que conhecemos as leis, mas é que somos tão maltratados e pouco reconhecidos que nossa auto-estima faz com que nos defendamos com unhas, dentes e leis. Se você respeitar pessoas será respeitado. É simples assim!


  26. em novembro 9, 2008 at 9:24 pm | Resposta Ruth de Cássia Magalhães Negrão Gonçalves

    A Sistematização da Assistência de Enfermagem compreende: exame físico, diagnósticos de enfermagem, prescrição, implementação da assistência e evolução de enfermagem. Lendo esses parâmetros dá a imprensão de que os Enfermeiros vão tratar da doença. Não é nada disso. Prestem atenção, vou esclarecer alguns pontos: O exame físico ajuda-nos a identificar o grau de dependência do cliente e detalhes sobre como está o auto cuidado do mesmo. Assim, fica possível percebermos se devemos orientá-los ou até mesmo ajudá-los quanto às necessidades básicas naturais e essenciais para os seres humanos. O Diagnóstico de Enfermagem é o complemento sistematizado do exame Físico, onde se determina por “diagnóstico” as necessidades do cliente. A prescrição de Enfermagem direciona as ações sobre os cuidados que devem ser prestados pelos técnicos e auxiliares de Enfermagem. A implementação, é a execução desses cuidados. A evolução é o acompanhamento feito pelo enfermeiro de todos os cuidados prescrito – nesse ponto, o Enfermeiro por meio de avaliações, determinará se a prescrição se mantém ou não. Isso vai de acordo com os resultados atingidos. Enfase quero fazer no quesito: CUIDADOS AOS CLIENTES – MÉDICOS CUIDAM DA DOENÇA – ENFERMEIROS E SUA EQUIPE CUIDAM DO DOENTE. ESSAS DUAS GRANDESAS JUNTAS É O CAMINHO PARA O SUCESSO. No mais, não vale a pena ficarmos discutindo e sim aplicarmos tudo que determina atendimento de qualidade ao ser doente.
    Sou Enfermeira do Trabalho, iniciei minha função recentemente e já estou montando a Sistematização da Assistencia de Enfermagem para aplicar na empresa que a duas semanas me contratou. Espero conseguir aplicar minhas ações, pois assim estarei contribuindo com a Sociedade em geral.
    No mais, envio meu abraço a todos que fazem parte da equipe de enfermagem e aos médicos. Precisamos unir nossas ações e entendermos que cada um tem a sua competência. Meu e-mail é ruthdecassiamagalhaes@hotmail.com
    Gostaria de trocar idéias tanto com membros da equipe de Enfermagem como também com os médicos.

    Abraços a todos.

    Fiquem com Deus

    Ruth


  27. Sou estudante de enfermagem e me deixa triste saber que curso uma faculdade cheia de limites na sua atuação profissional. A parte mais legal, para mim, é a clínica e não posso fazê-la como um médico. Em parte, até concordo. Realmente os médicos estudam bem mais do que os enfermeiros. Se a prescrição for concedida aos enfermeiros, haverá o risco de ocorrerem mais erros, mais do que os próprios médicos cometem! Agora vale a pena ressaltar que a enfermagem não é simplismente aquele trabalho mecânico de outrora. Ela trabalha muito com o lado científico e intelectual nas suas disciplinas.


    • colega,

      o que está fazendo no curso de enfermagem?

      a quanto tempo voce está cursando?

      e voce tem certeza de que compreende a enfermagem na sua íntegra para dizer sobre limitações da clínica?

      se voce deseja clinicar como um médico, não é pecado, mas por favor saia logo da graduação em enfermagem e vá para medicina!!!

      não se sinta um derrotado cursando este curso. caso contrário, escolha outro!!!


      • em agosto 21, 2012 at 2:55 pm Vinicius lima

        Voce é tão imprudente em seus comentarios, que não se da ao direito de le-los.
        Voce disserta como um adolescente, mimado, sem conhecimento nenhum de causa.
        Nos faça um favor: Estude !!! Para que um dia, quem sabe um diia, voce seja motivo de orgulho para essa profissao tao maravilhosa.
        Att
        Enfermeiro Lima


    • VERDADE SEJA DITA PORQUE OS MEDICOS NÃO POSSUEM UM AUXILIAR DE MEDICINA?POIS BEM O ENFERMEIRO NO BRASIL HA MUITO TEMPO QUE ESQUECEU O QUE É CUIDAR POIS TEM OS TECNICOS E AUXILIARES PRA FAZER O SEU TRABALHO, AI QUEREM TOMAR ATRIBUIÇOES DOS MEDICOS PARA CURAREM A SUA FRUSTRAÇAO TANTO QUE O COFEN SIMPLESMENTE BAIXOU RESOLUÇAO PERMITINDO QUE OS ENFERMEIROS PODERIAM SER CHAMADOS DE DOUTORES ISSO POR SI SO COMPROVA AS SUAS NECESSIDADES DE AFAGO DE EGO!


      • VIVALDI, Me perdoe, mas vc eh de que categoria?? E vc acha que cuidar é apenas dar banho, fazer curativos, medicações?? e a SAE, já ouviu falar?? e a supervisão de enfermagem, sabe o que faz?? meu querido (a), cudado é muito amplo, é muito mais que procedimentos ou palavras… cuidamos muitas vezes de maneira indireta, é esta a função do enfermeiro!! supervisionamos as ações de enfermagem, prescrevemos cuidados, realizamos a SAE!! Nao fale bobagem, e leia no codigo de etica de Enf. quais as atribuições do enfermeiro!! E vc pra falar que o COFEN baixou resolução pra chamar enf. de doutor no minimo nao deve concordar!! mas deve chamar auxiliares e tec. de enfermeiros!! Sim, somos doutores… sabemos as bases cientificas do cuidado!! não precisamos ser chamados assim pra sermos reconhecidos, nos contentamos com a satisfação do cliente; com as estatísticas levantadas que indiquem redução de infecção hosp; nos contentamos com a diminuição casos de ulceras por pressao em nossos setores….!! não precisamos de cura do ego, somos profissionais, detentores de conhecimento científico..diferente de vc, eh claro!!


  28. Hoje em dia partir para uma discussão nesse aspecto e retroceder tudo o que já foi conquistado, posi acredito que TODAS AS CATEGORIAS devão se unir ao invés de ficarem “degladiando entre si e medindo foças para saber quem é melhor ou pior”,existem excelentes Enfermeiros, assim como os que não são tão bons, assim como existem excelentes médicos, e os que são péssimos, onde o Enfermeiro tem de intervir até mesmo em sua conduta para que a integridade do cliente não seja prejudicada, como já aconteceu por inúmeras vezes comigo, então, está se pensando somente “no próprio umbigo”, em prestígio social, o que nenhum dos dois tem hoje em dia, mediante os salários vergonhosos que TODOS ou a maioria recebem por cuidar de VIDAS, responsabilidade de tamanho imensurável, nossas preocupações deveriam ser em formar bons profissionais, aptos a conduzir condutas corretas com os pacientes, não esse tipo de “baboseira” que somente servepara inglês ver e que não nos adiante no dia-a-dia.


  29. O enfermeiro profissional está preparado tanto academicamente como clinicamente para proporcionar uma ampla gama de cuidados de saúde, empregando um enfoque “holístico”. As funções do enfermeiro profissional incluem habilidade de diagnóstico (história de antecedentes, avaliação física, pedidos de exames/procedimentos laboratoriais adequados), supervisão terapêutica, (esquema de cuidados, aviamento de receitas, coordenação de consultas e orientação) e a promoção de atividades de saúde, todos executados em colaboração com o paciente.
    Sabe que o enfermeiro não deseja tomar função de medico, mas oferecer o melhor para o cliente. Estudando ambos chegarão ao fundamental o ato de cuidar.


  30. em dezembro 14, 2008 at 9:10 pm | Resposta Elias Diogo Correia

    Cada qual em seu lugar, eu como futuro enfermeiro sei muito bem que muitos trabalhos de médicos, enfermeiros fazem e muitos de enfermeiros os técnicos fazem, isso é critico, mas nosso país é assim mesmo. Agora a verdade é que muitos médicos querem ser os caras, mas em intra-hospitalar gostam mesmo é do descanso e o enfermeiro além de coordenar toda uma equipe é pouco respeitado e tem que quebrar galho de médico dorminhoco.


  31. em dezembro 14, 2008 at 9:12 pm | Resposta Elias Diogo Correia

    Espero não ter ofendido ninguém, mas que cada qual assuma seu posto e os hospitais irão melhorar muito.


  32. Sou formando em medicina,e acho muito fácil chegar aqui e comentar que médicos são arrogantes,donos da verdade ou “dorminhocos”…….da mesma forma,poderia escrever um tópico por dia sobre “lambanças” feitas por enfermeiros que eu já presenciei……como qualquer profissão,ha bons e maus profissionais!! O que é importante,é a discussão do título desta matéria…….e até agora não vi nenhuma resposta para minhas postagens anteriores!!!! Quais são as medicações que a enfermagem considera como “básicas” e que tipo de atendimento clínico que a enfermagem pode fazer??? É muito simples chegar aqui e mostrar a carga horária do curso de enfermagem e dizer que com isso eles podem clinicar,mas gostaria de ver os enfermeiros que aqui postam,por exemplo,fazendo diagnósticos e decidindo tratamentos e com isso assumindo os riscos de suas condutas em qualquer consulta clínica,seja ela uma pneumonia ou uma TVP!! É fácil falar,o difícil é fazer!!!


    • em junho 18, 2009 at 12:12 am | Resposta thiago enfermeiro

      Então como medico arrogante q vc é (pelo que deu pra entender em seu texto)! E pelo jeito vc nunca foi a uma unidade básica de saúde! Mas no dia em que eu for um enfermeiro formado eu espero poder convidar vc e mostrar se nos da profissão somos ou ñ incapazes de prescrever ou ñ e se for falar de lambanças médicos ñ ficam muito atrás! E um fato bem recente é aquele medico o Rogério que participou de uma edição do BBB e mutilou diversas pessoas em sua recém aberta clinica de estética! E lembrando que ele exerci a profissão a muitos anos e ainda erra suposto especialista em cirurgia plástica!


      • gente nao tem conversa; medico e medico e tem que ser respeitado, e vc enfermeiros tecnicos e auxiliares calem a boca e discultam com alguem do nivel de vcs tipo cuidadores;aconpanhantes,enpregadas e etc


      • Esta mais q claro que vc SUELLEN é uma pessoa frustrada!! E u não sei onde tira essas palavras agressivas pra ofender uma ciência, a Enfermagem… Médico é médico, Enfermeiro é Enfermeiro, téc e aux são tec. e auxiliares… e vc é o que…Usuária do sistema ou profissional?? Não sabe o que fala!! No minimo tem vontade de ser Médica e não consegui!!
        Olha, a equipe de saúde é composta pela multidisciplinariedade e não apenas por medicos…médicos não são patrões, são peões como nós, integrantes de um sistema. e o nível deles não esta acima do nosso, não são Deuses, são profissionais como nós, cada um com sua área de atuação!!


    • em junho 18, 2009 at 12:17 am | Resposta thiago enfermeiro

      E caso o enfermeiro prescreva ele com certeza ira colocar o seu carimbo com seu nome e o numero do conselho estadual de enfermagem! Sendo assim nenhum outro profissional será responsabilizado pelos erros cometidos por ele! E vale sempre lembrar do corporativismo existente entre os médicos q ñ punir os que cometem erros, como o “Dr.” Rogério!


    • colega,

      creio que voce precise entender que existem finalidades diferentes de se clinicar!

      a clinica direcionada para a medicina visa o tratamento da doença do indivíduo…

      a clinica da enfermagem visa a assistências às necessidades fisiológicas do mesmo indivíduo. com a finalidade de prescrição de cuidados em enfermagem. você como médico é capacitado a fazer isso? então como pode cogitar a idéia de que enfermeiros não praticam a clínica?


    • Michel, eu não discordo da falta de preparo de muitos Enfermeiros, mas também vejo a falta de preparo de profissionais médicos… Muitos da Enfermagem esquecem a sua verdadeira autonomia e seu papel dentro da equipe multidisciplinar. Por outro lado, vejo que o que impede nossa categoria a evoluir nas práticas intervencionistas é a autonomia profissional que impede muitas condutas, que acredito, poderiam ser tomadas por nós. É claro que muitos profissionais, após formados, com o canudo na mão, esquecem que dali por diante assumirão responsabilidades, e somado ao desgosto profissional causado pela desvalorização, carga excessiva de trabalho, acabam por deixar de lado a atualização, os estudos, a busca por conhecimento. Veja bem, muitos Enfermeiros fazem especializações, mestrados, doutorados, e na grande maioria das vezes não conseguem satisfazer sua autoestima pela desvalorização…. hj não compensa para nós, Enfermeiros, correr atrás de muito sabendo que iremos continuar sendo desvalorizados…Apesar disto, faço minhas habilitações, especialização, mas sei que não vai mudar muita coisa na minha vida profissional!!
      Muita coisa poderia ser analisada, tanto da área médica, quanto da área de enfermagem. Ao começar pela formação profissional!!
      Voltando ao assunto clinicar, não somos pagos pra fazer diagnósticos, mas é nosso dever discutir com a equipe envolvida em um determinado tratamento sobre a conduta a ser tomada. Nós não diagnosticamos: suspeitamos.

      Grato!!


  33. Não acredito que o responsável em postar esse tópico tivesse a intensão de ver alfinetadas entre profissonais da área da saúde mas se esperava render comentários fervorosos deve estar bem satisféito.
    Essa disputa de poder e reconhecimento, é histórica e enquanto existirem pessoas incompreesivas não chegaremos a um bom senso!
    Para quem ainda não entendeu o que é uma graduação de Enfermagem ou mesmo o compete ao Enfermeiro é mais prudente se embasar teoricamente antes de “vomitar” suas frustrações.


  34. O/A Enfermeiro(a) é convidado(a), pelo Ministério da Saúde a trabalhar em equipe, incluindo o Médico, em atividades de promoção da saúde na Estratégia Saúde da Família (ESF).
    Nessa estratégia o enfermeiro tem autonomia e realiza visita domiciliar, realiza consulta de enfermagem, preenche fichas clínicas e epidemiológicas, participa de atividades educativas em grupos específicos. Atua, juntamente com a equipe, no controle da Tuberculose mantém cadastro atualizado dos usuários, realiza tratamento supervisionado ( e é nesse ponto em que orientamos ao paciente sobre o uso da medicação do programa), assim como acontece no controle da Hanseníase, da Hipertensão Arterial, no controle da diabetes, e realiza acompanhamento ambulatorial e medicamentoso, juntamente a medidas preventivas em grupos.
    Acredito que a intensão dos enfermeiros não é realizar diagnostico médico, até porque já temos muito o que fazer e nossos diagnosticos são para baseados em prevenção, seguimos Protocolos e fazemos isso em prol da saúde coletiva!
    Felizmente já encontramos alguns médicos com formação ética que tem em seu objetivo de trabalho o bem estar geral da população e trabalham com respeito profissional.


  35. Olá,

    tudo bem que nós enfermeiros não somos profissionais prescritores, mas não devem confundir a prescrição de enfermagem, que é prescrição de cuidados, com prescrição médica, que é meramente medicamentosa. É certo que o enfermeiro pode prescrever medicamentos e solicitar exames complementares e de rotina, mas faço a seguinte pergunta:
    – Já que estão querendo proibir o enfermeiro até mesmo de consultar os usuários dos programas de saúde, o que farão os médicos (que pelo visto, são poucos e atendem a uma clientela muito pequena por dia) com toda clientela restante? Ou seja, a demanda reprimida?
    Não estou querendo prescrever medicamentos e sair solicitando exames como os médicos, mas devemos fazer valer todas as nossas atribuições, da forma que a maioria dos médicos querem, nós só iremos ao trabalho preencher os papéis que são até mesmo atribuições deles.


  36. Lamentável refeir-se a prescrição médica como “meramente medicamentosa”……talvez por achar isso algo tão simplório queiram tornar isso uma prática no seu dia-a-dia!!! “É certo que o enfermeiro pode prescrever medicamentos e solicitar exames complementares e de rotina,”…………QUAIS MEDICAMENTOS??QUAIS EXAMES??


    • em junho 18, 2009 at 12:22 am | Resposta thiago enfermeiro

      no pre-natal… VDRL! Isso é um exame???
      ainda no pre-natal… Ácido fólico e sulfato Ferroso!
      medicamentos e exames que podem ser prescrito por enfermeiro em minha cidade! (Quixadá-CE)


    • Eh Michel, acho que voce esta com muito medo de perder a sua profissao para um enfermeiro. Esta muito inseguro!


  37. Caro Michel, vc pode encontrar alguns medicamentos descritos em manuais do ministério da saúde e AIDPI. Não tratamos de todos os medicamentos, e sim alguns medicamentos. Quanto aos exames, são os mesmos descritos nos referidos manuais, não seria fácil fazer pré-natal, hiperdia e Atenção ao crescimento e desenvolvimento da criança, sem o acompanhamento de pelo menos um hemograma, e no caso das gestantes, vc deve ser médico e sabe quantos exames temos que solicitar, caso contrário, encaminharemos todos os usuários para vocês médicos. Será que darão conta de todo trabalho? Pelo que sei, estou acostumado com médicos que só dão a solicitação dos exames e prescrevem os medicamentos, as outras orientações ficam com nós enfermeiros. Se não me engano, conheço apenas 4 médicos que fazem tudo direitinho e a população adora isso, mas o restante que conhecí nesses 10 anos de carreira deixam a desejar, principalmente os novatos e experientes (viciados). Mas vamos deixar essa discussão de lado, já que se trata de outro tema, se abrir outro espaço, poderemos discutir isso também. Obrigado.


  38. Fico muito triste ao ver esta briga entre médicos e enfermeiros. Como profissional da área de Emergência, sei o valor de cada um, principalmente para os pacientes atendidos. Acredito que, não importa o que você é, o importante é que faça bem feito. É triste ver um depreciando a profissão do outro dessa maneira como estou vendo. Pura vaidade!!!


  39. Concordo plenamente com você, eu como um bom médico como dizem e como um bom enfermeiro, fico chateado com as atitudes infantis que são expostas aquí. Cada um tem seu valor, não é porque sou médico hoje em dia que vou deixar de lado o trabalho dos enfermeiros, e me incluo nesta categoria também, pois garanto a todos que fui excelente em minha formação por ser enfermeiro, isso me ajudou muito, e aumentou o meu reconhecimento enquanto acadêmico, inclusive de farmacologia. Então caros amigos, vamos parar de depreciar a profissão dos outros e cuidar mais de nossas vidas. Com toda certeza quem ganhará mais com isso é o paciente, e os agradecimentos (que são frutos) ficam para toda a equipe que fez o melhor dentro de cada categoria.


    • Isso mesmo, “Mant”. Eu como moderadora e colaboradora deste blog também concordo que todo profissional da saúde é digno de respeito e de salários dignos. Afinal, todos os cidadãos brasileiros precisam de médicos, enfermeiros, agentes de saúde, etc. Cada profissão complementa a outra e o importante é nos unirmos ao invés de ficar nos agredindo.

      Cada um tem seu papel na sociedade e na Saúde. Vamos respeitar a profissão de cada um!!!


  40. Sinto muito se não fui bem compreendido em meus comentários!! Em nenhum de meus comentários busquei desmerecer ou desvalorizar qualquer área da saúde,em particular a de enfermagem. E sempre deixei claro que o meu questionamento se fazia em respeito ao título desta matéria,e nunca sobre qual profissão é melhor.Concordo plenamente e sei disso na prática que saúde só se faz pela interação das várias profissões.Agora,continuo a acreditar que cada profissão tem sua área de atuação bem determinada,de acordo com sua formação.E acho que somente o médico tem capacitação para solicitar exames e prescrever medicações!! É muito fácil copiar uma lista de exames do programa hiperdia em um pedaço de papel,o que é difícil é sua honesta e responsável interpretação!! É muito fácil fazer o exame físico de uma gestante no pré-natal,mas é muito sério e difícil determinar como acompanhar e antecipar uma gestação de alto risco!!!É por estas e outras que tenho convicção de que somente os profissionais com formação médica tem uma bagagem CLÍNICA para prescrever e solitar exames ao paciente!!Assim como,não me atreveria a discutir com um nutricionista sobre dietas e valores calóricos ou com um fisioterapeuta sobre qual a melhor fisioterapia!!!Acho que fazer saúde não é uma coisa simples,tem que haver muita responsabilidade e conhecimento naquilo que se faz.Com certeza vai ter quem diga que minha opinião é arrogante ou pretenciosa…..justamente por uma histórica,porém infantil e inútil desavença entre profissionais de medicina e enfermagem,o que não se trata de uma unanimidade porém é uma realidade.Tenho vários amigos enfermeiros,tec. de enfermagem,nutricionistas,etc…..e vejo na prática o quão importantes eles são,tanto ou mais que o próprio médico.Mas continuo a creditar ques as funções do médico…..são do médico!


    • mais uma vez voce puxa a própria corda!!!

      enfermeiros não fazem pré-natal de gestação de alto risco…

      se não sabe exatamente o que pode ou não pode fazer a enfermagem é melhor privarnos de seus comentários baseados no “achismo”


    • Michel, Gestantes de alto risco nem o clínico deverá acompanhar…É por isso que é alto risco!! Sabemos avaliar exames, sabemos realizar um pré natal e orientar as gestantes e sabemos identificar quanto ela é de alto risco!!


  41. Olha Michel, tenho acompanhado a reformulação da grade curicular de um curso de enfermagem, e está sendo inclusa a disciplina Interpretação de exames laboratoriais. Hoje em dia tudo bem, mas quando eu atuava como enfermeiro, havia saído de uma faculdade de enfermagem com o diploma de Enfermagem e Obstetricia, logo após eu fiz o curso de especialização em Obstetrícia, e com toda certeza eu e meus colegas especialistas fazíamos os melhores pré-natais e reconhecíamos as situações de risco, então todos os exames foram cuidadosamente trabalhados na graduação e especialização. Imagine você… Atualmente como médico já cheguei a atender mais de 300 pacientes por dia em um hospital de pequeno porte! Sabe quem me ajudou a não chegar nos 400? Eu achei fantástico a atitude daquele enfermeiro! Se eu o encontrasse um dia, com certeza eu iria fazer de tudo para tê-lo nos lugares onde trabalho. E assino embaixo por todas as ações praticadas por ele. Quando travamos a batalha com os enfermeiros, devemos reconhecer que existem os bons. Recentemente trabalhei em um PSF que tinha uma enfermeira horrível!!! graças a Deus que ela se recusava a prescrever medicamentos, pois eu morria de medo das atitudes dela, mas eu na posição de médico tive que me conter apesar de ser enfermeiro também. Mas tudo ocorreu muito bem. E não houve desavenças. Mas valorizei muito o trabalho dela. Mas devemos reconhecer que existem profissionais de “mão cheia”.


  42. Considerar medicação basica é um erro sério… Dipirona seria uma medicação básica? Pois existe o risco da mesma causar aplasia de medula e até reações alérgicas graves, com risco de morte inclusive…caso não se tome medidas urgentes como uso de adrenalina, corticoides, etc… Então o básico pode se tornar algo mais sério. O enfermeiro estaria apto para manejar um caso desses, que até entubação orotraqueal ou cricotireoidostomia de urgência podem ser necessárias??
    E as outras medicações de UBS, como captopril p/ HA que pode causar hiperkalemia e insuficiência renal aguda em quem tem estenose de artéria renal?? E o risco de sangramento digestivo c/ AAS em pacientes com ulcera peptica??
    Então, antes de prescrever um medicamento, a pessoa tem que ser apta para controlar as possiveis complicações ou efeitos adversos, não é assim tão simples como parece…
    Eu como médico não me atrevo a “tentar” fazer fisioterapia, porque primeiro que minha formação não é essa, e para isso é que existem os fisioterapeutas. Cada um na sua profissão, ninguém é melhor que ninguém, mas acho que ninguém deve tentar saber mais do que sua formação permite.


    • aplasia de medula é uma reação adversa farmacologicamente explicável.. e aliás é a razao pela qual os EUA não adotarem a dipirona em seu país…

      mas epidemiologicamente, quantos casos de aplasia medular se tem registros?

      os protocolos feitos pelo ministério da saúde não são formulados impiricamente! por favor não chame o seu país de iginorante!!!!

      estudos e diagnósticos foram realizados para a seleceção das medicações. foram levados em consideração os aspectos de risco/benefício/necessidade da população!!!

      você deveria saber que o Ministério da Saúde não se enforcaria com a própria corda!!!


      • Caro Danilo,antes de escrever essas asneiras……tu como Doutor Enfermeiro,deveria saber….que se os EUA boicotam a dipirona,é pq esta é uma medicação de origem européia……e não pelos ínfimos casos de aplasia de medula, que devem ser tantos qtos os casos de hepatite por paracetamol!!!!


  43. Com certeza Mant,existem profissionais na área de enfermagem que são extraordinários no que fazem e já tive a oportunidade de trabalhar com gente assim. Um exemplo foi um grupo que era especialista em úlceras varicosas e por estase e também de escaras. Também concordo que existem bons e maus profissionais em todas as áreas. Mas o que eu tento colocar naquilo que escrevo,é que o atendimento clínico e a prescrição médica são coisas muito complexas e que envolvem um treinamento exaustivo. E até onde eu sei,pelo menos na experiência que eu tenho,é que este treinamento só é dado aos alunos de medicina. Onde eu moro existem 3 faculdades de enfermagem,2 particulares e 1 federal,e nenhuma delas prepara o profissional de enfermagem para este atendimento clínico. Acho irresponsável entregar na mão de um pessoa sem treinamento,por exemplo,o atendimento de um hipertenso!! Como saber qual melhor associação de remédios,quais devo ou não devo usar,como interpretar um ECG-exame de rotina anual na HAS-,qual anti-hipertensivo usar em uma gestante?? Na minha opinião,estas são perguntas que todos aqueles que se dispõem a fazer atendimento clínico devem saber. Sinceramente,tu acha que o profissional de enfermagem está apto a responder estas perguntas?


  44. Respondendo a moderadora,também concordo que todos profissionais da área da saúde deveriam ser melhor remunerados,sejam médicos,nutricionistas,psicólogos,enfermeiros ou técinicos. Mas o que quero deixar claro,é que NUNCA defendi a idéia de “separatismo” destas classes, pelo contrário elas são interdependentes,uma necessita da outra. Não escrevo aqui para desmerecer nenhum profissional e se fiz isso peço desculpas. Escrevo aqui para colocar a minha opinião sobre o título desta matéria: prescrição medica e atendimento clínico!!


  45. Querido Michel, respeito suas colocações, porém acho absurdo que pessoas como você “esclarecidas” possam olhar uma profissão tão bonita como a do enfermeiro e mesmo sem conhecer a grade, ementa ou carga horária acreditar que ser enfermeiro é saber aplicar injeção ou dar banho de leito (ou coisas parecidas)…
    Respeito sua profissão que por sinal é maravilhosa, mas acredito que se vc não saiba quais medicamentos podem ser prescrito por enfermeiro ou exames solicitados ou atribuição desses profissionais deveria conhecer mais os manuais do MS. Protocolos…….
    Olha que bom que está nessa profissão, mas posso te garantir que na prática vc terá muitos problemas. Sabe por quê? Não cabem mais no mercado de trabalhos pessoas com visão tão pequenas. Vc acha que é muito importante ser titulado de doutor? O que devemos em cada profissão é buscar fazer a diferença, ser bom, na medicina, enfermagem, no direito ou…
    Bom seria que médicos e enfermeiros trabalhassem juntos pensando unicamente no Cliente. Conheça mais pesquise sobre a formação desses profissionais, certamente vc mudará de opinião sobre essa classe. Más não se sinta só, tem muitas pessoas que pensam como vc.
    Parabéns pelo depoimento da médica que trabalha na Saúde pública e fez suas colocações em depoimento acima.


  46. em fevereiro 3, 2009 at 9:14 pm | Resposta Marcelino Cavalcante

    Oh André, eu não sabia que o Ministério da Educação tinha aumentado a a graduação em medicina para dez anos, onze anos como vc cita. Que saiba ainda permanece em seis anos. Quanto a tempo de estudo o Enfermeiro tb pode fazer dez a onze anos, se vc se refere a pós graduações, mestrado doutorado, informe-se primeiro e depois venha debater legalmente. Atentem para a Portaria GM nº 1.625/2007. Parabéns COREN SP e CREMESP por estarem trabalhando em parceria e respeitando -se mutuamente para a melhoria da saúde da população brasileira, sem brilhantismo e sem ignorância. É assim que a “Equipe de Saude” age, em parceria, cada um se complementando porque sem a Efermagem estar 24 horas no hospital ou desenvolver suas funções, como estariam as outras profissões. Gostaria de ver uma paralisação nacional de 1 dia pela enfermagem (enfermeiros. tecnicos e auxiliares) como uma forma de avaliar a importância da enfermagem nas instituições de saúde. Será que os colegas medicos sozinhos conseguiriam manter o funcionamento das mesmas? Questionem-se.


  47. Lamentável Neyde…….tu acabasse de criar um estereótipo de uma pessoa que tu nem conhece…..enfim…….é difícil manter a discussão de um tema….quando tudo que se diz é levado pro pessoal!!!
    Em nenhum comentário anterior mencionei que enfermagem só servia para aplicar injeções…..
    Sinceramente então,direto ao assunto,o enfermeiro está capacitado para atender,por exemplo,um hipertenso?Tem dominio de todas classes de anti-hipertensivos?Domina a clinica cardiologica,renal,vascular,etc,para avaliar um hipertenso por completo?saber interpretar um ECG? Tua carga horária te deu embasamento pra tudo isso?


    • Prezados, acho que alguns de vocês estão equivocados em alguns posts. Acredito que o Michel já esclareceu seus depoimentos e deixou claro sua opinião. Quanto ao tempo de estudo, esclareço que médicos estudam mesmo mais que algumas outras profissões, sim. Além dos cinco anos da faculdade, ainda existem mais 6 anos de residência. Só depois entram as pós e mestrados… (esta resposta é ao Marcerlino!)

      Como Michel mencionou, não vamos levar os comentários para o lado pessoal e sim discutir os assuntos postados no Blog de forma respeitosa e democrática.


    • sou acadêmico de enfermagem, e não considerei seus comentarios como pessoais…

      mas é como a Enfª Neyde disse, precisa conhecer melhor os protocolos!


  48. Pelo jeito ess abriga vai longe!!!!
    Caro Michel, Alvin, Edu, Rosário, Marcelo e entre outros tantos “profissionais” nominados. Não souprofissional da saúde, nem quero ser, por questões vocacionais. Sou paciente. E como paciente, respeito todos os profissionais da saúde, desde o Agente de Saúde até o ASG que limpa o Posto de Saúde. Fala-se em Equipe do PSF. “Equipe” já diz tudo!!!! Cada um tem o seu papel e se cada profissional desempenhar sua função de forma eficaz e eficiente, a coisa anda, e muito bem. Já pensou se um querer entrar no campo do outro? Aí a coisa se enrosca!!! Já pensou se trocássemos o lugar das mãos pelos pés? Ou os pés pela cabeça? Tem um velho ditado que diz que: “quando colocamos os pés pela cabeça…” vira uma bagunça!!!!!
    Acho que cada profissional tem o seu valor incomensurável. Nada substitui um profissional quando, no exercício de seu mister, o faz de forma ética, respeitosa, digna do ofício que lhe foi confiado. Nenhum profissional é mais valioso do que outro, nem mais importante. Juntos podemos fazer muito mais. Se vocês estão num mesmo barco (área da saúde), se o barco afundar. morrerão todos (inclusive os pacientes!!!! Esses serão os primeiros, enquanto rola a briga de poder!!!). É claro que existem, em todas as áreas e profissões, excelentes e péssimos profissionais. Existem excelentes médicos e enfermeiros que honram a missão divina de “curar” os doentes; aopasso que, infelizmente, existem péssimos profissionais que não deveriam sequer, vestir a bata ou o jaleco. Peço a Deus que ilumine a todos os profissionais da saúde (sem exceção), para que honrem com muita dignidade e presteza, sua missão de cuidar de quem mais precisa e que, infelizmente, está clamando por ajuda: o paciente, aquele, exatamente aquele que você fez referência, quando da sua colação de grau…… Honre-o!!!!!!
    Que Des abençoe a todos.


  49. Pelo jeito essa briga vai longe!!!!
    Caro Michel, Alvin, Edu, Rosário, Marcelo e entre outros tantos “profissionais” nominados. Não sou profissional da saúde, nem quero ser, por questões vocacionais. Sou paciente. E como paciente, respeito todos os profissionais da saúde, desde o Agente de Saúde até o ASG que limpa o Posto de Saúde. Fala-se em Equipe do PSF. “Equipe” já diz tudo!!!! Cada um tem o seu papel e se cada profissional desempenhar sua função de forma eficaz e eficiente, a coisa anda, e muito bem. Já pensou se um quiser entrar no campo do outro? Aí a coisa se enrosca!!! Já pensou se trocássemos o lugar das mãos pelos pés? Ou os pés pela cabeça? Tem um velho ditado que diz que: “quando colocamos os pés pela cabeça…” vira uma bagunça!!!!!
    Acho que cada profissional tem o seu valor incomensurável. Nada substitui um profissional quando, no exercício de seu mister, o faz de forma ética, respeitosa, digna do ofício que lhe foi confiado. Nenhum profissional é mais valioso do que outro, nem mais importante. Juntos podemos fazer muito mais. Se vocês estão num mesmo barco (área da saúde), se o barco afundar. morrerão todos (inclusive os pacientes!!!! Esses serão os primeiros, enquanto rola a briga de poder!!!). É claro que existem, em todas as áreas e profissões, excelentes e péssimos profissionais. Existem excelentes médicos e enfermeiros que honram a missão divina de “curar” os doentes; ao passo que, infelizmente, existem péssimos profissionais que não deveriam sequer, vestir a bata ou o jaleco. Peço a Deus que ilumine a todos os profissionais da saúde (sem exceção), para que honrem com muita dignidade e presteza, sua missão de cuidar de quem mais precisa e que, infelizmente, está clamando por ajuda: o paciente, aquele, exatamente aquele que você fez referência, quando da sua colação de grau…..Lembra dele???? Honre-o!!!!!!
    Que Deus abençoe a todos.


  50. Sou enfermeira infectologista, me formei no Centro Universitário Säo Camilo, achei um absurdo alguns comentários acima……
    O enfermeiro(a) näo é um simples assistente do médico, ele é täo competente quanto… as pessoas veem neles, apenas aplicadores de injeçäo, para fazer curativos, medir pressäo… vcs sabiam que estudamos todas as matérias de um curso de medicina? durante 5 anos….. e dois de pós-graduaçäo….
    Näo confundam auxiliar de enfermagem e técnico de enfermagem com o enfermeiro(a) graduado….. esses profissionais tb säo importantíssimos…. säo nosso braço direito e esquerdo. Näo devemos jamais tomarmos a frente do médico, porém, devemos ser respeitados como profissionais que sabem muuuuuuito além do que nos é dado como “trabalho”. O médico também deve entender que o responsável pela enfermagem näo é ele, mas sim o enfermeiro. Cabe a eles ficarem na sua posiçäo de médicos.


    • ahh ta… entao pelo que eu entendi nós temos Medico e Medicos Enfermeiros??


      • olha… em tudo ha um lider… na empresa ha o presidente, tesoureiro, vice presidente etc… cada um com sua funcao! porem… decisoes cabem ao presidente! na medicina, esse presidente eh o médico. Nao eh pq ele eh o bonzao, e sim pq EH ASSIM!! sempre foi! isso eh questao de gerenciamento, nao eh questao de quem sabe mais… ahh para de dar no em pingo dágua pow!


  51. Boa Tarde!

    Boa discusão , mas presecrever é um ato de saber ou exercicio legal da profissão, vamos então colocar os pingos.
    Dr chegou mais paciente!
    Técnica de enfermagem ( secretária, instrumentadora, auxiliar),estou em uma cirurgia , estou no outro plantão, estou na praia, quando chegar outro paciente atende para mim preciso sair mais cedo a receita está aqui,não atendo mais que 10,registar meu ponto, verifique esses ponto termina para mim tenho pressa, vamos lá eu digo você faz( telemedicação),repete a medicação, o que você sente a receita está na saida, Dr mais mais mais mais.
    Quando um profissional ou profissão não tem competência alguém aparece , os curandeiros , charlatões, e outros, mas enfermagem estuda para dar uma qualidade de vida para os pacientes, não discute, age. será que está faltando juramento ou a equipe de saúde está desfazendo por valores materias , serviços existem para todos.


    • você é o detentor do conhecimento?

      ainda que a enfermagem não prescreva deliberadamente (não é nossa função, e não nos formamos para isso), achas mesmo que somente médicos dominam a farmacologia?


      • ISSO NAO EH QUESTAO DE SABEDORIA!! VC PODE SABER 1 MILHAO DE VEZES MAIS DO QUE O MEDICO FARMACOLOGIA… MAS QUEM PRESCREVE EH O MEDICO!!! QUESTAO LEGAL, COLEGA!! QUER MUDAR O MUNDO AGORA??? ACHO MUITO MAIS FACIL VC REALIZAR O CURSO DE MEDICINA


  52. Bom Dia!

    A respeito de um provavél conhecedor da medicina no comentário acima, pedi para um enfermeiro abrir um consultório ( casa, quarto uma quitinete), quem vai procurar ele para consultar?
    A diferença está em ser profissional , não precisamos de pessoas para procuramos os grandes profissionais já tem indicação propria, ao invés alguns comenta , você conhece aquele , aquele não , não nem se ele me pagar , não vou e nem indico, temos muitos médicos de referência talvés você do comonentário acima precisa aprender muito com equipe de enfermagem .


  53. Os enfermeiros e estudantes de enfermagem deviam, isso sim, reunir forças e lutar sem esmorecer pela jornada de trabalho de 30h semanais. Os médicos já tem jornada de 20h há muito tempo e a enfermagem pouco consegue se mobilizar para a obtenção desta conquista.


  54. não adianta os médicos são deuses…


  55. Peço perdão pelo que disse anteriormente,meu comentário foi estupido,nem todos os médicos são arrogantes e muito menos querem ser deuses.Falei isso devido uma experiencia que tenho na família.Não sou médica e nem enfermeira,mas peço encarecidamente que vocês se unam pois sou usuária do serviço de saúde e sei que se todas as classes da área de saúde se unirem á assistencia e os resultados serão outros.Tanto o médico como o enfermeiro tem o seu valor, cada um com a sua competência,diteitos e deveres.


  56. Bom Dia!

    “É obrigação moral e ética de qualquer governo do mundo colocar a saúde do seu povo como prioridade zero, porque, se a pessoa não tem saúde, a pessoa não tem disposição para nada.” (Luiz Inácio Lula da Silva)

    b) PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PELO ENFERMEIRO

    • Legislação Federal

     Lei Federal 7.498/86. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem.
    o Esta legislação determina que o Enfermeiro, na condição de integrante da equipe de saúde, pode prescrever medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde (Art. 11, Inciso II, Alínea “c”).

     Decreto Federal 94.406/87. Regulamenta a Lei 7.498/86.
    o A prescrição de medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde, pode ser realizada pelo Enfermeiro, na condição de integrante da equipe de saúde (Art. 8º, Inciso II, Alínea “c”).

     Portaria MS/GM 648, de 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS).
    o Como já mencionado esta norma prevê como atribuição específica do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde: …solicitar exames complementares e prescrever medicações, conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão (Anexo 1, item 2 – Do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde, Inciso V).
    o Prevê ainda (Anexo 1 – Do Enfermeiro, Inciso II):
    II – Conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão, realizar consulta de Enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicações.


  57. • Resoluções COFEN

     Resolução COFEN 271/2002. Regulamenta ações do Enfermeiro na consulta, prescrição de medicamentos e requisição de exames.
    o É licita a prescrição de medicamentos pelo Enfermeiro, na condição de integrante da equipe de saúde (Art. 1º).
    o Os limites legais para a prática da prescrição de medicamentos são os Programas de Saúde Pública e as rotinas que tenham sido aprovadas em Instituições de Saúde, públicas ou privadas (Art. 2º).
    o O Enfermeiro, quando no exercício da atividade capitulada no Art. 1º, tem autonomia na escolha dos medicamentos e respectiva posologia, respondendo integralmente pelos atos praticados (Art. 3º).

    c) SOLICITAÇÃO DE EXAMES COMPLEMENTARES

    • Legislação Federal

     Portaria MS/GM 648, de 28 de março de 2006. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica para o Programa Saúde da Família (PSF) e o Programa Agentes Comunitários de Saúde (PACS).
    o Entre outras atribuições, esta norma prevê como atribuição específica do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde: …solicitar exames complementares e prescrever medicações, conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão (Anexo 1, item 2 – Do Enfermeiro do Programa Agentes Comunitários de Saúde, Inciso V).
    o Prevê também que (Anexo 1 – Do Enfermeiro, Inciso II):
    II – Conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão, realizar consulta de Enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicações.

     Manuais de Normas Técnicas do Ministério da Saúde.


  58. Ao Sr. Michel estão as leis…caso o senhor já tenha se tornado, Ministro da Saúde, poderá mudalas!
    Médicos e Enfermeiros como todos da área de saúde, principalmente da saúde pública, deveriam se unir para a melhoria do sistema de saúde e não ficar perdendo tempo com quem pode ou não pode prescrever Medicametos!

    Sim medicamentos e exames que os ENFERMEIROS podem prescreve estão no site do Ministério da Saúde…lá você verá quais são!

    Caso estaja ainda insatisfeito procure reclama com o Sr. Presidente da República!

    Bom Dia a todos!


  59. Caro Enf. Carlos,muito informativo e tecnico teus recados,mas de colocação prática??? Tu,na qualidade de enfermeiro te sentes a vontade e com experiência para prescrever quais medicações?? E,por favor,não venha me responder que são as medicações estabelecidas em programas de saúde pública,porque isso é muito vago!!! Na prática,frente a frente com o paciente,pode parecer muito simples apenas “cuspir” informações armazenadas por simples e pura repetição…..ta hipertenso:captopril……ta com dor:dipirona…..exame de rotina para hipertenso:olhar tabela Duncan!! Isso não é e nunca vai ser atendimento clínico!!!! Para fazer atendimento clínico com responsabilidade,tem que ter uma formação clínica muito aprofundada. Tu,como enfermeiro,tem essa formação clínica?? Não preciso ser Ministro da Saúde,basta minha formação como médico pra saber que paciente não se trata com leis e sim com responsabilidade,paciente não é apenas um nome numa ficha,mas um ser que precisa de alguém que entenda profundamente de sua patologia para poder trata-lo!!!


  60. Caros colegas, até onde eu me lembro o título q gerou esta discussão foi “A Medicina exige Respeito: Enfermeiros estão proibidos de prescrever medicamentos”, até agora vi muitas colocações interessantes e outras insignificantes…
    Qm criou esse tópico não devia saber realmente do que estava falando, o título fez parecer q enfermeiros prescrevem qqr tipo de medicamento como se fossem (ou quizessem ser) médicos, não é assim, nunca foi assim e NÃO deve ser assim…
    As leis que foram mostradas aki amparam o enfermeiro na prescrição de medicamentos e solicitação de exames, já foram mostradas e não é necessário repeti-las.
    Sou estudante do 9º período do curso de GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM, em nenhum momento pedi pra prescrever qqr medicação, não estou e nem jamais vou ‘lutar’ por isso. No entanto, estou sendo ensinada e treinada para tratar doenças (um exemplo: pneumonia em crianças de 2 meses a 5 anos de idade), não sei se todos aki já ouviram falar do AIDPI (Assistência Integrada às Doenças Prevalentes na Infância) com o uso de, além d outras medidas, medicação. O AIDPI existe tanto para médicos como para enfermeiros. Os enfermeiros não PEDEM para aprender isso, simplesmente para ter seus nomes em receituário e fichas de solicitação de exames, nós temos OBRIGAÇÃO de sabermos fazer isso para trabalhar em Saúde Pública. Amo a minha profissão assim como cada um aki deve amar a sua, e jamais correria o risco de fazer algo que pudesse prejudicar o paciente! Portanto cada patologia q seja exigido conhecer profundamente para tratar, e cada medicação que eu escrever num receituário, estarei ciente de todas as suas características, indicações e procedimentos a serem realizados em casos d eventos adversos, além de cada exame q eu solicitar, pq estou apta pra isso, é pra isso q estou sendo preparada e sou responsável por meus atos. Não preciso exibir o q sei aki (como alguém em um dos tópicos pediu) para tratar algo como a asma, só pra convencer esta pessoa.
    Cada um fazendo a sua parte e os 2 fazendo o q tem que fazer… Não tenho dúvidas no q faço, isso é o q importa. Qqr reclamação é só fazer com que se mude a formação do curso de graduação em enfermagem, para que ele não nos ensinem o q estão nos ensinado e nos dizendo q é o q DEVEMOS saber…
    Um abraço à todos!


  61. Bom Dia!

    Caro Médico Michel, esse blog é bastante interesante, mas não estou aqui para demostra para o Sr. os meus conhecimentos e muito menos como deve ateder meus clientes.

    Sabemos muito bem que pacientes não se trata com leis, mais sim com cuidados especiais, que serão avaliados dependendo de suas condições como enfermo, ou de sua enfermidade.

    Nós profissionais da área de saúde, devemos nos preocupar com o completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste, somente, na ausência de doença, ou enfermidade. É nem muito menos com coisas tão pequenas como estão expostas aqui nesse blog.

    Os Enfermeiros para prescreverem medicamentos, também fazem especializações e pós-graduações, não simplesmente chegamos aos pacientes e prescrevemos medicamentos, têm todo um processo de investigação, e também realizamos a consulta de enfermagem.

    Deveríamos estar hoje debatendo problemas da área, como falta de infra-estrutura nos hospitais, faltas de condições favoráveis ao desenvolvimento de nossas atividades, falta de medicamentos essenciais e deveríamos era unirmos todos os profissionais para debatermos, um aumento digno. Isso sim deveria estar sendo a questão principal desse blog e não quem pode ou não prescrever medicamentos.

    PS: Só ENFERMEIROS habilitados pelo SUS, no projeto de saúde da família podem prescrever medicamentos.

    Tenha um bom dia!


    • Olá Carlos,

      Concordo com suas explanações, mas nunca foi intenção deste Blog menosprezar uma ou outra profissão, como já foi dito anteriormente. Sabemos que enfermeiros, médicos, auxiliares e todos profissionais da saúde têm sua importância e que questões muito mais relevantes existem para melhorar a qualidade de serviços de todos estes profissionais.

      Questões como melhores condições de trabalho, desprecarização e valorização do trabalho também são discutidas neste Blog e naõ apenas quem deve ou não prescrever medicamentos.

      Quando postamos esta notícia, divulgada pelo CFM, não sabíamos que a repercussão ia ser tanta.

      Eu, como jornalista e paciente imagino que médicos e enfermeiros devem trabalhar em harmonia e em equipe pensando no bem comum. Este Blog dá ênfase nas questões dos profissionais médicos, mas isso não significa que não gostamos ou depreciamos outras profissões ligadas à Saúde.

      Abraços, Taciana


  62. Claro que o enfermeiro não esta habilitado pra prescrever medicamentos , Os enfermerios querem ser medicos mais quando aparece uma emergencia no posto de saude saen correndo procurando ao medico , Os enfermeiros Gostam ter o Status do médico mais não querem nem podem ter a Responsabilidade do médico . Querem ter o mesmo salario do Médico e esquecem que na sua Formação estudam menos que o médico . Alem disso Na maioria dos casos fazem o Vestibular pra Medicina e não consiguen passar então Estudiam Enfermagem com Raiba acreditando que são capaces de fazer o que Os medicos fazem .
    Pra a clase de Enfermeiras e muito importante ter alguem pra mandar , pra ser seu subordinado , Então que mandem nas auxiliares e deixem aos médicos Trabalhar em Paz , Los médicos Não se achan Medicos ,, eles São médicos .


  63. Prezada Lady,

    Deixando bem claro, o enfermeiro só pode prescrever os medicamentos estabelcidos em lista que recebem do governo para aquele programa (ex. hipertensão etc.), com certeza realizada por médicos competentes. Porém é de competência do enfermeiro conhecer cada medicação administrada por ele, pq com certeza terá responsabilidade perante àquele paciente junto com o médico.

    Deixando outra coisa bem clara, o enfermeiro tem autonomia sim para solicitar exames para ajudar no diagnóstico de ENFERMAGEM, se vc não sabe o q é isso, por favor estudo mais, médico faz diagnóstico de doença e enfermeiro faz dignóstico das necessidades BÀSICAS de um indivíduo, estabelicido por NANDA.

    Então antes de se revoltar dizendo besteiras, que não estudamos Medicina pq não passamos no vestibular, deixamos bem claro, pq eu represento minha classe, que fazemos enfermagem pq gostamos de enfermagem, nenhuma profissão substitui a outra, temos que trabalhar em equipe! Cada um faz sua parte, mas todos devem contribuir para o melhor do paciente, e não pensar q é mehor que o outro.

    Deve ser assim sempre!


  64. A medicina pode ter mais respeito com as outras profissoes, pois atualmente sem elas a medicina nao consegue salvar a vida dos pacientes. Peço encarecidamente: médicos,na faculdade aprendam a matéria e não desaprendam a HUMILDADE.


  65. em abril 18, 2009 at 2:43 am | Resposta Márjella Cibelle

    Boa noite a todos do blog! bom sou Farmacêutica-Bioquímica recém formada, e trabalho em farmácia de posto de saúde publico do estado do Tocantins, estou tendo dificuldades quanto a receitas prescritas por enfermeiros, gostaria de saber se o Enfermeiro pode prescrever medicamentos ou não, e se pode mesmo quais são? pois não tive conhecimento de que enfermeiros pudessem prescrever medicamentos à população.
    Obrigada!


  66. em abril 18, 2009 at 2:45 am | Resposta Márjella Cibelle

    obs: exceto medicamentos da lista de hipertensos e diabeticos.
    Pois a duvida mesmo é que a maioria das receitas prescritas por Enfermeiros são de medicamentos que tem na farmácia do PSF mas não são de programas do PSF.


  67. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA-ES/SECRETARIA
    MUNICIPAL DE SAÚDE.
    PORTARIA N°. 002 DE 11 DE ABRIL DE 2006.

    REGULAMENTAÇÃO DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NOS
    PROGRAMAS DE SAÚDE PUBLICA MUNICIPAL.

    O Secretario de Saúde do Município de Vila Velha, no uso de suas
    atribuições e prerrogativas que lhes são conferidas pelo art. 62 da lei orgânica do Município e, considerando o disposto no art.
    11, Inciso II da Lei 7.498 de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem e dá outras
    providências;

    Considerando o disposto no art. 8°. do Decreto n°. 94.406 de 08 de
    Junho de 1987, que regulamenta a Lei 7.498/86;

    Considerando a resolução do COFEN N°159 de 19 de abril de 1993, que dispõe sobre a consulta de enfermagem; a n°. 195 de 18 de abril de 1997, que dispõem sobre a solicitação de exame de rotina e complementares;

    Considerando os Manuais de Normas Técnicas publicados pelo Ministério da Saúde, com definição explícita das atribuições de pessoal de enfermagem;
    Considerando a Norma Operacional da Assistência à Saúde – SUS O1/ 2001 publicada pelo Ministério da Saúde, da portaria 95/GM, de 26 de janeiro de 2001;

    Considerando a portaria Ministerial n0.1.886/97 que Instituiu e aprovou as Normas e Diretrizes dos Programas de Agentes Comunitários de Saúde e da Saúde da Família;

    Considerando que a necessidade de normatizar as atividades de Enfermagem, nos Programas de Saúde Púbica da Rede Municipal de Saúde se faz face ao universo ético- legal preconizado pelos Conselhos das categorias no citado programa impondo, como impôs a normatização dessas atividades, em beneficio aos usuários assistidos neste Município pelos, profissionais Enfermeiros;

    Considerando que tais profissionais tendo respaldo na sua atuação dentro dos limites impostos pela profissão, passem a desempenhar nesta população uma assistência mais humanizada, com qualidade e equidade;

    Considerando que a institucionalização da consulta de enfermagem na perspectiva da concretização de um modelo assistencial adequado às condições das necessidades de saúde da população, já que constitui de histórico de enfermagem (compreendendo a entrevista), exame físico, diagnóstico de enfermagem, prescrição e implementação da assistência e evolução de enfermagem;

    Considerando que a não solicitação de exames de rotina e
    complementares por profissional de enfermagem com respaldo legal na legislação do exercido profissional com normalização na resolução COFEN 195/97, que considera a não solicitação dos mesmos, quando na necessidade de acompanhamento do paciente ou da prescrição de medicamentos, uma omissão, negligência ou Imprudência do profissional que colocaria em risco o cliente.

    RESOLVE:

    ART. 1° – Instituir e normatizar a consulta de enfermagem, a prescrição e a transcrição de medicamentos, a solicitação de exames de rotina e complementares, por enfermeiros integrantes da Rede Público, no âmbito da Secretaria de Saúde do Município de Vila Velha, tudo em conformidade com as normas dos Programas de Saúde Pública e com as rotinas adotadas pela Secretaria de Saúde e duas diretorias, conforme Ministério da Saúde e segundo plano/protocolo terapêutico Instituído;

    ART. 2° – Os Enfermeiros lotados e com atribuições Junto a Secretaria
    de Saúde do Município de Vila Velha, ficam autorizados, no âmbito da
    assistência ambulatorial, realizar consulta de enfermagem, prescrição
    e transcrição de medicamentos e a solicitar exames de rotina e
    complementares estabelecidos, desde que tenham sido devidamente
    capacitados para este fim, em consonância com os protocolos do
    Ministério da Saúde e as normas desta portaria, com respaldo na
    legislação do exercício profissional com normatização na resolução 195/97;

    ART. 3- – A prescrição do Enfermeiro para a manutenção do tratamento para controle de Hipertensão Arterial, Diabetes, Tuberculose e Hanseníase deverá ser feita por 15 (quinze) dias, após o controle, sem intercorrências.
    1- A prescrição de medicamentos dos Programas de Saúde Pública pelo Enfermeiro, será feita em receituário padrão da Secretaria Municipal Saúde, identificando em carimbo o número da inscrição no COREN-ES;

    ART. 4° – O encaminhamento a especialidades, só será realizado na ausência do profissional, médico dá Unidade de Saúde ou do Programa de Saúde da Família;

    ART. 5° – São considerados Programas de Saúde adotados pela Secretaria Municipal de Saúde;
    I- Programa de Assistência Integral a Saúde da Mulher.(PAlSM)
    II- Programa de Assistência Integral a Saúde da Criança(PAISC).
    III- Programa de Tuberculose.
    IV- Programa de Hanseníase.
    V- Programa de DST/AIDS.
    VI- Programa de Hipertensão e Diabetes.
    VIl-Programa de Assistência Saúde do Adolescente.

    ART.6° – Solicitação de exames de Atenção Básica padronizados
    vinculados aos protocolos, dos programas e ações de Atenção Básica:
    I- Programa de Assistência Integra a Saúde da Mulher (PAISM):
    – Bacterioscopia do conteúdo vaginal
    – BHCG
    – Colpocitologia oncótica
    – Exame parasitológico de fezes(EPF)
    – Glicemia de Jejum
    – Grupo sanguíneo e fator Rh
    – HbsAg
    – Hemograma completo
    – Sorologia para Rubéola (IgM e IgG)
    – Sorologia pare Sífilis (VDRL)
    – Sorologia para Toxoplasmose (IgM e lgG)
    – Teste anti-HIV
    – Teste de Coombs Indireto
    – Ultrassonografia obstétrica
    – Urina tipo l (EAS)
    – Urocultura e antibiograma

    II- Programa de Assistência Integral Saúde da Criança (PAISC):
    – Exame parasitológico de fezes (EPF)
    – Sorologia para Sífilis (VDRL)
    – Teste anti-HIV
    – Teste do pezinho
    – Urina tipo I (EAS)
    – Urocultura e antibiograma

    III – Programa de Tuberculose:
    – Baciloscopia direta do escarro
    – Cultura do escarro
    – Prova tuberculínica

    IV – Programa de Hanseníase:
    – Avaliação Neurológica
    – Baciloscopia de esfregaço das lesões hansênicas
    – Pesquisa de sensibilidade

    V – Programa de DST/AIDS:
    – Sorologia para Sífilis (VDRL)
    – Teste anti-HIV

    VI – Programa de Hipertensão e Diabetes (HIPERDIA):
    – Colesterol total e frações
    – Glicemia capilar
    – Glicemia sérica de Jejum
    – Hemoglobina glicosilada
    – Triglicerídeos
    – Urina tipo I (EAS)

    VII- Programa Assistência a Saúde do Adolescente:
    – BHCG
    – Colpocitológico
    – Exame parasitológico de fezes (EPF)
    – Hemograma
    – Sorologia para Sífilis(VDRL)
    – Teste anti-HIV
    – Urina tipo I (EAS)
    – Urocultura e antibiograma

    ART.7° Relação dos Medicamentos preconizados pelo Ministério da
    Saúde específico dos programas de saúde pública:

    I-Programa de Assistência Integral a Saúde da Mulher (PAISM):
    – Acetofenido de hidroxiprogesterona+ enantato de estradiol
    – Acido fólico
    – Benzoato de benzila
    – Desonogestrol + etinilestradiol
    – Diafragma
    – Dimeticona
    – Dimenidrato
    – Dipirona
    – Enantato de norestisterona+ clorito de estradiol
    – Etinilestradiol+ acetato de progesterona
    – Geléia espermaticida
    – Hidróxido de alumínio e magnésio
    – Hioscina
    – Levonergestrol + etinilestradiol
    – Ilnestrenol
    – Mebendazol
    – Metoclopramida
    – Metronidazol oral
    – Metronidazol gel
    – Miconazol creme
    – Nistatina creme
    – Norestisterona
    – Paracetamol
    – Preservativo masculino
    – Preservativo feminino
    – Sais para hidratação oral
    – Sulfato ferroso
    – Supositório de Glicerina
    – Tinidazol

    II- Programa Assistência Integral a Saúde da Criança (PAISC):
    – Ácido fólico
    – Benzoato de benzila
    – Dexametasona pomada
    – Mebendazol
    – Metronidazol oral

    – Miconazol creme
    – Neomicina+bacitracina pomada
    – Nistatina creme
    – Nistatina oral
    – Paracetamol
    – Permanganato de potássio
    – Polivitamínico
    – Sais para hidratação oral
    – Sulfato ferroso
    – Tiabendazol pomada

    III- Programa de Tuberculose(após capacitação específica):
    – Etambutol
    – Isoniazida
    – Pirazinamida
    – Rifampicina

    IV – Programa de Hanseníase (após capacitação específica):
    – Clofazimina
    – Dapsona
    – Rifampicina
    V – Programa de DST/AIDS:
    – Preservativo feminino
    – Preservativo masculino
    – Miconazol creme
    – Metronidazol oral
    – Metroniodazol gel
    – Nistatina creme

    VI-Programa de Hipertensão e Diabetes (HIPERDIA): Após avaliação médica e tratamento indicado.
    – Ácido acetilsalicílico 100mg
    – Captopril
    – Furosemida
    – Glibenclamida
    – Gliclazida
    – Glimepirida
    – Hidrocloratiazida
    – Insulina NPH
    – Insulina regular
    – Metformina
    – Metildopa
    – Propranolol

    VII – Programa de Assistência a Saúde do Adolescente:
    – Acido fólico
    – Diafragma
    – Mebendazol
    – Metronidazol gel
    – Metronidazol oral
    – Miconazol creme
    – Nistatina creme
    – Pílula combinada com baixa dosagem hormonal (<35mg de
    estrogênio)
    – Preservativo masculino
    – Preservativo feminino
    – Sulfato ferroso
    – Tinidazol oral

    Drª. MÁRCIA CRUZ PEREIRA ANDRIOLO
    Secretária Municipal da Saúde
    Protocolo 15378

    Laboratórios: Flama e Thonson

    Regulamentação da atuação do Enfermeiro nos Programas de Saúde Pública Municipal.
    Solicitação de exames de Atenção Básica padronizados vinculados aos protocolos, dos programas e ações de Atenção Básica e regulamentados pela portaria n°002 de 11 de abril de 2006, pela Secretária Municipal de Saúde Drª. Márcia Cruz Pereira Andriolo.

    – BHCG
    – Colesterol total e frações
    – Exame parasitológico de fezes(EPF)
    – Glicemia capilar
    – Glicemia sérica de Jejum
    – Grupo sanguíneo e fator Rh
    – HbsAg
    – Hemograma completo
    – Hemoglobina glicosilada
    – Sorologia para Rubéola (IgM e IgG)
    – Sorologia para Toxoplasmose (IgM e lgG)
    – Sorologia pare Sífilis (VDRL)
    – Teste anti-HIV
    – Teste de Coombs Indireto
    – Triglicerídeos
    – Urina tipo l (EAS)
    – Urocultura e antibiograma

    A solicitação será feita em receituário padrão da Secretaria Municipal de Saúde, identificando em carimbo o número da inscrição no COREN-ES.

    PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA-ES/SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE.
    PORTARIA N°. 002 DE 11 DE ABRIL DE 2006.
    REGULAMENTAÇÃO DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NOS PROGRAMAS DE SAÚDE PÚBLICA MUNICIPAL.

    Drª. MÁRCIA CRUZ PEREIRA ANDRIOLO
    Secretária Municipal da Saúde
    Protocolo 15378


  68. Para informação da Colega Márjella Cibelle essas medicaçoes deverá ser protocolada por cada municipio. E Somente o enfermeiro de ESF poderá transcrever ou prescrever.

    ART.7° Relação dos Medicamentos preconizados pelo Ministério da
    Saúde específico dos programas de saúde pública:

    I-Programa de Assistência Integral a Saúde da Mulher (PAISM):
    – Acetofenido de hidroxiprogesterona+ enantato de estradiol
    – Acido fólico
    – Benzoato de benzila
    – Desonogestrol + etinilestradiol
    – Diafragma
    – Dimeticona
    – Dimenidrato
    – Dipirona
    – Enantato de norestisterona+ clorito de estradiol
    – Etinilestradiol+ acetato de progesterona
    – Geléia espermaticida
    – Hidróxido de alumínio e magnésio
    – Hioscina
    – Levonergestrol + etinilestradiol
    – Ilnestrenol
    – Mebendazol
    – Metoclopramida
    – Metronidazol oral
    – Metronidazol gel
    – Miconazol creme
    – Nistatina creme
    – Norestisterona
    – Paracetamol
    – Preservativo masculino
    – Preservativo feminino
    – Sais para hidratação oral
    – Sulfato ferroso
    – Supositório de Glicerina
    – Tinidazol

    II- Programa Assistência Integral a Saúde da Criança (PAISC):
    – Ácido fólico
    – Benzoato de benzila
    – Dexametasona pomada
    – Mebendazol
    – Metronidazol oral

    – Miconazol creme
    – Neomicina+bacitracina pomada
    – Nistatina creme
    – Nistatina oral
    – Paracetamol
    – Permanganato de potássio
    – Polivitamínico
    – Sais para hidratação oral
    – Sulfato ferroso
    – Tiabendazol pomada

    III- Programa de Tuberculose(após capacitação específica):
    – Etambutol
    – Isoniazida
    – Pirazinamida
    – Rifampicina

    IV – Programa de Hanseníase (após capacitação específica):
    – Clofazimina
    – Dapsona
    – Rifampicina
    V – Programa de DST/AIDS:
    – Preservativo feminino
    – Preservativo masculino
    – Miconazol creme
    – Metronidazol oral
    – Metroniodazol gel
    – Nistatina creme

    VI-Programa de Hipertensão e Diabetes (HIPERDIA): Após avaliação médica e tratamento indicado.
    – Ácido acetilsalicílico 100mg
    – Captopril
    – Furosemida
    – Glibenclamida
    – Gliclazida
    – Glimepirida
    – Hidrocloratiazida
    – Insulina NPH
    – Insulina regular
    – Metformina
    – Metildopa
    – Propranolol

    VII – Programa de Assistência a Saúde do Adolescente:
    – Acido fólico
    – Diafragma
    – Mebendazol
    – Metronidazol gel
    – Metronidazol oral
    – Miconazol creme
    – Nistatina creme
    – Pílula combinada com baixa dosagem hormonal (<35mg de
    estrogênio)
    – Preservativo masculino
    – Preservativo feminino
    – Sulfato ferroso
    – Tinidazol oral

    Drª. MÁRCIA CRUZ PEREIRA ANDRIOLO
    Secretária Municipal da Saúde
    Protocolo 15378

    Laboratórios: Flama e Thonson

    Regulamentação da atuação do Enfermeiro nos Programas de Saúde Pública Municipal.
    Solicitação de exames de Atenção Básica padronizados vinculados aos protocolos, dos programas e ações de Atenção Básica e regulamentados pela portaria n°002 de 11 de abril de 2006, pela Secretária Municipal de Saúde Drª. Márcia Cruz Pereira Andriolo.

    – BHCG
    – Colesterol total e frações
    – Exame parasitológico de fezes(EPF)
    – Glicemia capilar
    – Glicemia sérica de Jejum
    – Grupo sanguíneo e fator Rh
    – HbsAg
    – Hemograma completo
    – Hemoglobina glicosilada
    – Sorologia para Rubéola (IgM e IgG)
    – Sorologia para Toxoplasmose (IgM e lgG)
    – Sorologia pare Sífilis (VDRL)
    – Teste anti-HIV
    – Teste de Coombs Indireto
    – Triglicerídeos
    – Urina tipo l (EAS)
    – Urocultura e antibiograma

    A solicitação será feita em receituário padrão da Secretaria Municipal de Saúde, identificando em carimbo o número da inscrição no COREN-ES.

    PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA-ES/SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE.
    PORTARIA N°. 002 DE 11 DE ABRIL DE 2006.
    REGULAMENTAÇÃO DA ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NOS PROGRAMAS DE SAÚDE PÚBLICA MUNICIPAL.

    Drª. MÁRCIA CRUZ PEREIRA ANDRIOLO
    Secretária Municipal da Saúde
    Protocolo 15378


  69. Cara enfermeira Marcelly tu domina e tem conhecimento de todos estes medicamentos que tu citou? Tu domina e interpreta todos estes exames que tu citou???


  70. A informação de que Enfermeiros estão diagnosticando e prescrevendo medicamentos está deturpada pelo CRM, a prescrição de medicamentos pelos enfermeiros, que é garantida por lei, é a prescrição de medicamentos pre estabelecidos em programas de saúde e protocolo de instituições, e não da forma pela qual o CRM está expondo para a população….Lembrando que esta garantia é dada pela Constituição Federal que é a lei máxima do nosso país, não será um resolução do CRM q irá derruba-la.

    LEI nº 7.498 de 25/06/1986. Art. 8º II C “Ao Enfermeiro incumbe: como integrante da equipe de saúde – prescrição de medicamentos previamente estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde.


  71. É sempre o mesmo blablabla……medicações previamente estabelecidas…..blablabla………conforme programas de saúde e blablabla………agora eu quero ver um verdadeiro profissional assumir aquilo que domina e saber que influencia na vida dos outros,ou melhor,na dos pacientes! Quero que venha aqui um enfermeiro que seja e diga que durante sua formação acadêmica e em sua vida profissional tenha aprendido e hoje em dia domine,por exemplo, a prescrição de TODAS as classes de anti-hipertensivos(não vale captopril) ou então que prescreva um esquema de insulina para algum paciente….isso é absurdo…..é brincar com a vida do próximo!!! Isso não tem nada a ver com CRM e sim com bom senso,com o que é de fato!!!


    • Não desmerecendo a sua classe caro Michel, mas existem médicos que conhecem tão bem essas classes medicamentosas aí que vc citou que, eu como humilde paciente certa vez fui a uma consulta médica e lembro quando entrei no consultório minha receita ja estava pronta encima da mesa. Que coisa né Dr?


      • bom sol… a velha historia de generalizar nao eh mesmo??? profissional ruim tem em toda profissao…


  72. em maio 17, 2009 at 4:38 am | Resposta Marcelo Campos

    Vamos deixar bem claro: MÉDICO É MÉDICO e ENFERMEIRO É ENFERMEIRO… Todo enfermeiro adoraria ser médico, agora duvido um médico querer ser enfermeiro… Quer prescrever e solicitar exames entra na faculdade de Medicina, estuda seis anos, faz especialização e vá à luta… Ah, e não se esqueça que prescrever e solicitar exames não é tão difícil, mas na hora que alguem vier te processar, não chama um médico pra te safar ok??? Afinal, vcs axam que não teriam responsabilidade civil??? Meus queridos, se a profissão de MÉDICO não fosse boa, vcs não queriam nunca… Aliás, vcs são muito preconceituosos até entre vcs… Coitado dos técnicos de enfermagem que vcs tanto humilham… Na verdade isso é inveja dos MÉDICOS, então descontam nos pobres Tecnicos… ENFERMEIROS, SÓ LAMENTO!!! Mas morram de inveja dos MÉDICOS…


    • VC realmente se pressupõe superior?
      Realmente é hilariante ver como vcs falam tanto de comprometimento, e de como todos os enfermeiros do mundo gostariam de ter feito medicina…
      para esclarecer qq duvida q possa pairar dentro de sua mente mediocre: a enfermegem é a ARTE DO CUIDADO, sendo assim o proposito, o qual me levou a amar essa profissão não perpassa no desejo oculto de ser médica( profissão que merece todo o respeito e sem a qual não haveria sistema de saude), e sim pelo anseio de cuidar do outro!
      A consulta de enfermagem, prescrição de enfermagem , diagnostico de enfermagem são ações privativas do profissional ENFERMEIRO, desta forma não estamos brincando de médicos, contudo algumas tecnicas, como exame fisico, são comuns a ambas categorias…
      Então querido, a proxima vez q se levantar de manhã querendo falar besteiras poupe o resto de mundo de compartilhar!
      grata
      enfa Flavia


    • Prezado Marcelo Campos, também sou médico, fiquei com vergonha do seu comentário.


  73. em maio 17, 2009 at 4:45 am | Resposta Marcelo Campos

    E já ia esquecendo… O governo desse país é uma grande máfia… Ter enfermeiro em posto de saúde é muito mais barato que médico… E vc axa que o governo tá preocupado se o enfermeiro tá prescrevendo captopril ou “diabinese” pro cidadão pobre??? Agora abram um consultório e esperem um paciente ir lá se consultar com um enfermeiro… Só quem aceita é o pobre do paciente do SUS que não tem pra onde correr e pra ele todo mundo de branco (até pai de santo) é doutor… Coitado do POVO… E sacanagem dos enfermeiros que mesmo sabendo que estão fazendo errado ainda querem continuar, só pelo prazer de ser chamado de DR. Putz… Tsc…Tsc… Issó é 171 hein ???!!!???


  74. Caro Marcelo Campos, são pessoas que agem como vc q o Brasil não vai pra frente, antes de digitar ou falar qualquer coisa, aprenda um pouco mais sobre a Constituição do seu país e do código de ética da sua profissão e tbm é necessário, antes de criticar outra profissão, saber o código de ética do outro tbm!

    Há profissionais ruins e bons em cada profissão, médicos não são deuses em lugar nenhum, um precisa do outro para estabelecer um ritmo e processo de trabalho digno para cada paciente!

    Portanto, faça sua parte, sem criticar destrutivamente outro colega, que pode saber mais do que vc em outra profissão, ninguém é melhor do que ninguém, todos unidos fazem o melhor para todos!


  75. Críticas a parte,de ambos os lados,ou,de todos os lados…..mais uma vez se está fugindo da discussão principal deste tópico!! Estou pouco me importando se A ou B queriam fazer um determinado curso e acabaram fazendo outro…..ou se sabem as divisões de um “hemograma”(aliás,duvido que quem escreveu aquilo saiba,por exemplo o que é VCM,CHCM,RDW…….). Estou preocupado é com o atendimento ao paciente….se quem o está assistindo sabe diagnosticar e prescrever corretamente….isso sim é que é importante!! E,diante disso,volto a defender minha opinião……somente o MÉDICO tem uma formação que o permita fazer um atendimento clínico e assim diagnosticar e prescrever medicações!!!


  76. Caro Michel em primeiro tu não domina nada ?!rsrs.aprenda a falar e tratar os nossos colegas e depois conversaremos.Caro Colega não sou enfermeira sou Médica!apenas coloquei essas listas de medicações e exames pois trabalho em equipe no ESF e preciso saber até onde vai as atribuições de meus colegas.Um Conselho preocupe-se mais de trabalha para os nossos clientes ao inves de critica as colegas .se não existisse essa enorme equipe multiprofissional de enfermeiros ,fisioterapeuta,nutricionista,assistente social,técnico de enfermagem.etc… como nos fariamos?!vc já viu alguem consegui sucesso sozinho?!


  77. Cara Marcelly,pouco me importa quem tu é ou onde tu trabalha!!! De qualquer forma,deixo claro que nunca desmereci profissional algum.O que falo é minha opinião a respeito deste topico. Inclusive,já deixei claro da enorme importancia de TODOS os profissionais da área da saúde,dentre eles,o Enfermeiro. Acredito que cada profissional tem sua área de atuação de acordo com sua formação. Como Médico, não fui treinado,nem me atreveria a chegar em um leito e fazer fisioterapia respiratória em um paciente(que,no meu ver,não é um cliente) .Há um profissional capacitado para isso. Acredito e defendo que TODOS profissinais da saúde tem que trabalhar JUNTOS,mas cada um fazendo o SEU papel.


  78. ESSES MÉDICOS SÃO TODOS LOUCOS E RECALCADOS, POIS EXISTE UMA DIFERENÇA MUITO GRANDE EM PRESCRIÇÃO MÉDICAS E PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM, DIAGNOSTICO MÉDICO E DIAGNOSTICO DE ENFERMAGEM.
    DEIXAM DE SER BURROS E IGNORANTES E PRINCIPAMENTE RECALCADOS!!


  79. Me da apenas um motivo para eu ser recalcado por ser MEDICO???? E já que eu sou burro e ignorante……me fala qual é a prescrição e o diagnostico da enfermagem!!!!


  80. Prezado João, apaguei seu comentário feito aqui no Blog. Aqui, nós não temos moderação, mas não admitimos tb o uso de palavrões ou ofensas a outros comentários.

    Este é um espaço de discussão, sim, mas esta deve ser saudável e respeitosa!

    Atenciosamente, Taciana


  81. Que competição!

    Quem será que vencerá? E quem vai perder ou ganhar com isso ?(procurei ler na integra o tópico deste fórum e percebi que a relutancia do debatedor Michel prevalesce mesmo frente a bons argumentos legais e científicos)

    O tópico trás um assunto interessante mas onde o fóco é dispersivo. Seu post inical tem um título incisivo para um conteúdo tão pobre de detalhes, tanto que foi preciso um complemento para que a dialética tomasse formas. Algumas ramificações de comentários infelizes e combativos foram inseridas em meio a posts bem pertinentese muito bons.

    A idéia inicial era LEGISLAÇÃO, portando essa é a proposta do tópico e não CAPACITAÇÃO, idéia pela qual Michel persiste em enveredar.
    Pergunto-lhe :

    Michel, você acredita mesmo que domina também todos os conhecimentos acerca das reações dos farmacos no organismo?Considerando que cada indivíduo possua suas características, eu como leitor, paciente e agora escritor desse tópico, creio ser isso improvável até mesmo para um médico …

    (Afinal, quem lança desafios é porque está querendo provar o que ?…é possível que as dificuldades para classificar os farmacos lhe sejam evidentes Michel, portando partindo da realidade que tem de si, de não conseguir dominar esses conhecimentos com perfeição, é que teme pelos enfermeiros não conseguirem também…)

    Sua colega de profissão Marcelly postou uma lista compilada de medicamentos que por lei podem ser prescritos pelo Enfermeiro de PSF. Bem, isso significa que essa categoria de profissionais assume a responsabilidade legal por seus atos perante lei.

    Os cursos de graduação em enfermagem oferecem condições para que esses profissionais sejam capacitados a prescreverem , isso foi demonstrado através de um post da carga horária e das disciplinas de farmacologia, fisiologia, bioquímica etc.

    CONCLUSÃO

    Meus caros debatedores, estamos falando antes de tudo de leis, se vocês quiserem falar de capacitação científica e profissional o caminho é outro, o tópico seria outro também.

    No caso do Michel, se quer provar que Enfermeiros não tem capacidade para prescrever , elabore um instrumento de coleta de dados fundamentado em um projeto científico e aplique-o em Unidades de saúde onde ha enfermeiros de PSF que executam prescrições, colha os dados, relacione-os e obtenha os resultados para poder tirar conclusões QUE PROVEM SEUS ARGUMENTOS. Tens capacidade para isso ? (independente de ter ou não tempo…) . Não vai adiantar nada ficar aqui lançando desafios e tentando “jogar verde para colher maduro” , como médico e profissional da área da saúde faça comentários sérios e baseados em referenciais ora !

    ***Aliás, para todos que não postaram de forma sensata seus argumentos , pensem que são profissionais da saúde e portando devem manter credibilidade frente a seus pacientes e frente aos meios científicos. OPINIÃO qualquer um tem, principalmente os que seguem tendencias de SENSO COMUM, mas reconhecimento científico só terá quem pesquisa e , se hoje Enfermeiros estão prescrevendo é porque houveram e ha pesquisadores e cientistas sérios nesta área que apresentaram provas de estudos científicos para tanto.Portando, havemos de pensar com cautela antes de lançar comentários infundados.

    Aos pacientes que estiverem lendo e acompanhando essa “competição”, saibam que antes das leis ha os projetos , ha as pesquisas, se é LEI é LEI e enquanto legal a ação está lícita , portanto OS ENFERMEIROS PODEM PRESCREVER enquanto a lei permitir.


  82. Critica à alguns posts

    Costa

    É ótimo saber que pacientes atentos estão lendo e se interessando por assuntos como esse , pois somos nós os maiores interessados ( beneficiados ou prejudicados futuramente).

    Marcelo Campos

    Creio que todo médico adoraria saber escrever melhor não é mesmo ? Porém escrever e argumentar bem é proveniente da boa analítica, independentemente de ser Médico,Advogado, Enfermeiro, Engenheiro, Professor etc. Algumas pessoas não morrem de inveja dos bons pensadores e escritores, elas simplesmente os idolatram, não é mesmo ?

    Quem compõe textos de forma analítica mantém a ética,algo que foge, principalmente, daquele que não pensa antes de argumentar redigindo um texto.

    Carlos Veronez

    Inteligente e perspicaz, objetivo também em dispensar desafios e tolices e tratar do assunto fundamentado por lei.

    Alex Moreira

    Imparcialidade é o caminho para se manter a linha de raciocínio que conduz à realidade. Antes de sermos médicos ou enfemeiros, somos seres humanos que cuidamos de outros.

    Marcelly

    Ótimo posicionamento, parabens pela sensatez de trazer aqui os dados relevantes ao tema discutido de fato.

    Falamedico (Taciana)

    O título dessa discussão é que atraiu tanta polêmica assim, ele está parcialmente incorreto e é incisivo demais, portanto equivocado.

    Ainda bem que os posts com palavrões são excluídos, pelo menos não fica tão caótico. Afinal “…aqui nós não temos moderação…” Algo para se pensar ates de tratar de assuntos polemizados como esse presente. (Acredito mesmo que você como Jornalista não tinha idéia do tamanho desse tabú e dessa competição, agora têm!)

    Em outros sites de relacionamento o tema é abordado também de forma a parecer uma guerra interminável. Há poucos que fazem comentários postando de forma sensata.Aqui até que está tranquilo perto de algumas outras mídias.

    *Detalhe referente ao post de 04/02/2009 (médicos fazem 6 anos de medicina mesmo, com carga horária integral, residência, especialização, mestrado e doutourado são à parte conforme áreas e projetos a serem defendidos).

    De forma geral, parabens pela repercursão!


    • Oi Rafael, obrigada pela participação e pelo posicionamento. Realmente, quando este post foi publicado eu, particularmente, não tinha idéia da repercussão. Este post vai completar aniversário daqui a pouco e é de longe um dos mais comentados e lidos. Quanto a moderação, esta é livre justamente para sermos justos com todos e incentivarmos o debate, que deve ser sadio.
      O blog, apesar de ser direcionado a profissionais médicos, acaba atraindo outros profissionais da sáude e pacientes, que são respeitados por nós e tem o direito de manifestarem sua opinão.

      Acreditamos que uma discussão sadia pode trazer bons resultados e respeito mútuo entre as profissões. Eu, como jornalista, procuro ser imparcial e, como moderadora deste Blog só dou “pitaco” quando vejo que realmente o debate está fugindo do intuito principal.

      Continue sempre nos acompanhando e contribuindo com suas opiniões e criticas!

      Abraços, Taciana


  83. Caro Rafael,não faço ideia de que tipo de profissional tu seja,mas com certeza da saúde tu não deve ser!!!! Não me importo com tua análise sobre minha pessoa…..até porque tu não é Deus para dizer o que esta certo ou errado…..aliás…..que psicoterapia fajuta!!!! Quanto ao profissional de enfermagem nunca direcionei nehum tipo de agressão!!! O que deixo claro é minha opinião quanto ao atendimento clínico e a prescrição de medicamentos!!! Nos meus comentários,ao contrário do que tu pensa,não tentei medir conhecimento…..aliás,não existe no MUNDO,médico que saiba tudo de tudo….isso seria de uma arrogãncia sem precedentes!!! O que tentei colocar são situações do dia-a-dia de um médico e a responsabilidade de exercer esta profissão!!! Acredito na verdade para com o paciente….acima de tudo!! A enfermagem fala em atendimento para hipertensos e gestantes…por exemplo….mas esclareça a minha dúvida!!! Chega um paciente com seus exames de rotina para um enfermeiro,incluindo um ECG……quem vai interpretar??? Chega uma gestante com um VDRL positivo para este mesmo enfermeiro…..quem vai tomar a conduta??? Na minha opinição o atendimento tem que ser completo,por alguem que tenha sido treinado para tal!!! Cada profissional que se ocupe de sua função e a faça com primor!!! Me diga você: qual a diferença entre um enfermeiro e um médico se tudo é tão simples assim????


  84. Michel diz : “Quanto ao profissional de enfermagem nunca direcionei nehum tipo de agressão!!! ”

    Resposta :
    – Claro que não, como eu disse li na integra e percebi que ha partes onde você até os elogia.

    Michel diz : “O que deixo claro é minha opinião quanto ao atendimento clínico e a prescrição de medicamentos!!!”

    Resposta:
    – Mantenho o que eu disse acerca dessa sua opinião , de que cada um tem a sua, mas lei é lei, antes de haverem leis houveram os projetos, e se essa classe de profissionais pode executar tais prescrições e solicitações de exames legalmente.
    -Continuo dizendo, que se duvida da capacidade desse tipo de profissional faça um instrumento de coleta de dados fundamentado em um projeto e coloque em xeque a possibilidade de você estar certo ou errado.

    Michel diz: “Nos meus comentários,ao contrário do que tu pensa,não tentei medir conhecimento:

    Resposta:
    -Eu não penso isso, você é quem direcionou seus posts a isso e nos mostrou isso, se quiser até copio e colo as partes onde você desafia além dessa aqui : 17/05/2009 “Quero que venha aqui um enfermeiro que seja e diga que durante sua formação acadêmica e em sua vida profissional tenha aprendido e hoje em dia domine,por exemplo, a prescrição de TODAS as classes de anti-hipertensivos(não vale captopril) ou então que prescreva um esquema de insulina para algum paciente…” (Michel)

    Michel diz : “aliás,não existe no MUNDO,médico que saiba tudo de tudo….isso seria de uma arrogãncia sem precedentes!!! ”

    Resposta
    – Ainda bem que tem consciência disso, porque eu também tenho e quero acreditar que todos seres graduados em alguma área profissional que se prese tem consciência de que não são deuses detentores do conhecimento absoluto. Que todos estejam conscientes de que estão sob leis constitucionais perante as quais são todos iguais em seus direitos e deveres. Se é função de dever e direito do Enfermeiro de PSF prescrever alguns medicamentos dentro da lei é preciso provar que ele é incapaz de fazer isso dentro da lei e , para tanto, existem os projetos com metodologia juridica, elabore um Michel, tem competência pra isso não tem?


  85. Michel diz :”Chega um paciente com seus exames de rotina para um enfermeiro,incluindo um ECG……quem vai interpretar??? Chega uma gestante com um VDRL positivo para este mesmo enfermeiro…..quem vai tomar a conduta???”

    Resposta:
    – Não é por nada não, sem querer desmerecer, aliás, ao meu ver médicos são bem mais do que interpretes de ECG , mas hoje em dia programas de computadores dão resultados de analises de ECG e tem mais, creio que um Enfermeiro se quiser pode aprender a fazer isso em exames sem complicações, se estudar e se interessar claro.
    -Porém, analisando profundamente, até para os Cardiologistas analisar o ECG é complicado, requerendo até mesmo raciocínio lógico do profissional, você é Cardiologista Michel ? Saberia identificar uma deficiência circulatória no segmento St logo após a despolarização do complexo QRS, e antes do início da onda T ?? Assim só de olhar na folha as ondas , como quem olha uma paisagem e nota mensagens sublimináres nela … Você quer é complicar Michel !!!! Não se complique mais com seus desafios , poupe-se disso, o caminho aqui é outro, LEGISLAÇÃO é o que estamos discutindo.
    -Quanto ao VDRL, ora , se for detectado uma sífilis positiva, supondo que em menos de um ano, qualquer profissional da área da saúde um pouco mais interessado saberá que basta tomar uma dose IM de penicilina para o tratamento.No caso da gestante são 3 doses de penicilina G benzatina com intervalos de 7 dias cada uma. São feitas as orientações para se evitar o contato sexual , subretudo sem proteção etc e tal.São pedidos outros VDRLs para acompanhar o tratamento, se o resultado for menor que 1,8 significa cura.
    Isso um Enfermeiro não teria condições de saber na sua concepção Michel ?! Aff … !!

    Michel pergunta :” Me diga você: qual a diferença entre um enfermeiro e um médico se tudo é tão simples assim????”

    Resposta:
    – Me diz você !se está tão preocupado em saber disso ? Além do salário você quer saber ? Os conhecimentos ? Ah, o tempo de estudo ? Ah não, você não quer medir essas coisas, é verdade hahahaha…

    -Você quer complicar mesmo hein !E se for simples assim …

    …Michel, uma coisa é fato , não importa a área , um princípio universal é que “Quanto mais se estuda, mais se adquire conhecimento!” talvez o ser possa se distinguir pelo saber não por sua profissão em sí e seu status social …

    Michel afirma :”Caro Rafael,não faço ideia de que tipo de profissional tu seja,mas com certeza da saúde tu não deve ser!!!!”

    Resposta : Certeza absoluta ? E se eu não for ? E se eu for ? Importa ? claro que não , não é mesmo (Assim como não importou pra ti o titulo declarado de Médica da Marcelly e nem onde ela trabalhava pra você… lembra ?) ,afinal, sou paciente em potencial , assim como você e qualquer ser humano .

    O problema aqui é LEGISLAÇÃO, somos iguais, pacientes, os quais podemos ser medicados por médicos e , em algums farmacos, por enfermeiros também, de forma legal . :-)


  86. Senhores,

    Conselhinhos:

    Quem curte fazer diagnóstico de doenças e realizar prescrições para tratar o PACIENTE das mesmas, que estude MEDICINA. Senão corre o risco de se frustar,morrer de inveja e se tornar um um(a) chato(a), perseguidor(a) de médicos.
    Claro que um vestibular para Medicina é muito mais concorrido e dificultoso do que um para enfermagem, porém vale a pena o sacrifício se você pensar que futuramente não vai sofrer por não ser o que gostaria de ser ou por querer ser o que não é.

    Minha humilde opinião:

    Solicitação de exames laboratoriais e prescrição de medicamentos por enfermeiros invadem o campo de atuação do médico, portanto deveriam constituir-se como prática ilegal da medicina.
    NO ENTANTO…para meu espanto…são consideradas legítimas “se dentro dos protocolos dos manuais de saúde pública”.Temos a própria lei desfigurando as competências profissionais de acordo com interesses de ordem financeira.
    No ambiente hospitalar, os papéis do médico e do enfermeiro são muito claros e bem delimitados, toda essa problemática foi gerada por um câncer nacional chamado PSF(Programa de Saúde da Família), em que , ao invés de se providenciar número de médicos suficiente para atender a demanda da atenção básica, economiza-se colocando enfermeiros atuando de forma fragmentária sobre o que deveria constituir uma consulta médica.Como se protocolo+enfermeiro substituísse o médico que o poder público não quer pagar.Este mesmo câncer(PSF) serve a enfraquecer o médico na sua autoridade do ato médico, uma vez que interfere na sua autonomia em vários aspectos, com seu tempo de consulta insuficiente, com suas metas baseadas em números de atendimento.Nesse contexto o par protocolo+enfermeiro(existe uma supervisão sistemática para verificar se os enfermeiros se restringem aos protocolos???)servem perfeitamente como o quebra-galho da saúde capenga pública.
    Aos que defendem o PSF, alegando resultados: primeiramente, durante anos a tençaõ básica esteve anbandonada, então qualquer comparação, será comparação com o nada, o que trona inválido qualquer dado positivo relativo ao PSF, segundo, não há outro modelo vigente de atenção básico com o qual se possa comparar, finalmente,temos relativamnete pouco tempo de PSF, e não acredito em resultados tão promissores ou significativos no futuro.


  87. Alfinetinho

    A proposta do PSF nasceu em 1994, qualquer um que pesquisa um pouquinho algumas revisões bibliográficas poderá saber bem disso. Ela só entrou em vigor em 1998.O PSF é resultado de várias tentativas que ocorreram com os PACS ,a idéia de inserção dos agentes comunitários de saúde são as bases disso tudo e não os médicos e nem os enfermeiros. Seria inviável e utópica a idéia de ter somente médicos realizando esse trabalho, portanto “…para seu espanto…” você não está sendo imparcial ao analisar o PSF classificando-o como um câncer. (Médicos Doutores e mestres de verdade pesquisaram em parceirias com Enfermeiros Doutores e mestres de verdade, para se chegar no SUS e PSF)

    Quando diz que antes do PSF a saúde pública estava abandonada , também mostra sua ignorância acerca de conhecimentos historicos dessa área.Em 1968 foi abandonada a idéia de se atender domicílios , durante muito tempo os programas de políticas de saúde atendiam mais o setor trabalhista; na decada de 80 surge o SUDS que descentralizou os serviços de Saúde pública para os municípios, logo depois com a formação definitiva do SUS em 1988, a idéia de atendimentos domiciliáres foi totalmente repensada e reformulada e des de 1991 os PACS foram ganhando força. Os PACS contribuem ha mais de 20 anos com o controle epidemiológico de várias doenças. Além disso a idéia de PACS é geradora de empregos. (ou por acaso os médicos sairiam para coletar dados na rua e visitar casas ??? Seria bom se fossem , na minha “humilde opinião” … ah, é que não dá tempo né, só 20 horinhas semanais não tem como cobrir uma área de 45 mil habitantes hahaha)

    Quanto aos diagnósticos de doenças, concordo contigo, são atribuições médicas sim , algo que não deve ser esquecido por ninguém .

    “(existe uma supervisão sistemática para verificar se os enfermeiros se restringem aos protocolos???)”
    Respondendo:Claro que existe, o prontuário, quer mais do que isso?? Se sou médico , logo olho os prontuários para saber o que se passa.. vou além, logo olho os exames laboratoriais solicitados na US onde eu atuo… vou além, se sinto dúvidas, elaboro pesquisas para saber como vai a qualidade dos serviços. PESQUISA é algo diferente de sentar e ficar fazendo prescrições e diagnósticos, é analisar esses documentos, é revisar casos, isso é ser médico, é ser pesquisador,é a noção que qualquer ser que tenha cursado uma universidade, independente do curso, deveria ter para desempenhar e evoluir bons trabalhos.

    Quanto aos diagnósticos de enfermagem :Os diagnósticos de enfermagem trazidos pelos livros NANDA , os quais mantém um trabalho sério de atualização, esses devem ser reconhecidos e respeitados por qualquer profissional da área da saúde, porque obedecem bases de estudos de pesquisas científicas.

    Quanto as dificuldades de vestibulares, bem , a concorrência é que aumenta o grau de dificuldade ora, todos sabemos disso, o conteúdo do vestibular é o mesmo entre os cursos só dependendo da universidade onde você escolhe prestar o curso é que será diferente.Se for prestar USP , o concorrente de direito , medicina, enfermagem, matemática, filosofia, farão a mesma prova… Além disso , hoje em dia, temos o ENEM que tem resolvido a vida de muita gente que tem vontade de fazer faculdade… enfim, esse argumento do Alfinetinho foi furado ! rs


  88. Alfinetinho

    Quanto a não existir outro modelo de saúde pública vigente a ser comparado em nosso país , a primeira pergunta a se fazer é: PRA QUE DOIS MODELOS EM UM MESMO PAÍS?. Depois , se não se satisfizer com isso, Bem, olhe em outros países então e compare, nos EUA por exemplo, onde há sistemas privados de saúde , veja se lá eles tem tido resultados de abrangência de atendimento(considere o capitalismo como referência de governo antes de tudo). Olhe no México, veja como está a coisa lá por exemplo e compare conosco aqui . Olhe nos outros países da america latina , se você conhecesse um pouquinho o Chile ai sim poderia dizer “para meu espanto…” -eu (alfinetinho aconselhador) estou mal informado… AFF !!!

    Por ultimo compare o número de casos de infectados pelo vírus H1N1 no resto do mundo e aqui e considere que a pandemia está em expansão. Será que o modelo do PSF não ajuda a mapear os casos no Brasil??

    O que os universitários têm aprendido nas universidades !!! Será que dormem nas aulas de saúde pública e políticas de saúde???!! Ou será que matam as aulas ??!!!hahahaha

    Os resultados “promissores” estão aqui agora, quanto ao futuro, você tem todo direito de ser pessimista Alfinetinho hahaha

    Entendo que médicos e enfermeiros vem postar aqui a opinião apaixonada deles defendendo com parcialidade suas profissões, é romântico isso , só que deixam os pacientes como nós aqui todos confusos… mas insisto , que o que está discutível aqui é legislação.

    Alfinetinho, Michel e todos que se posicionem contra a lei, por acaso tem algum projeto decente e de valor científico para poderem contestá-la ?

    Até agora nenhum apresentou argumentos firmes questionando a lei e variantes para poder mudá-la.

    Aliás , Senhor Alfinetinho, aproveite o embalo hahaha, faça um novo projeto para um novo sistema de saúde contendo um modelo de atendimento domiciliar melhor que o PSF. Eu como paciente ficaria muito contente se os atendimentos domiciliáres fossem melhores, se o acolhimento fosse melhor, se a sistematização de atendimento médico e de enfermagem fosse melhor .

    Não, mas, Imaginem só o Alfinetinho inventor do SDS (SISTEMA DUPLO DE SAÚDE) , ou do SMD (SISTEMA MULTIPLO DE SAÚDE) já que um sistema único não está dando, vamos ampliar hahahaha … O que é isso meus caros !!

    Só pode ser piada com a cara de nós , os pacientes !!!
    Onde está o trabalho sério do ser humano que cursou uma universidade de prestígio e possuí status de respeito, onde estão o trabalho dos profissionais sérios da saúde ?!

    Será que preferem ficar perdendo tempo competindo em guerrinhas de ego nos blogs da internet ?!


  89. “Solicitação de exames laboratoriais e prescrição de medicamentos por enfermeiros invadem o campo de atuação do médico, portanto deveriam constituir-se como prática ilegal da medicina.”

    Uma frase afirmativa polêmica e infeliz, com argumento pobre,(Assim como o titulo desse tópico) que é para ser pensada profundamente e analisada na lei.

    A lei nº7498/86 conhecida de todos os Enfermeiros (deveria ser conhecida pelos médicos também, considerando que são atuantes na área da saúde), dispões sobre a regulamentação do exercício de enfermagem e trás nos artigos 6 e 7 as competências dos enfermeiros e tecnicos, distinguindo ambos e trazendo no título II.COMO INTEGRANTE DA EQUIPE DE SAÚDE, no parágrafo C) PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PREVIAMENTE ESTABELECIDOS EM PROGRAMAS DE SAÚDE PÚBLICA E EM ROTINA APROVADA PELA INSTITUIÇÃO DE SAÚDE. Ou seja , a lei está de acordo com as competências do enfermeiro e não ha motivo para “espanto” se um enfermeiro prescrever um medicamento de rotina.

    Vamos além ? Sim…”espantemo-nos” com o Artigo 9 referente aos PROFISSIONAIS TITULARES DE DIPLOMAS OU CERTIFICADOS DE OBSTETRÍCIA OU ENFERMEIRA OBSTÉTRICA, ALÉM DAS ATIVIDADES DE QUE TRATA O ARTIGO 8, INCUMBE:
    I-PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À PARTURIENTE E AO PARTO NORMAL.
    II-IDENTIFICAÇÃO DAS DISTOCIAS OBSTÉTRICAS E TOMADA DE PROVIDÊNCIAS ATÉ A CHEGADA DO MÉDICO.
    III-REALIZAÇÃO DE EPISIOTOMIA E EPISIORRAFIA E APLICAÇÃO DE ANESTÉSICOS QUANDO NECESSÁRIOS.

    Espantados ??? Acham que um enfermeiro pós-graduado, aprimorado,treinado e especializado não tem competência pra exercer praticas assim ?

    Sem querer defender os enfermeiros, mas , está na LEI dentro das COMPETÊNCIAS !

    Universitários da área da saúde!

    Ampliem seus conceitos! Sejam abertos a ciência e ao desenvolvimento científico, porém não se esqueçam do que é legal e do que é ilegal, informem-se sobre as leis e contestem o que acreditarem estar errado dentro dessas leis, porque toda e qualquer opinião que proferirem fora delas será mera especulação!

    Apelo de um paciente e cliente dos serviços de saúde

    Meus estimados Medicos e Enfermeiros apaixonados por suas profissões, com todo respeito, preocupem-se muito mais com seus pacientes! Eles , assim como vocês, estão sob a constituição Brasileira, tudo o que for possível dentro dessa constituição para melhorar nosso atendimento de saúde deve ser pensado, edificado e executado pelas EQUIPES DE SAÚDE.
    Pesquisem, façam projetos para melhorarem suas condições de trabalho, inclusive financeiras; para melhorarem a qualidade de vida de vocês quanto ao a carga horária de trabalho na rotina, isso consequentemente poderá gerar mais empregos se a carga horária for dividida em mais turnos.
    Persigam a carreira acadêmica, se aprimorem, aproveitem as oportunidades para serem especialistas no que fazem.Nosso país carece de Mestres e Doutores em todos os Estados.


  90. queria por que a medicina não reclamam com a odonto por invadir o seu campo, em relação a prescrição de medicamentos??? Pois dependendo da dor eles podem prescrever desde um paracetamol até morfina, além da variedades de antibioticos, sérá que eles tbm não tem capacidade??
    E os farmaceuticos, que acho que estudam mais farmacologia que a medicina??
    ficam essas indagações desse usuario do SUS!


    • Entao amigao… a odonto nao invade nada,se o senhor tivesse o minimo interesse de se informar antes de abrir a sua boca,odontologia é uma ciencia que estuda toda a formaçao ,desenvolvimento e anomalias da face.. tratando as cirurgicamente e ou medicamentosamente.. pra sua informaçao quem se forma em odonto é pasmem”Cirurgiao Dentista” ok?


  91. Caro Rafael…..deus todo poderoso,detentor de todo conhecimento….futuro Presidente desta Nação!!!! Tu podes entender muito de Leis , História…….enfim….uma coisa com certeza tu não sabe o que é……ser Médico e os 6 anos que passamos dentro de uma faculdade de Medicina!!! Tu com certeza,nunca precisou tirar uma ficha as 5 da manhã para consultar em uma Unidade Básica de Saúde ou teve teu domicilio visitado por um Agente de Saúde para saber as condições em que este programa “lindo” de saúde,chamado PSF, se encontra!!!! Se tu acha tão lindo e maravilhoso……um dia, e,sinceramente espero que não aconteça, mas se um dia te tornares Hipertenso ou Diabético…….agende uma consulta em uma UBS com um enfermeiro…..faça com ele,todo atendimento clínico e laboratorial……deixa que ele te prescreva medicamentos como anti-hipertensivos, hipoglicemiantes orais, insulina……vá além, se tiveres uma esposa e ela estiver grávida…..leve-a para fazer o pré-natal com um enfermeiro…..vá além…..deixe que uma enfermeira faça seu parto……afinal…..é tudo a mesma coisa…..basta usar um jaleco branco…não???


  92. Michel

    “….uma coisa com certeza tu não sabe o que é……ser Médico e os 6 anos que passamos dentro de uma faculdade de Medicina!!! Tu com certeza,nunca precisou tirar uma ficha as 5 da manhã para consultar em uma Unidade Básica de Saúde ou teve teu domicilio visitado por um Agente de Saúde para saber as condições em que este programa “lindo” de saúde,chamado PSF, se encontra!!!! Se tu acha tão lindo e maravilhoso”

    Aeeeeeláaaaa!!!, medicina deveria ser como música, deveria ter teste de aptidão além do vestibular para eliminar alguns tipos mente fechada…AFF!!

    hauahuahauhaua Você nem me conhece e nem sabe o que faço, está equivocado novamente, está novamente dizendo o seu clássico “…com certeza…” VOCÊ NÃO TEM CERTEZA DE NADA , ENTENDEU ?
    Vou remeter você ao episódio da Marcelly novamente, onde você nem quis saber e nem considerou hipoteses sobre o que ela faz ou deixa de fazer(ser médica , ser da área da saúde, ser doutora etc e tal.), portanto continua não interessando o que faço (mesmo dando pra perceber se você raciocinar um pouquinho nessa sua mente romântica )

    Qual sua idade meu caro ? Recém formado … hum, se entrou na faculdade aos 18 anos, deve ter mais ou menos 24 agora(isso claro , se não pegou nenhuma DP rsrs ) … Continue estudando bastante meu caro, quem sabe você poderá elaborar um sistema melhor que o SUS e o PSF junto com o Alfinetinho hauhauaha (nós pacientes e usuários do SUS agradeceriamos se conseguissem, seria muito interessante uma idéia como essa , seria revolucionária e marcante !)

    Prove que o PSF não fornece dados estatísticos que ajudam a controlar doenças epidemiológicas em raios de ação.O que eu vou dizer pra você ?! Igual o Capitão Nascimento fala no filme Tropa de Elite? Você é um moleque !!! Não merece “essa caveira”(não merece o jaleco que veste) !!! kkkkkkkk

    Como é que um médico é tão pessimista e não acredita nem no próprio sistema público onde ele atua e recebe seu dinheiro ??(nem mesmo se interessa pelas leis que o regem…aff) Meu , o que mais você quer ? Quanto você ganhava quando era residente por plantão ???
    Se você fez Federal não gastou muito na faculdade, mas se era privada, tudo o que você gastou nos seus 6 anos (mais ou menos uns 350 mil reais) dá pra você repor em quatro anos trabalhando sossegado !! E tudo isso graças ao sistema, pense nisso ^^

    “Caro Rafael…..deus todo poderoso,detentor de todo conhecimento….futuro Presidente desta Nação!!!! Tu podes entender muito de Leis , História…”

    Que fique claro uma coisa eu gosto da medicina, tanto quanto qualquer área da saúde e respeito todas, eu tento ser imparcial e equilibrar tudo isso, volto a repetir, está tudo na lei o que estamos discutindo ora !! Pra que levar para outros lados onde você nem tem domínio Michel?? (foi você mesmo que quis enveredar para caminhos assim, fica chamando os enfermeiros pra “batalha de conhecimentos” expondo micelaneas de estudos de caso ai …)

    Quando estava na faculdade você procurou conhecer algum professor seu que era médico mestrado ou doutorado que dava aulas de saúde coletiva ? Procurou trocar idéias com ele pra ir a fundo em pesquisas ? Procurou aprender medicina preventiva ao invés de só se concentrar em ser um intervencionista do tipo que quando vê um diabético com o pé danificado já quer amputar para contornar o problema ao invés de tratar e recuperar aquele membro ?? !!
    É importante em medicina saber um pouco de cada área, sem excluir leis, ambiente, prevenção, epidemiologia etc. Fica parecendo que você como médico é o intervencionista que detem todo o poder dos tratamentos!! Deveria ter trocado mais idéias com seus professores cara…


  93. Michel

    “…um dia, e,sinceramente espero que não aconteça, mas se um dia te tornares Hipertenso ou Diabético…”

    Resposta :Ainda bem que eu pratico exercícios físicos e me alimento bem hehehe.

    Michel
    “…agende uma consulta em uma UBS com um enfermeiro…..faça com ele,todo atendimento clínico e laboratorial……deixa que ele te prescreva medicamentos como anti-hipertensivos, hipoglicemiantes orais, insulina……vá além, se tiveres uma esposa e ela estiver grávida…..leve-a para fazer o pré-natal com um enfermeiro…..vá além…..deixe que uma enfermeira faça seu parto……”

    Resposta:
    Já fui acolhido com a Enfermagem em uma UBS e eles fazem o exâme físico e anamnése completa, correta, com inspeção, palpação, percussão e auscuta. Você é que deveria experimentar qualquer dia ir “desfarçado de usuário do SUS” em uma UBS para poder sentir na pele como funciona , porque pelo jeito você é quem não sabe e nem entende do que está falando, só analisa a realidade a dois palmos na frente no que exerga … Já acompanhei tratamento de TB , supervisionado por médico e enfermeiro, você precisava ver a atenção com que o Enfermeiro tinha para com a família do paciente, como orientava certinho…Já soube de muitos casos onde enfermeiros comuns (sem especializações) fizeram partos dentro de ambulâncias do SAMU . Até Bombeiros podem auxiliar nisso Michel, deixa de ser tosco !! o ser que passar por uma situação assim vai estar dando uma mãozinha para a natureza … rsrs não vem fazer drama não o doutor !!! hehe

    Sabe Michel , não te conheço , posso estar sendo grosseiro contigo até ao brincar um pouco aqui falando algumas coisas, afinal estamos na chuva para nos molharmos , nós, todos que expomos nossas opiniões aqui nos colocamos em posições sujeitas a críticas, não quero te ofender com essas.
    Você começou no seu ultimo post me chamando de “deus todo poderoso,detentor de todo conhecimento….futuro Presidente desta Nação…”eu estou levando na esportiva e por isso eu procurei descontrair um pouco no meu ultimo post em resposta a ti. Minha intenção não é te desrrespeitar, eu só gostaria que reconsiderasse essa idéia idiota de “ATO MÉDICO” , isso sim é um câncer, isso sim é nocivo, fica parecendo um “NAZISMO” barato !
    Houveram bons posicionamentos de colegas de profissão aqui que deixaram de lado essa bobagem, inclusive você foi bem lúcido em vários momentos onde elogiou o serviço dos enfermeiros, porém perde a categoria quando persiste em seguir com esse preconceito de que a enfermagem não pode evoluir como ciência e obter treinamento necessário para desempenhar funções como a prescrição e a interpretação de exâmes laboratoriais. Deixemos esse lance de “Ato médico” de lado, isso não soa moderno, é primitivo !

    A ultima , que deixei para o final “Quanto a visitas dos Agentes comunitários”

    Eu não moro em condomínio e nunca fiz questão de morar, já os recebi algumas vezes em lugares onde morei, principalmente quando aumentaram os focos de dengue no estado (?) . Comigo pelo menos foram pessoas discretas e muito educadas, que passaram as orientações corretamente e sanaram dúvidas de todos os vizinhos.

    Sobre os médicos e profissionais da saúde que reclamam do sistema , pensemos:

    Creio que quem deve reclamar do serviço são os usuários mesmo, os que sentem na pele e não os MÉDICOS que mamam o leite que o seio do sistema ordenha, até porque é uma contradição da parte dos médicos que fazem isso e ainda por cima usufruem da verba ,portanto, não cabe a esses RECLAMAR E SIM AJUDAR A RESOLVER, a culpa é deles juntamente com as outras classes de profissionais da saúde se não conseguem pesquisar e descobrir formas de melhorar o atendimento ou o sistema, de realizar educação continuada para sua equipe de saúde.
    Devem perder menos tempo batendo cabeça e se organizarem melhor.
    Imaginemos uma equipe de atendimento de urgência e emergência desordenada, o que acontece ? Conseguem salvar alguma vitima ? Uma equipe de UTI com posicionamento todo desordenado nas salas… é o caos!!O mesmo acontece na saúde pública se um não souber trabalhar em harmonia com o outro!
    Só 20 horinhas semanais um médico trabalha em um PSF , puxa, dá pra fazer tantas coisas depois em casa com o tempo vago, estudar casos, ir para uma universidade defender um mestrado, coletar dados de pesquisa… enfim, médicos tem tudo para poderem receber bem mais do que dinheiro, tem o que muita gente quer ter de fato, que é tempo habil para poder continuar estudando, não tem desculpa para serem profissionais mediocres , médico tem que ser bom e ter margem de erros próximas a zero durante toda a sua carreira!

    MANTENDO-SE NO TÓPICO ISISTENTEMENTE

    A PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PELA ENFERMAGEM É ESTABELECIDA DE FORMA LEGAL NA CONSTITUIÇÃO obedecendo os protocolos existentes nos programas de saúde ou em instituições(isso acontece em alguns hospitais) onde esses protocolos existem.

    Ha algo mais para se discutir na lei ?
    Alguém tem ai uma ementa nova ou proposta de lei ?


  94. “De boas intenções o inferno está cheio”
    (Ditado popular)

    Senhores,

    Blog da internet não é o espaço adequado para se defender uma tese acadêmica ou apresentar um estudo que sirva de fundamento para um projeto de lei que vise alterações no funcionamento da Saúde.No bolg se emitem OPINIÕES!E qual o problema, professor Rafael?Dar seu palpite também é prazeroso, tanto que estamos aqui, dando o nosso, não é?Por que esse preconceito se uma opinião pode fazer pensar, inspirar um trabalho científico, até uma intuição pode motivar um estudo científico.
    Eu estou aqui para dar os meus pitacos!!Vão estar apoiados sobre conceitos que eu tenho…
    Em primeiro lugar há que se diferenciar SUS de PSF, que não são sinônimos.Professor Rafael, ou seria Professor Doutor de verdade Rafael me acusou de ser contra o SUS,
    SUS é o sistema saúde instituído em nível federal pela constituição de 1988, na qual se estabelecem , de forma bem simplificada, as carcterísticas desse sistema, quem gerencia e quem paga o que.Tem como diretrizes gerais a universalização,equidade, regionalização, integralidade, participação popular e meu preferido: hierarquização,digo isso por que seria minha primeira preocupação, a de racionalizar os recursos, de maneira geral aprovo o sistema, só o acho ambicioso demais pretendendo abarcar tudo e todos a uma só vez, o que de certa forma se confirma na prática, nas dificuldades de implantação que o sistema encontra.O Programa de Saúde da Família(PSF) é a operacionalização do SUS, ou melhor, a forma como foi escolhida ser dar, na prática, o SUS.Vejam bem:Não é a única forma possível!!Pode ser SUS e ser diferente!Também não sou contra tudo dentro do modelo PSF, minhas críticas negativas(negativíssimas) estão focadas sobretudo à questão de como o médico está inserido neste programa.Para começar, o programa é vertical, “de cima para baixo”, é engessado, o médico não tem autonomia sobre sua agenda, tem um script a seguir e uma meta a cumprir, que são X consultas/mês, com um tempo que desfavorece a boa prática da medicina e a relação médico-paciente.Não dá para negar que o programa conflita com a prática médica ,pois quer fazer descer goela abaixo dos médicos seus protocolos e fichas de atendimento padronizadas(com dados de anamnese e exame físico que “devem” conter no atendimento), esquecidos estão os mestres e doutores de verdade da saúde pública que os protocolos são ferramentas das quais os médicos têm autoridade para prescindir se assim julgarem correto.O próprio tópico que gerou a discussão, sobre enfermeiros legalmente poderem prescrever medicamentos e solicitarem exames dentro dos protocolos dos manuais de saúde pública, o que é isso senão um ataque aos médicos?
    Respondam-me por que, o que justifica, no Brasil, um país que possui quase 300.000 médicos, ser aprovada uma lei que permite aos enfermeiros, ainda que seja dentro de protocolos, solicitar exames laboratoriais e prescrever medicamentos??Se está se falando de medicina assistencial, sobretudo aos DOENTES, e existe o profissional que inequivocamente e tradicionalmente tem formação para tratar e acompanhar o doente em número mais que suficiente no país, alguém me explique o porquê de se incluir na grade curricular do curso de enfermagem disciplinas que dêem uma deixa para que se aprove uma lei como essa.Leis têm intenções.Especulando sobre quais seriam as intenções por trás desta, me passa pela cabeça, que os idealizadores da mesma tem horror a “depender” dos médicos, um profissional “caro”, que poderia significar um custo alto e exigências para o quase recente sistema,então tentam com esta manobra se livrar dos médicos.Muitos gerentes dos “postinhos” país afora se gabam da unidade conseguir se segurar por longos períodos em que as equipes ficam sem médico, PORÉM, sabemos as consequencias disso a médio e longo prazo, não sabemos, doutores de verdade??
    À propósito, gostaria de sugerir ao Professor Doutor de verdade Rafael, que além de se incluir um teste de aptidão no vestibular para medicina, se incluisse também uma análise da situação ecônomico-financeira do candidato, sugiro ainda que só se admitam pessoas ricas, nem classe média , nem baixa, afinal, o indivíduo vai fazer 20 horinhas e depois vai para casa estudar, ele não vai fazer 40 horinhas( como é a maior parte dos PSF), ele não é multiempregado, pois ele é rico, não tem necessidade disso,se ele tiver família, filhos que dependam dele, sem problemas, suas 20 horinhas são suficientes, pois ele é rico.
    O que, como ousa ter familia, filhos, uma vida fora da medicina?ninguém mandou, médico tem que ser só médico.
    Para finalizar, Professor Doutor de verdade Rafael, médicos não mamam do seio ordenhado pelo sistema, TRABALHAM E SÃO (MAL)REMUNERADOS PELO SEU TRABALHO, E TÊM O DIREITO SAGRADO DE TER CRÍTICA SOBRE O PRÓPRIO SISTEMA PARA O QUAL TRABALHAM.Quem está sendo nazista?Quem está sendo opressor?O Professor Doutor de verdade Rafael, como defensor ferrenho que é do SUS, criado a partir da Constituição de 1988, em que “a Saúde é um direito de todos e um DEVER DO ESTADO” e a iniciativa privada foi relegada a saúde suplementar, sugere o que?Que os médicos mudem de profissão?

    Agora prove do seu próprio veneno, Professor Doutor de verdade Rafael:
    Michel, uma coisa é fato , não importa a área , um princípio universal é que “Quanto mais se estuda, mais se adquire conhecimento!” talvez o ser possa se distinguir pelo saber não por sua profissão em sí e seu status social …
    Há doutores”de mentira”,assim tratados pela tradição cultural, que ostentam o título com mais merecimento do que o Doutor “de verdade”.


  95. Parabens Alfinetinho !!

    Seus argumentos foram muito interessantes, tenho que reconhecer que defendeu bem sua idéia.

    Conseguimos!!!! FUGIR DO TÓPICO TODO, a lei continua a mesma, nossas opiniões cá estão.

    Analisemos esse parágrafo:

    “Para começar, o programa é vertical, “de cima para baixo”, é engessado, o médico não tem autonomia sobre sua agenda, tem um script a seguir e uma meta a cumprir, que são X consultas/mês, com um tempo que desfavorece a boa prática da medicina e a relação médico-paciente.Não dá para negar que o programa conflita com a prática médica ,pois quer fazer descer goela abaixo dos médicos seus protocolos e fichas de atendimento padronizadas(com dados de anamnese e exame físico que “devem” conter no atendimento)”

    Pois bem, em primeiro lugar , você como médico é um prestador de serviço não é? Claro que é ora !!O que tem demais seguir protocólos e padrões quando se é um prestador de serviço em um sistema ?
    Se quer ser empresário autônomo abra seu consultório , organize sua agenda como bem quiser e bem entender (se for especialista)E atenda como quiser seus pacientes ora!. Nem perca tempo prestando concursos ou mandando projetos para trabalhar no PSF ou na rede do SUS ora, é simples.

    Analisemos esse também

    “…alguém me explique o porquê de se incluir na grade curricular do curso de enfermagem disciplinas que dêem uma deixa para que se aprove uma lei como essa.Leis têm intenções.Especulando sobre quais seriam as intenções por trás desta, me passa pela cabeça, que os idealizadores da mesma tem horror a “depender” dos médicos, um profissional “caro”, que poderia significar um custo alto e exigências para o quase recente sistema,então tentam com esta manobra se livrar dos médicos.Muitos gerentes dos “postinhos” país afora se gabam da unidade conseguir se segurar por longos períodos em que as equipes ficam sem médico, PORÉM, sabemos as consequencias disso a médio e longo prazo”

    Deixa disso Alfinetinho, é disso que eu estou falando!! É isso que eu considero primitivo , preconceito total !!Nazismo barato!!
    A Enfermagem conquistou o espaço dela , deixe que os Enfermeiros estudem ora essa !! Aliás o Curso agora tem 5 anos , não sabia ? Eles tem mais é que estudar mesmo ora !!
    Na sua concepção quem é que faz as leis na OMS ? será que não passou pela sua cabeça que não é só de Brasil que estamos falando quando dizemos que ENFERMEIROS PRESCREVEM ? é tudo POLÍTICA e de saúde ainda por cima … pense nisso .
    Quanto a sua ESPECULAÇÃO, sei lá, embora eu respeite seu ponto de vista, não tem como provar nada, nem colocar nada em xeque, é bem opinião informal.
    Quanto aos gerentes de postinho que se gabam cheios de arrogância,concordo plenamente contigo, são inconsequentes! Conheci coordenadores que pagam caro por terem altos níveis de contaminação por Tuberculose em alguns bairros.Claro que a presença do médico deve evitar que isso se propague… Porém, está ai mais um motivo para os Enfermeiros estudarem mais, é aonde você e maior parte dos médicos discordam e é o que eu estou defendendo.

    Analisemos esse outro:

    “…TRABALHAM E SÃO (MAL)REMUNERADOS PELO SEU TRABALHO, E TÊM O DIREITO SAGRADO DE TER CRÍTICA SOBRE O PRÓPRIO SISTEMA PARA O QUAL TRABALHAM.Quem está sendo nazista?Quem está sendo opressor?O Professor Doutor de verdade Rafael, como defensor ferrenho que é do SUS, criado a partir da Constituição de 1988, em que “a Saúde é um direito de todos e um DEVER DO ESTADO” e a iniciativa privada foi relegada a saúde suplementar, sugere o que?Que os médicos mudem de profissão?”

    Quem hoje em dia a não ser um médico trabalha de 20 a 40 horas semanais em um único emprego e ganha de 4 a 7 mil reais por mês ????? Ah, os Juizes Federais ganham mais e trabalham menos olha ai rsrs, se for pra mudar de profissão é uma boa pedida não acha Alfinetinho ? Bom, se nada der certo, vai aprender a jogar futebol , já que não está afim de estudar mais para produzir cientificamente , jogadores ganham muito bem não acha ?!!

    Só para constar quanto ao “-O Professor Doutor de verdade Rafael” OBRIGADO! Mas, estou melhor qualificado aqui como paciente , um dia quem sabe você ou o Michel poderão até me atender . (Professor universitário está na universidade, eu aqui sou blogueiro mesmo.)

    Bom, falando sério .

    EU QUERO PEDIR NOVAMENTE, PODE SER VOCÊ OU QUALQUER OUTRA PESSOA ALFINETINHO (EU SE TIVESSE INCLUSIVE, EXPRESSARIA, PORÉM NÃO TENHO) , ALGUMA IDÉIA SOBRE COMO PODERIA SER UM NOVO SISTEMA ?

    ALGUMA IDÉIA SOBRE COMO MODIFICAR AS LEIS QUE EXISTEM NA ENFERMAGEM E NA PRÁTICA DO EXERCÍCIO DESSA PROFISSÃO PARA QUE O ENFERMEIRO SEJA DE FATO PROIBÍDO DE PRESCREVER OS MEDICAMENTOS E SOLICITAR OS EXÂMES ?

    Até agora ninguém resolveu “o problema”(aliás onde eu nem vejo problema algum desde que sejam capacitados a isso) , portanto prefiro que o que é legal continue legal em face de não haverem melhores propostas, é minha opinião agora!

    ME RETRATANDO AOS PROFISSIONAIS QUE MERECEM RESPEITO E TEMOS QUE VALORIZAR E RECONHECER ISSO:
    -Gostaria de pedir desculpa aos colegas se ficaram ofendidos, gostaria de me retratar contigo(Alfinetinho) e com o Michel em particular, afinal vamos manter o respeito mutuo por questão ética e também para nos mantermos no tópico.

    Finalizo insistindo novamente, são as leis que devem ser discutidas, se houver mesmo algum furo nas leis para que realmente os Enfermeiros sejam proibídos de prescreverem esses medicamentos protocolados ai sim poderiamos começar a rever os conceitos.


  96. Falamédico (Taciana)

    Oi Taciana.

    Como o desenvolver natural desse tema foi combativo (ao entrar com minhas críticas eu não esperava menos dos colegas pelo que havia acompahado antes de postar), eu resolvi dialetar um pouco e pude fazer algumas considerações e por fim manter minha opinião sensata.

    É possível manter-se focado no tópico, eu poderia ter só mantido esse parágrafo :
    “A PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS PELA ENFERMAGEM É ESTABELECIDA DE FORMA LEGAL NA CONSTITUIÇÃO obedecendo os protocolos existentes nos programas de saúde ou em instituições(isso acontece em alguns hospitais) onde esses protocolos existem.

    Ha algo mais para se discutir na lei ?”

    Mas eu preferi entrar na dialética e provocar um pouco para saber como se sente o médico em face de tudo isso.

    As palavras do “Alfinetinho” refletem tudo o que eu gostaria de entender. É satisfatório saber que o médico é bem humano!

    Eu só achei uma pena (talvez ainda apareçam, não sei…)
    não ter havido mesmo , até aqui, propostas dentro das leis, nem idéias e nem especulações de como seria possível proibir de fato os enfermeiros de prescrever dentro de seus protocolos padronizados.

    Daqui pra frente, eu prefiro acompanhar o tópico lendo somente mesmo,sem comentar, a não ser que apareçam propostas chamativas que fujam do senso comum de “achar certo e achar errado”.

    Agradeço o espaço ! um abraço !

    Aos colegas pacientes ^^ Tudo de bom para vocês !!

    Aos profissionais da saúde , principalmente Michel e Alfinetinho, meus cumprimentos, eu agradeço, sinceramente (sei lá se vão acreditar ou não ) a atenção de vocês em terem respondido!

    Continuem com a profissão de vocês sempre de mente aberta para os avanços científicos que ela constantemente trás :-)

    Au revoir !


  97. SOU A FAVOR, DESDE QUE CARIBEM, ASSINEM E ASSUMAM O PACIENTE. SE PROVOCAR IATROGENIA, QUE O MESMO RETORNE PARA O ENFERMEIRO, NÃO PARA O MÉDICO.


    • Rafael adorei seus comentários os arrogantes donos da verdade todo poderoso Deuses supremos foram até embora mas sempre vão aparecer outros.
      Que pena que tenha tanta gente com a mente tão pequena. Que nem eles mesmo falaram estudamos 6 anos, só que na grade curricular não tem a disciplina de respeito e humildade se julgam melhores do que os outros é triste. Ahh e antes que eu me esqueça no curso era muito bom que houvesse um caderno de caligrafia.


  98. o clinicostuda as mesmas diciplinas do enfermeiro so que em menor carga horaria interesante eo dentista que estuda menos materia e sai por ai precrevendo ate medicamentos controlados acho eu que e tudo um caos


  99. gostei do debate acho que se fosse empublico se tranformaria ring obrigado a todos


    • Para os farmacêuticos que sempre estão aqui no Blog Fala Médico, alguns criticando bastante o projeto de lei do salário medico, uma notícia: O site da FEIFAR traz um abaixo assinado pela aprovação do Projeto de Lei que cria o Piso Salarial Farmacêutico.


  100. Boa Tarde!

    Sou enfermeira recem formada; gostaria de dizer para aline que as prescriçoes de medicamento solicitada pelo enfermeiro só é legalmente reconhecida pelos programas do ministerio da sude e que estao em protocolos, e a funçao do enfermeiro nao é só administrar a medicaçao que o medico prescreve; administra sim desde que o paciente esteja sobre seus cuidado em uma unidade hospitalar.pra isso temos que saber que tipo de medicamento quais suas reaçoes e pra tipo de patologia esta esse paciente; e no caso de medicçoes injetaveis sim porque precisao de profissionais com conhecimento e técnica para pode faze-lo. Porque tomar remedio qualquer um faz, o enfermeiro nao quer prescrever medicaçao e sim poder fazer exercer sua profissao com dignidade e etica profissional.


  101. É por todas essas questões que desisti de fazer Enfermagem.
    Não quero ser mais um(a) profisional frustrado(a).


    • Eu nunca desisti porque sabia muito bem o que eu queria: cuidar. Amo ser enfermeira e hoje passo esse amor para os meus alunos. Não é para qualquer um segurar essa bronca de ser enfermeiro! Mas nunca tive problemas com médicos pois sempre respeitei e fui respeitada. Acredito que foi pelo fato de ter trabalhado com excelentes profissionais: tanto médicos quanto enfermeiros. E SEMPRE ter trabalhado em equipe, onde todos são responsáveis pelo bem estar do paciente!


  102. Concordo plenamente com Michel.


  103. sou auxiliar de enfermagem a 10 ano no psf.cada um tem que fazer papeu tem aquele ditado cada macaco seu galho nao tem que enfermeiro ou enfremeira entrometer no ato medico ja que tem conselho de medicina que anpara eles no ato legal.


  104. sou auxiliar de enfermagem a 10 ano no psf.cada um tem que fazer seu papeu tem aquele ditado cada macaco seu galho nao tem que enfermeiro ou enfremeira entrometer no ato medico.


  105. as revouta das enfermiras que elas nao consegue passa no vestubular de medicina e tem raiva dos medicos se ponha no seus lugares. que se medica vai estudar e para de prseguir.


    • Cara Marcia,
      Ser destratado é o que revolta os enfermeiros. Mas, será que estamos fazendo o possível para sermos reconhecidos? Às vezes acho que não… Outra dúvida minha: será que você não gostaria de fazer faculdade de enfermagem e ser líder de equipe? Se sua resposta for sim, comece estudando sua língua mãe: português. Sem ofenças, é que você comete muitos erros… Desculpe minha forma, mas como já foi dito aqui em outras postagens, quem está na chuva é para se molhar…


    • vai aprender escrever criatura!


  106. Sr Michel vc é o médico mais arrogante que já conheci.
    Um pouco mais de humildade com certeza o fariam um melhor profissional de saúde.


  107. Tenho acompanhado este debate, e vejo que a “ guerra” entre médicos e enfermeiros e mais seria do que pensava.

    Sou estudante de enfermagem, mas antes de ser acadêmico desta profissão, sou cidadão, e acho que temos que respeitar uns ao outros. Em determinados pontos os médicos estão certos, no que diz respeito a prescrever medicações. Temos que agir com bom senso, nos estudantes de enfermagem, temos em nossa grade curricular a matéria de Farmacologia, portanto temos sim conhecimentos a nível de medicamentos.

    Porem comparado a Farmacologia medica, e mais completa, por isso o enfermeiro no que tange o assunto medicação deve seguir a risca o que o protocolo diz e não ultrapassar isso, o que acredito que não ocorra, caso contrario, o enfermeiro poderia por em risco a vida de uma pessoa. A não ser que o ministério da educação aumente a carga horária de farmacologia de enfermagem, o que seria desnecessário, pois existem os médicos para isto.

    Porem nesta discussão toda, em outros pontos os enfermeiros estão certos, principalmente quando vemos que em muitas reclamações medicas do que o enfermeiro faz ou deixa de fazer e puro preconceito, ou ate mesmo uma forma de tentar impedir a evolução de uma profissão que de maneira erronia e vista por alguns médicos como concorrentes no mercado de trabalho. Digo isso porque não vejo médicos brigarem por coisas que os odontologistas podem fazer, por exemplo:

    Os Dentistas, podem solicitar exames, fazem cirurgias( cirurgiões dentistas), aplicam anestesia tanto injetável quanto gasosa, e prescrevem medicamentos como antibióticos, quando seus pacientes estão com “ dente inflamado”.

    Nem por isso nunca vi nenhum medico contestar esta pratica.

    Os Dentistas(odontologos) não estudam mais que os enfermeiros para que estes não sofram barreiras medicas, pelo contrários, o curso de odontologia dura em media quatro anos, o de enfermagem ate este ano e quatro, mas apartir do ano que vêm será cinco anos de graduação.

    Por isso vejo sim muito preconceito quando se referem a enfermagem, já vi pessoas dizendo que certas praticas feitas pelo enfermeiro, como prescrever certos medicamentos, só acontece no Brasil, porque este e um pais de terceiro mundo. Porem observando na própria internet, vemos que no mundo a enfermagem se desenvolve a passos largos, em Portugal, os enfermeiros podem fazer pos em especialidades como urologia, na Holanda, enfermeiros prescrevem medicamentos mas complexos que os que os enfermeiros daqui, estão habilitados a prescrever, nos EUA, maior economia do planeta, em vários estados, os enfermeiros podem se especializar em anestesistas, onde são contratados para trabalharem em par de igualdade com médicos da mesma especialidade, ou seja não há diferenciação entre medico anestesista e enfermeiro anestesista., e não estou falando de um paisinho da conchichina, estou falando dos Estados Unidos.

    Medico e medico e Enfermeiro e enfermeiro, acho que cada um precisa respeitar o outro, e acho principalmente que os outros profissionais de saúde e leigos, devem respeitar o enfermeiro, pois vejo muito preconceito e ate deboche de muitos em relação a este profissão que e tão digna como as demais.


  108. Uanderson

    Bem sensato.

    Como já expus em posts anteriores, partilho da mesma visão . Quando falamos que enfermeiros prescrevem não é de Brasil que estamos falando, são de pesquisas internacionais que respaldam as leis que vigoram em cada país para que o enfermeiro possa fazer prescrições protocoladas .

    Tem razão quando diz que é preconceito por parte de outros profissionais que agridem ou debocham da enfermagem, tanto é que desconhecem até mesmo as contribuições científicas que os enfermeiros tem realizado para a saúde em todo o mundo. Se pelo menos navegassem um pouquinho em sites de bancos de dados de pesquisa veriam quantas publicações de respeito a enfermagem possuí. Eu sou um leitor e admirador desse trabalho.

    Medicina é uma ciência que caminha junto com as outras, nem melhor e nem pior como profissão, precisam do apoio das ciências biológicas e de saúde (enfermagem , odontologia, etc) e mais do que nunca do apoio das exatas (engenharia, eletrônica) e informática (processamento de dados etc.) , sem esquecer do apoio dos profissionais do direito (construção ética, código cívil, penal, etc.) .

    É que parece que as vezes algumas pessoas esquecem que profissões são interdependentes e que o prestador de serviço trabalha em prol do social também , sendo esse individuo um singular do todo social.

    Projetos de lei para enfermeiros não prescreverem seria INVOLUÇÃO. Portanto, seguindo a tendência as prescrições protocoladas por parte dos enfermeiros devido a sua carga horária em farmacologia servir de respaldo como capacitação, denota a evolução da ciência enfermagem , sendo mais que a “arte do cuidar” um meio de pesquisa interessante.

    Bom profissional é consequentemente bem sucedido, é aquele que ama o que faz e que busca aprimoramento, sente prazer em ampliar seus conhecimentos recebendo como mérito boas remunerações. A medicina oferece um leque de opções , não é necessário ser clínico geral para o resto da vida ( o que os que se acham Doutores que me perdoem… se é o bastante, estão satisfeitos e querem ficar nessa até se aposentarem é problema de vocês!) , assim como na enfermagem o bacharelado não é o limíte. (há áreas até para quem pende para a informática em enfermagem) .

    Fato é que há espaço para todos no mercado de trabalho, como foi bem dito pelo colega Uanderson, aliás, vaga para médico até sobra em relação a vaga para enfermeiro ahahaha portanto coelgas da saúde fiquem tranquilos, parem de brigar atôa rsrs tem pizza para todos hahaha


    • Parabéns Uanderson e Rafael pelo discurso correto e educado.
      Fico feliz quando os leitores do Blog sabem discutir com qualidade, mostrando seus pontos sem ofender ninguém.
      Obrigada!


  109. Considero difícil realmente descutir assuntos polêmicos num país hipócrita; por exemplo, trabalho como obstetra junto com enfermeiras obstetras autorizadas a realizar partos, porém a prescrição médica quem deve fazer é o médico … acho que descarta mais comentários …


  110. Med

    Enfermeiros vocês não podem receitar porque não sabem clinicar, não estudaram medicina em período integral. Vocês têm que fazer bem a função de vocês que é a de gerência dos cuidados ao paciente. E a nossa, seria o diagnóstico e terapêutica das moléstias associadas ao ser humano. Vocês enfermeiros deveriam ser mais humildes e ajudar no plantão, seguir as ordens com agilidade e eficiência. No meu plantão infarto pra vcs é o mesmo que resfriado, a demora é muito grande, um total descaso com o paciente. E agora querem receitar? Juro eu pensei que fosse piada…


  111. Rodrigo

    Mesmo eu sendo médico há 10 anos eu nunca pensei no conceito de que os enfermeiros devem seguir ordens como essa idéia que você tem na cabeça Rodrigo.

    …”seguir as ordens com agilidade e eficiência…”

    No Plantão da sua equipe (Não no seu plantão) deve haver enfermeiros (assim como no meu ) que são formados há tempo suficiente (além de terem tido matérias de cliníca médica e cirurgica no currículo) que sabem exatamente os procedimentos a serem realizados com agilidade , portanto, organizam sua equipe técnica para efetuar ações que tratem do cliente com rapidez e qualidade. Quem deveria ser mais humilde é você e se informar melhor sobre os enfermeiros e seus desígnios que até aqui foram bem apontados na lei .

    Rafael

    Algumas pessoas se sentem bem com seus devidos empregos e tem todo o direito de se contentar com o que são e com o que tem. Pelo menos você deixou dito que “é problema de cada um isso…”

    A todos os colegas médicos.

    Não sei se concordam : É vergonhoso médicos virem aqui denegrir nossa profissão e falar bobagens como se fossem ídolos a serem seguidos, como se fossem patrões, ou como se fossem gerentes empresários. Como foi bem dito pelo tal do Rafael ai , somos prestadores de serviços de saúde .

    Enfermeiros prescrevem em protocólogos assinados pelos médicos, em casos de urgência e emergência e, em casos de procedimentos padronizados. Isso em vários lugares no mundo e já tem algum tempo , não entendo onde está a dificuldade dos colegas médicos (sei lá se por ser novo de profissão , ou antigo e cabeça dura) em aceitar essas políticas de saúde .


  112. Jonas

    Bem posicionado.

    Quanto a parte que me diz respeito , é simples meu raciocínio :

    Você se formou Há 10 anos atrás, se ainda é clínico (estou só supondo , só ilustrando, não o conheço para saber) poderia ter feito outras especialidades e ído adiante , dando lugar a outros que vão se formando para ocupar a sua antiga posição. Enquanto isso , os que vão entrando vão ocupando vagas que os especialistas vão deixando . Os especialistas vão fazendo carreira, ganhando mais, enquanto os recém formados vão ganhando espaços novos no mercado sem ameaçar os antigos de profissão que já tem seus lugares garantidos pelas especialidades que adquiriram e pela solidificação de suas carreiras (especialistas, mestres, doutores etc.).

    Esse processo de forma organizada só proporcionará avanços a medicina e a qualquer outra ciência da saúde , fazendo com que os profissionais prescindam de dois empregos .

    Claro que teoricamente isso parece um ideal chamativo [assim como o SUS hahaha] , mas leva tempo para se criar consciêcia, sobretudo nos alunos de medicina residentes.


  113. Quanto ao tema .

    Meu colega Jonas

    O colega Rodrigo deve ter sido brincalhão no que disse, ou se disse com seriedade foi infeliz quanto a frase de destaque a qual você criticou . Porém, ele está certo em algo fundamental quando diz dos enfermeiros : “…Vocês têm que fazer bem a função de vocês que é a de gerência dos cuidados ao paciente. E a nossa, seria o diagnóstico e terapêutica das moléstias associadas ao ser humano…” Distinguindo bem aqui as funções de médicos e enfermeiros . Claro que a enfermagem tem seus diagnósticos também, os quais são para os cuidados com o paciente, mas são diferentes dos do médico. É que o médico, como eu já disse, deve se informar um pouco melhor sobre a profissão do enfermeiro e suas atribuições .

    OS MÉDICOS ,MUITAS VEZES,NEM SABEM TUDO O QUE UM ENFERMEIRO PODE OU NÃO PODE FAZER . ATÉ UM TEMPO ATRÁS NEM OS ENFERMEIROS TINHAM MUITA CONSCIÊNCIA DISSO, HOJE ESTÃO ATENTOS E DEVEM MESMO FICAR, PARA PODEREM EVOLUIR MAIS AINDA A PROFISSÃO DELES.

    Pode crer meu caro Jonas, que os enfermeiros sabem bem o que médicos podem e não podem fazer viu , é o médico mesmo que tem que se ligar um pouquinho nos outros profissionais que compõem sua equipe para poderem interagir melhor e trabalhar melhor .

    Insisto e mantenho até o fim, não há lei que possa vetar a evolução das políticas de saúde em lugar algum no mundo. Portanto se os enfermeiros prescrevem dentro dos protocolos estão respaldados pela ética, pela lei e pelas políticas de saúde, cabe ao médico e aos demais profissionais da saúde se adaptarem ora . Se as universidades se adaptaram , por que os “ex alunos” querem brigar ? E para que e contra quem ou o que querem brigar ?

    Além das opiniões mal-formadas, alguém tem alguma idéia de que caiba na lei ?

    Além do pessimísmo , de dizer que ” o país é hipócrita” há algum argumento palpável para se discutir que seja plausível de proibir alguma coisa dentro das leis vigentes ?
    (aposto que isso é só senso comum , um cara desse pode morar até em Washington ou mesmo Londres que estaria falando a mesma coisa se fosse EUA ou Inglaterra o país)

    Jonas , concordo contigo e é bom saber que não sou o único que pensa assim :

    “Não sei se concordam : É vergonhoso médicos virem aqui denegrir nossa profissão e falar bobagens como se fossem ídolos a serem seguidos, como se fossem patrões, ou como se fossem gerentes empresários. Como foi bem dito pelo tal do Rafael ai , somos prestadores de serviços de saúde . ”

    Sei lá, resolve alguma coisa reclamar sem propor nada que realmente faça diferença ? ! Eu penso que não ! Reclamação sem proposta é simplesmente senso comum , opinião subjetiva , falácea vazia .

    Tentei sair , mas foi chamativo voltar depois do comentário hehe… vou tentar ficar mais fora mesmo , continuar lendo o que aparece .

    Asta otra ^^


  114. Boa noite a todos!
    Como profissional da enfermagem,e acadêmico de enfermageme biomedicina,acredito que a questão da prescrição de medicamentos por enfermeiros é realmente delicada ,precisamos analisas de forma imparcial e sem explosões emocionais,primeiramente desejo apenas fazer algumas colocações:um médico é plenamente habilitado a exercer a profissão e prescrever medicação após a conclusão da graduação ou seja 6 anos, os anos de estudo a mais são direcionados pra sua especialização devido a grande concorrência que há no campo profissional,porém não é uma obrigatoriedade ter 10 ou mais anos de estudo para de prescrever medicamentos!
    Os academicos de enfermagem das universidades federais do país estudam durante 5 anos,sendo que a grade de disciplinas básicas é semelhante a de medicina,claro diferindo em umponto ou outro e muitas vezes com carga horário menor,mas a grande diferença ocorre nos ultimos anos de ambos os curso onde cada um se direciona para sua atuação.
    Odontólogos ,que são outra categoria autorizada a prescrever medicação incluindo antibióticos cursam assim como a enfermagem apenas 5 anos,e não 10 ou mais,uma questão por que eles que possuem grade com carga horária semelhante a enfermagem nas disciplinas relevantes podem prescrever e enfermeiros não podem?
    por que médicos não se sentem ofendidos ou ameaçados pela prescrição por parte de dentistas?
    Acredito que a medicina é uma profissão nobre consolidada,porém a a enfermagem está dia a dia tornando-se mais preparada,com com conhecimentos mais amplos é também uma profissão nobre com outro enfoque.
    A enfermagem precisa especializar-se,e assimcomo a medicina dar continuidade a seus estudos.
    Talvez a polêmica fosse menor se fosse autorizado prescrição de determinados medicamentos apenas por enfermeiros com curso de pós -graduação específico para essa finalidade.
    Sei por experiência cotidiana e ao ver a reação violenta que qualquer medicação pode ocasionar,que realmente ÑÃO HÁ MEDICAMENTOS BÁSICOS,mas raciocinemos bem é preciso avaliação médica para prescrever um paracetamol? a reação que o paciente tiver que apresentar irá acontecer seja quem for o prescritor,ou prescrever uma nistatina uso tópico?cuidado!!! não digo que enfermeiros devem prescrever medicações que devam ser compradas em farmácia,de forma alguma,mas não deveria haver liberdade maior de ação no âmbito hospitalar?sempre comunicando ao médico responsável a ação exercida,reação ou efetividade do medicamento prescrito.
    Ressaltando novamnte que essa ação deveria ser praticada apenas por enfermeiros com curso de pós-graduação!!! sejamos honestos se médicos estudam e se dedicam muito a pesquisa por que nós devemos para apenas na graduação?seja ela de 4 anos das particulares ou 5 das federais,devemos desenvolver a mentalidade de educação continuada,criar cursos de residência para enfermeiros ou outros profissionais da área da saúde,quanto mais preparado um profissional ,melhor será seu atendimento ao cliente,nosso objetivo maior!!!
    Médico ,Enfermeiros,não há razão para picuinhas ou disputas ,com respeito e dignidade cada profissão deve fazer o seu melhor.


  115. Bom dia!
    Analisando ainda outros pontos da questão da prescrição de medicamentos por parte dos enfermeiros,que é um ponto delicado e complexo que envolve muito debate easpectos que precisamos equacionar de forma racional.
    Já enfatizei anteriormente que Enfermeiros que desejam prescrever deveriam possuir um diferencial,curso de pós-graduação específico para isso.Como futuro enfermeiro eu peço sejamos honestos,será que realmente a enfermagem nesse momento se encontra preparada para assumir tal responsabilidade?até hj procuro a tal lista de medicações autorizadas para prescrição pelo enfermeiro e não encontro.Primeiro ponto Enfermeiros possuem atividades específicas e qualificação para exercé-las,sendo que é privativo ao enfermeiro determinados atos de cuidado ao paciente,questiono agora,com tantas atividades que já possuimos,por quê? e repito por que desejamos assumir mais uma tarefa?outro ponto e conhecidopor todos na enfermagem que a mesma está dia a dia perdendo espaço para profissionais da fisioterapia e nutrição entra outros,NÃO DEVIAMOS PRIMEIRAMENTE RECUPERAR NOSSO ESPAÇO DE ATUAÇÃO???Quantos enfermeiros exercem o cuidado ao paciente crítico?Sim recebemos formação acadêmica para realizar a annamese,exame físico céfalo-caudal,não com objetivo de competir com médicos ,mas sim de melhor definir os cuidados de enfermagem adequados a cada clientes,de perceber as alterações ocorridas durante a internação,de analisar decidir e intervir.Somos profissionais com autonomia que nos permite discutir sim o tratamento médico prescrito,dose de medicação resposta do paciente a terapêutica,isso está no codigo de ética e lei do exercício profissional!!!Como enfermeiros há tantas atribuições a serem exercidas,quantos porém realizam o trabalho digno e altamente qualificado para qual a faculdade prepara?DEVEMOS CONSOLIDAR NOSSA ÁREA DE ATIVIDADES.
    Com certeza enfermagem assim como outras profissões da saúde ,precisam e devem valorizar o conhecimento médico,seguindo seu exemplo que é o de estudar,estudar e prosseguir estudando,ter reconhecimento compete a nós demonstrando a necessidade da enfermagem,seu valor e de forma justíssima exigir retorno financeiro sim.


  116. Bom dia!
    Médicos estudam para o ato de curar.
    Enfermeiros estudam para o ato de cuidar!
    Existe algo mais nobre do que o cuidado diário e vigilante de um ser humano adoecido?
    Somos profissões complementares na área da saúde!,no âmbito hospitalar ou da saúde coletiva dependemos uns dos outros,não deveria haver divergências ou disputas pela suposta superioridade,mas sim respeito.Pessoas cultas que possuem graduação,algo privilegiado ainda em nosso país deveriam dar exemplo de educação,cordialidade
    Um dia Enfermeiros irão precisar dos médicos(todos adoecemos)E um dia Médicos irão precisar de enfermeiros
    (todos adoecemos rsrs).Desejamos que cada um exerça de forma compente sua profissão.
    Imagine um dia vc sr.médico precisar ser hospitalizado,por uma infelicidade,um acidente ,não importa.
    Será se vc tiver sorte ,um efermeiro qualificado,cordial,atencioso quem irá lhe prestar a assistência humana adequada:
    Vai lhe dar banho(já imaginou dias a fio internado sem banhos?)vai te auxiliar na sua alimentação,e vai fazer sua higiene oral(hummm cuidar da sua saúde bucal),fazer sua mudança de decúbito,compressas geladas sobre sua região cefálica quando estiver com cefalgia,aliada medicação adequada e dose adequada prescrito pelo seu médico.
    Imagine vc sr Enfermeiro,internado numa emergência ou com diagnóstico de doença grave ,vai desejar com certeza um médico qualificado e atencioso,observador!
    Cuidar,curar,atender o ser humano doente é algo desgastante,que nos cobra conhecimento técnico-científico simpatia,empatia sensibilidade,ética entre outras qualidades nobres que um ser humano possue,não é fácil ser um profissional da saúde,sejam médicos ou enfermeiros (ressalto ambos por serem os de maior contacto contínuo com paciente)Exercemos essa profissão por amor,pelo desejo de aliviar o sofrimento,o retorno financeiro deveria vir de forma justa e quem sabe um dia quando médicos e enfermeiros conseguirem batalhar juntos isso seja alcançado.


  117. Bom dia!
    Por acaso passei por esse blog e resolvi entrar e ver do que se trata.
    Não sou médico,nem enfermeiro sequer trabalho na área de saúde.
    Porém sou pai de médico,e tio de enfermeiro,além de conviver muito com ambas as profissões por força das relações familiares.
    Tenho visto aqui colocações bem absurdas,muita raiva de ambos os lados,não deveria haver pelo menos respeito?e cada lado explanar de forma ética e digna o seu ponto de vista?
    Talvez realmente falte aos médicos conhecer melhor a profissão de enfermeiro,digo isso por que meu filho se surpreendeu com o conhecimento domínio e sensatez com que meu sobrinho têem conduzido seu trabalho,assisti algumas vezes ambos discutirem casos clínicos o tratamento e perspectiva de pacientes(anônimos).
    Como na atualidade meu filho mora longe,Campo Grande,recorro com frequência a esse sobrinho que é enfermeiro para solucionar questões de saúde,e sempre foi extremamente atencioso,ágil e muitos podem se surpreender mais também competente e preciso!
    Sim ele sabe fazer exame físico,sim ele sabe interpretar exames laboratorias,conhece os sintomas das doenças as medicações indicadas e possívies efeitos colaterais.
    Porém com pessoa ética que é,ele sempre deixa bem claro que ele poderia sugerir tal e tal medicação mas que não pode faze-lo por força de lei e exercício profissional,sugere então que confirme as inofrmações com meu filho ,médico e até o momento ambos sempre chegaram a um mesmo diagnóstico e medicação adequada.Não acho que enfermeiros devam sair por ai prescrevendo medicação,pois como meu sobrinho mesmo coloca essa função é médica,mas também defendo que enfermeiros devem ser valorizados sim,pois possuem conhecimento muito amplo com bases sólidas,claro que há profissionais bons e ruins em qualquer área.
    Outra coisa fico triste por percebr que as pessoas desconhecem como funciona o sistema educacional superior,eu sou pós -graduado em minha área assim como meu filho fez pós-graduação.
    Ao contrário do que foi dito aqui médicos não precisam fazer tantos e tantos anos de residência pra só então fazer mestrado e depois o doutorado. após formado meu filho fez o mestrado logo que concluiu os 6 anos de graduação,pois deseja conhecimento acadêmico,nada nem ninguém o impediu ou foiexigido que tivesse residência primeiro!
    Já algum tempo após ter feito mestrado aí sim ele fez especialização,fora do país.
    Cada profissional tem sua atuação,médicos enfermeiros nutricionistas(as quais consulto sempre)fisioterapeutas(que atendem minha mãe) todos qualificados e competentes.Já tive o prazer de ver meu sobrinho atuando com enfermeiro,quando sua avó precisou internar e foi justamente no hospital no qual trabalha.
    Percebi sua competência na prática,nas orientações que dava equipe no questionamento so médicos(salutar,com respeito )percebi o quanto era querido pela equipe,e pelos pacientes,que o tratavam com carinho chamando sempre pelo seu diminutivo.Fiquei orgulhoso em ver que sua opinião era respeitada pelos médicos e suas sugestões levadas em conta,percebi também que o carinho não era apenas dos pacientes mas da equipe médica de forma recíproca.
    Foi gratificante ver dias depois que meu filho também desfrutava desse mesmo carinho e respeito e muito interessante ver o filho e o sobrinho trabalhando juntos para minorizar o sofrimento alheio.
    Meu sobrinho já se questionou muitas vezes se estaria na área certa se não devia tentar outra faculdade.
    E sempre lhe digo você faz exatamente aquilo que Deus lhe deu o dom de fazer,se fosse médico talvez ele não pudesse aliviar o sofrimento dos pacientes da mesma forma que o faz como enfermeiro,pois ele possue intuição ,empatia aliados ao conhecimento profundo da área biológica o tornam um excelente profissional.
    A todos médicos e enfermeiros!!! respeito mútuo,e interesse no paciente que é o que realmente conta.
    abraços e reflitam


  118. Carlos , bem sensato na minha opinião…
    Salvo que os ultimos posts vem mudando de figura em relação ao que havia inicialmente nesse fórum , o que é bom (para profissionais da saúde e pacientes que lêem )!

    Marcos, “…o retorno financeiro deveria vir de forma justa e quem sabe um dia quando médicos e enfermeiros conseguirem batalhar juntos isso seja alcançado.”

    Sou totalmente de acordo ! Profissionais da saúde devem trabalhar juntos para alcançarem melhores condições em termos gerais!

    E novamente eu posso fixar :

    Se não há lei que proíba de fato as prescrições de medicamentos protocoladas pelos enfermeiros(o que acontecem em caso de urgência e emergência ou , de medicamentos de tratamento contínuo receitados por medicos mesmo… além de solicitações de alguns exames laboratoriais , etc. ) não está havendo invasão alguma da parte de uma profissão para a outra.O que temos são profissões que compõe a saúde como um todo.

    Creio que o conceito de que enfermeiros prescrevem (cuidados e medicamentos protocolados) tanto aqui (Brasil) como em outros lugares do mundo (políticas de saúde OMS ) deve ser bem entendido por todos, médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, odontologistas…

    ^^


  119. em outubro 5, 2009 at 1:56 pm | Resposta Aurimar Simões Tavares

    Prezado Senhores;
    Solicito de V.sa., que mande uma cópia da Portaria que disciplina o atendimento dos Enfermeiros.
    Certo de contarmos com atenção de V.sa., reiteramos nossas considerações e respeito.

    Atenciosamente,

    Aurimar Simões Tavares
    Diretor Geral do Hospital de Jutaí


  120. Queria so ver o trabalho que os médicos iam passar se os enfermeiros parassem de trabalhar por um dia….ai sim iam começar a valorizar mais a profissão de outra área da saúde….


  121. Bom como disse anteriormente, cada profissional tem seu espaço e suas atribuições, os medicos tem seu reconhecimento na sociedade pelo seu trabalho, pela responsabilidade que tem nas mãos de não errar um diagnostico, enfim na minha opinião e a profissão da area da saude onde se exige mais e por isso acaba sendo a principal.

    Porem não justifica ” esculhambar” os outros profissionais de saude que tambem tem fundamental importancia de seu trabalho na sociedade, sociedade esta que muitas vezes acaba não dando a devida importancia, pelo menos no Brasil, de outras categorias, principalmente a enfermagem, que no nosso Pais, ainda e vista com muito preconceito, as pessoas ainda confundem muito o trabalho do enfermeiro com o do tecnico de enfermagem, quando eu resolvi cursar a faculdade de enfermagem, teve pessoas que chegaram a me dizer: “Fazer faculdade de enfermagem? ha quer ser enfermeiro chefe? porque não faz um tecnico mesmo?”, como se uma pessoa fosse cursar uma faculdade de cinco anos apenas para ser ” enfermeiro chefe”?!

    O enfermeiro e um profissional que possui aptdão tecnica e cientifica, e se em determinadas situação tem permissão para prescrever, e porque as autoridades que assim permitiram, sabem que e um profissional que possui capacidade para isso.

    A enfermagem tem evoluido não somente no Brasil, como no mundo, não e mais casos isolados, a baixo, ha um trecho publicado hoje no site do Jornal O Globo, onde traz as profissões mas bem pagas nos EUA, nesta reportagem mostra que as profissões da area da saude são as que lideram a lista, e os enfermeiros estão entre esses, abaixo trecho da materia:


    As áreas de saúde aparecem em alta no ranking, ocupando as quatro primeiras posições. Os médicos obstetras e ginecologistas ocupam o segundo lugar na lista, com salário médio mensal de US$ 18.500 (R$ 32.158). Segundo o CNNMoney, no entanto, o valor poderia ser ainda maior, mas é reduzido por causa dos elevados prêmios de seguros que pagam para o caso de processos de más práticas de medicina, ampliados pelo risco em cirurgias.

    Os obstetras e ginecologistas são seguidos no ranking pelos psiquiatras, com remuneração mensal de US$ 14.750 (R$ 25.674, ou US$ 177 mil por ano). O quarto lugar é dos enfermeiros de anestesistas, que ganham cerca de US$ 13.100 por mês (R$ 22.800). O site citou a queda das taxas de mortalidade por anestesia – de duas mortes por dez mil nos anos 80 para 1 por 200 mil hoje – para explicar o rendimento dos enfermeiros. ”

    Fonte: O Globo online 09/10/09


  122. Acho que respondendo às perguntas do formando em medicina MICHEL… Depende do seu ponto de vista o que considera “básico”

    Para mim acho que nenhum medicamento é básico, já que a eficácia terapêutica assim como os efeitos colaterais podem trazer beneficios ou danos, respectivamente, aos orgãos alvos de sua ação.

    Então se não fosse para ter conhecimento desses efeitos para que estudar? Se em nossa grade curricular o MEC obriga disciplinas envolvidas na farmacocinética… Isso mostra que temos competência para tal ato e nos responsabilizamos por isso.

    Além disso só destaco um ponto importante, se querem proibir o enfermeiro de facilitar as coisas para a populaçao que mais precisa dos sesviços do SUS, os senhores médicos, por favor, compareçam as USF, e cumpram as 8 horas por dia 40 semanais, pois ainda não vi isso acontecer, não deixem a população ficar precisando de um atendimento, vc não está fazendo um favor e sim é um direito de todos.. “lembra”

    Em relaçao a outra pergunta: que tipo de atendimento clínico que a enfermagem pode fazer???

    Se não conhece a SAE, através desta podemos identificar coisas que os médicos as vezes deixam passar despercebido, e como a enfermagem está presente 24 com o paciente ela tem condição sim de identificar as necessidades humanas básicas afetadas como tanbém interpretar algumas situações que ajudem a diagnósticar agravos a saúde.

    Então desta forma acho que esclareço alguns pontos levantados…


    • Nao Flaviano, tu nao esclareceu,pelo menos pra mim, absolutamente nada!!! SAE……que tipo de diagnóstico tu faz no SAE………………..????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????????


  123. Nao sou profissional da saude… mas sinceramente nao me sentiria segura em ter um profissional me passando medicamento ser ter sido capacitado para isso… Sou advogada, e apesar de admirar o trabalho de um magistrado, nunca teria coragem e competencia de atribuir alguma sentença (se isso fosse possivel), pois esse nao eh o meu papel… como os enfermeiros que estao reclamando se sentem seguros em prescrever um medicamento se nao foram treinados para isso?? Nossa gente… só há uma explicação para tanta confiança: Tranquilidade da ignorancia… mto comum! Se o medico, que tem um treinamento mais global, ja tem dificuldade em diagnosticar e tratar… o que dirá o profissional da enfermagem, que tem na grade curricular outros objetivos que nao esses citados??


  124. Creio que todos sabemos da dificuldade que existe em diagnosticar uma doença mais complicada com certeza. Não precisa ser médico e nem ter o CID decorado para sabermos que alguns diagnósticos só são realizados mediante exâmes laboratoriais e outros complementáres. Pois bem !

    Porém, creio que nem os médicos e nem os enfermeiros devem enveredar por esse caminho nesse fórum , porque aqui não está em discussão o NANDA , nem outro parâmtro de diagnósticos de enfermagem e muito menos o CID.

    O SAE é a sistematização de atendimento de enfermagem, onde o enfermeiro realiza os diagnósticos de enfermagem (descritos no NANDA, NIC, NOC ou CARPENITO, que são obras muito boas, inclusive o NANDA é atualizado de dois em dois anos) para os cuidados de enfermagem MICHEL.

    É bom que você saiba isso meu caro, aliás, é básico um médico conhecer pelo menos as atribuições das profissões que trabalham com ele, sei que tu é recém formado e tal hahahaha mas vai aprendendo ai hahaaha… desculpe a brincadeira, é só pra descontrair um pouquinho …

    Enfim MICHEL, diferente do CID que é padronizado no mundo todo, (talvez seja essa a fraqueza da enfermagem, a falta de padronizar internacionalmente seus diagnósticos para facilitar as pesquisas… mas isso é outra historia) os diagnósticos de enfermagem tratam de cuidados diretos com o paciente através de características definidoras e fatores relacionados, ou fatores de risco.

    Um exemplo de diagnóstico de enfermagem ” troca de gases (hematase) prejudicada ” ai o raciocínio parte de pensar em caracterizar isso com por exemplo ” taquicardia, hipercapnia, hipoxemia” etc. , relacionando por exemplo com ” cardiopatia crônica” , após isso, são elaborados cuidados em ordem de prioridade para “tratar” o diagnóstico identificado.

    Está vendo como a SAE é séria MICHEL e Sr.s colegas que criticam sem nem conhecer… bem hehe, não entremos em detalhes…

    A legislação respalda o Enfermeiro para realizar prescrições protocoladas;
    A universidade capacita o enfermeiro para essa incumbência na ausência médica e em casos de urgência e emergência e protocólogos como já vimos;
    O sistema possuí uma demanda muito grande como já vimos também;

    Enfim, é em torno desses íitens resumidamente que nosso debate se fundamente, é lamentável as comparações discrepantes e a guerrinha das profissões que ainda persiste em acontecer.


  125. Caros profissionais da saúde

    Os colegas médicos não se manifestaram mais mantendo a ética por questão de consciência também… os colegas enfermeiros deveriam procurar fazer o mesmo, não levantar mais questões subjetivas em um fórum que está direcionado à legislação.

    O que foi dito já se foi , os mediadores do tópico querem ver a coisa pegar mesmo, afinal são jornalistas hauahuaa a imprensa quer mostrar as “multiplas faces da realidade” rsrs.

    É brincadeira viu !! rs

    Admiro a tal da Taciana por ter aberto um fórum desses.

    Mas, ainda acho que o Título é infeliz. (opinião)

    A democracia é que rege , mesmo quando a maioria é inapta e desconhe de determinados juízos, os espaços midiáticos.


  126. Cecília diz :” Nao sou profissional da saude… mas sinceramente nao me sentiria segura em ter um profissional me passando medicamento ser ter sido capacitado para isso… Sou advogada, se isso fosse possivel), pois esse nao eh o meu papel…”

    Cecília, minha cara , me responda uma pergunta :

    Você tem poder legal , com registros e ementas jurídicas para atribuir sentenças como advogada ?

    O enfermeiro tem tudo isso legalizado para poder prescrever dentro de PROTOCÓLOGOS , os quais são elaborados e assinados pelos próprios MÉDICOS.

    Por favor, me responda outra pergunta minha cara Advogada:

    O Magistrado faz direito também, não faz ? Exerce a profissão durante um tempo e vai edificando carreira, prestando concursos e sendo aprovado até ter a oportunidade de se tornar um magistrado , não é assim ?

    “…e apesar de admirar o trabalho de um magistrado, nunca teria coragem e competencia de atribuir alguma sentença…”

    Quem sabe se você for evoluindo na sua carreira e quiser isso futuramente para ti, afinal você cursou o mesmo curso do magistrado não é mesmo ?

    Bem, o enfermeiro é enfermeiro, faz faculdade de enfermagem, médico de medicina e em momento algum os trabalhos dos dois visam invadir um ao outro, pelo contrário, a idéia é que eles se completem em prol do paciente. Por isso , para facilitar os atendimentos os enfermeiros prescrevem ou renovam receitas que já estão pré-estabelecidas, compreende?

    E ambas faculdades possuem FARMACOLOGIA E RACIOCÍNIO CLÍNICO em suas grades.

    Como conhecedora da lei,sabendo que a lei é sempre baseada em projetos que passam por pesquisas e votações no supremo tribunal para poderem vigorar, me diga, aonde é que está a tal “tranquilidade da ignorância” ????

    De fato ela é muito comum , ainda mais quando as pessoas chegam nesse fórum e em lugares similáres a esse metralhando sua “tranquilidade” hahaha.


    • Serei breve… Atraves da advocacia tenho direito, atraves de caminhos legais, de prestar concurso para promotoria, e magistratura por exemplo… porem, os enfermeiros nao tem direito legal e etico nenhum de exercerem atividades medicas…

      Engraçado como vc, em menos de 5 minutos se contradiz :

      RAFAEL, COMENTARIO 1: ” é lamentável as comparações discrepantes e a guerrinha das profissões que ainda persiste em acontecer. ”

      RAFAEL, COMENTARIO 2: ” E ambas faculdades possuem FARMACOLOGIA E RACIOCÍNIO CLÍNICO em suas grades. ” e ” Como conhecedora da lei,sabendo que a lei é sempre baseada em projetos que passam por pesquisas e votações no supremo tribunal para poderem vigorar, me diga, aonde é que está a tal “tranquilidade da ignorância” ???? ”

      Resumindo…. isso é, no minimo, hipocrisia da sua parte.


  127. Cecília

    “…porem, os enfermeiros nao tem direito legal e etico nenhum de exercerem atividades medicas… ”

    A prescrição é realizada com especificidade pela odontologia também. Ou precisa vir o médico e prescrever uma nimesulida para evitar inflamações ao paciente após um procedimento de extração por exemplo ? AFF …

    As leis para prescrições estão postadas acima , eu e alguns outros colegas da saúde fizemos questão de deixá-las lá , na tentativa de manter a imparcialidade para com a classe da enfermagem , que estava sendo desrrespeitada com esse título de “proibição”.

    Deveria ler o fórum na íntegra, assim conheceria melhor as leis que apoiam e regem as políticas de saúde pelo menos.

    Raros são os advogados que se interessam pelo sistema(SUS), a não ser quando precisam montar processos para defender algum cliente ou estão afim de montar processos por terem se sentido prejudicados.

    Se acha que a lei deveria ser diferente e que enfermeiros não deveriam realizar prescrições protocoladas, eu lhe peço “MONTE UM PROCESSO OU UM PROJETO QUE POSSA IMPEDIR ISSO”. ( Uma prática que acontece mundialmente) consegue ? quer tentar ?

    É um desafio isso ?
    Bem, encare como quiser !! Se tivesse lido antes os posts acima saberia que até então não houve (e duvido muito que haverá) alguma proposta desse tipo nesse fórum.

    Quanto aos seus argumentos, eu não vi e tenho certeza que qualquer outro que leia o que eu escrevi não verá hipocrisia alguma da minha parte , não estou aqui para fazer faláceas e nem tentar colocar a opinião da maioria ( ser democrático) ao meu favor.

    Disse que eram lamentáveis as comparações DISCREPANTES, não as PERTINENTES, no sentido de ambos os cursos promoverem matérias de FARMACOLOGIA E RACIOCÍNIO CLÍNICO ha aqui uma comparação lógica que faz parte dos currículos acadêmicos de ambos os cursos.

    “…Ah não, mas isso é impossível, o enfermeiro não deveria aprender essas coisas …” Só falta alguém vir aqui e dizer isso.

    Se aparecer um “corajoso” muitos Doutores e Mestres desaniam e param de lecionar tanto em medicina como em enfermagem e em qualquer outra área biológica e saúde hahaahaha

    Ora ! onde está a hipocrisia Excelentíssima Cecília ?

    Ainda nessa frase > Cecilia diz : “…porem, os enfermeiros nao tem direito legal e etico nenhum de exercerem atividades medicas… ”

    (Pelo que você mesma disse você não tem poder para julgar isso não é mesmo ? … nem conhecimento específico para assimilar essa afirmação , seria isso “Tranquilidade ” ? )


    • Rafael… na boa… vc parece meu irmao adolescente de 17 anos rebelde… nao eh assim q vc vai conseguir alguma coisa de alguem.


  128. Caro Rafael,confesso que houve um equívoco da minha parte no que diz respeito ao SAE, sigla que conheço por SERVIÇO DE ATENDIMENTO ESPECIALIZADO……onde por exemplo é feito o atendimento de pacientes HIV + !!! Mas sem firulas, sigo com meu questionamento…….e já adiantando, entendo que dizer “medicações previamente estabelecidas por programas de saúde” ou medicações básicas significa dizer: blablablabla……blablablabla…….blablablabla!! Quero que tu ou qualquer outro enfermeiro, venha aqui e diga: eu fulano de tal,costumo prescrever tais e tais medicações para meus pacientes e me sinto preparado e confiante nas minhas atitudes!!! Tu podes fazer isso???
    Ah……quanto ao teu diagnóstico de hematOse prejudicada…fica claro o teu “grande conhecimento no assunto”…..enfim, já que tu fez o diagnóstico de hematOse prejudicada, o que tu está autorizado e pretende fazer com tal paciente??? Tu aprendeu na tua faculdade de enfermagem a fazer ausculta pulmonar e identificar os diversos achados no que tange o murmurio vesicular e associar com esta ou aquela pneumopatia ou cardiopatia???? As terapias propostas para cada caso???

    Eu juro que não entendo……é tudo tão simples…..é tudo a mesma coisa……que tal minha idéia…..extinguimos a profissão de médico, colocamos os enfermeiros como médicos e os tecnicos de enfermagem como enfermeiros!!!! Que tal???

    TODAS profissões são importantes para popolação….assim como as da área da saúde,mas para benefício da mesma,cada um fazendo aquilo para o qual foi treinado e sabendo suas limitações…..é o famoso “cada macaco no seu galho”!!!
    Para aqueles que dizem que o médico tem medo da concorrência…..isso é o maior absurdo!!! Pelo lado ético,já que o paciente não é uma mercadoria para ser disputado e sim uma vida valiosa pela qual todos tem que se esforçar para ajudar….enfermeiros,médicos,fisioterapeutas,nutricionistas,etc.


    • hematose…. tsc tsc tsc é pra rir rafael ???


    • Eu, enfa Flavia, costumo prescrever, baseada em protocolos ministerias acido folico e sulfato ferroso para as gestante,as quais hoje são aproximadamente 20 acompanhadas na minha area de abrangencia, por exemplo…
      Qual é o problema q vc enquanto médico vê nisso.?
      Q eu saiba o q acontece hoje na saude são profissionais médicos com mais carga horaria do que conseguem supotar e isso faz com q o atendimento a população fique prejudicado…
      Não tenho a pretenção de substiruir o médico, mas gostaria q pra variar ele estive na unidade as 8 horas diarias….sabe são 40 horas….
      Agora continuo a afirmar queconcordo plenamente que é cada macaco no seu galho, desde q não tenha q ficar sempre quebrando o de vcs…


  129. Meu caro colega Michel

    “Quero que tu ou qualquer outro enfermeiro, venha aqui e diga: eu fulano de tal,costumo prescrever tais e tais medicações para meus pacientes e me sinto preparado e confiante nas minhas atitudes!!! Tu podes fazer isso???”

    Aff… Não posso fazer isso no lugar dos enfermeiros ……até agora não falei que sou enfermeiro , falei ? rsrs …

    sem bla,bla,bla algum Michel analisemos :

    Quanto ao diagnóstico

    O que eu coloquei está nos livros de enfermagem , estão nos diagnósticos da NANDA , eu não posso tomar o lugar deles nos diagnósticos deles…
    …bom, mesmo dando pra perceber, acho que não entendeu ainda o que faço … mas deixa pra lá Michel , você vai vir com aquele papo de “pouco importa” “tenho certeza disso e daquilo e bla,bla,bla”

    (só não deve ter dito isso para algum professor seu por medo de perder nota pelo jeito hahaha)

    No livro do NOC (se não me engano…) há o estudo clínico dirigído para os CUIDADOS de Enfermagem que são realizados com pacientes com esse diagnóstico que citei, entendeu Michel ? estamos falando de cuidados , nada a ver com tratamento clínico e conduta médica. O médico vai tratar de diagnósticar e cuidar a doença , o enfermeiro vai trabalhar concomitantemente no cuidar direto a pessoa.

    É Michel , pelo jeito você está ruim pra pegar as coisas no ar hein meu caro colega… Mas,creio que com esse ultimo post aqui deu pra você ver que não estou aqui contra a medicina, só a favor da saúde integralizada, funcionando em harmonia em suas diversificadas profissões.

    Albuquerque

    Não conheço seu irmão , se ele é rebelde na sua opinião , pense em dar um bom exemplo pra ele…
    E com todo o respeito, creio que ler na íntegra o fórum seria bom pra ti também.

    Se está rindo de um diagnóstico de enfermagem, que está descrito em um livro de enfermagem mundialmente reconhecido (inclusive pela Medicina), será que você ri de outros profissionais da enfermagem?

    E detalhe, se seu irmão sabe redigir textos assim como eu, sem falsa modéstia, ele deve ser bem mais inteligente que você, deveria investir mais no garoto , fale com sua família, talvez ele possa ser um futuro Doutor ou PHD.

    Será que o que você descreve como rebeldia no garoto não possa ser uma genialidade ? Está com inveja do moleque hahahaha que feio !! hahaha

    Depois dessa , é melhor eu só lêr mesmo os posts …

    Au revoir !


    • faz bem rir rafael… vc deveria praticar mais… a unica inveja que tenho é do meu avo, que tbm era medico e viveu em uma epoca em que vcs tinham mais respeito e pouca dor de cotovelo


  130. Albuquerque

    Seu avô lecionava medicina ?

    Independente disso deve ter sido um ótimo profissional se você o admira tanto, um exemplo pra ti não é ? e você está sendo um bom exemplo para seu irmão dito por ti como “rebelde” ??

    Creio que seu avô respeitava os mestres dele quando aprendiz e admirava as pesquisas e o avanço científico . Quando profissional creio que nunca deixou de honrar a profissão , nem a dele como médico e nem a dos profisssionais que trabalhavam juntamente com ele em prol da saúde para merecer o respeito que tinha.

    Pense nisso !

    (Leia os esclarecimentos meu caro, leia o fórum todo , se é médico honre sua profissão e faça juz ao status que tem e ao salário que recebe tratando do povo).


  131. Mais algum post dirigido a mim ? Mais algum post dirigido aos individuos do tópico ?

    Vamos discutir possíveis mudanças na LEGISLAÇÃO ?

    Vamos discutir a péssima administração hospitalar de alguns gestores que deixam dois Clínicos (as vezes um ) atenderem em um Ambulatório que deveriam haver pelo menos oito ?

    A Enfermagem faz o ACOLHIMENTO e a SAE para ajudar na anamnése da gigantesca demanda que torna fisicamente impossível de ser coberta pelos poucos clínicos presentes no hospital.

    Na ESF os enfermeiros prescrevem farmácos protocolados porque os clínicos também não estão presentes integralmente para ajudar na cobertura da demanda.

    Mesmo tentando levar para CAPACITAÇÃO, ÉTICA e outras vertentes , já foi mais do que expresso aqui que a legislação que permite que enfermeiros realizem preescrições de fármacos protocolados só existe porque OS OUTROS ITENS ESTÃO COEXISTINDO COM ELA (enfermeiros são treinados durante a graduação a realizar tais práticas e o código de ética engloba essas práticas em determinados casos), portando a LEI PERMITE que os Enfermeiros preescrevam medicamentos controlados e protocolados.

    É isso ai …E ai ??

    Vão ficar ai trocando farpa um com o outro ? Querem brigar comigo também ??

    O colega de pseudônimo Alfinetinho levantou essa questão de má administração a qual devemos refletir sobre também, como causa e efeito das políticas de saúde e das leis vigentes no Brasil .

    Ou será que estão afim de ficar “rindo” uns dos outros ?

    “faz bem rir rafael… vc deveria praticar mais (Albuquerque) “


    • Sinceramente acho que nao estamos progredindo… mto rancor e poucas ideias construtivas… Se dependesse do meu voto todos os profissionais da saude receberiam, no minimo, 10mil por mes… (utopia neh…)


  132. Albuquerque

    Utopia nada, não sei se disse brincando ou se falou sério , mas partilho da mesma idéia de que os profissionais da saúde deveriam ganhar muito mais .

    A gestão atual do governo está ridícula e, em comparação aos salários europeus e EUA o Brasil é mediocre .

    Não devia ser assim, não somos por exemplo similares a CUBA (onde as pesquisas avançam quase que por caridade obrigatória dos estudantes ) e nossa realidade deveria se distanciar quilometricamente da deles em todos os sentidos(inclusive de investimentos para bolsas de pesquisa) na saúde e na remuneração dessa classe profissional . ( lembrando que outros paises como Chile e Argentina estão piores ainda que o Brasil).

    Esse trecho do comentário do colega que de nome UANDERSON (enfermeiro) :

    “As áreas de saúde aparecem em alta no ranking, ocupando as quatro primeiras posições. Os médicos obstetras e ginecologistas ocupam o segundo lugar na lista, com salário médio mensal de US$ 18.500 (R$ 32.158). Segundo o CNNMoney, no entanto, o valor poderia ser ainda maior, mas é reduzido por causa dos elevados prêmios de seguros que pagam para o caso de processos de más práticas de medicina, ampliados pelo risco em cirurgias.

    Os obstetras e ginecologistas são seguidos no ranking pelos psiquiatras, com remuneração mensal de US$ 14.750 (R$ 25.674, ou US$ 177 mil por ano). O quarto lugar é dos enfermeiros de anestesistas, que ganham cerca de US$ 13.100 por mês (R$ 22.800). O site citou a queda das taxas de mortalidade por anestesia – de duas mortes por dez mil nos anos 80 para 1 por 200 mil hoje – para explicar o rendimento dos enfermeiros. ” (segundo ele retirado de trecho do site do jornal O Globo).

    Mesmo que um médico ganhasse 10 mil por mês não seria metade do que o Enfermeiro ganha por lá …

    E conheço profissionais da saúde que ganham bem mais que 10 mil , só que são praticamente empresários médicos que possuem dois consultórios e ainda por cima lecionam a noite nas universidades. REsumindo, o cara ganha bem mas se desdobra .

    É algo para se pensar também !

    Como o cara vai trabalhar tanto assim na área da saúde obrigado a fazer plantões ? Isso vale tanto para médicos como enfermeiros, a realidade de cotidiano nesse caso é similar .


  133. …Por isso que ambos devem trabalhar em harmonia …

    Além da demanda ser grande , o trabalho de fato não é remunerado conforme a grande responsabilidade que os cargos possuem .

    Se perguntarmos aqui quantos enfermeiros ganham por mês 2.200,00 R$ (sem querer ferir princípios éticos e nem nada) creio que muitos aqui estariam se manifestando. (aliás, acredito que há quem ganhe até bem menos que isso, já ouvi dizer que em cidades interioranas enfermeiros ganham 900,00 R$ , absurdo !)

    Já tem responsabilidades o bastante e ganham pouco… a pergunta que fica no ar é :
    ” SERÁ QUE A ENFERMAGEM FAZ MESMO QUESTÃO DA PRESCRIÇÃO DE FARMÁCOS ?”

    A demanda no atendimento é grande, a gestão é mal feita e mal distribuída, o giro capital é mal planejado … enfim, N fatores políticos estão envolvidos nisso, não só aqui no Brasil, mas em vários lugares no mundo onde se pensa em prescrições com protocoladas e de controle.


  134. Quanto a ser proíbido e legalizado , já foi mais do que mostrado nesse tópico que a prática é LEGAL dentro das especificações e ponto .

    A realidade é essa e novamente digo, que se quiserem propor algo que se distingua da realidade vigente será preciso um projeto muito forte que possa modificar a LEGISLAÇÃO .


  135. Aqui mem Dias Dávila -Bahia enfermeiro está atendendo como clínico e prescrevendo todo tipo de medicamento.
    Acho isto um erro .


  136. Dias Dávila – Bahia

    Vamos pensar nos seguintes questionamentos acerca da realidade do local antes de criticar o Trabalho que o Enfermeiro realiza:

    O Clínico está presente ai ?

    Há outros médicos especialistas presentes atendendo ?

    Os medicamentos prescritos estão dentro de uma lista protocolada ?

    Quem é o médico que assina pelo protocólo ?

    Estamos falando de um hospital ou de uma unidade de ESF ? (posto de saúde).

    Se o Enfermeiro deixar de fazer prescrições o atendimento vai parar e a população vai sofrer com isso ?

    O Enfermeiro faz anamnése (percução, palpação, aulsculta, exame físico geral) ?

    Já houve denuncia por erros de prescrição de medicação ?

    Qual seria o diagnóstico situacional local ??

    Responder esses questionamentos ou mesmo refletir sobre eles é importante quando estamos em um sistema descentralizado onde o MUNICÍPIO é responsável e a população deve participar das políticas de saúde.


  137. Michel.. Definitivamente vc não sabe do que se trata a enfermagem, se vc quer saber que tipo de diagnostico podemos fazer, da uma olhada na NANDA (Associaçao Norte Americana de Diagnosticos de Enfermagem)… Já que nao fui tao claro, la tem todos os passos para se fazer um diagnóstico de enfermagem!!!


  138. Caro Flaviano……é piada né? Sim,pq eu ri!!! “NANDA”…..tu quer comparar diretrizes de uma associação Norte Americana com a realidade da enfermagem no Brasil??? Tu só pode estar em surto ou delirando!!! Não quero saber o que diz na NANDA ou em qualquer protocolo de saúde pública que define que tipo de prescrição a enfermagem pode realizar……pq pra mim isso é blablablabla…..não entendeu??? É BABOSEIRA, CONTO PRA BOI DORMIR….e do que mais quiser chamar!!!
    A minha pergunta é clara e direta……quero que tu ou qualquer outro enfermeiro venha aqui e diga: eu,fulano de tal, no meu dia-a-dia,no meu local de trabalho,com os meus pacientes,faço estes e aqueles diagnósticos e prescrevo estas ou aquelas medicações!!!
    Chega de faz de conta,de lorota,de “programas previamente estabelecidos”…como voces gostam de citar…..vamos ser diretos…..responda a minha pergunta e me darei por satisfeito!!!


  139. Bom, acho que o Michel está necessitando disso, de um enfermeiro que venha aqui e fale sobre suas práticas.

    Sabe Michel, eu sou meio como você nesse ponto , gosto de coisas mais palpáveis também.

    Porém não seja ridículo a ponto de desclassificar o NANDA, até porque como já foi falado não há só esse, no Brasil usa-se muito o Carpenito (eu que sou médico sei disso… acho que você deveria ampliar seus conhecimentos e aprender mais sobre os profissionais que trabalham contigo).

    Agora fala sério hein , esse Flaviano vem querendo levantar outra vez essas questões já batidas… ora Flaviano, você não obriga ninguém a ler a bíblia, se o Michel não quer saber dessas coisas problema é dele, deixe que continue com sua arrogante ignorância se assim ele deseja permanecer acerca desse assunto. O médico obrigatoriamente deve conhecer o CID, se ele já sabe e conhece isso já está apto a desempenhar suas funções.


  140. Lá vem um cara cotucando o Michel e lá vai o Michel já desafiando a enfermagem denovo … que ciclo interminável de troca de farpas… quanta bobagem !

    O Michel, na boa , vai estudar vai ! E leva esse Flaviano junto contigo , ensina o CID pra ele e aprende o NANDA com ele .

    Eu entro aqui na expectativa (não deve ser sou eu) de ler algo que realmente tenha significado, talvez alguma proposta interessante, algum enfermeiro ou médico, ou outro profissional que tenha um posicionamento sensato sobre as políticas e nossas leis que abrangem a saúde e ao invés disso insistem na troca de farpas.

    O Albuquerque deve ter razão quando disse que faltam idéias construtivas.

    Jonas

    Eu sinceramente acho que mesmo que venha um enfermeiro aqui e fale sobre suas experiências cotidianas de atendimentos, o Michel não vai se satisfazer e vai ficar insistindo nos desafios, querendo levar para a área médica os conceitos do profissional enfermeiro, ele desrrespeitaria o individuo assim como está desrrespeitando uma referência bibliográfica mundialmente conhecida e aceita, tanto no meio acadêmico como no profissional que é o NANDA.

    Se sou leigo em determinado assunto eu simplesmente leio sem criticar , se o Michel não conhece nada sobre enfermagem e está criticando ele está no mínimo perdendo seu tempo, para não dizer outras coisas…

    Mas é assim mesmo, quando uma pessoa é leiga em determinados campos ela fica tentando levar para os campos onde tem conhecimento. Note que ele não teve opinião e nem argumentos sobre nossa saúde coletiva e sobre as legislações, sobre a ética etc. O Michel só fica levando para a área tecnica, mesmo tropessando em imprescisões.

    Diferente por exemplo do pseudônimo Alfinetinho que mostrou sua opinião sincera sobre a visão que possuí do sistema.

    Se estamos em um tópico para discutir legalidade e ilegalidade de que vai adiantar ficar falando sobre outros assuntos que fujam a legislação e políticas de saúde ?


  141. É isso aí!

    Pra que médicos se os enfermeiros sabem e fazem de tudo! Por isso que a saúde pública está um caos, pois os médicos não querem nd com nd, e os enfermeiros “DR” se acham médicos.

    Tb são DR.

    Alguém aí quando esteve doente consultou um enfermeiro ou foi num médico?

    Se ter noção de farmacologia é sinal de que sabe prescrever então vou sempre num farmaceutico.

    Daqui a pouco teremos fisioterapeutas prescrevendo medicação e dando aulas de educação física.


  142. Fica difícil mesmo…..deve ser “muito” complicado entender,mas enfim…..vamos tentar…….este é um site sobre saúde e que envolve,principalmete,inclusive em seu nome, os MÉDICOS!!! Mas o que vemos aqui,são profissionais de diversas OUTRAS áreas, não menos importantes, literalmente metendo o pau nos médicos…..agora quanto aqueles que criticam minha opinião e que sem ao menos me conhecer falam o que bem entendem, sinceramente, pouco me importo….todos tem direito a um pensamento próprio!!! Quanto a dizerem aqui,novamente…..sem nem me conhecer, que não me preocupo por exemplo com a saúde de uma forma geral! Respondo: LEIAM A FRASE QUE DEFINE ESTE E SOMENTE ESTE TÓPICO!!!!! Tudo que escrevo aqui é com respeito ao título deste tópico!!! Entendeu ou quer que soletre!!!!


  143. Pense bem : “Tudo que escrevo aqui é com respeito ao título deste tópico!!! ” Tem certeza disso Michel ?

    O que tem a ver ” Enfermeiros estão proibídos de prescrever medicamentos” com ” quero que tu ou qualquer outro enfermeiro venha aqui e diga: eu,fulano de tal, no meu dia-a-dia,no meu local de trabalho,com os meus pacientes,faço estes e aqueles diagnósticos e prescrevo estas ou aquelas medicações!!!” O que você realmente quer saber Michel ?

    Esse site não é muito conhecido e , não é reconhecido , isso é fato. Aliás, eu depois desse comentário pretendo evitar comentar aqui novamente simplesmente por não haver objetividade alguma.

    Eu fiz poucos comentários no site e li praticamente o tópico todo, dá mesmo a entender que você não liga para os problemas de políticas de saúde que nós médicos enfrentamos e, tão pouco os outros profissionais , não para para pensar no porque a realidade é como é ( profissões evoluindo na saúde tentando ampliar o atendimento) , nas necessidades que existem , nas pessoas que são nossos pacientes. Essa impressão, você ligando ou não, deixa no ar uma antipatia de quem lê para contigo, ainda mais por se tratar de um recém formado cuja experiência tem muito que aflorar se quiser ser levado a sério.

    Eu gostaria de conhecê-lo, assim, talvez comprovasse que tudo isso é somente uma impressão.

    Você deve ter vontade de se especializar, se é que já não o faz, portanto aproveite ao máximo sua carreira para se desenvolver e fazer por merecer respeito.


  144. Caro Jonas,talvez tenha que montar uma sopinha de letras pra que tu entenda meu ponto de vista!!!!
    Quanto a antipatia que tu refere,sinceramente,pouco me importo com o que tu pense a meu respeito!!! Me preocupo é em realizar um trabalho sério e coerente,digno dos pacientes que me procuram e digno de suas ansiedades!!!
    Quanto a tua duvida sobre o que tem a ver meus pensamentos e o título deste tópico….hmmmm…..senta,respira e usa uma coisa chamada cerebro!!! Meu deus…..deve ser muito dificil mesmo…..
    Quanto a não me preocupar com a saúde em geral, acho que estás tirando conclusões precipitadas……escrevo neste tópico pensamentos relevantes a este tópico…..criticar a saúde e seu sistema é algo muito mais complexo que um site sobre saúde! Agora quere saber o que de fato a enfermagem considera um diagnóstico clínico e sua terapia,seja ela farmacologica ou não é um direito meu…..se vou ser respondido…..isso depende dos enfermeiros que aqui escrevem!!! Quanto a estar preocupado se outras profissões vão tomar meu espaço……não poderia ser mais ridiculo!!! Infelizmente,o que mais temos em nosso país,são pessoas desprovidas de saúde e quanto mais profissionais desta área atuando de forma correta tivermos,melhor!!! Agora,cada um fazendo aquilo que sabe!!! Assim,enquanto médico, não me atrevo a fazer diagnósticos e tratamento em fisioterapia,nutrição ou psicologia. Acho um absurdo que seja feito um diagnostico médico por um profissional não médico!!! Enfermagem tem sim seus diagnósticos e terapias!!! Agora fazer acreditar,como muito enfermeiros querem, que tratar um hipertenso,um diabético ou mesmo fazer um pré-natal é algo simples e que pode ser feito por um profissional não médico……..isso é um enorme desrespeito……mas um desrespeito para com a população!!!


  145. Olha Michel

    Sinceramente, me poupe das suas ironias, você acabou de sair da casca do ovo em relação a mim meu jovem.

    Até agora não tenho visto profissionais querendo invadir nossa profissão usando nossos diagnósticos, até porque o raciocínio clínico que aprendemos é bem específico e complexo.

    Se a enfermagem tem os seus próprios creio que usufruem deles ,só isso que estou tentando te mostrar, mas você é de fato um antipático inflexível, o que é uma pena , um médico que acabou de se formar já estar tão cheio de preconceitos assim, espero que em sua turma todos que colaram grau contigo sejam distintos de ti.

    Eu só não sei até agora, onde você leu no tópico , ou onde você viu em sua “carreira iniciante” algum outro profissional , que não seja um FALSÁRIO , desses que aparecem em noticiários policiais, diagnosticando e prescrevendo medicamentos com carimbo de CRM … me fala , onde ??

    Tem médico que sai daqui do Brasil e vai para o Uruguai , Bolívia e outros lugares se formarem , porque lá o curso é mais barato , ai chegam aqui sem prática alguma, fora da realidade sabe , salvo os que são pessoas sérias, alguns cometem erros absurdos de prescrição e diagnosticos , isso eu já vi… agora lhe pergunto , esse tipo de coisa não deveria ser fiscalizada melhor ? São problemas de políticas de saúde, não são ?

    O que estamos tratando aqui nem chega a ser problema, mas é política de saúde e isso é evidente.


  146. Caro Jonas…..prometo que esta é a ultima vez que tento…até pq isso parece briga de marido e mulher…..novamente,pouco me importo com o que tu pense a meu respeito e os adjetivos que tu usa para me qualificar ou melhor,desqualificar……até pq eu sei da minha competênica,apesar de ser um médico com pouco tempo de carreira….o que nunca vai significar que tu seja melhor ou pior tb pela tua “ampla” experiência doutor simpatia!!!! Se tu, na tua larga experiência nunca presenciou profissionais não médicos tentarem se passar por médicos…..poxa vida….eu na minha “ínfima” carreira,ja presenciei algumas vezes!!! Já disse em postagens anteriores que não sou e não quero ser um sabe tudo e nem considero que o médico o seja….é por isso que existem as demais profissões na saúde…uma completando a outra,mas cada uma fazendo aquilo para qual foi treinada! Se tu não entendeu,que eu só coloco a minha opinião,que não necessariamente tenha que ser a de todos, somente no que diz respeito ao título deste tópico…..bom….isso é um problema teu….talvez tu tenha nascido com um apgar de 5 min bem baixo….paciência né!!! Entretanto,tenho direito a ter uma opinião,por mais que cause antipatia e essa opinião eu ja deixei claro varias vezes aqui!!! Não concordo que a enfermagem, por exemplo, faça o atendimento clinico de hipertensos e diabéticos e os prescreva tb….não por achar que estão tomando o lugar do médico,mas por respeito ao paciente que merece um atendimento mais complexo de um profissional que tenha estudado por longo tempo clinica medica e propedeutica….é a MINHA opinião!!!Se tu não acha que seja um problema de saúde, um paciente receber um atendimento de forma “simplificada”…..o jovem da casca do ovo,acha!!!! Da mesma forma eu acharia simplificado, um médico fazer atendimento de fisioterapia ou nutrição por exemplo!!! Por mais que o médico tenha noção,ele naõ é especialista nestas outras areas!!!
    Então,caro Jonas…..se tu não entende o meu ponto de vista….putz….que pena né!!!! Um abraço do jovem da casca do ovo….mas que apesar de jovem na medicina,já viu muita coisa nessa area da saude………


    • OK…VAMOS FAZER UMA CAMPANHA PRA A AGENCIA DO SENADO PERGUNTAR SE AS GESTANTES PREFEREM FAZER SEUS PRE-NATAIS COM ENFERMEIROS…SERIA INTERESSANTE VER OS LEIGOS RESPONDENDO SOBRE ISSO, COMO LHES FOI FACULTADO RESONDER SOBRE ALGO QUE NADA SABEM OU QSE NADA, COMO MUITOS QUE ESTÃO FALANDO AQUI.


  147. oi Daniel gostei muito o que vc faluo no depo é isso memo poxa fazer uma facudade e não sabe prescrevre um medicamento é de mais isso é fauta de respeito com o proficional da sude , além de não ser bem pago ainda tem que passar por mau proficionau pergunte se o médico trabalha sem o enfermeiro do lado, quem manda nas enfermarias as enfermeiras chefes . Daniel mande um comentario para mim gostaria de teclar mais vezes para falar sobre isso, estou em dovida entre fisioterapia ou enfermaem quero uma orientaçao sua.


  148. JA TEVE CASO DE ENFERMEIRO SAUVAR VIDA DE PACIENTE SABE PORQUE? PORQUE O “MÉDICO” PASSOU O MÉDICAMENTO ERRADO


  149. OI Danilo perfeito o que vc falou vc estar coreto poxa fazer uma facudade e não sabe prescrever medicamento é de mais , praticamente que falar que o enfermeiro é imcapaz de precrever um medicamento, quero fazer ou enfermagem ou medicina manda um comentario para mim quero saber mais como é ser um enfermeiro


  150. Olha amigos, primeiro é necessário aprender a “escrever” para depois “prescrever”. Porque vocês não param de depreciar as profissões dos outros? Isso é extremamente ridículo! Já tem até pessoas de outras áreas de atuação, se é que são profissionais mesmo, expressando suas idéias sem ao menos saber quais as atribuições de cada profissional na área de saúde, vamos deixar nossos colegas trabalharem. Se o enfermeiro quer prescrever medicamentos, deixem eles assumirem as responsabilidades por medicamentos prescritos de forma lícita ou ilícita, correto ou não. Se algum problema acontecer, quem tem que se responsabilizar é quem prescreveu e não o médico que tem total autonomia para prescrever os medicamentos, sejam de qualquer natureza. Então, acredito que todos temos um papel importante, e com toda certeza uma carreira a zelar, por isso julgo necessário cada um atender aos princípios éticos e legais inerentes a cada categoria profissional.

    Um forte abraço a todos!

    P.S. Como faço para não receber mais notificações deste fórum? Alguém poderia interromper as discussões para me informar?


  151. Caros participantes

    Aprender a escrever é básico, tanto para participar em um fórum quando para cursar uma faculdade , ou mesmo PARA SAIR DO ENSINO FUNDAMENTAL E IR PARA O MÉDIO .

    E de novo acontece a mesma coisa , as pessoas lêm dois trechos do tópico lá em cima e não lêm o conteúdo aqui em baixo nos posts finais.

    O debate avançou e está mais do que especificado que AS PRESCRIÇÕES COM CONTROLE E OS ATENDIMENTOS EM GRUPOS DE ORIENTAÇÃO, AS SOLICITAÇÕES DE EXÂMES PARA AUXÍLIO DIAGNÓSTICO ( nos diagnósticos de enfermagem voltados para o cuidar ) E CONDUTA ( de cuidar) podem ser sim realizadas também pelos enfermeiros como vimos , não há nada de ilícito nisso, SÃO PRÁTICAS LEGAIS e mais USUAIS em ESF ( pra quem ainda não sabe, Estratégia de saúde da família , unidades de saúde, postos de saúde .) onde a enfermagem promove campanhas juntamente com a medicina apoiando o pré- natal , auxiliando com a educação alimentar dos diabéticos e hipertensos ( campanha do hiperdia) e trabalhando com a nutrição em campanhas com obesos , etc. Assim funcionam as campanhas de promoção à saúde, que funcionam com a equipe toda , Médicos , enfermeiros, tecnicos, odontos, nutricionistas, etc… e Agentes de saúde como atuantes na promoção da saúde.

    Sidney

    Uma campanha que promovesse um manifesto popular não seria uma solução para provar nada de fato.

    Renata

    Com todo respeito, o word do seu Oficce , ou qualquer outro editor de texto de sistemas operacionais do computador, se você não tiver um windows ,pode corrigir seus erros ortográficos antes de você postar alguma coisa aqui .

    Se quer tentar cursar medicina , enfermagem, fisioterapia ou qualquer outro curso de nível superior precisará saber escrever e muito bem .

    DE UMA FORMA GERAL

    Até mesmo quem tem dinheiro a vontade para pagar de 2. 500 a 5000 Reais por mês para cursar medicina em universidades privadas devem ter bases firmes para se formarem médicos . Há coisas que dinheiro não compra , ou pelo menos não deveria comprar hahaha.

    Jonas

    Verdade ! Tem gente que vai se formar em medicina na Bolívia , já vi isso também hahaha … depois vem pro Brasil até com sotaque diferente dando canetada em tudo que é receita.

    E já vi, também , como o Michel falou profissionais querendo se passar por médicos , sim já vi .

    Mas, concordo contigo Jonas , para mim são falsários também. Portanto nesse ponto concordo com ambos.

    Acho que vocês dois não precisam mais discutir isso hahaha

    Michel

    Acredito que você está bem mais informado quanto ao que um Enfermeiro é treinado para fazer , sabe que a enfermagem tem semiologia e propedeutiica como disciplinas, sabe que tem farmacologia também e já sabe que :

    Você concordando ou discordando dos atendimentos de enfermagem, acho que já deu pra perceber que eles de fato são praticas legais e fazem parte do seu atendimento como médico , ou ainda está se sentindo ” indignado” com isso ??

    Principalmente o atendimento denominado ” acolhimento”, o qual auxilia muito para atender a demanda, difere do caos ridiculo que antes era denominado “triagem”.

    Como você mesmo disse :” …não sou e não quero ser um sabe tudo e nem considero que o médico o seja….é por isso que existem as demais profissões na saúde…uma completando a outra,mas cada uma fazendo aquilo para qual foi treinada. ”

    Creio que você também não quer uma sopa de letrinhas , ou então uma lousa com desenhos para enxergar que os Enfermeiros são treinados para exercer Enferrmagem e a profissão engloba todos os atendimentos que foram postos em xeque até aqui voltados para o CUIDAR.

    Glinka

    Creio que para não receber mais notificações é até simples, basta marcar o no seu e-mail para não participar do grupo, ou então marcar o e-mail que você recebe como lixo que ele vai ir sempre para a lixeira.


  152. JONAS POEQUE VC FALA A SIM COM MICHEL ?TEMOS QUE RESPEITAR TODOS LENBRE-SE QUE O MÉDICO NÃO TRABALHA SEM O ENFERMEIRO


  153. MICHEL VC RESPEITE MAIS OS ENFERMEIROS MÉDICO NÃO É TUDO SABE PORQUE! PORQUE MUITOS MÉDICOS PRESCREVE MEDICAMENTOS ERRADOS PARA PACIENTES EU FUI VITIMA A QUATRO ANOS ATRAZ POR UM ERRO MÉDICO , FIQUEI ENTERNADA NA UTI. NÃO FALE QUE SÓ MÉDICOS PODE RECEITAR O ENFERMEIRO TAMBEM FAZ FACUDADE SE ESPECIALIZA E TUDO MAIS LOGICO QUE O ENFERMEIRO VAI MEDICAR AÉ ONDE ELE É CAPAZ , COMO FOI DITO POR OUTRO COMENTARISTA , LOGICO QUE UM ENFERMEIRO NÃO PODE PRESCREVER UM MEDICAMENTO PARA UM PACIENTE COM CANCE , PORQUE SOMENTE UM ANCOLOGISTA ESPICIALISTA NA ÁREA. OK


  154. MICHEL VC É MÉDICO?


  155. RAFAEL É ISSO MESMO NÃO VEJO O PORQUE O ENFERMEIRO NÃO PODE MEDICAR , ONDE ELE POSSA PRESCREVER O QUE ELE DEVE .


  156. LEBRE-SE QUE O MÉDICO É LOGICO É MUITO IMPORTANTE AMO MUITO MEDICINA, QUERO FAZER O VESTIBULAR PARA MEDICINA MAIS MUITAS VEZES OS MÉDICOS PRESCREVE MEDICAMENTO ERRADO PARA PACIENTES EU FUI VITIMA DISSO COMO JÁ FALEI. NÃO PODEMOS CRITICAR ENFERMEIROS NÃO PORQUE ELES SABE O QUE PODE OU NÃO , O TIPO DE MEDICAMENTO QUE ELE DEVE PASSAR .


  157. michel vc defende sua ideia até o fim .


  158. RAFAEL VC BOTA QUENTE MESMO NÉ ESTAR ATÉ MANDANDO ESCREVER MELHOR, KKK VC É MÉDICO OU ENFERMEIRO?


  159. ANDRÉ VC NÃO TEM UM PINGO DE RESPEITO PELO PROXIMO, SE VC É MEDICO NÃO QUERA SER MELHOR QUE O PROXIMO, POIS É DESSES MEDICOS QUE A SAÚDE PUBLICA ESTAR OFERESENDO AO POVO BRASILEIRO.


  160. FALSARIO MUITO FORTE ISSO VC ESTAR CRITICANDO OS ENFERMEIROS CHAMANDO DE “FALSARIO”


  161. FALSARIO MUITO FORTE ISSO VC ESTAR CRITICANDO OS ENFERMEIROS CHAMANDO DE “FALSARIO” JONAS


  162. Rafael

    Meu caro colega de profissão , acho que é um conjunto sabe , além de aprender a escrever é preciso que ALGUNS PARTICIPANTES APRENDAM A LÊR TAMBÉM e , como você mesmo disse,e eu sou totalmente a favor , lêr na íntegra o tópico todo.

    Não vou mais discutir com o Michel porque de fato não convem mesmo.

    Michel

    Mesmo achando sua opinião mediocre e discordar de ti, somos médicos e gostaria de me retratar se eu o ofendi.

    LUANA

    Peço atenciosamente que leia direitinho o que eu disse , vou colar aqui abaixo novamente :

    “Eu só não sei até agora, onde você leu no tópico , ou onde você viu em sua “carreira iniciante” algum outro profissional , que não seja um FALSÁRIO , desses que aparecem em noticiários policiais, diagnosticando e prescrevendo medicamentos com carimbo de CRM … me fala , onde ?? ”

    Nessa parte em que estava falando com/ e sobre a opinião do Michel eu estava me referindo a profissionais, todos da saúde, que fazem prescrições falsas , portanto falsários . Não falei da enfermagem e, mesmo como médico, até auxiliei na defesa da profissão de enfermagem nos meus posts , é só VOCÊ SABER LÊR senhorita.

    Grato pela atenção .


  163. jonas calma eu apenas quis saber se falsário era se refirindo aos participante ou engeral, tanto médicos e enfermeiros são importante na saúde ainda não posso debater totalmente sobre isso,mais agora é de meu respeito tambem porque 2010 farei o vestibular para medicina na UFS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE .Portanto seremos grande debatedores sobre esse assunto mesmo concordando com vc em algumas coisas e outras não senhorito.


  164. NOSSA SEMPRE É ASSIM MÉDICOS QUERENDO SER “MELHORES” QUE ENFERMEIROS VAMOS RESPEITAR ATODOS QUE TRABALHA NA SAUDE ! QUERO SER MEDICA MAIS NÃO QUERO SER MELHOR MAIS QUERO SALVAR VIDAS.


  165. Olha, eu penso que a situaçao é muito mais simples de ser resolvida…. Colegas medicos: Nao impliquem com as outras profissoes quanto ao anseio de querer diagnosticar,prescrever e tratar como nos fazemos… simplesmente denunciem aos respectivos conselhos quando algum ato destes profissionais foge a lei (etica,impericia,imprudencia e negligencia) e escrevam nos prontuarios medicos as irregularidades para que as responsabilidades sejam colocadas a prova num eventual processo por parte do paciente… Se nós médicos, que temos 6 anos de gradução em periodo integral e mais 5 anos de residencia medica ficamos muitas vezes ludibriados frente a uma enfermidade, oq dirá outros profissionais que nao tem essa formação holista como a nossa?? Bom… como diria Virchow: ” A tranquilidade da ignorancia é o passo que antecede a tragedia “. Forte abs


    • Voces tem aulas de arrogancia no curso de medicina ?


      • claro que temos… mas nao durante a graduaçao. Esta aula é dada por outros profissionais da saude a partir do momento que o médico inicia sua vida profissional .


  166. ops… é holistica


  167. Luana

    Estou calmo senhorita … Boa sorte no vestibular, sua intenção (salvar vidas) é boa !

    Um adendo

    Creio que é simples mesmo , os prontuários são documentos que provam muitas coisas meu caro colega , eles também expões as irregularidades das outras profissões da saúde , não somente da medicina se houverem situações onde ética e legislação forem feridas.
    Porém, na ESF , como médicos , temos que encarar o fato de que o Enfermeiro Gestor é quem nos direciona a demanda, nesse ponto eu concordo com o colega Rafael. Acompanhei bem o debate dele com o colega “Alfinetinho” onde ficou claro que o contingente de pacientes é enorme e os profissionais da enfermmagem estão em maior contato com eles .


  168. Boa noite colegas da saúde

    Sou enfermeira há somente dois anos, me formei na UNIFESP , onde o curso era integral e os estágios integrais. Estou me especializando em saúde pública e trabalhando em uma USF desde quando fui chamada após prestar concurso. Na minha rotina realizo transcrições de receitas médicas de medicamentos de controle seguindo os protocólos que são assinados pela secretaria municipal de saúde e pelos médicos responsáveis.
    Quando entrei na Unidade eles tinham acabado de implantar a Sistematização no atendimento de Enfermagem e há dois consultórios de acolhimento, um deles é ocupado por mim atualmente. No início eu só atendia no programa de saúde da mulher , hoje estou no acolhimento geral.
    Os médicos no estado de SP trabalham em conjunto com a enfermagem e as demais profissões na unidade, inclusive nutrição e psicologia (só as vezes a psiquiatria tem algumas discordâncias com a psicologia, é o que posso observar…mas nada antiético). Por isso fiquei espantada quando vi algumas postagens aqui … procurei ler o máximo que pude lá no início e aqui no final … enfim :
    Maior parte dos diagnósticos de enfermagem que são utilizados preferencialmente por mim estão descritos no Carpenito. As vezes uso o NANDA para estudar casos, principalmente casos de integridade tissular prejudicada, para cuidar de feridas. Não realizo debriidamentos, ou faço intervenções cirurgicas de pequeno porte por exemplo em feridas, somente trato com cuidados prescritos, ou alternativos fitoterápicos onde posso atuar.


    • Olha Rebeca, a saude esta precisando de mais profissionais como vc!! com certeza vc deve ser uma pessoa fantastica no seu trabalho! grande abraço e sucesso!


  169. Creio que com esse depoimento acima respondi algumas questões levantadas aqui e , gostaria de responder em particular uma outra com essa resposta :
    – Eu não faço questão da prescrição médica, me limito a realizar transcrições para acelerar o atendimento cumprindo meu papel, trabalho com cuidados de enfermagem e promoção da saúde através das campanhas e acompanhamentos e visitas domiciliáres com os agentes de saúde para prestar cuidados nas casas dos pacientes, principalmente aqueles que tem ferimentos graves. Solicito exâmes laboratoriais quando são necessários para complementar ou sanar duvidas no apoio diagnóstico , exâmes esses como hemograma , que vão para o prontuário do paciente , onde estão disponibilizados para a equipe médica também.


  170. Por via de curiosidade , eu encontrei esse blog enquanto estava realizando uma busca de pesquisa sobre prescrição de farmácos… e novamente digo, que fiquei espantada com o comportamento de alguns colegas que fizeram postagens aqui … tamanho é o desconhecimento sobre o funcionamento real de uma ESF e da saúde pública, lamentável que os profissionais da saúde não estejam a par da realidade.


  171. BOA REBECA SÃO COISAS ABISURDAS QUE ESTES PROFICIONAIS DA SAÚDE REAJA DESSE JEITO ABISURDO, CADA UM TEM QUE RESPEITAR O PROFICIONAL DE CADA ÁREA DA SAÚDE .TANTO ENFERMEIROS COMO MÉDICOS SÃO IMPORTANTES PARA SAUVAR VIDAS.


  172. realmente isso é um absurdo !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! meu deus… ta pior que as perolas do ENEM


  173. Um Adendo

    Creio que é simples também , concordo , já até falei sobre prontuários servirem de provas há quase 5 meses atrás em um debate com o pseudônimo Alfinetinho onde ele questionou o seguinte :

    “(existe uma supervisão sistemática para verificar se os enfermeiros se restringem aos protocolos???)”

    – E eu logo respondi –

    “Respondendo:Claro que existe, o prontuário, quer mais do que isso?? Se sou médico , logo olho os prontuários para saber o que se passa.. vou além, logo olho os exames laboratoriais solicitados na US onde eu atuo… vou além, se sinto dúvidas, elaboro pesquisas para saber como vai a qualidade dos serviços. PESQUISA é algo diferente de sentar e ficar fazendo prescrições e diagnósticos, é analisar esses documentos, é revisar casos, isso é ser médico, é ser pesquisador,é a noção que qualquer ser que tenha cursado uma universidade, independente do curso, deveria ter para desempenhar e evoluir bons trabalhos.”

    A análise de prontuários revela muita coisa, principalmente a revisão de casos onde há reclamações de pacientes.

    Portanto cada vez que o profissional da saúde vem aqui querendo briga estão arriscando ferir a ética e perdendo tempo em um tópico onde está em discussão a legislação e as políticas de saúde,.

    Jonas

    Sou-lhe grato pelo reconhecimento!

    Luana

    Faça medicina sim, mas avance , não pare, se especialize, vá até onde puder chegar, mestrado, doutorado, pós doc , enfim , você deve ser jovem e cheia de energia , verá como a saúde é fascinante e medicina é bem mais do que uma profissão hereditária tradicionalista.

    Rebeca

    Gostei ! Quem sabe depõe !

    Congratulo-me com a instituição onde você se formou por formar pessoas dignas como você ! E te parabenizo por exercer sua profissão e ser profundamente interessada nela e em seus avanços !

    Creio que seu depoimento era necessário e , pra ser sincero, eu estava duvidando que apareceria alguém da enfermagem aqui ( por problemas de divulgação do desse site – blog ou mesmo por desinteresse no assunto aqui exposto, não por falta de capacidade da enfermagem ) que relatasse suas práticas . ( algo que você deve ter lído proposto pelo colega Michel ).


  174. BOA ANDERSON É ISSO MESMO O QUE MAIS SE TEM NO BLOG É ARROGANCIA POR ISSO QUE A SAÚDE PUBLICA NÃO MELHORA.


  175. Rebeca

    Aproveito o ensejo para comentar sobre sua sincera resposta de “não fazer questão de prescrições”.

    Vou citar um trecho de um colega seu chamado Marcos que lí outro dia aqui :

    “DEVIAMOS PRIMEIRAMENTE RECUPERAR NOSSO ESPAÇO DE ATUAÇÃO???Quantos enfermeiros exercem o cuidado ao paciente crítico?Sim recebemos formação acadêmica para realizar a annamese,exame físico céfalo-caudal,não com objetivo de competir com médicos ,mas sim de melhor definir os cuidados de enfermagem adequados a cada clientes,de perceber as alterações ocorridas durante a internação,de analisar decidir e intervir.Somos profissionais com autonomia que nos permite discutir sim o tratamento médico prescrito,dose de medicação resposta do paciente a terapêutica,isso está no codigo de ética e lei do exercício profissional!!!Como enfermeiros há tantas atribuições a serem exercidas,quantos porém realizam o trabalho digno e altamente qualificado para qual a faculdade prepara?DEVEMOS CONSOLIDAR NOSSA ÁREA DE ATIVIDADES.”

    Estou de acordo com o Enfermeiro Marcos e vejo que é isso que você está fazendo Rebeca, consolidando sua área de atividades, portanto não fere ética, lei ou qualquer outro princípio , exercendo sua profissão com dignidade.

    Luana

    O tal do “absurdo” tem razão … desculpe-me , mas , um errinho ou dois ortográficos podem ser perdoados até, porém uma sequência ai fica complicado … pense nisso se quiser prestar vestibuláres para medicina ou qualquer outra profissão esteja atenta .

    “Se conselho fosse bom eu vendia, mas eu tendo orientar”


  176. JONAS OBRIGADO SENHORITO O QUE MAIS QUERO É SER APROVADA NO VESTIBULAR DE MEDICINA, AMO DE MAIS MEDICINA E NÃO QUERO SER UMA MEDICA MELHOR OU PIOR QUE OUTROS PROFICIONAIS DA SAÚDE. QUERO SAUVAR VIDAS O POUCO QUE ENBREVE EU POSSA FAZER VAI SER MUITO PARA O PROXIMO. ISSO SIM É O MELHOR VC TRABALHAR COM AMOR. FAZER O MELHOR, E RESPEITAR ATODOS , QUE BOM QUE VC ESTAR CALMO UFA.


  177. RAFAEL OBRIGADO PELO CONDELHO KKKKKKKK FOI MUITO RAPIDO É VERDADE QUE MEDICINA É FASCINANTE . AMO DE MAIS PRETENDO ESPECIALIZAR EM PEDIATRIA GOSTO MUITO DE CRIANÇAS É BRILHANTE.


    • Luana

      Não há porque me agradecer …ainda… só não siga mais “CONDELHO” algum por ai … :-)

      Faça um ûp grade na atenção !

      Todos estamos sujeitos a erros, mas não é bom errar com tanta frequência ( ainda mais se um dia estiver na área da saúde, lembre-se das prescrições erradas que já sofreu , já pensou se um erro ortográfico determinar um dia uma prescrição errada feita por ti como profissional …)

      Lembre-se também do oficce word ou editores de texto no seu computador (como eu já disse para outro participante ), use-os como ferramentos de auxílio para escrever corretamente e boa sorte !


  178. Caro colega Michel

    Primeiramente preciso ser sincero

    Eu , após ler atentamente durante todos esses meses participando no blog , apreciei alguns depoimentos de enfermeiros no início , tais como Danilo e Carlos Veronez, Mant e também da médica Marcelly, médica Ana Paula, por exemplo .Enfim, observei ao longo de toda a discussão e me impressionei quando reparei em quantas “bordoadas ” você tomou de graça ao longo de pouco mais de um ano…

    Não sei se foi a intenção dessa menina “Rebeca” te dar um ” soco no estômago” , mas de certa forma culminou com o que você considerava “bla, bla, bla…” hahahaha.

    Eu lamentei ha poucos dias atrás não ter feito como fiz com a vez do desafio da “sífilis” em que você desafiou a enfermagem e eu falei sobre a conduta a ser tomada no caso, quando você veio levantando aquele questionamento sobre os murmúrios vesiculáres , mesmo não tendo sido muito claro o objetivo, confesso que eu senti vontade de te dar um “tapinha de leve” de novo falando sobre as condutas e das possibilidades dentro da medicina.
    Mas, eu não queria fazer isso e comprar mais uma vez o “chalenge” que você lançou direcionado à Enfermagem.

    O depoimento dessa menina Rebeca , somado ao depoimento de muitos enfermeiros no início do fórum, mais as postagens das legislações reais , mais postagens de carga-horária que indica as capacitações dos enfermeiros, mostrou mais do que nunca onde começa e onde termina a enfermagem em concomitância à medicina.

    parece ser um xeque mate ++, vejo que de uma vez por todas dá pra entender bem (já dava antes , mas agora até cego enxerga) que a enfermagem CUIDA E SEUS DIAGNÓSTICOS SÃO VOLTADOS AOS CUIDADOS , sem bla,bla,bla e sem exercer conduta médica, ao contrário , exercendo conduta de enfermagem com autonomia. Portantto não há mais por onde e nem para que desafiar a enfermagem ao ringue dos procedimentos e tratamentos médicos.

    MASSSS… como você curte um desafio e não gosta da área da enfermagem, vou te mandar um da sua área, já que você é apaixonado por ela e estudioso .

    Imagine um paciente com 55 anos, safenectomizado há 1 ano e meio, após episódio de IAM. Tem feito consulta periodicamenteco com o CARDIOLOGISTA( Ah, esse cara é distinto né , foi um bom aluno esse cardiologista ai, lembro bem dele, quando clínico era dedicado e já tinha muita bagagem para saber quando solicitar exâmes para apoio diagnóstico) .
    Durante 3 meses vem sentido intensa fadiga aos pequenos esforços e dor pré-cordial tipo anginosa. Foram novamente realizados todos os exames cardiológicos, TODOS ESTÁVEIS. Todavia, o Hemograma mostrou hemoblobina de 11 mg/dL e leucocitose de 35.000. Dentre os leucócitos há um aumento de neutrófilos, bastonetes, metamielócitos, e também de eosinófilos e basófilos. As plaquetas estavam em 450.000.

    Me responda, do que você suspeitaria Michel ? O que esse paciente tem ?

    O que mais faria (no caso de suspeitar de algo) para apoiar seu diagnóstico e ajudar esse paciente ?

    ( hey… Cuidado para não encaminhar ele para psicanálise achando que são manifestos psicossomáticos seus sintomas físicos e suas alterações de hemograma hein hahahaha …)

    E ai Michel, qual a conduta ?

    Creio ser muito difícil para a enfermagem analisar algo assim, mas para você que é Médico Michel, creio que se cursou uma universidade boa não vai “passar vergonha” , afinal é “capacitado” o menino, não vai se sentir exposto se não souber responder . (mesmo que saiba responder, que objetivo haverá nisso ? vai provar que você é bom profissional ?)

    É EXATAMENTE ISSO QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO COM OS ENFERMEIROS QUANDO LANÇA SEUS DESAFIOS !

    Sinta-se a vontade para responder meu caro :-)


  179. Rafael vc e MIchel estar totalmente em guerra meu deus poxa blaaaaablalbla .


  180. Rafael querido medico poxa essa foi de mais comigo é porque eu escrevo muito rapido o comentário depois é que eu vejo os erros, mais não são tantos erros assim.Oxe


  181. Sabe essa briga vai ser longa porque são piadas , querendo ser melhor que outro,arrogancia etc.Não quero ser uma medica assim .


  182. Luana

    Não estou em guerra com o Michel não , pelo contrário, parece que mais de 80 % do blog é que está porque ele saiu desafiando meio mundo … até os colegas de profissão dele ele repudia as vezes hahaha

    Só estou deixando um estudo de caso pra ele como um “pequeno desafio” , o qual ele pode se recusar a responder ou responder como bem quiser.

    Na verdade admiro ele e todos os médicos iniciantes de carreira … ah e não sou nenhum tipo de “Dr House” … hehe

    Minha posição no blog para com as profissões é de imparcialidade.

    Quanto ao post dirigido a ti , sei que eu fui realista e com isso até mesmo rígido demais, mas esteja certa que se um dia estiver fazendo provas na faculdade seus professores vão exigir mais de ti e lhe serão bem mais rígidos e, mesmo escrevendo rapido, sua letra e seus prescritos não podem conter margem de erro , concorda ? Minha intenção não foi ofender em momento algum. Se foi o que pareceu me perdôe .

    Abraço .


  183. Rafael oxe eu sei vc é educado são poucos nesse blog sobre Michel ele deve ser um medico que não estar se importando com a saúde e evida das pessoas,como muitos o dinheiro é tudo porisso que a saúde não melhora nesse país. Em quanto na África pessoas morre a cada segundo por fauta de medicos aqui tem muitos e não estar se preocupando.


  184. quinta-feira, 19 de novembro de 2009
    Artigo de D’avilla, Folha de SP, 12/11/09
    O artigo seguinte, escrito pelo médico-presidente do Conselho Federal de Medicina, foi publicado na Folha de SP na quinta-feira, dia 12 de novembro deste ano. Achei vergonhosos os argumentos de Roberto D’avilla, todos contraditórios e muitas vezes repetitivos. Ele escreveu dum lugar prévio, no qual o Projeto de Lei seria a salvação da saúde no país. Vergonhoso sim, porque é de tal modo alienado e tendencioso que cidadãos que não estão interados acerca do projeto de Lei podem ler e julgarem sem conhecê-lo: “Que bom, estão fazendo algo bom pra saúde do país”. Isso é uma mentira deslavada e sem sentido, um projeto que quebra todo o avanço multidisciplinar das práticas de saúde e tenta retomar o posicionamento “central” e “único” do médico nos serviços. Quem são esses médicos que julgam-se tão superiores assim para abordar sozinhos todos os casos que envolvem a saúde? Por acaso, conhecem eles sobre fisioterapia, nutrição, psicologia, dentre tantas outras profissões? O médico em questão sequer aborda diretamente essas questões. Que desvalorização alteritária é essa, e a troco de quê? Pra mim, a troco de “poder” e garantias de centralidade do saber médico, unicamente. Talvez venham sentido a perda do espaço de único e mais poderoso saber das ciências da saúde, e agora querem retomar aquele antigo espaço por outros meios. Uma VERGONHA, com letra maiúscula! Segue, então, o artigo, para quem ainda não leu. Tirem suas conclusões.

    ——————————————————————————-

    A regulamentação da medicina
    ROBERTO LUIZ D’AVILA

    O CONGRESSO está a um passo de aprovar uma lei que representa uma conquista para a saúde no Brasil. Após ser aprovada com 292 votos favoráveis pela Câmara, seguiu para apreciação do Senado a proposta que regulamenta o exercício da medicina no país.
    Apesar da aparente obviedade sobre qual o papel dos 344.034 médicos na assistência à população brasileira, o projeto de lei 7.703/2006 preenche uma lacuna importante ao definir de forma clara e objetiva os atos privativos desses profissionais e aqueles que podem ser compartilhados com as outras 13 categorias vinculadas ao campo da saúde.
    O texto não elimina os avanços alcançados pela multidisciplinariedade da atenção em saúde. Pelo contrário, valoriza o espaço de enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, fonoaudiólogos, profissionais de educação física, terapeutas ocupacionais e técnicos e tecnólogos de radiologia, entre outros, ao ressaltar o que as regulamentações de cada uma dessas categorias já fizeram quando definiram o escopo de suas atuações.
    O projeto de lei não impede que todos esses profissionais participem ativamente das ações de promoção da saúde, de prevenção de doenças e da reabilitação dos enfermos e pessoas que vivem com deficiências.
    Na verdade, ele estimula a mútua colaboração entre todos os profissionais da saúde -dentro de suas respectivas competências-, com o objetivo único de garantir o bem-estar individual e coletivo dos cidadãos.
    Mas o projeto vai além e assegura algo a que todo brasileiro deve ter direito: a garantia de que o diagnóstico de seu problema de saúde e de que o tratamento para enfrentá-lo, assim como a realização de procedimentos invasivos capazes de gerar risco de vida, sejam realizados por um médico devidamente capacitado, avaliado e fiscalizado por instâncias de controle profissional, como os 28 conselhos federal e regionais de medicina, além das associações e sociedades médicas.
    A confirmação dessa conquista pelo Senado, prevista para as próximas semanas, consolidará o senso comum e a jurisprudência existente sobre o assunto, aprovadas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Quando adoecemos, queremos ser atendidos por médicos. Quando nossos filhos, pais e irmãos adoecem, queremos que um médico investigue as causas do problema, faça o diagnóstico e oriente sobre o que fazer.
    Com a ampliação e a especialização dos diferentes campos do conhecimento, é claro que outros profissionais podem participar na recuperação da saúde dos pacientes. Porém, cabe ao médico o diagnóstico e o tratamento das doenças, principalmente em razão de sua formação profissional e pela credibilidade e confiança atribuídas a ele pelos pacientes.
    A população passa ser a grande beneficiada com a mudança, pois contará com uma linha de cuidados integral e articulada dentro de princípios de competência e responsabilidade.
    Isso trará maior segurança e proteção aos pacientes ao contribuir para evitar distorções que colocam a vida e o bem-estar de todos em risco.
    As recomendações e as prescrições passarão a ser implementadas segundo critérios rígidos e científicos que asseguram que o indivíduo será avaliado de forma holística, integral, e não apenas em função de sinais e sintomas que nem sempre refletem a real dimensão de uma doença ou um agravo de saúde.
    Por outro lado, a legislação será também um instrumento de aperfeiçoamento do próprio Sistema Único de Saúde (SUS), ao exigir que os gestores, em todas as esferas (federal, estadual e municipal), contem com médicos em suas equipes.
    Essa é uma maneira de enfrentar a iniquidade do acesso à saúde no país, evitando que só recebam a orientação de profissionais da medicina quem tiver recursos para pagar uma consulta ou um plano privado de saúde.
    A sociedade aguarda por essa mudança, que não pode demorar mais. A regulamentação do exercício da medicina não prejudica categorias profissionais nem cerceia direitos. Na realidade, ela cumpre a função de tornar cristalino o espectro das responsabilidades e das competências da atividade médica, fundamental para o cuidado da saúde do ser humano.
    O tema, que está sobre a mesa dos senadores, é urgente e imprescindível para transformar o que existe de fato também em um direito. A saúde do Brasil espera por isso.


  185. querida Luana….

    primeiro de tudo…pare de ofuscar meus olhos com seus erros de português…e de digitação também.
    Como quer indicar medicação, se nem português sabe escrever? Como passou na redação do vestibular?

    É nessas horas que abro o livro em que os enfermeiros dão nota do que foi usado para a farmácia e leio
    ” FERNEGAN”

    vamos estudar meu povinho brasileiro!!!!


  186. OI Luana VOCÊ tem tudo para ser uma boa pediatra você fala da medicina com amor, erro todos nesse blog erra boa sorte e Rafael?


  187. Oi gente boa noite aqui é ROBERTA quero fazer medicina a dois anos venho lutando quero ser padiatra também LUANA, primeiro foi odontologia pela UFS mais não quero ser dentista QUERO SER MEDICA.Esse ano mais vestibular UFS e UFB boa sorte Luana, gente medicos e enfermeiros é importante na medicina.


  188. Dirceu

    Eu já conhecia o projeto de lei, em 2007 tomei conhecimento do mesmo através da divulgação pelo moodle de uma disciplina online da qual fui tutor na época. Foi muito bom você ter trazido ele aqui para ser analisado .

    Minha linha de pensamento é imparcial também e a favor da integralidade multiprofissional e da equidade dos serviços a todos os cidadãos sendo a saúde como dever do estado em nossa constituição .

    Luana

    Está melhorando , agora é só acertar um pouquinho a regência verbal que vai ficar tudo certo ;-)


  189. Obrigada Roberta odontologia é bom mais medicina é melhor VOCÊ consegue Roberta , da mesma maneira que VOCÊ foi aprovada em odontologia vai ser em medicina ou na UFS ou UFB valeu.


  190. Roberta Pois não Luana sou muito determinada nunca aceitei os dois anos que não fui aprovada como derota mais não desanimo.Estudo odontologia mais não é bem o que eu quero sempre gostei da medicina.


  191. descupe “derota” não derrota sim ok.


  192. Rafael você deve ser um bom médico são médicos como VOCÊ e enfermeiras com Rebeca que o Brasil necesita.


  193. li praticamente todos os comentarios, contudo a minha opiniao é a seguinte: infelizmente vivemos num país onde a medicina ainda é prática capitalistas, onde a maioria dos municipios em essencial os interioranos,sofrem pela pouca demanda desses profissionais. portanto o ministerio da saúde com o “intuito” de promover a saude como um todo prever o PSF como estrategia de reorganização do modelo assistencial e define o papel de cada membro, por isso desenvolve-se protocolos, onde na verdade o enfermeiro apenas transcreve, é sabido que tais protocolos foram avaliados por uma comissao tecnica. mas aqui peço que os profissionais de enfermagem tenham o bom senso, nao vale a pena colocar seu registro em jogo, passe a responsabilidade para os médicos, sao eles que ganham rios de dinheiro, nao os enfermeiros, já vi alguns processos contra os enfermeiros, sou enfermeira há 9 anos, tenho 4 especializações, mas so faço aquilo que me compete, e sem fugir uma virgula do que está descrito nos protocolos, somos uma força de trabaalho gigantesca, mas nao somos valorizados, portanto deixe que os médicos prescrevam e façamos com honra nossas outras atribuições.


  194. Everdade Kissila os “médicos” ganham rios de dinheiro mais para ganha rios de dinheiro tem que trabalhar muito.


  195. UFA 09 12 09 MAIS UM VESTIBULAR DE MEDICINA UFS AINDA TENHO QUE FAZER MAIS UFB,MEU CORAÇÃO A MILLLLLLLLLLLLLLLLLLL NÃO VEJO A HORA DE PASSAR SÃO DOIS ANOS DE LUTA QUERO ENTENDER O PORQUE DA REVOLUÇÃO DE VOCÊS MÉDICOS E ENFERMEIROS PORQUE DE ODONTO EU ENTENDO DE MEDICINA AINDA NÃO.


  196. Parece que o tópico teve uma fuga total agora. Creio que não há muito mais o que discutir, já vimos muitos argumentos fortes e interessantes e já temos muitas bobagens impertinentes também que fogem totalmente ao tópico.
    Esse blog serviu para uma coisa importantíssima, mesmo que um tanto caótico , que foi um profissional poder conhecer melhor as atribuições dos outros.
    Eu como médico , confesso que pude conhecer a regulamentação do exercício da enfermagem melhor.
    O assunto pelo que posso perceber está esgotado em terrmos, porque se a medicina e a enfermagem trabalham juntas e ambas possuem interatividade e respeito ético seguindo cada qual seu código legal regulamentar, não existe ilegalidade pratica , portanto podemos prescindir de opiniões impulsivas e de preconceitos para com as demais profissões que complementam a saúde , mantendo assim a ética acima de tudo. Os maiores beneficiados, como sabemos , serão nossos pacientes.


  197. Everdade Jonas.


  198. todos os médicos ganha melhor que os enfermeiros ainda quer disvalorizar os enfermeiros .


  199. Olá, Crianças!!

    Professor Doutor de verdade Rafael e seu alter ego “Médico Legalzinho da Equipe do PSF” Jonas
    (este não vou chamar de Dr. porque para ele deve ser palavrão!):

    Digam que estão brincando,por favor!!!Digam que é pura provocação e que não pensam isto:
    Dr. Rafael, que ser clínico geral deve ser deixado para os recém-formados
    MLDPSF Jonas, eu penso um pouco diferente de você com relação a médicos que denigrem a profissão, para mim são exemplos de médicos que denigrem a profissão:
    aqueles que “trocam receita”
    “trocam guia”, prescrevem para o paciente que nunca viram, cometem erros GROSSEIROS de diagnóstico ou terapêutica, resumem seu atendimento a pedido de exames(que muitas vezes chegam ao cúmulo de serem “solicitados” pelo próprio paciente!!!), delegam (ou aceitam passivamente delegar)suas atribuições a profissionais não médicos(e isto inclui discutir caso clínico, do ponto de vista de formulação de diagnóstico, que é obrigação do médico)
    Isso tudo está no dia a dia dos nossos serviços de saúde, basta não ser cego para ver!
    O médico que defende sua profissão não a denigre.
    E não importa meu tempo de formado, nem do Michel se estamos aqui para discutir idéias, certo?
    Até para provocação há que se ter elegância, Dr.Rafael e MLPSF Jonas.
    Pois bem, em algo concordarei com Dr. Rafael:
    Se ainda sobra algum médico com mais de um ano de formado nos PSF ou nos PS da vida, se você não estiver plenamente satisfeito e vá todos os dias para o trabalho saltitante de alegria, não critique, não sugira, DÊ O FORA!!!
    Eu anseio pelo tempo em que teremos um mundo de Radiologistas, Dermatologistas e Oftalmologistas!!!


  200. Alfinetinho ui uiuiuuiuiuiuiuiuiuiui não diga que Michel tem pontos de vista totalmente bom porque isso não ele a penas que ser melhor o sabe tudo e não respeita os enfermeiros que para “ele” é blablablabla.


  201. Alfinetinho mais de uma coisa é verdade e te digo ELEGÃCIA entre “amaioria” dos “DR” não tem mesmo sempre querendo ser melhor que outros .


  202. PARA A SAÚDE MELHORAR NESSE PAÍS PRIMEIRO OS MÉDICOS TEM QUE MELHORAR E OLHAR A MEDICINA COM AMOR.


  203. pra saude ficar ainda melhor: VOTEM NA DILMA!! hehehe


  204. Alfinetinho

    Sabe que respeito sua opinião. Já deixei bem claro que admiro iniciantes de profissão e não sou Dr. House Style hahaha.

    Se você curte ser Clínico pra sempre e está realizado assim atendendo profissionalmente é opinião e idéia ora, o que posso fazer ? O que faria você querer estudar mais e evoluir como profissional ? São todos esses problemas seu !
    Eu só quis colocar que quando um idividuo médico se dedica em uma especialidade e vai além ele estará inserido em um ciclo de evolução constante de educação permanente , é simples entender isso .

    O tempo de profissão é importante para determinar a experiência do médico ( quando ele é dedicado e estudioso claro) para poder estudar , diagnosticar e resolver os casos. ( porque quando é um safado ele aprende a fazer isso ai que você falou …trocar receitas…etc.. e tal…) .

    O que adianta o Michel por exemplo ficar vindo aqui jogando os desafios ridículos dele se nem mesmo sabe ddiagnosticar um monte de coisas ( que com o tempo e com estudo é possível aprender ). Fala sério !! Quem está brincando é ele , só pode !!

    Alfinetinho , até agora falamos sério, você e eu ( mesmo com seu sarcasmo bobo de fazer questão de colocar “Dr de verdade” dirigido a minha pessoa etc.) .
    Pelo menos concordou comigo ( se é que falou sério ) no sentido de ” Se não está contente e se não tem idéia para mudar, SE MANDA!”


  205. Fato é que :

    O Michel tomou um monte de bordoada desnecessária porque botou a cara a tapa sem motivo algum ! Ele gosta de desafiar e fazer show!

    Nem ele mesmo sabe o que está defendendo mais aqui , porque sempre corre quando é questionado acerca de legislação e políticas de saúde.

    Elegância está sobrando creio eu porque nenhum dos posts foram deletados, não houve necessidade, não houve baixo calão nos caractéres contidos aqui.

    E o que dizer de você defender o Michel,Alfinetinho em troca de que?? …

    Só porque algumas pessoas concordaram comigo no tópico elas vão agora ser meus “Alteregos?”

    … Fala sério vai, seria a mesma coisa que eu dizer que você é um “FAKE” do Michel , ou então é a namoradinha dele (sei lá se tu é uma figura masculina ou feminina quando vem com pseudônimo de Allfinetinho ) ,ou amiguinho que jogava video game junto na infância.

    Eu não fico perdendo meu tempo levantando hipoteses, só leio os fatos no blog e respondo.

    Daqui a pouco vamos começar a pedir o CRM, o IP number dos PCs aqui, o CPF , os CORENS do pessoal da enfermagem , para que todos tenham identidade e não apareçam aqui como “afinetinho” hahaha

    E concordo com o que o Jonas disse no final sim , por que não ?

    “Parece que o tópico teve uma fuga total agora. Creio que não há muito mais o que discutir, já vimos muitos argumentos fortes e interessantes e já temos muitas bobagens impertinentes também que fogem totalmente ao tópico.
    Esse blog serviu para uma coisa importantíssima, mesmo que um tanto caótico , que foi um profissional poder conhecer melhor as atribuições dos outros.
    Eu como médico , confesso que pude conhecer a regulamentação do exercício da enfermagem melhor.
    O assunto pelo que posso perceber está esgotado em terrmos… ” ( Jonas)

    Não conheço esse colega, não o estou defendendo, mas defendo o post sensato dele.

    Afinal, até agora ninguém propos mais nada decente e tem gente até falando que ” vai prestar vestibular” , daqui a pouco tem gente usando o blog de Twitter para falar sobre o que aconteceu no dia …

    Cadê as idéias ? ” …se estamos aqui para discutir idéias, certo?” (Afinetinho)

    Não tem mais o que discutir se for ver mesmo …

    O Albuquerque, se A Dilma Ganhar complica hein …

    …tem mais alguma coisa pra debater ai sobre enfermagem e prescrição de farmacos ?

    O Paulo , não estamos afim de desvalorizar não, só agregar mesmo, é meia duzia que tem mente fraca , fica tranquilo …

    Há algo pertinente a dizer sobre a prescrição( ou transcrição) de fármacos por parte da enfermagem que já não tenha sido dito ?

    Quem quer acrescentar algo ?

    Vamos pro natal ?


  206. Rafael,

    Notei que você fazia especulações sobre o tempo de formado,se é especialista, o que faz, etc. sobre participantes, sobretudo eu e Michel, fica muito pessoal e , repito a pergunta, estamos aqui para discutir idéias, não é?
    Dá pra discutir as figuras do”médico recém-formado” e do médico “mais velho” sem falar diretamente COM o Michel e com o alfinetinho.
    Não sou a outra personalidade do Michel, nem amigo de infância, nem namoradinha, nem namoradinho dele.
    Quanto ao Jonas, fui bem claro, enquanto ele se envergonha de médicos que agem como “ícones a serem seguidos”, chefes, empresários, etc. ,acha que estes denigrem a profissão, eu nem quero entrar neste mérito porque…bem honestamente, estes não me perturbam como perturbam os médicos que não se colocam no seu lugar.
    Concordo com você que quem não está satisfeito em ser clínico geral e não sabe o que gostaria de ver mudado, deveria considerar se não há algo mais adequado para sí, afinal, como você mesmo disse, na medicina há muitas especialidades/ possibilidades .
    Acredito que medicina seja uma área que exija estudo e aperfeiçoamento constantes, não dá muito pra fugir disso, porém, e agora começam “as idéias”: a realidade está afastando o médico dessa possibilidade do estudo e aperfeiçoamento, aí que entram a má remuneração, as horas trabalhadas como obstáculos ao crescimento técnico/acadêmico.
    Seguindo nesta linha da qualidade técnica do médico não dá para deixar de discutir a formação médica, os cursos de medicina sendo abertos incessantemente em um país que não tem essa demanda, uma vez que já existem médicos em número suficiente, e talvez deva-se discutir a própria graduação porque houve uma evidente queda na qualidade da formação acadêmica que fragiliza o médico perante a sociedade e as outras profissões das áreas da saúde.
    Discordo quando você diz, na verdade insinua, que a atenção básica deve ficar na mão do recém-formado, do médico mais “desqualificado”, isto é o que ocorre de fato, examente porque é usada como um meio de sustento enquanto o recém-formado não inicia a especialização, o que você vê como evolução natural eu vejo como problema, primeiramente porque a atenção básica em uma estrutura como pretende o SUS é fundamental no direcionamento de toda a demanda, é fundamental a competência do médico que vai absorver ou direcionar o paciente, tem que ser muito resolutivo, é fundamental em todos os aspectos, inclusive econômico.Não estou falando nenhuma novidade! Você me surpreendeu muito com seu comentário!
    E por que falta o especialista generalista? será que ninguém se interessa ou será que dadas as condições reais da atenção básica, isto inclui o contato com a realidade socioeconômica da população, a própria estrutura de trabalho(vide minhas críticas ao PSF no início do post) médicos que até se interessam migram para outras áreas, uma vez que a medicina tem muitas especialidades/possibilidades.O fato é que este profissional é estratégico e importante, não dá para prescindir dele, mesmo com todos os protocolos e os melhores enfermeiros.
    FUGI AO TEMA, REALMENTE.Mas fica a sugestão de um post sobre o papel do médico na atenção básica ou o problema da atenção básica, algo nessa linha…

    Saudações Natalinas
    .


  207. GENTE FALA-SE QUE “ENFERMEIROS” NÃO ESTAR HABILITADOS OS ENFERMEIROS ESTUDA QUATRO ANOS MUITAS ESPECIALIDADES TAMBÉM EXEMPLO DISSO SÃO AS ENFERMEIRAS OBSTETRAS SÃO ENFERMEIRAS COM ESPECIALIZAÇÃO NESTA ÁRIA.Estão habilitadas para atender os partos normais, mais não para realizar cirugias o ministério da saúde tem incentivado a formação dessas especialistas. Segundo o ministerio da saúde a diferença para o médico obstetrae que este pode fazer cesariana e o enfermeiro obstetra pode fazer somente partos normais e todo acompanhamento da gestante incluindo medicar coisa que neste blog para muitos não pode, antes que fale piadas tem tudo na internete sobre isso pode explicar “doutotes”


  208. Alfinetinho

    Agradeço a compreensão e chegamos em um ponto realmente crucial com esse paragrafo:

    “…na verdade insinua, que a atenção básica deve ficar na mão do recém-formado, do médico mais “desqualificado”, isto é o que ocorre de fato, examente porque é usada como um meio de sustento enquanto o recém-formado não inicia a especialização, o que você vê como evolução natural eu vejo como problema, primeiramente porque a atenção básica em uma estrutura como pretende o SUS é fundamental no direcionamento de toda a demanda, é fundamental a competência do médico que vai absorver ou direcionar o paciente, tem que ser muito resolutivo, é fundamental em todos os aspectos, inclusive econômico.” ( Alfinetinho)

    Quando estavamos na faculdade ainda, isso até no meu tempo funcionava assim, no ultimo ano de residência mais precisamente, queriamos prestar concursos, o estado pagava bem e incentivava com muitos benefícios, formava-se então o lugar ideal para o recém formado exercer medicina , uma Unidade de saúde ( ou posto naquela época , enfim ) .

    Hoje está diferente, porque o ciclo é maior, porque mesmo sendo caros os cursos tem gente que paga para se tornar médico , isso é fato ( tradição de pai pra filho ainda as vezes , enfim, tendências naturais de comportamente social …)! Como já lhe disse ,não tem a mínima vocação ou intenção de evoluir e fazer evoluir, enfim, cada um tem seus motivos.

    Ai os poucos mais de 300.000. ficam batendo cabeça entre sí querendo montar consultórios , planos de saúde ou cooperativas, as quais visam monopolizar o mercado , centralizando novamente um sistema de saúde, escapando do que idealizamos como descentralizado ( o SUS ) . Poderia citar muitos desses planos de saúde se estivesse conversando em particular contigo e sabe disso, mas aqui é anti-ético mensionar isso. Enfim, ai o profissional especializado se “aloja” nos convênios e cooperativas e logicamente não vai querer nem saber de ficar no SUS . As vezes, alguns não abrem mão das suas manhãs concursadas e ainda por cima a tarde e noite correm para os seus plantões … agora me responde meu caro colega, esse cara vive ? Quando esse cara quer ganhar por mês ? 40 mil ?

    Como um cara que prioriza dinheiro vai conseguir arrumar tempo pra estudar e , um ponto que tu citou outrora,como vai ter família ?? É esse cara que nós podemos prescindir !!

    Esse é o que “mama nos seios do sistema ” compreendeu Alfinetinho ?

    E tem enfermeiro assim também sabe ? Já conheci um que lecionava em faculdade, curso técnico e tinha dois empregos ainda por cima … o cara ligava o Data Show nas aulas dele e deixava a maquina falar por ele praticamente.

    Pergunta pra mim se ele pelo menos conseguiu fazer o mestrado dele ? Não !

    Porque só pensa em ganhar dinheiro nem que isso o faça se desdobrar em dois ou três, quatro… quantos forem necessários.


  209. Alfinetinho

    Creio que poderiamos abrir sim outro fórum, a Taciana pode atender esse pedido , basta criar um título. Eu teria o prazer em participar contigo. Não é sensato ficarmos usando esse para tais assuntos mesmo.

    De fato aqui já esgotamos o assunto, porque já nos foi entendido que a enfermagem não invade a medicina no aspecto de prescrever e nós trabalhamos juntos . Tanto que a enfermagem não faz questão da prescrição em sí, mas faz questão de respeito assim como a medicina , o que é imprescindível sem dúvida.

    Eu creio que respondi seu questionamento do por que da falta do especialista generalista. Isso é a experiência que mostra , que aponta, que define . ( no post acima)

    Eu percebo que tu não é um desses aristocratas e só vai te fazer bem enveredar sua carreira por caminhos que lhe tragam satisfação em conhecimentos , os bens veem como mérito.

    Quanto a especulações acerca do Michel, foi simplesmente um mirror (espelho) que fiz pra ele, porque ele especulava os outros colegas e depois dizia ” não quero nem saber o que tu faz ou deixa de fazer e bla,bla…” ou então ele vinha com aquela rsrs ” eu tenho certeza disso e daquilo ” rsrs foi só um modo de fazê-lo refletir . ( posso ter forçado a mente do garoto, mas se chegou até aqui como médico deve ter potencial rs) .

    Quanto a ser fake, aqui dá pra saber quando uma pessoa entra para avacalhar … a cor da imagem de exibição muda conforme o e-mail registrado , ou seja, se uma pessoa modificar a cor ela mudou seu e-mail . Nenhum de nós fizemos isso (mas tem alguns aqui danadinhos que fizeram rsrs) .

    Para finalizar, eu me incomodo um pouco sim com os profissionais que o Jonas disse e com os que descrevi , os mercenários e , também me incomodo com os falsos médicos que você descreve . Vamos discutir sim isso em outro fórum se assim desejar , convide a todos os interessados e aguardemos .

    Feliz Natal Alfinetinho .


    • Rafael e Alfinetinho, já anotei a sugestão,
      Em breve um post sobre o papel do Médico na Atenção Básica.
      Abraços a todos e Feliz Natal!


  210. Roberta

    Em Julho 1, 2009 às 6:40 am : Rafael

    Por gentileza querida, veja esse post aqui desse dia … lá creio que serão esclarecidas melhor suas duvidas .

    (como o Jonas disse e eu estou ajudando a comprovar, os assuntos foram sanados e trazidos a discusssão, sem necessidade de novas discussões alheias, a menos que hajam novos argumentos pertinentes )


  211. Rafael não entendeu o que eu quis argumentar? ok que pena melhor eu pesquizar na internete o que pode ou não, sou uma simples odontologa não sou médica para debate .


  212. Rafael querido foi mau se minha duvida é alheias e argumentos pertinentes.


  213. Roberta

    Com todo respeito … qual sua pergunta ?

    Quer saber se um enfermeiro realiza na prática acompanhamento e prescreve medicamentos para uma gestante ?

    Já li algumas matérias Canadenses e portuguesas onde o acompanhamento pode ser feito pelo enfermeiro obstétra , o qual estimula partos naturais e alternativos, sem cesária . As prescrições são no mesmo esquema de protocólos.

    No código de ética da Enfermagem Brasileira ( onde eu pedi para você ler ) está assim :

    PROFISSIONAIS TITULARES DE DIPLOMAS OU CERTIFICADOS DE OBSTETRÍCIA OU ENFERMEIRA OBSTÉTRICA, ALÉM DAS ATIVIDADES DE QUE TRATA O ARTIGO 8, INCUMBE:
    I-PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA À PARTURIENTE E AO PARTO NORMAL.
    II-IDENTIFICAÇÃO DAS DISTOCIAS OBSTÉTRICAS E TOMADA DE PROVIDÊNCIAS ATÉ A CHEGADA DO MÉDICO.
    III-REALIZAÇÃO DE EPISIOTOMIA E EPISIORRAFIA E APLICAÇÃO DE ANESTÉSICOS QUANDO NECESSÁRIOS.

    O médico obstétra realiza acompanhamento pré natal e é treinado e habilitado a realizar cesárea , esse faz prescrições médicas conforme necessárias.

    Portanto o médico obstétra é o responsável pelo acompanhamento pré-natal e pelo parto e as opções de parto.
    O enfermeiro obstetra tem papel de orientações acerca de cuidados e pode atuar em casos onde a preferência do paciente é para os partos alternativos e/ou naturais , ou em casos de urgência e emergência como foi discutido outrora(onde não se faz a presença do médico por algum motivo).

    Creio que entendemos bem aqui as atribuições profissionais, assim dispostas segundo a habilidade de cada um.


  214. Fiquei até pasmo em ler tanta idiotice, realmente médico e enfermeiro tem seu valores cada um sua responsabilidade e fico triste por ainda existir pessoas que se dissem superiores, cuidado quem pensa dessa antiga forma que exista superioridade entre profissionais acaba não conseguindo se afixar em emprego algum…olha o mercado de trabalho esta cada vez mais competitivo, não aceita hipocresia, não aceita falta de união…

    faculdades boas par médicos e para enfermeiros e ruim…e muitas…para ambos..

    estudar 10 a 11 anos para ter direito a prescriçaõ grande coisa….

    temos que sermos profissionbais de Saúde…e mais nada, defender a categoria, buscar melhores salários…

    pense nisso


  215. Rogério

    As profissões que compõe a saúde merecem muito respeito e dignidade em todos os sentidos, inclusive na remuneração financeira.


  216. Rafael ok agora você entendeo o que eu quis argumentar .


  217. Caro Rafael….tinha me prometido que não escreveria mais aqui,mas conseguiste a minha atenção!!! Realmente….lamentável o tipo de comentario que tu fez a meu respeito…”namoradinho,amiguinho”…justo vindo de alguem que se mostra um ser superios,dono da verdade,com a maior experiência do mundo! Mas não te preocupa,não me rebaixarei ao teu nível nesta resposta. Aliás,não pretendo escrever mais aqui,independente do que tu venha ou não a responder!!!
    Quanto ao que já escrevi aqui, é a MINHA opinião, nunca disse que deveria ser uma lei e muito menos pedi que fosse compartilhada. Quanto aos blablablassss….foi uma maneira de dizer que estava entediado das mesmas respostas…..”medicações previamente estabelecidas em programas de saúde”……”protocolos”…….e assim por diante! Quanto pedi que fosse esclarecido minhas dúvidas,não foi minha intenção medir conhecimento com qualquer outro profissional,mas sim, ler,aqui, exemplos dados por profissionais de enfermagem em que tipo de medicações eles prescrevem e que tipo de atendimento eles fazem…….vou repetir: EXEMPLOS,ou seja, o dia-a-ia.Não queria protocolos,mas sim experiências destes profissionais.
    Sou médico e com muito orgulho…sou jovem também,mas já trabalhei como plantonista em diversos hospitais, tive um breve período como médico em PSF e hoje faço especialização na área de medicina de imagem.
    Quanto ao teu caso clínico “Doutor” Rafael…ridículo né….me conta como foi….foste pesquisar no google e veio aquele caso no wikipédia???? Poderia descrever sinais tomográficos,cintilográficos e tu não saberia nem por onde comessar….quer dizer….tu podia pesquisar no google né,mas não vou te dar este trabalho de copiar e colar!!!
    Sou jovem,mas tenho muita personalidade e me preocupo muito em atender com qualidade e respeito meus pacientes. E é por isso que continuo com a MINHA opinião de que o atendimento clínico e prescrição de medicamentos seja feita somente pelo médico. Mesmo que seja uma consulta de um hipertenso ou um pré-natal ou que seja para prescrever uma dipirona!!
    Mas tenho ainda uma outra opinião: a de que tu “Doutor” Rafael…..NUNCA FOSTE, NÃO ÉS E NUNCA VAI SER UM MÉDICO!!!!!!!!!


  218. Eita é uma guerra enter vcs? nunca foste,nõa és e nunca vai ser um médico vcs dois não estar se comportando como “médicos” sempre querendo ser mais sabetudo que outro, o nome do blog estar errado deveria ser quem sabe mais em pleno natal muitas pessoas estar sofrendo nos hospitais e necesitando de vcs médicos para aliviar a sua dor.QUERIA muito poder estar formada em medicina como vcs mesmo sendo formada amo medicina e luto por este sonho e tem mais eu não perdia tempo debatendo, mais ajudando meus pacientes.


  219. Feliz natal pra ti também Michel , espero que tenha tido um …

    Vai procurar o caso no google, caso encontre, me manda o link , aliás, já aproveita e manda a resolução também para a galera …

    Pede pra sair … vai tarde … rs

    Afinal, nem tem mais o que discutir mesmo dentro do tópico, já tem experiências de sobra por aqui, você é quem não quer ver.

    Acredite no que quiser.

    Au revoir!


  220. Rafael rasrasrasrasrasrars vcs dois rasras !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


  221. Sou graduanda de enfermagem e realmente acho que quem prescreve medicamento é o médico, porém há uma GRANDE lacuna de conhecimento que tange este processo. Apesar de ser habilitado para prescrever medicamentos, quem sabe toda a ação do medicamento com seus efeitos colaterais, reações adversas e interações medicamentosas é o FARMACÊUTICO e não o médico. Além do mais, na maioria das vezes, o médico de fato não sabe nem o nome do paciente quiçá se ele é alérgico a determinada substancia que contenha uma medicação. O que acontecia até então não era prescrição TOTAL de medicamentos e sim a prescrição de apenas alguns medicamentos que estavam dentro do PSF, o que era, do verbo não é mais, muito válido já que os médicos nem se dão ao trabalho de botar os pés nas comunidades carentes, como favelas ou áreas campestres.
    Concordo com uma pessoa que escreveu neste blog, de que cada um, médico, enfermeiro, farmacêutico, enfim os profissionais da área da saúde, têm o seu valor dentro do contexto da saúde e que essa briguinha hipócrita e ridícula de “que todo o espaço tem que ser meu” é de fato infantil, resumindo uma perda de tempo, quando todos deveriam estar se unindo e tentando resolver a situação caótica da saúde do Brasil. Antes de sermos Enfermeiros ou Médicos, somos profissionais da saúde e se todos pensassem assim talvez a assistência de um modo geral seria de uma qualidade bem melhor.

    Att
    Érica


  222. Queridos acredito que antes de tudo é necessario respeito pela vida dos clientes, acredito que o enfermeiro passa 4 anos em uma universidade aprendemos farmacologia e antes disso aprendemos que um paciente não é só uma pessoa e sim uma pessoa que está ali para receber nossos cuidados é um ser humano antes de tudo e merece respeito coisa que parece que muitos não todos médicos não tem pelos pacientes quando atiram eles no hospital e deixam lá para os enfermeiros cuidarem, e se não fosse a equipe de enfermagem será que o médico ficaria a noite toda acordado de pé cuidando de um paciente que está a beira da morte e confortando seus familiares? ou simplismente iria prescrever um medicamento qualquer e ir embora para casa ficar com sua familia. Isso acontece por q


  223. continuando acontece por que os enfermeiros não gostam do que fazem eles AMAM e mesmo existindo pessoas mal agradecidas como a Aline que parece que nunca foi hospitalizada ou nao conhece a realidade dos hospitais publicos e é extremamente mal educada com estes profissionais, mesmo assim continuamos a lutar para salvar a vida de nossos pacientes pois o que interessa para nós é o juramento que fizemos ao nos formar e não apenas andar desfilando com um jaleco branco com o estetoscópio pendurado no pescoço muitas vezes não sabendo nem mesmo realizar uma ausculta cardiaca ou pulmonar e ser chamado de doutor A e também Aline quero relatar o que aconteceu semana passada quando havia um paciente com dispnéia FR: 08 m.p.m e eu estva de plantão quando derepente vejo este paciente entrei me contato com o médico e ele foi até lá e disse que era uma crise de asma, quando eu perguntei será que ele não está fazendo um edema DOUTOR ele me respondeu que ele era o médico e ele sabia o que fazia, as 22:35 o paciente venho a falacer sabe o que diz no atestado de óbito provável causa da morte EDEMA AGUDO DE PULMÃO, sem falar em outro colega que estava realizando residência conosco e prescreveu uma benzetacil 1.200 para ser administrada EV adivinha quem notou que a via de administração estava errada? O médico ou a enfermeira?
    Então Aline e demais colegas reflitam mais sobre o que é ser médico e ser enfermeiro comecem a analisar nos hospitais e serviços de saúde quem da atenção a saude do paciente, quem está la todo tempo, quem sabe do que o paciente tem alergia, o que ele pode comer, se ele fuma, se é HA ou DIA. Pense nisso e responda que merce o título de doutor e quem está mais apto a prescrever


  224. cecilia de uma olhadinha antes na grade curricular do enfermeiro e depois comente o que não sabe


  225. Acho que ainda está em tempo de desejar um feliz ano novo a todos, particularmente ao Rafael, ao Michel e à Taciana

    abraços


  226. Eu não sei se dou risada ou se choro…….
    Ahh…..um feliz ano novo pra ti também alfinetinho…..muita paciência pra ti nesse 2010…..acho que vai ser necessário!!!


  227. Michel,

    Por incrível que pareça, paciência não é meu forte.
    Parabéns pela escolha da especialidade, é uma tendência atual fugir das áreas básicas da medicina, o que é igual a fugir das encrencas.Você é jovem, mas, como já teve experiências em plantões de PS e no PSF possivelmente já percebeu como a nossa classe vem sendo massacrada e sofrendo ataques de todos os lados, vítima das políticas públicas, dos convênios, da sociedade, dos demais profissionais de saúde. Acredito que os médicos “cochilaram” por muito tempo e acabaram arrancados do pedestal e jogados na lama.Se os médicos continuarem a passivamente aceitar os rumos da nova forma de se fazer medicina tudo vai piorar muito, necessitamos nos unir, nos organizar, lutar por um ensino de qualidade, standardizar um mínimo que o recém formado deve saber, lutar por um piso salarial satisfatório, condizente com a responsabilidade do médico, evitando o multiemprego, possibilitando a educação continuada, lutar pelo direito do médico à reciclagem técnico-acadêmica, uma vez que somos por questão ética ( e inclusive legal!!) obrigados a manter nossos conteúdos de conhecimento atualizados, já percebeu isto?
    Você já se manifestou a favor do PL que regulamenta a medicina??
    De qualquer forma é bom ver um jovem defender a classe.
    Não se incomode com opiniões contrárias, elas são boas porque se contrargumentando se cresce muito, mas concordo que não se deva entrar para o lado pessoal e nem adjetivar os debatedores.


  228. alfinetinho é bom saber que michel defende a sua classe mais o respeito pelos outros é importante .


  229. profissional nossa são pessoas com vc que a saúde publica do Brasil não tem são poucos sejá assim sempre vc é bom profissional trabalhar com amor é muito bom , todos profissional da saúde é importante sejá médico,enfermeiro,fisioterapeuta,pisicologo etc porque o mais importante é ajudar o proximo.


  230. Capítulo III

    Do Exercício Profissional

    Art. 15 – É dever do farmacêutico;

    I – Cumprir a lei, manter a dignidade e a honra da profissão e observar o seu Código de Ética. Não dedicar-se a nenhuma atividade que venha trazer descrédito à profissão e denunciar toda conduta ilegal ou anti-ética que observar na prática profissional;

    II – Colocar seus serviços profissionais à disposição da comunidade em caso de conflito social interno, catástrofe ou epidemia, sem pleitear vantagem pessoal;

    III – Respeitar a vida humana, desde a concepção até a morte, jamais cooperando com atos que intencionalmente atentem contra ela, ou que coloque em risco sua integridade física ou psíquica;

    IV – Respeitar o direito do usuário de conhecer o medicamento que lhe é dispensado e de decidir sobre sua saúde e seu bem estar;

    V – Assumir, com visão social, sanitária e política, seu papel na determinação de padrões desejáveis do ensino e do exercício da Farmácia;

    VI – Contribuir para a promoção da saúde individual e coletiva principalmente no campo da prevenção, sobretudo quando, nessa área, desempenhar cargo ou função pública;

    VII – Informar e assessorar ao paciente sobre a utilização correto do medicamento;

    VIII – Ao aconselhar e prescrever medicamentos de livre dispensação, nos limites da atenção primária a saúde;

    IX – Observar sempre, com rigor científico, qualquer tipo de medicina alternativa, procurando melhorar a assistência ao paciente;

    X – Atualizar e ampliar seus conhecimentos técnico-científicos e sua cultura geral, visando ao bem público e a efetiva prestação de serviços ao ser humano, observando as normas e princípios do Sistema Nacional de Saúde, em especial quanto à atenção primária à saúde;

    XI – Utilizar os meios de comunicação a que tenha acesso para prestar esclarecimentos, conceder entrevistas ou palestras com finalidade educativa e de interesse social;

    XII – Selecionar, com critério e escrúpulo, e nos limites da lei, os auxiliares para o exercício de sua atividade;

    XIII – Abster-se da prática de atos que impliquem mercantilismo ou má conceituação da Farmácia;

    XIV – Comunicar ao Conselho Regional de Farmácia a às autoridades sanitárias a recusa ou dimensão de cargo, função ou emprego, motivada pela necessidade de preservar os legítimos interesses da profissão.


  231. Michel em dezembro 26, 2009 às 1:02 am | : “…não pretendo escrever mais aqui,independente do que tu venha ou não a responder!!!”

    Amém †

    ha ha ha (eu que não sei se rio ou se choro…)

    Ele não se aguenta ! Ele ama isso aqui !!

    Alfinetinho

    Obrigado pelo feliz ano novo meu caro colega! Igualmente para ti !

    Muitas realizações para ti em 2010!

    Vanderlei

    Muito bom ! certamente que era uma das pouquíssimas coisas que faltava nessa discussão ,a atribuição do farmacêutico.

    Profissional

    “Pense nisso e responda que merce o título de doutor e quem está mais apto a prescrever”

    Quem merece o título de Doutor é o Doutorado , o cara que tem uma tese e a defende inovando .

    Quem está apto a prescrever é o médico.

    Quem segue protocólos para prescrever é o enfermeiro.

    Se o sistema funcionar assim não tem erro !!

    Quem administra sabe bem da regrinha básica dos 5 certos não sabe ? Então o enfermeiro no caso de ter verificado o erro do médico quando observou a VIA ERRADA


  232. …nesse caso , o enfermeiro, ou técnico que aplicou o medicação não fez mais do que a obrigação de estar atento e observar o erro a ser corrigido … afinal de contas não trabalhamos em equipe ? um sistema ?

    O que acontece no sistema ? Quando um elemento falha o outro assume e tenta amenizar ou corrigir a falha !

    Fim de papo ! é isso ai !! Arda a quem arder , doa a quem doer, você é o heroi e você pode ser o vilão , principalmente se faltar com a ética e ficar comentando casos assim fora do ambiente e longe de sua equipe.

    Claro que erros crachos como esse não deveriam acontecer, mas são humanos cuidando de outros seres humanos , os quais estão sujeito a falhas , as quais devem ser corrigidas com tempo e prática .

    Obs: mudei meu e-mail para o terra Taciana.

    Thanks


  233. Alfinetinho

    “Se os médicos continuarem a passivamente aceitar os rumos da nova forma de se fazer medicina tudo vai piorar muito, necessitamos nos unir, nos organizar, lutar por um ensino de qualidade, standardizar um mínimo que o recém formado deve saber, lutar por um piso salarial satisfatório, condizente com a responsabilidade do médico, evitando o multiemprego, possibilitando a educação continuada, lutar pelo direito do médico à reciclagem técnico-acadêmica, uma vez que somos por questão ética ( e inclusive legal!!) obrigados a manter nossos conteúdos de conhecimento atualizados, já percebeu isto?”

    Os enfermeiros pararam de aceitar passivamente os rumos da mediocridade que se encontrava o sistema nos tempos pré-SUS (SUDS e antecessores) e lutaram e ainda lutam para melhorar a classe. Que ótimo, assim vamos ter profissionais atentos e qualificados , não é ?

    Os médicos de fato se acomodaram , ha quem viaje na ilusão de que é um legado de príncipe ser médico , o que sabemos bem que é uma profissão de prestação de serviços e de avanços científicos que vai requerer do profissional dedicação e estudo (me arrisco a dizer da aptidão também novamente como já comentei ano passado, não é para qualquer um que queira e, há muito tempo isso vem sendo discutido, não é atôa que o vestibular é concorrido e as vagas são poucas… ai vem essas universidades privadas e banalizam a medicina vendendo diplomas ).
    Temos mesmo que lutar por melhores condições de aprimoramento e educação permanente de fato e jamais nos acomodarmos , pois escolhemos isso !

    E eu vejo como exemplo a Enfermagem que vem com o seu “juramento”, não tão distinto do nosso, quando eles citam esse juramento com vigor, é admirável sim!

    Somos uma equipe afinal , trabalhamos juntos e se formos unidos exercendo cada um sua função tudo vai fluir bem, todos vão ganhar bem também e o paciente vai ganhar também com isso , é bem simples ! São os tolos ou inexperientes que ficam complicando .

    Aos enfermeiros que ainda estão dormindo !!

    Enfermeiros, não fiquem trabalhando em qualquer lugar em condições precárias, nem em clínicas geriátricas falsárias, nem em sanatórios mal administrados !! Não fiquem se prostituindo dando aulas em escolas técnicas que pagam mediocridades por hora aula e nem lhes dão registro !! Estão desmerecendo a profissão de vocês como quem oferece serviços de mão de obra barata !!

    Façam ao contrário, denunciem esses lugares as autoridades competentes, não compartilhem dessa falta de ética !!

    Foi por conta disso , dessas aulas que os profissionais ficavam dando por ai, que muitos orgãos regionais obrigam atualmente que o profissional tenha especialização latu sensu em docência , o que é justo e corretíssimo !!

    Quanto ao projeto de lei Alfinetinho

    O projeto de lei de regulamentação já deveria ter saído há muito tempo, só não precisava ter complicado com toda a história do “ato médico” , foi isso que deu “panos para manga” e a camisa ficou grande , quase que “camisa de força” .

    Mas todo esse papo é para outro tópico também meu caro …


  234. Rafael por que vc fala que tem muitas faculdades privadas que vende diploma de medicina? não é bem assim não isso é preconceito porque muitos fala que só quem passa em federal são os melhores! eu sei que é fogo para passar em uma faculdade federal mais o importante é ser um bom profi não importa que seja em federal ou não.ATÉ mesmo porque muitos sai “formados” de médicos da federal e não sabe nada , como em sergipe que a maioria dos estudantes de medicina da ufs não sabe nem oncologia direito .


  235. Não estou generalizando Roberta … nem vou citar nomes de instituições para não faltar com a Ética .


  236. ok mais nem sempre quem se forma em federal são os melhores.


  237. roberta obrigada faço enfermagem e para mim independente de ser chamada de doutora ou não quando em me formar, pra mim o mais importante é a vida da pessoa que está ali, isso é o de menos é uma pena que alguns médicos debochem e tratem a profissão de enfermagem como um lixo, mas com certeza continuarei fazendo meu trabalho da melhor forma por que como eu já disse não me interesso em ser chamada de doutora pra mim é muito mais gratificante ouvir um muito obrigado de um paciente que saiu do coma, ou ver um sorriso da mãe que acabou de ganhar o bebê, por que eu não gosto do que faço eu simplesmente amo.


  238. rafael concordo que trabalhamos em equipe, mas quem parece que não concorda é o médico que me falou que a paciente não estava com edema de pulmão, quando eu disse que poderia ser ele cegamente disse que o médico era ele, pois pra mim naquele momento o mais importante era salvar a vida daquele paciente mas infelizmente não foi o que aconteceu. E pelo visto não trabalhas com saude publica psf onde o enfermeiro tem que realizar pre-natal de baixo risco, cp, puericultura, grupo de hiperdia, milhoes de relatórios e você acha que ainda temos que ficar cuidando o que o médico faz para ele não fazer nada errado? e o nosso serviço quem cuida? e quem faz?


  239. te enganas não é o enfermeiro que administra medicamentos é o medico


  240. desculpe digitei mal quem prescreve é o tecnico em enfermagem não o enfermeiro


  241. quem administra é o tecnico não o enfermeiro


  242. Profissional

    Não se escorregue mais , não fique dando voltas, não fique nervoso, o que está escrito aqui só o adm pode apagar …

    Entendo bem como funciona todo o sistema , aliás todos aqui sabemos … (mesmo alguns não querendo enxergar como é a promoção de políticas de saúde ) se eu corrigir “o técnico administra” te fizer dormir melhor a noite então está bem !

    E se você PROFISSIONAL, conseguiu detectar uma falha e compartilhar com seu colega médico , parabéns , fez tudo certo ! continue assim !!
    Esse negócio de não tenho tempo , não tem ? Ah , tá , então como é que estava ali na hora pra encontrar edema de pulmão ?

    Nos diagnósticos de enfermagem da NANDA não tem esse diagnóstico de Edema de pulmão e nem similar , portanto nesse caso há uma invasão do CID senhor PROFISSIONAL.

    Sua parte terminou ali , onde começou a do médico o erro nesse caso foi dele de perder o paciente , não seu .

    Mas é um sistema sim e se você teve o azar de trabalhar com um “arrogante inflexível” contigo isso é uma particularidade sua e experiência de discriminação sua , está pegando sua realidade e generalizando para todos, acusando todos os médicos de serem pedantes assim … portanto fez seu trabalho quando o alertou, se ele acatou ou não , jamais se esqueça que a aquela vida estava na responsabilidade dele e você deve estar de consciência limpa por ter feito sua parte ora !

    Eu sei muito bem como funciona a ESF , sei muito bem das dificuldades que todos os profissionais sofrem para cobrir territórios hostilizados pela sociedade ,sei da papelada a ser preenchida e dos processos burocráticos necessários para não haverem arquivos com brechas legais, por isso eu continuo reafirmando que ” Se não quer e não tem idéias, ou vontade para ficar trabalhando com profissionalismo dediicado em um lugar assim vai procurar o que fazer, isso vale para todos os profissionais da saude !”

    A equipe de saúde é um sistema e tem de funcionar como tal ou não será um funcionamento planejado, será improviso generalizado .

    Enfermeiro aprende a ser gerenciador , como tal deve cumprir seu papel , os relatórios fazem parte e todos os ítens mais a serem cuidados legalmente. A agenda do médico não é trabalho do Enfermeiro, é da recepção , se você conhece algum enfermeiro que faz agenda de médico ele o faz porque está fora de seu senso de espaço.

    Médico faz seu trabalho de acompanhamento e tratamento de pacientes ora . Na ESF quando necessário faz isso domiciliar e tem que ir sim ,sem choro e nem vela, visitar paciente porque é essa a proposta do sistema onde esse prestador de serviço está inserido. Não quer fazer ? Sai , tem quem queira !!


  243. O que importa é que o profissional entendeu quem deve ser chamado de DR e acho que todos estão cientes que Doutor é o que está lá pesquisando , produzindo cientificamente, fazendo discertações e teses , tem o seu papel importante como todos os outros profissionais, mas ele é caracteristicamente o doutor e muitas vezes nem liga de ser chamado simplesmente de professor .

    E assim cada um com seu papel !


  244. profissional não tem porque fico feliz em saber que tem profissional como vc que trabalha com amor, não importa ser chamados de “doutor” o importante é trabalhar com a ética e o respeito , e sauvar vidas vcs enfermeiros são muito importante para médicina não só vcs mais todos em equipe.


  245. Bom Dia.
    Sou tecnica em biodiagnóstico e estudante de biomedicina. Tenho 35 anos de idade e 20 que trabalho em laboratório médico.
    …Nunca, mas nunca mesmo em minha vida profissional me senti inferiorizada por algum médico, mas devo dizer que: Dificilmente houve um dia em que eu não testemunhasse um enfermeiro,tecnico ou auxiliar de enfermagem contestando um diagnóstico ou uma prescrição médica.
    Apoio o ato médico, pois sei qual profissão escolhi (analises clinicas), amo o que faço, e com relação aos médicos o trabalho sempre foi conjunto…Também não concordo com o fato de em alguns postos de saude ter enfermeiro consultando e até prescrevendo medicamentos e exames. Só os melhores alunos entram num curso de medicina e ao contrario de enfermeiros passam quaze 10 anos da vida só estudando… Isso já mostra a diferença de preparo profissional. Eu jamais confiaria a minha vida a um enfermeiro e como convivo de perto com eles , a alguns eunão confiaria nem um analgésico via oral.


  246. …O que achei mais incrível de tudo que li, é que mesmo com 20 anos de profissão, nunca vi tanto enfermeiro(a) salva-vidas como li em uma hora.
    Talvez seja a hora da inversão de papeis, pois de acordo com as declarações aqui feitas os médicos sempre estão prestes a matar alguém quando, graças a Deus, surge um super enfermeiro.
    …Todos os profissionais (sem excessão) cometem algum erro… Isso não serve como argumento.
    O PL do ato médico é tão claro, que por mais que eu leia a cartilha (disponível no site do CRM) não consigo me sentir prejudicada.
    Talvez eu tenha dificuldade em interpretação de texto… ou talvez seja o acumulo de complexo de inferioridade que incomoda mesmo.
    A grandeza de nossas profissões é feita por nós… a dedicação ao que fazemos é o que nos torna especiais.
    Observo as duas profissões diariamente ( médicos e enfermeiros) e toda vez que vejo alguma hostilidade é vinda da enfermegem que por algum motivo (que eu desconheço) não aceita o fato de um médico ser mais preparado.

    Até agora me pergunto por que diabos o CRBM entrou nessa briga.


  247. Estou cursando a faculdade de enfermagem e vejo o quanto alguns médicos se sentem reis nos hospitais,em primeiro lugar exigem serem chamados de DR. sendo que so pode ser quem tem o DOUTORADO..Outra o hospital para se não tive os enfermeiros..façamos um teste..joga todos os médicos e tira os enfermeiros..ficam perdidos la..ja vi casos de médicos não saberem pulsionar veias(SENDO TÃO SIMPLES O PROCEDIMENTO) E PRECISAR DA AJUDA DA ENFERMEIRA.Galera somos equipe..Médicos parem em querer o ATO MÉDICO..Pra quem é favor deixo uma pergunta:Vcs médicos vão querer durante um plantão na correria do hospital,parar pra ir puncionar uma veia?ou pra passar um sonda?PRECISAM DOS ENFERMEIROS..GALERA COMUNHÃO..PAREM DE SER EGOISTAS.


  248. É uma pena tudo isso pois ninguém ……….em primeiro lugar o “Doutor médico” trabalhar em “EQUIPE”, gente a enfermagem é o CUIDAR e medicina DIAGNOSTICAR, e o que vejo hospital a fora é uma briga enorme pra ver quem manda quero ver mandar bem com o paciente que é o objetivo de todos.
    Helem …….se contestamos é por que em primeiro lugar temos o conhecimento de ver que aquilo está errado e temos o dever de proteger o paciente de imperícia e imprudência de um membro da “equipe” pois na hora que somos cobrados pelo erro de um a “EQUIPE” é que é culpada.


  249. A vaidade e o orgulho do ser humano é impressionante. A que ponto chegamos. Sejamos mais humildes e respeitadores nunca esquecendo que a peça mais importante é o paciente. Parem de brigar! Pratiquem a humildade e o respeito mútuo no trabalho em equipe. Todos são importantes.


    • Deia, obrigada pela participação.

      Faço das suas palavras às da equipe do Fala Médico. “Pratiquem a humildade e o respeito mútuo no trabalho em equipe. Todos são importantes.”

      Abraços, Taciana


  250. Ao exigir respeito os componentes da Medicina, aparenta que os profissionais de enfermagem os agridem com alguns fatos inusitados, o que nao entendo cognitivamente é o paralelo que existe entre respeito e profissionalismo, somos sabedores que o ato de prescrição é de responsabilidade do Médico, o que alguns o fazem com muito respaudo e respeito; porém o que me intristece emocionalemnte é a falta de respeito que esses profissionais demonstram para com os ENFERMEIROS, cuja também em sua formação acadêmica veem de maneira minuciosa as tecnicas de administração, qual medicamento usar para determinado caso, como analisar e interpretar um resultado de diagnóstico, e que em suma, na maior parte das vezes é o responsavel por toda a unidade de saúde, pois, o profissional ou categoria que solicitou respeito esquece de sua função em juramento é que a de assistir e oferecer qualidade de vida aos clientes que passam por alguma desfunção orgânica ou psicológica, antes de respeito pesso de vocês nobres senhores da “verdade” uma auto-reflexão sobre vossas posturas ao longo da história da humanidade. Muito a medicina contribuiu e contribui no processos de profilaxia e melhoramento da saúde, mas nao esqueçam que o ENFERMEIRO sempre esteve e sempre estará do lado dos que clamam por RESPEITO(aluno da graduação de enfermagem e pedagogo, Márcio Rodrigues; Fortaleza-CE)!! Obrigado à todos e uma semana da enfermagem reflexiva e questionadora a vocês que respeitão e admiram nossa honrosa profissão.


    • Oi Márcio, tudo bem?

      Concordamos com você. Deve haver respeito mútuo entre as profissões. Tenho certeza, que este respeito existe entre os profissionais médicos e enfermeiros em muitos hospitais e clínicas. Conheço inúmeros médicos que admiram o trabalho dos enfermeiros e de enfermeiros que são muito gratos aos médicos. O que não podemos fazer é deixar o orgulho nos levar e querer competir uns com os outros. O enfermeiro complementa o trabalho do médico, e vice-versa. Ao entender isto, acredito que o respeito vem automaticamente.

      Abraços, Taciana


  251. Acho que médicos e enfermeiros deveriam se respeitar mais e lembrar que o mais importante é o PACIENTE!
    Um dos grandes problemas é que existe um número de médicos arcaicos que pararam no tempo e estão vendo a enfermagem ganhar espaços cada vez maiores nas instituiçóes de saúde e seu orgulho não quer permitir tal coisa.


  252. Eu, estou preparando um protocolo completo para o meu municipio, tenho um rapaz que não e jornalista e nem radialista mais e dono da radio comunitaria da cidade que fica comendando a consulta de enfermagem e prescrição, não conseguio nada com o meu prefeito e fica colocando algo pra atingir o meu prefeito, sou enfermeiro obstetrico pos-graduado, tenho pos-psf e tenho tres treinamento de aidep e outros mais.


  253. cada macaco no seu galho!!! É função sim também do enfermeiro administar medicações sim e não somente do técnico e auxiliar de enfermargem; é bom esses funionários graduados folgados não acumular o serviço do ao pobre do técnico é muito fácil fazer diagnóstico e prescrever!!! mas isso é função de médico!!!!
    Sabe o que acontece é que muitas vezes o enfermeiro é um médico que não passou no vestibular e se frustou!!!!
    cada macaco no seu galho.


  254. Se o TRF da primeira região de Brasília tornou inválida a resolução 272/2002 que permitia que enfermeiros fizessem exames médicos, prescrevessem medicamentos e fizessem diagnósticos de doenças, como existem pessoas por aí falando que não precisa se preocupar, que a lei 7498/86, permite aos enfermeiros fazer prescrição de medicamentos, que a resolução permitiria tal procedimento. Com a queda dessa resolução Acho que quem sai ganhando é o povo brasileiro e a saúde pública, cabe ao médico, diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames e outras atribuições na sua profissão, o que seria dos médicos e da saúde pública e da população brasileira, se continuar sendo permitido tais atos, ao enfermeiro cabe comandar a equipe de enfermagem e o que diz respeito aos cuidados com os pacientes e outras atribuições na sua profissão, cada qual no seu cada qual.


  255. Geraldo, vc é enfermeiro não médico, pra ser médico vc tem que fazer medicina, meu amigo. não confunda as coisas.


  256. Ignorantes!!!Os Enfermeiros podem sim prescrever medicamentos!!!O que acontece é que muitos ignorantes como 99,99% do povo brasileiro,nao sabem distinguir a prescriçao de enfermagem da prescriçao médica!!!A Enfermagem como muitos pensam,nao é parecida com a Medicina!!!A Medicina é uma profissao regida pela arte e ciência do CURAR enquanto a Enfermagem é regida pela arte e ciência do CUIDAR!!!Assim sendo,a prescriçao de Enfermagem inclui medicamentos simples que o paciente usa por exemplo no tratamento de ferida ou úlcera.Agora se tem Enfermeiro prescrevendo medicamentos da precriçao médica,aí é outro assunto!!!Mas é válido ressaltar que nem os médicos tem capacitaçao suficiente para prescrever medicamentos!!!A maioria das escolas de medicina tem apenas um semestre de Farmacologia(a disciplina que capacita o profissional para a prescriçao de medicamentos)!!!Na verdade quem deveria prescrever seriam os Farmacêuticos,por terem uma capacitaçao extrema em medicamentos!!!….Portanto “cambada de ignorantes”,procurem conhecer melhor as atribuiçoes de uma profissao antes de dizerem o que vocês “acham”!!!A visao de Enfermeiro neste país por incrivel que pareça ainda é do profissional que só presta pra receber ordens dos médicos,empurrar cadeiras de rodas,dar injeçao,aplicar soro,e nao como um profissional com conhecimento científico,intelectual,técnico,responsável pela prevençao,promoçao e manutençao da saúde do indivíduo!!!…Há,só pra nenhum ”ignorante” dizer que estou falando mentira pra defender os Enfermeiros,peguem um livro de legislaçao em Enfermagem e leiam sobre as atribuiçoes do Enfermeiro e depois pensem bem antes de sairem feito pessoas sem ética criticando a profissao dos outros!!!


  257. Ignorantes!!!Os Enfermeiros podem sim prescrever medicamentos!!!O que acontece é que muitos ignorantes como 99,99% do povo brasileiro,nao sabem distinguir a prescriçao de enfermagem da prescriçao médica!!!A Enfermagem como muitos pensam,nao é parecida com a Medicina!!!A Medicina é uma profissao regida pela arte e ciência do CURAR enquanto a Enfermagem é regida pela arte e ciência do CUIDAR!!!Assim sendo,a prescriçao de Enfermagem inclui medicamentos simples que o paciente usa por exemplo no tratamento de ferida ou úlcera.Agora se tem Enfermeiro prescrevendo medicamentos da precriçao médica,aí é outro assunto!!!Mas é válido ressaltar que nem os médicos tem capacitaçao suficiente para prescrever medicamentos!!!A maioria das escolas de medicina tem apenas um semestre de Farmacologia(a disciplina que capacita o profissional para a prescriçao de medicamentos)!!!Na verdade quem deveria prescrever seriam os Farmacêuticos,por terem uma capacitaçao extrema em medicamentos!!!….Portanto “cambada de ignorantes”,procurem conhecer melhor as atribuiçoes de uma profissao antes de dizerem o que vocês “acham”!!!A visao de Enfermeiro neste país por incrivel que pareça ainda é do profissional que só presta pra receber ordens dos médicos,empurrar cadeiras de rodas,dar injeçao,aplicar soro,e nao como um profissional com conhecimento científico,intelectual,técnico,responsável pela prevençao,promoçao e manutençao da saúde do indivíduo!!!…Há,só pra nenhum ”ignorante” dizer que estou falando mentira pra defender os Enfermeiros,peguem um livro de legislaçao em Enfermagem e leiam sobre as atribuiçoes do Enfermeiro e depois pensem bem antes de sairem feito pessoas sem ética criticando a profissao dos outros!!!


  258. genteeee, fui em um hospital psiquiatrico e lá encontrei uma paciente que é de uma família rica…mas que todos os dias elas tah de branco e diz ser uma profissional da saúde diferente…Mas sim, e o que isso tem com a conversa aqui? Ela quis tanto fazer medicina que chegou aonde chegou, não conseguiu entrar na faculdade…
    MAS PERGUNTEM A BULA de qualquer remedio p ela?
    kkkkkkkkk
    Ela sabe mais que todo mundo que já comentou aí em cima…
    É sério..choqueeeei!!
    Ela sabeee meeeesmo..e vcs ficam brigandoooo p ver quem pooode e quem não pooode…cada qual tem suas funções e ponto final. O médico pooode dentro do q lhe foi capacitado assim como o enfermeiro pooode tmb dentro do que lhe foi lhe dado como capacidade..
    Agora essa moça que conheci, pena que não pode, prq ela sabe mt mais demedicamentos do que qlqr um eeeee ela é mt mais boa da cabeça do q muitos que pensam e se dizem ser…Já ouvi dizer q enfermeiro é médico frustrado! Ou será que os médicos que estão começando a ficarem frustrados pela capacidade dos enfermeiros…
    Geeente!! Olha o século que estamos….médico ser um Deus é coisa do passado..os novos médicos..graças a DEUS estão vindo p fazer a diferença aprendendo que não são Deus e os novos enfermeiros estão vindo p fazer a diferença também p mostrarem que tem o seu espaço e que tem competencia suficiente p ocupar o espaço que lhe foi dado..
    Os médicos do Brasil são formados p prescreverem e os dos EUA p prevenção…
    Quem é mais bem remunerado nos EUA?
    Enfermeiros
    Poooois ééé!
    Uma equipe médica funciona sem o TO, sem o Fisio, sem o tec. enf…mas não funciona sem o médico e o enfermeiro juntos..
    Um dia desses eu vi um médico passando uma sonda vesical…QUE DERROOOOOOOOOTA! Tuuuudo erradoo!
    Eu só sou aluna de enf…e assisti uma palestra de um grande médico que agradeceu aos enfermeiros GRANDE parte do que ele sabe prq foi na prática e com as colegas enfermeiras (os) que ele aprendeu muuuita coisa….inclusive a passar uma sonda vesical!! rs

    Sabe que horas q vc sabe q vc n é Deus e é só um mero profissional de saúde? Quando nenhum medicamento q vc fizer vai salvar aquela vida…
    Ngm vai ser melhor q ngm perante os olhos de Deus e é o que já basta.


  259. Lei do exercicio da profissao de enfermagem:

    II – como integrante da equipe de saúde:

    § 3º Prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde;

    Palhaçada fazer um site so p/ isso hein.


  260. em junho 17, 2010 at 7:11 pm | Resposta Enf. Rosangela

    Sou enfermeira. Defendo a prescrição de cuidados para a enfermagem. Acho que mais q justo esse tipo de prescrição para nós. Até porque fui treinada para fazer ótimos curativos. Agora sou contra nossa classe prescrever medicamentos. Até porque sabemos que não fomos preparadas para isso. Não confiaria minha vida em outra colega minha enfermeira se eu tivesse na UTI, por exemplo, não estamos capacitados para isso. Eu eu reconheço que não sabemos nada disso. Gostaria de um médico cuidando de mim. Cada um no seu galho. Viva a enfermagem. Viva a medicina. Duas profissões lindas!


  261. Trabalho na gerência de um grande hospital, vejo o trabalho de médicos e enfermeiros diariamente, o que deve existir em um hospital ou qualquer lugar onde haja saúde com médicos, enfermeiros, técnicos etc… tem que haver disciplina e equipe, principalmente equipe. O enfermeiros tem tantas preocupações dentro de um hospital que não há necessidade dele prescrever, a final à área que abrange a enfermagem é enorme. O enfermeiro tem que chefiar sua equipe e para o bem do paciente, o zelo do mesmo, para que haja humanismo. Verificar se o paciente está limpo, se foi medicado, se o leitos estão preparados para receber novos pacientes após alta de outros, se o centro cirurgico está em pleno funcionamento em equipamentos, limpeza etc. Então respeitando os médicos. O enfermeiro hoje é de excencial escolha dentro de um hospital por causa de sua preparação acadêmica. Agora dentro da medicação é claro que o enfermeiro tem que buscar conhecer cada vez mais e mais, pq ele muitas das vezes corrige medicos inexperientes em erros de prescrições em horários e por exemplo soro glicosado para diabéticos. Xau…


  262. olá,
    sem saber mais o que fazer vem pedir auxilio a,se vocês puderem me ajudar eu desde já agradeço!
    bom estou com um problema no psf (posto de saúde) em Minas Gerais,Itabira no bairro Eldorado,pois no psf a enfermeira não permite que você veja um medico sem antes ela diagnosticar se você precisa de vé-lo ou não.
    ou seja se ela achar que não deve você nunca verá um!
    Eu realmente acho um absurdo isso!
    Pois eu sei que todo ser humano tem o direito em lei de ver um medico,gratuito!
    Eu não quis e não quero permitir que ela veja o meu exame medico,e com isso ela me disse que se eu não deixa-se ela visse o enxame eu deveria então procurar um medico particular.
    se puderem me ajudar nisso eu agradeço,ou ate mesmo me informar onde eu levo minha reclamação,pois eu já liguei para a secretaria de saúde no meu estado e de nada adiantou pois simplesmente me aconselhou que deixasse ela ver pois e norma do psf!!
    muito grata.
    aguardo anciosamente a resposta.


    • em agosto 11, 2010 at 2:42 am | Resposta Danillo Pessoa de Bragança

      Veja só acho que vc tem algum problema pessoal com essa profissional ou então vc não tem criatividade e nem iniciativa de esperar pra falar com o médico pessoalmente.


  263. querem medica ou diagnosticar estudem e se preperem pra isso como os medicos fazem!
    nao adianta enfermeiros como vcs se defenderem e dizerem q estao aptos ou nao somos nos os paciantes e quem temos que saber se queremos ou nao que vcs mediquem ou nao!
    e logico q vcs vao se defender!mas eu como um ser humano
    quero fazer o meu direito de ter um medico cuidando de mim e nao um enfermeiro!cada um com seu cada um!
    vcs merecem sim serem tratados com respeito dentro do seu limite de trabalho!É relmante uma linda profissao.
    O NOSSO AMIGO DANILO DIZ:
    A A maioria das escolas de medicina tem apenas um semestre de Farmacologia(a disciplina que capacita o profissional para a prescriçao de medicamentos)!!!
    mas quanto tempo tem as maiorias das escolas de enfermagem tem quantos semestres para isso??
    bom entao o ignorante e voce nao nos.. a camabada!
    e a camabada que deve escolher se querem ou nao ser medicados e diagnosticada por vcs,q nao tem capacidade para isso!


    • em agosto 11, 2010 at 2:48 am | Resposta Danillo Pessoa de Bragança

      Senhora Geicemara vc é muito estressada tenha cuidado para um dia não cair nas mãos de um médico do SUS que nem olha pra vc pra passar o medicamento escolha sempre as melhores clinicas e hospitais e lembre se de que o melhor de todos os planos de saúde é o dinheiro ele sim abre todos os caminhos para vc ter um tratamento eficaz, ele sim é o “faz me rir” de todos os bons médicos. E quanto aos enfermeiros os melhores estão sim na rede particular a qual vc deve ter total acesso.


    • SENHORA GEICIMARA,

      se quer saber eu fiz 300 h de farmacologia….

      3 semestres, com um farmaceutico doutor….

      SOU ENFERMEIRA COM MUITO PRAZER!!!!


  264. em agosto 11, 2010 at 2:38 am | Resposta Danillo Pessoa de Bragança

    Quem for médico que dê de conta de atender toda a sua demanda, isso me refiro aos que trabalham em UBS porque o médico que trabalha comigo só vai três dias na semana e não atende a todos, dai vcs acham que eu vou me prestar em atender a clientela no lugar dele? A população que se vire e reclame à secretaria de saúde para contratar um profissional medico de competencia e compromisso, se ele é o medico que medique. É bom lembrar que quando o remedio que o enfermeiro entrega dar certo tudo bem, mas no dia que der errado? a culpa será toda do enfermeiro.


  265. em agosto 18, 2010 at 5:33 pm | Resposta Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira

    O que me assusta em algumas mensagens que li é o péssimo português de profissionais de nível superior. A palavra PESQUISA escrita com “Z” (não é pesquiza) e a palavra prescrição escrita com dois “S” (não é prescrissão). Pelo que escreveram mostram ser profissionais competentes. Entendem de leis, mas falta um pouco de atenção na língua portuguesa.
    De qualquer forma pessoal, eu estou terminando de montar um site com um curso de clínica para profissionais de saúde. Incluindo comentando leis de outros países que deram permissão, por lei, aos farmacêuticos e enfermeiros receitarem medicamentos de prescrição (em inglês: PRESCRIPTION DRUGS). Tais países aprovaram estas leis nos útimos 5 anos e são eles: Canadá, 6 estados dos EUA, Inglaterra, País de Gales, Irlanda, Escócia, Nova Zelândia e Austrália. Lembrando que é antiga a lei que obriga o farmacêutico a receitar medicamentos de livre dispensação nos limites de atenção primária à saúde. Esta lei já existia em todo o mundo (Brasil inclusive). Estes países supracitados ampliaram a lei para medicamentos com tarja.
    Um abraço a todos,
    Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira
    ricardodesouzapereira@yahoo.com.br


  266. Um grande problema nos dias de hoje, é que no Brasil formam poucos médicos por ano, e muito pendem para cirurgia, para plastica, dermatologia etc, que dão mais lucro e o PSF fica descoberto, eu falo pelo Amazonas porque trabalho aqui, sendo que em muitos interiores daqui o Enfermeiro tem que fazer de tudo um pouco e o téc. de enfermagem também, inclusive fazer papel de enfermeiro por falta deste profissional. O maior problema é que quem paga o pato no final é o cliente que precisa da saúde e é claro não tem um atendimento de qualidade. Obrigado!


  267. Boa Noite!

    Sou Enfermeiro De PSF e Asssistencia Neonatal. Não sei por que os Médicos Lutam pelo ATO médico, pois Muitos, Muitos não querem trabalhar com o pobre. Faço um desafio se vocês conhecerem algum Médico que faça: Preventivo, acompanhamento de Hanseniase e tuberculose, assistencia a criança e Mulher, Pré-natal, assistencia Neonatologia e assistencia de paciente grave adulto. Do a indicação para trabalhar comigo é ganhar 7.400 reais. Você não é bom vem trabalhar comigo? Tenho é que trabalhar em equipe e deixar o ego de lado. pois nós não sabemos tudo, sempre estamos aprendendo uns com os outros.


    • Qualquer médico de PSF faz isso que vc diz fazer, e muito melhor, pois ao contrário da enfermagem, o médico estudou p isso… Muitos médicos trabalham para o pobre e sem receber esse dinheiro q vc está falando. Vc naum entende nada da vida profissional. Um dia vc terá visto muitas coisas. Conheço a formação profissional de um enfermeiro e sei que, ao contrário da do médico, não consta nada do que vc falou acima. NADA! Q bom que é proibido o enfermeiro consultar e prescrever. Assim se vc o faz, vc está contra a lei..


  268. o sonho de todo enfermeiro eh ser MEDICO, agora pergunta se o medico quer ser enfermeiro, enfermeiros, parem de bagunca, o trabalho de vcs eh cuidar dos doentes e nos auxiliar os medicos na arte de curar!


  269. oi gostaria de saber tecnico de enfermagem não pode ver exames ne de tipo nem um eu acho pelo fato de etica proficional etrabalho do enfermero chefe e do medico seja exame de sangue ou preventivo eu trabalho em saude publica e não olho pelo fato dos paciente sairem falando que as tecnicas olham os exames sai falando entam nam olho.


  270. em outubro 15, 2010 at 2:57 am | Resposta Jocyfran Martins

    Após ler incansavelmente os debates que se seguiram venho me manifestar na tentativa de trazes alguns esclarecimentos que parecem necessários, baseados em minha formação acadêmica e vida profissional.
    A prescrição medicamentosa por enfermeiros é fato e regulamentada por lei conforme já exposto e nos casos já citados bem como a solicitação de exames, em aspectos práticos e legais pretendo exemplificar em algumas poucas situações reais como esta funciona.
    No município onde atuo como enfermeiro de ESF (Estratégia Saúde da Família), dentre tais procedimentos posso citar a prescrição de Sulfato Ferroso e Ácido Fólico para gestantes, bem como a solicitação dos exames preconizados para a realização de um pré-natal, ação baseada em fundamentos científicos inerentes a ambas as profissões (MÉDICOS E ENFERMEIROS), profissionais legalmente habilitados para acompanhar um pré-natal, todavia se esta gestante desenvolver complicações potenciais como DHEG, esta passará somente a ser acompanhada pelo profissional médico devido sua formação habiltá-lo para tal situação e iniciar sua conduta, que em hipótese alguma será tomada pelo profissional enfermeiro.
    Quanto à RNs lactentes é preconizado o uso de Vit A+D 2gts dia a partir do 15 dia, também podendo ser prescrito por ambos os profissionais. No caso de medicações para HAS, DM insulino ou não dependentes, o esquema terapêutico com hipoglicemiantes, insulina, inibidores da ECA, betabloqueadores entre outros somente poderá ser iniciado e estabelecido por um profissional médico, todavia se este mesmo paciente mantém-se com seu nível glicêmico e pressórico estável e numa situação inusitada como por exemplo a perda ou extravio de sua receita com validade ainda vigente, este necessitará manter seu esquema terapêutico sem interrupção, onde uma vez registrado em prontuário pelo médico o esquema iniciado, o enfermeiro da equipe poderá sem problema legal algum manter este mesmo tratamento até a próxima reavaliação do médico em rotina mediante o fornecimento de receituário mesmo que carimbado pelo enfermeiro.
    Quanto a interpretação de exames laboratoriais, um profissional médico que insiste em não entender as situações expostas mencionou que um enfermeiro provavelmente não saiba no caso de um simples hemograma interpreta-lo, mais especificamente no caso de RDW, HCM, VHCM e outros. Lamento informá-lo mas lembro-me claramente desta aula em meu terceiro semestre no curso de graduação em enfermagem, então se este insinuou que um enfermeiro não sabe a diferença na fisiopatologia de algumas doenças como anemia ferropriva e anemia megaloblástica, só tenho a lamentar a imposição de sua supremacia, deixando claro que não desfaço em momento algum do profissional médico enquanto membro da equipe de saúde, entretanto, antes de afirmar que o outro não é capacitado ou não conhece sobre o assunto, apenas sugiro que procure se informar, inclusive outros profissionais detém esse conhecimento, como por exemplo os farmacêuticos e biomédicos, que normalmente laudam tais exames.
    Há algo que é certo, enfermeiro é enfermeiro e médico é medico, cada um com suas atribuições, havendo uma certa distorção a respeito da discussão, pois não lutamos pelo direito de deliberadamente prescrever medicamentos ou realizar diagnósticos e muitos menos desejando a profissão do outro que infelizmente na maioria das vezes crê ser habilitado a exercer uma profissão que esta hierarquicamente superior as outras profissões da saúde o que é uma inverdade. Cada qual com sua atuação e seu respeito.
    Em minha equipe o médico já tem pelo menos uns 15 anos de formado (muito mais do que eu como enfermeiro), independente disto, não há supremacia pela sua profissão e nos recorremos um ao outro em caso de dúvidas, pois temos ciência que nenhum de nós é detentor de pleno saber e que necessitamos complementar um ao outro em benefício da assistência.


  271. em novembro 3, 2010 at 5:37 am | Resposta alyne cristiane lopes

    Rafael, vc é muito articulado e muito bem informado. Por sua tamanha coerência conseguiu fazer com que eu voltasse a ler o assunto na íntegra. Parabéns


  272. em novembro 3, 2010 at 5:40 am | Resposta alyne cristiane lopes

    Michel, acho que você nunca levou tanta bordoada assim em toda sua vida heim! rsrs


  273. Como é possível em em meios a tantos avanços e pesquisas, ainda existirem profissionais tão alienados


  274. Como é possível em em meios a tantos avanços e pesquisas, ainda existirem profissionais tão alienados feito o Michel


  275. em novembro 5, 2010 at 4:56 am | Resposta Claudia Marcondes

    Nooossa! nunca imaginei que pudesse haver tanta arrogância em um ser humano


  276. Caro colegas se continuarmos essa discursão chegaremos a uma divisão de classe de pacientes, ou seja o de primeira classe que quando seu filho fica enfermo leva a um hospital onde é atendido pelo médico, e o de segunda classe que leva seu filho em um posto de saúde e é “medicado” por um enfermeiro, será que o enfermeiro levaria a sua esposa para fazer pré-natal com outro enfermeiro, será que ele levaria o seu filho para consultar com um outro enfermeiro, então estamos diante da saúde do pobre atendido por enfermeiro e a saúde do rico que atendido pelo médico, se o médico desejar ser enfermeiro ou se o enfermeiro desejar ser médico é só fazer o vestibular e pronto, será o fim desse embate…


  277. Caros colegas se continuarmos essa discursão chegaremos a uma divisão de classe de pacientes, ou seja o de primeira classe que quando seu filho fica enfermo leva a um hospital onde é atendido pelo médico, e o de segunda classe que leva seu filho em um posto de saúde e é “medicado” por um enfermeiro, será que o enfermeiro levaria a sua esposa para fazer pré-natal com outro enfermeiro, será que ele levaria o seu filho para consultar com um outro enfermeiro, então estamos diante da saúde do pobre atendido por enfermeiro e a saúde do rico que atendido pelo médico, se o médico desejar ser enfermeiro ou se o enfermeiro desejar ser médico é só fazer o vestibular e pronto, será o fim desse embate…


    • Realmente Marcelo vc está certo, tão certo que a Gisele Bündchen, uma mulher pobre e analfabeta, quis fazer o pré-natal e o parto com uma enfermeira….


  278. Caro Marcelo, isso aqui tá repetitivo demais não é? ainda, muitos estão com dificuldades de entender! agora vc querer falar que medicos são para ricos e enfermeiros para póbres essa é demaaaais!!! estamos falando também de competências profissionais, avanços nas pesquisas… portanto meu bem, pode acontecer de um currículo de enfermeiro ser muito mais rico em conhecimento e ser admitido num Sírio Libanês da vida e o de um médico ir para um hospitalzinho de periferia. Deixando claro que um hospital só funciona se ambos tiverem trabalhando. Ah! como o Rafael disse, não impórta a áre em que você atua e sim o nível de conhecimento que tem, então quanto mais se estuda….


  279. Caros colegas, a saúde dos brasileiros não é um patrimônio dos médicos. a medicina é uma ciência, os médicos profissionasi de saúde. a medicina não forja seus conhecimentos independentemente, seus conhecimentos são compostos por muitas disciplinas, assim como o conhecimento de enfermagem o é. portanto, nenhuma profissão pode se apoderar dos conhecimentos e descobertas da umanidade para se beneciar financeiramente, pois percebemos que em tudo que proporcione lucros os colegas médicos estão brigando para monopolizarem. a saúde das populações não é uma mercadoria. as pessoas não podem permitir que seus direitos sejam mercantilizados pelos mercenários, não digo todos, pois existem colegas médicos que realmente lutam por uma saúde de qualidade e sabem a importância de uma atenção à saúde voltada para uma atuação multiprofissional e multidisciplinar. a medicina muitas vezes se apropriam de conhecimentos e descobertas adquiridos por disciplinas como a biologia e suas áreas, química, física e etc. e as difundem como sendo descobertas da medicina. a egemonia médica é inegável, mas as pessoa carecem de algo mais que um poder egemônico que dite regras e que, principalmente ganhe muito dinheiro às custas do sofrimento de muitos. não é incorreto que a enfermagem faça suas prescrições, até porque a enfermagem é tão milenar quanto a medicina, apesar de recém nascida como profissão. sempre houve o cuidar e não existe o cuidado sem a prescrição desses cuidados que inclui a prescrição de medicamentos. se os médicos acham que os enfermeiros não devem prescrever medicações arranjem um bom motivo para que isso não ocorra, pois a velha ladainha de que isso é “ato médico” não cola mais e não tem a menor graça e lógica. defendo que outros profissionais também devam se emancipar e fazer suas prescrições medicamentosas e solicitação de exames quando necessário, mas é dever de seus conhselhos lutarem por autonomia profissional. não defendo que os enfermeiros devam fazer prescrição sem a devida competência técnica, mas cada profissional é responsável pelos seus atos, assim como os senhores médicos. o que a saúde precisa é de cuidados. o velho paradigma da cura já passou. os conceitos de saúde e doença evoluíram e nós estamos discutindo quem pode ou não prescrever medicamentos, trocando agressões? não vamos mercantilizar saúde das pessoas. muitos médicos e seus conselhos tem medo de que um dia a enfermagem possa vir a realizar essa prescrições em consultórios particulares e, dessa forma, o valor de suas consultas possam cair. não se preocupem, senhores, pois quando começarem a surgir, por exigência das altas demandas por médicos, a formação de um profissional com menor carga horária e formação mais técnica. não demora e chegarão os para-médicos para trabalharem em atendimento pré-hospitalar e unidades móveis de urgência e hemergência. o brasil é pobre em médicos, principalmente os generalistas e quando se fala em abrir uma faculdade de medicina os conselhos de medicina jogam duro para boicotarem, pois sabemos que a ei da oferta e da procura existe e é impiedosa. a saúde somente será melhor quando os médicos forem formados por vocação e não pela melhor oferta de dinheiro que lhe é oferecida. isso se resolve, em parte com a abertura de faculdades de medicinas em regiões estratégicas do pais e em parte pela isonomia salarial de profissionasi de nível superior na área de saúde e que desempenham atividades semelhantes em grau de responsabilidades e complexidades. fiquem com Deus.


  280. POXA EDGAR GOSTEI É ISSO MESMO MAIS ETICA E NÃO ARROGÂNCIA TUDO ISSO QUE VC FALOU É VERDADE NÃO AO ATO MÉDICO SIM Á EQUIPE.


  281. geicimara vc é muito ignorante minha filha tenha mais respeito pela enfermagem, vc não necesita só de médicos ok veja se tem hospital onde trabalha só médicos.


  282. Ato medico é ridículo!!!! estamos no deculo XXl e ainda as faculdades estão formando medicos egocêntricos. Aprendam trabalhar em equipe seus ogros


  283. em dezembro 13, 2010 at 6:26 pm | Resposta Tatiane Balbinotti

    Me orgulha ver que existem pessoas que não so nasceram com o dom de cuidar mas que ainda defendem sua profissão com tanta garra. Parabens enfermeiros, mesmo o mundo capitalista impondo que médico é mais importante que enfermeiro, que advogado é mais importante que professor de história, cada dia estamus juntos conquistando o nosso espaço, e mostrando para algumas mentes alienadas e influenciadas por um poderil que históricamente tenta se manter no poder, que equipes multiprofissionais bem treinadas atuando juntas, tem maior sucesso em promover saúde e bem estar de qualquer cliente/paciente.

    Lembre-se de valorizar toda profissão digna, afinal o que seria de nós se não fosse o lixeiro, o pedreiro….?
    Pense nisso!


  284. Alguém já se perguntou por que o governo brasileiro historicamente atribuiu ao enfermeiro a prescrição de medicamentos protocolados na saúde pública, mesmo sabendo que isto era atribuição do médico? Não é ironia? Muito simples: os médicos não podiam/queriam atender periodicamente pessoas tuberculosas, hansenianas, ou seja, as pessoas “feias e podres” da sociedade. Para quem sobrou a tarefa cuidar dessas moléstias consideradas mortais na época? Resposta: para os profissionais de saúde considerados “subalternos” aos médicos. Por que vocês acham que os médicos foram os primeiros a estimular a formação de enfermeiras no Brasil? Assim, virou rotina da enfermeira atender os excluídos e pobres da sociedade, inclusive “prescrevendo” a medicação para esses flagelados (daí surgiram o protocolos). Mesmo sendo considerada “estudou menos”, foram as enfermeiras os braços dos médicos na diminuição dos números de epidemias. A maioria das doenças infecto-contagiosas entraram em declínio graças aos protocolos, sabiamente implantado pelo antigo “Ministério da Saúde”. Querem outro exemplo? Os imunobiológicos (vacinas) não são fármacos? Pelo mesmo paradigma, não deveriam ser prescritos pelo médico? Voltando à história, que nos deixa menos alienados: o governo, com o consentimento e conveniência dos médicos, jogaram na mão da enfermeria a responsabilidade pela vacinação de populações repletas de moléstias contagiosas e mortais. Nem precisava passar pelo consultório do médico, a enfermeira podia por si mesma “resolver esta situação”, graças aos protocolos. Hoje, quem é responsável pelas salas de vacinação? Isso é por acaso? Ou seja, tudo que era feio, mortal e podre pertencia à enfermeira que enfrentou com resignação. Pois é, agora que temos mais médicos no mercado e a população está menos infestada, a nova geração tenta descartar quem realmente entrou em vielas imundas para fazer vacinação ou atender filas de pessoas potencialmente contagiosas nos antigos postos… Este país é triste, pois tem o hábito de cuspir no prato que comeu.
    Um abraço a todos,


    • Olá, Dr. Ricardo. Isto dava um Romance!! ou novela…Mas que carga dramática! através dos tempos(das gerações) os vilões/médicos vêm oprimindo os mocinhos/enfermeiros, que tudo sofrem resignadamente. Mas nem tudo está perdido! os heróis contam com as sábias intervenções do Ministério da Saúde e seus burocratas.Os quais, afinal, pertencem a governos que através dos tempos têm implementado políticas que visam o real bem estar e desenvolvimento socias, como é tradição entre os políticos e as elites brasileiras, sempre preocupados com “os pobres”. Duvido, repito, duvido, que em qualquer momento, os governantes, os donos do poder e seus burocratas e doutores tivessem qualquer interesse próprio em deter as epidemias, e nem lhes passou pela cabeça possibilidade de as doenças lhes atingirem ou aos seus, cegos que estavam de preocupação com a sociedade em geral e vou além: nenhum deles hesitaria em ir para “o front” juntamente com os enfermeiros encarar os pobres infestados/empesteados, podendo custar-lhe a própria vida.
      Permita-me dizer, Dr. Ricardo, mas que pessimismo é esse?O país não é triste, não.É um país de gente boa, alegre, altruísta e responsável, em todas as camadas sociais, país cheio de belezas naturais, clima aprazível, terra em que se plantando tudo dá, principalmente bebês! que por aqui se dá aos montes…
      Quanto aos vilões, creio que a batalha está sendo vencida, não vejo qualquer um deles opondo resistência concreta às políticas salvadoras de saúde. Ao menos eu desconheço. E o aconselho, se algum (a) dos(as) infelizes emitir alguma opinião desagradável, deve ser perseguido(a) até…não sei que ponto!
      Mesmo que tenha sido só uma opinião pessoal, sem interesse nenhum em transformar em algo maior, e em circunstâncias aparentemente inofensivas.
      O inimigo deve ser aniquilado! Para que o povo brasileiro possa relaxar e gozar tranquilo de suas políticas de saúde.


  285. Prezados Profissionais de Saúde,
    No Reino Unido (Inglaterra, País de Gales, Escócia), Austrália, Nova Zelândia, Canadá, EUA foram aprovadas leis para os enfermeiros e farmacêuticos receitarem medicamentos de prescrição (com tarja). Isto ocorreu do ano de 2005 ao presente momento. O que me assusta é a arrogância de alguns médicos, nos comentários acima, dizendo que pagam muito por uma faculdade ou que estudarm mais ou menos. Isto é ridículo pois quem realmente cria um diagnóstico ou um medicamento são cientistas que, por sua vez, estudaram muito mais que médicos ou enfermeiros. Eu por exemplo, fiz uma graduação, um mestrado, doutorado (médico não é DOUTOR – a não ser que tenha feito doutorado) e pós-doutorado. E mesmo assim para um país fuleiro como o Brasil isto não significa NADA. Inventei medicamentos e métodos de diagnósticos para 30 doenças incuráveis. E isto com o dinheiro do próprio bolso. E que valor tenho? Vejo uma discussão ridícula, pois quem está receitando minhas fórmulas nos EUA e Europa são médicos que dizem que têm a arte de curar. Vai inventar alguma coisa antes, para entender realmente de farmacologia, clínica médica e medicina interna como eu. Nunca vi uma discussão tão infantil como esta. Enfermeiros e farmacêuticos têm que receitar pois os médicos não querem trababalhar. O que eles realmente querem é ganhar muito dinheiro sem fazer muito esforço.
    Um abraço a todos,
    Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira


  286. Prezado Colegas da área de saúde,
    No ano 2000, o prestigiado Instituto de Medicina dos EUA chamou a atenção com um relatório que destacava uma estatística assustadora. O relatório dizia: “Mesmo segundo as estatísticas mais baixas, as mortes por erro médico (de 44 mil a 98 mil) superam o número atribuído à oitava principal causa de morte. Mais pessoas morrem por ano como conseqüência de um erro médico do que de acidentes de carro (43.458), câncer de mama (42.297) ou AIDS (16.516).”
    E isto nos Estados Unidos que a medicina é bem melhor do que no Brasil. Lá existem os advogados de porta de hospital. O cara chega na maca e o advogado já pergunta antes mesmo de ser medicado: “quer processar o médico?”. E mesmo com toda esta pressão, os médicos lá matam mais do que o tráfico de drogas nos morros do Rio de Janeiro. Agora, imaginem os médicos aqui no Brasil. Aqui não pode existir estatísticas, pois senão assustaria mais.
    Gostaram da estatística? Então, parem de ser arrogantes e falarem que pagam muito caro por faculdades que já deveriam ter sido fechadas pelo MEC, que, por sua vez, não tem vergonha de emitir autorização de funcionamento. A UNICAMP e USP (que estão entre as 200 melhores universidades do mundo) já não são lá estas coisas. Os médicos lá formados já carecem de conhecimento básico. Eu sei disto, pois estudei nas duas. Comecei o mestrado na USP e depois fui para a UNICAMP, onde terminei o mestrado e fiz o doutorado. E para o governo de algum arrogante, fiz pós-doutorado na Escola de Medicina da YALE UNIVERSITY, que também não achei lá grandes coisas. Tive um orientador babaca e mentiroso e que nunca fez coisa grande (Prof. Dr John Peter Geibel). Apenas tem um monte de publicações em revistas de impacto (isto eu também tenho). Gostaria de saber qual foi a cura que ele descobriu para alguma doença incurável. Mas esta é a vida neste planeta ordinário. Quem faz, nunca tem valor. Enquanto não morrer muita gente, o valor não aparece.
    Um abraço a todos,
    Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira


  287. Gente que barbaridade…..pessoas discutindo quem medica e quem não medica…..vamos direcionar nossos olhares ao paciente/cliente, usuário do SUS que tanto sofrem em busca de melhorias, em busca de uma simples consulta em que barganham em filas quilométricas… Que bom seria se médico, enfermeiro, fasrmacêutico, psicólogo, fisioterapeuta, nutricionistas em fim, medicassem e consultasse sem destinção. Estaríamos tirando vários pais e mães de família de filas em busca de apenas dois profissionais como médico e enfermeiro. Então porque ao invés de estarmos discutindo porque A ou B tem direito a atender, não debatemos o direito desses outros profissionais atenderem e medicarem em prol da população carente. VAMOS EM BUSCA DE UM OLHAR BIOPSICOSOCIOECONOMICO E ESPIRITUAL visando um SUS melhor….Abraço a todos.


  288. #

    Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira sem comentários.


  289. Prof. Dr. Ricardo de Souza Pereira,

    Sinto muito por você, que está meio perdido. Sugiro que dirija sua raiva a quem tem poder para resolver o problema do cientista injustiçado. Ficar esperneando e atacando uma classe que não se mexe nem para resolver seus próprios problemas é, além de inútil, patético.


  290. Em tempo:

    O sujeito (Prof Dr Ricardo de Souza Pereira) vem ao blog da Federação Nacional dos Médicos, que diz ter como missão debater assuntos para promover a melhoria global da atuação em medicina e :

    1) Usando um trabalho do Instituto de Medicina dos EUA, sem autor citado, diz que o número de mortes por erro médico supera a oitava causa de morte. Traduzindo, quer empurrar a seguinte idéia, médicos são incompetentes , cometem erros fatais em larga escala , é arriscado ir ao médico.
    Não lí o “relatório” do referido instituto, não posso comentar o trabalho, porém se não posso(ao menos por enquanto) dizer mentiroso, também não posso dizer verdadeiro. Para começar, qualquer trabalho que vise quantificar morte por erro médico é altamente discutível pelo fato mesmo de se ter que QUALIFICAR a morte por erro médico, o que é provavelmente na maior parte dos ou muito difícil ou mesmo impossível. Em segundo lugar, esta morte não tem contexto??O erro deve-se “puramente” ao médico? As condições em que o mesmo atuava foram consideradas?
    E de qualquer forma, todo trabalho é discutível, não é o representante definitivo da verdade, e números servem para impressionar os tolos.

    2)Desrespeita acintosamente a profissão médica dizendo que quem cria os diagnósticos e os medicamentos são os cientistas , estes sim, entendidos sobre farmacologia, “medicina interna e clínica médica”, alguém descreveu a doença e criou um diagnóstico, mas o médico realiza a tarefa , no mais das vezes complexa de fazer o diagnóstico e conduzir o tratamento, quem está na clínica, no dia a dia recebendo o paciente e se utilizando de propedeutica para o diagnóstico e conduzindo o tratamento é o médico, fazendo uso da produção científica do momento atual, portanto é o ponto de articulação entre a produção cientifíca e a pessoa, o paciente. ISTO É ÓBVIO, MAS FOI ESCAMOTEADO NA EXPOSIÇÃO DO SUJEITO REFERIDO, QUE LARGOU ASSIM SEM QUERER A IMPRESSÃO DE QUE MÉDICO NÃO SABE NADA E NÃO SERVE PARA NADA.

    3) Autopromove-se exibindo seu curriculum da pós graduação, mestrado na USP/UNICAMP, doutorado na UNICAMP, Pós Doutorado em Yale, títulos “per se” também servem para intimidar e persuadir os tolos. Criou métodos diagnósticos e tratamentos para 30 doenças incuráveis(??????????!!!!!!!!!!!).Como assim? criou medicamentos paliativos???? ou criou medicamentos eficazes na cura de doenças incuráveis até então??
    E tudo isso com dinheiro do seu próprio bolso, tá sobrando, hein, meu filho?
    Pois saiba que quem vai ter o feed back dos medicamentos desnvolvidos pelo cientista, ou mesmo ser capaz de levantar e indentificar temas de relevancia para trabalhos científicos, são os que estão no cotidiano com os pacientes, os médicos, que não sabem nada e não servem para nada.
    E também nunca houve medicamento retirado do mercado após um tempo de uso na clínica.

    4) Agora a cereja do sorvete, os médicos, diz o sujeito, NÃO QUEREM TRABALHAR E POR ISSO O MINISTÉRIO ANTIGO APROVOU PROTOCOLOS PARA QUE ENFERMEIROS E FARMACÊUTICOS PRESCREVESSEM!!!
    NOTEM QUE A VAGABUNDAGEM DOS MÉDICOS É MUNDIAL! EUA, CANADÁ, REINO UNIDO, AUSTRÁLIA, NOVA ZELÂNDIA TAMBÉM ADOTARAM PROTOCOLOS DE PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS POR FARMACÊUTICOS E ENFERMEIROS, CURIOSAMENTE, E SEGUNDO O PROFESSOR DOUTOR CITADO ANTERIORMENTE DESDE 2005. ISTO COLOCARIA O BRASIL NA VANGUARDA, POR AQUI A LEI EXISTE DESDE 1986! PALMAS PARA O “NOSSO” PAÍS. Nem uma linha sobre condições de trabalho IMPOSTAS aos médicos que são assalariados, e que hoje são a maioria.

    Sabem o que eu acho mais assustador??

    O sujeito ataca agressivamente e gravemente a classe médica e nenhuma reação é vista!!!
    Neste post particularmente a quantidade de mensagens achincalhando e agredindo os médicos supera a de médicos que defendem a classe.

    Por fim:

    Vejam boas idéias para serem incorporadas ao senso comum visando se livrar da classe médica enquanto profissional ainda dotado de alguma autonomia e respeito:

    -Médicos não gostam de trabalhar, são os culpados pelo fracasso do sistema de saúde até então.

    -Não sabem nada e não servem para nada. Podem tranquilamente ser substituídos por enfermeiros.

    Assim, quem deveria ter se preocupado com a saúde pública, que por sinal, não é sinônimo de assistência médica e começa com alimentação, lazer, perspectiva de crescimento pessoal,etc. transfere a responsabilidade para uma classe profissional inconveniente. E o povo compra. É assustadoramente fácil manipular pessoas por certos segmentos especializados. E os médicos caíram, e permitiram a destruição da profissão. Estão permitindo a criação de 2 classes de médicos : para atenderem o povão, junto e misturado com os enfermeiros, para estes se abrem faculadades a torto e a direito, outra para cuidar da elite, os que se destacam e são realmente bons “nunca tiveram problema para ganhar bem”, como é opinião recorrente aqui no blog.
    Não sou contra o sujeito que se destaca POR MÉRITO PRÓPRIO e consegue uma diferenciação salarial por conta da sua competência. Porém quem atende o povão não tem que ser massacrado, nem salarialmente, nem nas condições de trabalho, nem DE QUALQUER OUTRA FORMA, e tem o direito de dizer o que quiser sem ser perseguido…OU NÃO TEM? Não temos o direito de ser bem tratados? creio que sim, afinal temos muito muita importância para os governantes, não é mesmo?

    Mas infelizmente, se a medicina exige respeito, vai esperar sentada…

    Nem o povo que atendemos nos respeita. A combinação de péssimas condições de trabalho, salários ridículos e próprias condições sócio culturais da população foi bem sucedida para criar este efeito.

    Em algo ao menos eu concordo com o digníssimo Prof Dr Ricardo de Souza Pereira. O mundo é ordinário e o país é fuleiro mesmo, com seus “donos” corruptos, manipuladores e COVARDES.

    Médicos, continuem dormindo…

    Cláudia Clemente Cruz de Almeida


  291. Queridos vamos aprender TÉCNICO EM ENFERMAGEM….NÃO É ENFERMEIRO da mesma maneira que ENFERMEIRO…..NÃO É DOUTOR e nunca vai ser mesmo com qualquer lei e resolução que infira á isso pois a questão do titulo de Doutor é historica .Os profissionais de enfermagem não são valorizados pois se preocupam tanto com a classe médica e se esquecessem de exercerem corretamente as suas funções.O médico é taxado como um incopetente que não dá atenção aos seus pacientes mais pensem comigo o SUS disponibilizam consultas publicas para muitas pessoas imaginem um hospital publico lotado se um médico dar atenção de meia hora para cada paciente no fim ele não consiguira atender nem metade sem contar com pessoas que não se mancam tem alguns pacientes que pra relatarem a dor no dedo tem que explicar ate como a mae o fez.A Enfermagem é uma profissão lindissima mais A MEDICINA SUPERA não em questões de salarios e posições sociais mais quando um médico está dentro de um centro cirurgico realizando uma cirurgia está junto dele na sala o Dr DEUS e o Mestre HIPOCRATES então deixo só claro enfermeiro mal sabe administrar um hospital pois a maioria esta uma bagunça e ainda quer prescrever medicamentos traduzindo “matar os pacientes” gente vamo se mancar né porque não estudaram mais um pouco e não fizeram MEdicina pior que enfermeiro falando mal de médico é enfermeiro falando mal de técnico ou seja falando mal de si mesmo porque hoje a faculdade de enfermagem é sucateada qualquer um entra qualquer um faz e poucos lá dentro fazem a diferença então a esses poucos que vão ler isso se preocupem menos com os Médicos e vão trabalhar.


  292. A enfermagem prescreve medicamentos igual eu,sou engenheiro e prescrevo medicamentos logico pros meus vizinhos eu costumo prescrever diclofenaco de sodio algumas vitaminas anador doril sorrisal laxantes remedios de verme mais o que eu queria prescrever mesmo pra ele é ANTIBIOTICO mais ai eu sou que nem vocês NÂO POSSO..dai eu mando o meu vizinho pro MEDICO


  293. gente Enfemeiro que é enfermeiro e Médico que é médico não tem tempo pra vir discutir em blog não vão trabalhar


  294. Senhores,

    Devido ao nível rasteiro dos comentários neste post, salvo raras exceções, bem como a má-fé e desonestidade contida em várias postagens, e, finalmente o desrespeito a minha pessoa e aos meus direitos civis resultante de ter exposto um pouco do que penso sobre alguns assuntos neste blog, concluo que seus leitores não são dignos de partilhar minhas opiniões.
    Adeus.


  295. Em tempo:

    Obviamente nem todos os leitores são indignos, mas, digamos que concluo não ser conveniente escrever neste blog pois o mesmo conta com leitores indignos (não todos) que me trazem consequencias más na vida concreta.
    Adeus


  296. Olá amigos, primeiramente, deixo minhas cortesias à ambas as classes debatedoras sobre as prescrições.

    Bom, primeiramente me apresento: sou farmacêutico recém formado por universidade federal cujo nome não irei citar.

    Vejo que, de acordo com a legislação, que é realmente possível a consulta e a prescrição de medicamentos por enfermeiros. E o atual sistema de saúde necessita de enfermeiros consultando e prescrevendo certos medicamentos à população com maior conhecimento técnico que um leigo como o acima, visto melhorar o sistema de saúde por diminuir a quantidade de consultas por doenças não complicadas que não necessitam intervenção médica.

    Porém, como profissional responsável pela dispensação, julgo interessante e extremamente necessária a informação de quais medicamentos podem ser prescritos por enfermeiros. Se alguém souber, por favor, entre em contato comigo no seguinte email:

    renato_padrao@hotmail.com

    Grato a todos.


  297. Boa tarde à todos, quero deixar bem claro que sou apenas um cidadão comum, o que me deixa muito triste em ver que duas classes de extrema importância para sobrevivência da sociedade estão em constante guerra. Peço aos senhores médicos e aos senhores enfermeiros que ao invés de medirem força, cuidem melhor da saúde da população!!!
    Ps; Quanto erro de Português nós vemos aqui, se fossem em uma receita, coitado do paciente. Abraço.


  298. Boa-Tarde! Sou acadêmico de Enfermagem, infelismente fico triste com duas classes brigando por coisa pouca, pois por Lei o Enfermeiro(a), podem consultar,desde o exame físico até ao diagnóstico, fazer prevenção, prescrever medicamentos em postos de saúde, pois temos uma cadeira de (Farmacologia), onde passamos um semestre estudando tanto teórico como prático e não seria justo tirar o que nos foi permitido, pelo fato de uma minoria de profissionais que acham que são “DEUS”, quando na verdade são profissionais, que estudam cinco anos como nós enfermeiros(a), pois a diferença esta na Redidência Médica, que é obrigatória e por leí o enfermeiro irar ter que obedecer esta mesma norma.
    Até por quê somos profissionais (LIBERAIS), com visão (GENERALISTA),Humanista, e outra coisa não por que eu irei ser futuro enfermeiro, mas 90% do Hospital só funciona com o Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem, pois são nossas categorias que suporta toda podemos dizer “abuso de cliente/paciente” pois o Enfermeiro é o profissional que supervisiona toda UTI, o que mais me deixa triste é por que infelismente, os Médicos fazem atos Médicos querendo tirar o que é nosso, pois para ter uma idéia eu nunca vi um médico trabalhando em uma uti, fora o médico intensivista, plantonista, e os futuros médicos que residem ou estagiao no hospital. Pois so vejam eles quando o paciente entra em óbito e quando eles vao realizar reanimação cerebral.


  299. É incrível quanta ignorancia…Sou enfermeiro trabalho em dois hospitais e gostaria de ter o tempo livre para ficar escrevendo tanta babozeira quanto vocês…ASSIM COMO EXISTEM ÓTMOS MÉDICOS EXIXTEM ÓTIMOS ENFERMEIROS entao nao é por causa de uma minoria de maus profissionais que duas belas profissoes vão ficar trocando farpas…Agora so tem um detalhe…gostaria de PERGUNTAR PARA O TAL ANDRÉ, POR QUANTO ELE COMPROU O DIPLOMA DELE…DEVE SER MAIS UM FILHINHO DE PAPAI TOLO…CUIDADO COM O JACARÉ ELE TA DE BOCA ABERTA DOIDO PRA TE PEGAR…FILHINHO…


  300. em abril 4, 2011 at 11:24 am | Resposta solange Santos 64

    PELO AMOR DE DEUS GENTE.TODAS AS PROFISSÕES MERECEM RESPEITO,O ENFERMEIRO É TÃO IMPORTANTE QUANTO O MÉDICO,QUANTO O AUXILIAR DE ENFERMAGEM.SOZINHO NINGUEM CHEGA A LUGAR ALGUM.DIZER QUE TODO ENFEMEIRO QUER SER MÉDICO É RIDICULO.DIZER TAMBÉM QUE O ENFEMEIRO SÓ SERVE PARA ADMINISTRAR MEDICAMENTO TAMBÉM DENUNCIA A FALTA DE CONHECIMENTO DAS PESSOAS.ANTES DE ENTRAR E DAR SUA OPINIÃO,SE INFORME PARA NÃO FALAR BESTEIRA,ALIÁS ANTES DISSO,PROCUREM MELHORAR O PORTUGUES ,EXISTEM ERROS QUE REALMENTE SÃO INACEITÁVEIS.UM ABRAÇO A TODOS,ESPERO QUE SE TORNEM PESSOAS MELHORES,RESPEITO É TUDO.


  301. Essa briga entre os profissionais de saúde é tão ridícula. Médicos se preocupam tanto com a capacidade que o enfermeiro ou a enfermeira possui que tentam acabar com os procedimentos destinados a esses profissionais,os enfermeiros. Enfermeiros conhecem mais os pacientes que os médicos,pois passam muito mais tempo com eles, enfermeiros fazem dignóstico de enfermagem,podem prescrever,mas,são responsáveis pela assistência ao paciente no geral.Nunca vi até hoje um profissional dentro de uma instituição de saúde que tenha mais responsabilidade que os enfermeiros.Nenhum hospital consegue trabalhar sem enfermeiros.Por isso,enfermeiros e enfermeiras,vamos nos unir e reinvindicar sempre as melhores condições de trabalho para classe. Médicos possuem suas capacidades,mas não são os melhores de todos os profissionais.Quando um paciente precisa de atendimento na saúde,ele precisa de uma equipe capaz.Se falar que enfermeiro não sabe prescrever,então os médicos também não.Seria melhor consultar o farmacêutico.Mas não é assim,o paciente precisa confiar na capacidade dos profissionais e se for um bom profissional o paciente estará em mãos seguras,independente qual a sua função dentro da instituição,porque todos os profissionais se completam nas suas funções e capacidades,inclusive médicos que muitas vezes consultam os enfermeiros sobre o paciente e enfermeiros que consultam médicos,assim por diante,com os profissionais de fisioterapia,nutrição,pscicólogos etc.


  302. TODAS AS PROFISSOES AQUI DEBATIDAS ESTAO CORRETAS, O QUE NAO ESTA CORRETO E UMA PESSOA COM UM PROBLEMA DE SAUDE IR AO HOSPITAL PARA TER UM PRIMEIRO DIAGNOSTICO E SER ATENDIDO POR UM ENFERMEIRO E NÃO UM MEDICO. E SE O PROBLEMA FOR MUITO SERIO OU QUE NECESSITE DE UMA INTERVENÇÃO CIRURGICA, O PROFISSIONAL MAIS CAPACITADO FICARÁ EM SEGUNDO PLANO. ISSO É UMA FALTA DE VERGONHA, UM ENFERMEIRO ESTÁ PRESCREVENDO MEDICAMENTOS, QUE POR FALTA DE CONHECIMENTO PODE LEVAR UM DOENTE A TER DANOS IRREVERSIVEIS A SAUDE. NÃO ESTOU JULGANDO A FALTA DE CAPACIDADE DO ENFERMEIRO, MAS A PROFISSÃO QUE ESCOLHEU, A ENFERMAGEM ESTÁ LIGADA DIRETAMENTE A RESPONSABILIDADE HOSPITALAR, JA O MEDICO ESTA LIGADO A AQUELE QUE TEM O DIREITO E O DEVER DA PRESCRIÇÃO MEDICO (A) ENTRE OUTROS.


  303. Boa-Noite! Enfermeiro max , você por gentileza poderia me enviar seu e-mail.
    Atenciosamente. Jesiel Costa.


  304. Sou Técnico de enfermagem e acadêmicos de enfermagem(com muito orgulho), na minha opinião alguns médicos deveriam primeiro fazer caligrafia pra poder primeiro aprender a escrever, pois muita gente pensa que não mais um escrita errada pode implicar em uma má administração de medicamentos. O código de ética médica foi reformulado quanto a legibilidade da escrita e isso alguns nem obedecem, não desrrepeitando os prescritores reconheço a importância da profissão, porém a maioria deles não trabalham por amor e sim no interesse salarial, não visam o paciente como um ser integral e sim um objeto que tem que ser consertado, gente por favor saiam dos seus pedestais paradgmáticos que foram construídos ao longo da sociedade e sim valorizem as outras profissões a enfermagem é importante tão quanto a medicina e as vezes muito mais ainda essa realidade cultural tem que ser transformada caso contrário a saúde Mundial nunca terá progresso.


  305. em maio 20, 2011 at 5:02 pm | Resposta Emílio Lavoisier

    Caros amigos!!Venham para amazônia ai vcs vão ver como aqui é dificil!!Não existem médicos e quando existem ficam entre quatro paredes. Ai os ribeirinho( que moram na beira dos rios)muito longe das cidades morrem a míngua por essa tal legislação q proibem o enfermeiro de prescrever medicamentos aqual tambem é conhecedor!!! Ai eu pergunto!!Se vc que é enfermeiro é o unico q sai de 4 paredes e vai ao encontro desses doentes o que fazer quando encontrar-mos pessoas com infecção urinária, amigdalite, influenza, anemia, pneumonia, desnutrição, gastrite etc. Me digam o que fazer? Se vc tem conhecemento sobre os medicamentos e que aquele medicamento vai curar aquele paciente… como proceder? Deixar ele morrer devido essa tal legislação implantadas por políticos da medicina!!! Ou prescrever!!!è dificil né!!!A solução é: Ampliar os conhecimentos do enfermeiro em farmacologia e diagnostico de doenças que mais acometem a população como: vermes, anemias, infecção etc em locais onde não há médicos o suficiente!!!E trabalhar todos em conjunto!!!!Essa seria a solução…….


  306. em junho 3, 2011 at 12:36 am | Resposta Carlos Sequeira

    Primeiro:
    Os enfermeiros, na minha opinião não defendem prescrever em Patologias. Não se trata de substituir ninguém. Vejam os exemplos de Inglaterra, estados unidos, Canadá,.. Chega de ignorância.
    As pessoas podem ter problemas que necessitam de intervenção farmacológica e não são patologias. A alguns destes problemas, são denominados DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM. É nestes casos que os enfermeiros defendem a PRESCRIÇÃO AUTÓNOMA. Exemplo: quando alguém se tem uma FERIDA, CIRÚRGICA, TRAUMÁTICA, ULCEROSA, etc., quem faz o tratamento é o enfermeiro, quem faz a avaliação é o enfermeiro, mas quem prescreve é o Médico. ISTO FAZ ALGUM SENTIDO. Os médicos deviam ser a favor desta medida, porque o que fazem, é prescrever segundo as indicações do enfermeiro, porque em alguns casos, nunca viram o doente. Eu trabalhei num centro de saúde em PONTA DELGADA, e era totalmente autónomo nesta medida. Quando chegava dos domicílios dizia ao médico para passar as X receitas e ele passava. Apesar de ilegal, toda a gente sabe e pactua, porque de outra forma seria impossível. Já imaginaram o que acontecia nas visitas domiciliárias de tratamentos, se os enfermeiros não adequassem o tratamento ao estado das feridas. Um outro Diagnóstico de Enfermagem é a insónia, sem patologia de base, devido a um problema relacional/reactivo. O que as pessoas fazem é irem à farmácia e compram um hipnótico. Não seria melhor serem acompanhados por um Enfermeiro Especialista em Saúde Mental, em termos de prescrição e monitorização. Sempre que se suspeitasse de uma patologia a pessoa seria encaminhada para um médico. Quem ganhava com isto eram as pessoas.
    Por isso eu defendo que os ENFERMEIROS ESPECIALISTAS, ou seja, alguém com seis anos de formação académica no mínimo poderiam ter três tipos de prescrição:
    1- PRESCRIÇÃO AUTÓNOMA: centrada em diagnósticos de Enfermagem – problemas que as pessoas apresentam que condicionam o seu estado de saúde e não se enquadram em nenhuma patologia especifica.
    2 – PRESCRIÇÃO INTERDEPENDENTE – Prescrição de acordo com protocolos, como acontece em vários serviços (INEM; INTERNAMENTOS,…)
    3 – PRESCRIÇÃO COMPLEMENTAR, em situações de patologia crónica, em que quem faz a monitorização e acompanhamento da gestão dos sinais e sintomas é o enfermeiro, logo, deveria poder renovar as prescrições, quando os quadros se mantêm constantes. Em situações de dúvida deveria encaminhar para o Médico.
    Desta forma, prestavam-se melhores cuidados às pessoas, com níveis de qualidade superiores aos actuais e com custos menos reduzidos, com acontece nos outros países.
    Não acontece em Portugal, porque os médicos tem um lóbi corporativista muito forte que impede esta boa medida de ser colocada em prática, apesar de muitos, ou pelos menos alguns, concordarem com ela.
    Carlos Sequeira
    Presidente da SPESM


  307. Bom dia…

    Me chamo Evandro, sou enfermeiro atuante na Estratégia de Saúde da Família.
    Espero que o texto a seguir possa servir como base nos questionamentos.

    SEXTA-FEIRA, 20 DE MAIO DE 2011
    ANVISA RECONHECE PRESCRIÇÃO MEDICAMENTOSA POR ENFERMEIROS

    ANVISA reconhece a atribuição do enfermeiro sobre a prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde, conforme a Lei nº 7498/86.

    Recentemente, o Conselho encaminhou ofício solicitando a revisão da RDC nº 44/2010, que dispõe sobre o controle de medicamentos antimicrobianos de uso sob prescrição, solicitação acatada com a edição da RDC nº 20, datada de 05/05/2011.

    Assim, com o art. 4º da RDC n° 20/2011, fica claro que a prescrição medicamentosa é de atribuição de todo e qualquer profissional regularmente habilitado, não se tratando, portanto, de ato exclusivamente médico. Através desta Resolução da ANVISA, ficou estabelecido o que a legislação federal já previa, que o enfermeiro realiza prescrições de medicamentos pertencentes ao programa de saúde pública, tendo em vista também a relação de medicamentos certos e previstos no programa ou rotina da instituição.

    Os gestores de cada unidade de dispensação não podem negar-se a fornecer o medicamento prescrito pelo enfermeiro, uma vez que este esteja vinculado a instituição que contenha programa, protocolos de saúde pública ou rotinas aprovada pela instituição de saúde, exemplo, Ministério da Saúde, Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde.

    Nesta ordem de ideias, todo e qualquer cidadão que tenha sido atendido por enfermeiro em algum programa de saúde e esteja portando um receituário com pedido de medicamentos que prescreva antimicrobianos, não pode ter negado a venda ou entrega do medicamento pois a nova Resolução 20/2011 da ANVISA está em plena conformidade ao estatuído no artigo 11, II, “c” da Lei 7.498/86.


  308. Pois acho que o enfermeiro que fez 4 anos de faculdade ,conversa com o paciente olha na cara dele consegue indentificar melhor o paciente e qual seu problema de saude se os enfermeiros pudessem adiantar a consulta e pedir os exames os postos de saude nao estariam tao cheios ,pois os medicos so atenderiam os pacientes mais graves e com resultado do exame . ai eles nem precisariam olha em nossa cara pois isso eles sabem fazer.


  309. Quem os medicos pensa que sao Deus so eles podem tudo. ato medico qual é senhores deputados governadores ai é uma casa de leis entao deveria ter so advogados,profissionais ruins existe em todas categorias , o enfermeiro faz faculdade tem conhecimento e sentimento medicos a maioria só encherga o salario o paciente esta invisivel.


  310. Ora que engraçado!
    Vocês médicos estão com medo de perder o campo de vocês para a Enfermagem.
    Então deveriam começar por cumprir sua carga horária, e não somente passar “visitas médicas”. Passar 24 horas com os seus pacientes, e descobrir quais são suas verdadeiras necessidades e não prescrever dipirona e plasil de 24 horas, que até 1 leigo que passou 1 dia pela mão de um de vocês sabe transcrever!
    É fato que o melhor pré-natal realizado é pela equipe da enfermagem, e não pela área médica. Por que isso, já que vocês são Deuses aqui na terra?
    Talvez seja por falta de amor a profissão e ao próximo!
    E antes de vim aqui discutir as funções da enfermagem, começem cumprindo com o dever de vocês por carga horária cumprida, atendimento adequado e humanizado.


  311. em junho 26, 2011 at 5:18 am | Resposta criveraldo pereira

    SE A ENFERMAGEM SEGUISSE TODADS AS PRESCRIÇÕES MÉDICAS COM CERTEZA O NUMERO DE OBITOS SERIAM MUITO MAIORES, UMA VEZ RECEBI UMA PRESCRIÇÃO DE UM BEBÊ DE 2 MESES PARA FAZER UMA INALAÇ~SO/NEBULIZAÇAÕ, COM 5 ML DE sf 9% + 20 GOTAS DE ABEROTEC E 5 DE ATROVENTE,, OBVIAMENTE NÃO FIZ, POIS SE TIVESSE FEITO MATARIA DE TAQUICARDIA O BEBE DE 2 MESES, ESSE E UM PQUENO ERRO MÉDICO QUE A ENFERMAGEM CORRIGIU, E AINDA DIZEM QUE A ENFERMAGEM NÃO TEM CAPACIDADE DE PRESCRIVER, TALVES OS MÉDICOS SINTAM SE RECEOSOS DE QUEM IRÁ CORRIGI-LOS SE ISSO DE FATO FOR LEI.


  312. em julho 3, 2011 at 5:47 pm | Resposta DrªAline Ribeiro Thomas

    Esclarecimento oficial – Coren-DF
    Escrito por Cintia Rebelo
    Sex, 01 de Julho de 2011 14:39
    Em decorrência de discussões recentes no país e no Distrito Federal sobre a proibição da prescrição de medicamentos por enfermeiros, o Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal (Coren-DF) esclarece:

    A Resolução Cofen nº 272/2002, que trata da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) foi revogada pela Resolução Cofen nº 358/2009, que dispõe sobre a SAE.

    É importante ressaltar, portanto, que a consulta de enfermagem e a prescrição de medicamentos estão previstas na Lei do Exercício Profissional (7498/86), artigo 11, inciso I, alínea i e j, e inciso II, alínea c.

    A solicitação de exames, consequentemente, está regulamentada na resolução Cofen nº 195/1997. Portanto, a Lei é federal e ordinária podendo ser revogada somente por outra Lei que trate da mesma matéria. Por isso, a enfermagem tem respaldo legal para a continuação das consultas de enfermagem, a prescrição de medicamentos em rotinas aprovadas pelas instituições de saúde e a solicitação de exames.
    A enfermagem tem, inclusive, artigo científico que trata da matéria publicado na edição da 1ª revista científica do Conselho Federal de Enfermagem, elaborada pelo Dr. Ivo Borges Aguiar, procurador geral do Cofen na época. Os sindicatos médicos têm feito uma política equivocada e inadequada, o que já foi objeto de ações judiciais. Como exemplo, o Sindicato dos Médicos do Espírito Santo (SMES), que foi obrigado a indenizar uma enfermeira em R$ 10 mil, por danos morais devido a denúncia de exercício ilegal da medicina.


  313. O Conselho Federal de Enfermagem – COFEN vem a público, para transmitir a sociedade e aos profissionais de enfermagem, este em especial, a verdade sobre os fatos que vem sendo veiculados na internet por certas pessoas, e também por alguns conselhos de profissões legalmente regulamentadas, a exemplo dos Conselhos de Farmácia, Conselhos de Medicina e Conselhos de Odontologia, de que o “TRF proíbe prescrição de medicamentos por enfermeiro”.

    Em novembro de 2006, o Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira e a Federação Nacional dos Médicos impetraram em desfavor da União Federal o Mandado de Segurança, com pedido de liminar, que tramitou na 4ª Vara Federal da Justiça Federal da Seção Judiciária de Brasília sob o nº 2006.34.0034.729-1, visando à decretação da nulidade da Portaria M. S. nº 648/GM/2006 e do seu anexo (esse o seu objeto). Já no primeiro momento, o Juiz Federal daquela Vara Federal indeferiu o pedido de liminar, tendo o Conselho Federal de Medicina interposto o Agravo de Instrumento nº 2007.01.00.000126-2 para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Sem sucessos, destaque-se.

    Na malfadada nota, afirmam os seus autores que “o Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região (Brasília), tornou definitivamente sem efeito a Resolução 272/2002 do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) que permitia aos enfermeiros diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde”.

    Em verdade, a trata-se da divulgação da mesma matéria veiculada em agosto de 2008, à época sepultada pela própria decisão judicial proferida no encimado Mandado de Segurança que, diante da expedição da Portaria nº 1.625, de 10 de julho de 2007, pelo Ministério da Saúde, decidiu o MM. Juiz Federal que o conduzia por sepultá-lo definitivamente o referido processo, concluindo ao final: “diante do exposto, em face da falta de interesse de agir superveniente, JULGO EXTINTO O PROCESSO, SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, nos termos do art. 267, VI, do Código de Processo Civil” (segue a sentença do Juiz Federal, NÁIBER PONTES DE ALMEIDA, como prova das afirmações aqui trazidas a público).

    Conforme se vê, não prospera a notícia indevidamente veiculada na internet, de que os enfermeiros não podem mais diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, porquanto falaciosa.

    Por outro norte, não restam dúvidas que as atribuições do profissional de enfermagem permanecem preservadas e garantidas pela Lei nº 7.498, de 25 de julho de 1986, dispondo claramente que: “O Enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem cabendo-lhe” (Art. 11): privativamente (inc. I) a “consulta de enfermagem” (alínea “i”). E, “como integrante da equipe de saúde” (inc. II): a “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde” (alínea “c”).

    Destarte, deve sim o enfermeiro exercer a sua profissão com a liberdade, dignidade e autonomia que lhe assegura a Constituição Federal e a Lei do Exercício Profissional, devendo ele assumir firmemente o título de enfermeiro (a) a que está legalmente habilitado. Título esse alcançado com esforço e privações inesquecíveis, vividos durante aquele lustro dentro de uma sala de aula, cuja memória não deixa escapar.

    Relevante salientar que a Resolução COFEN nº 272/2002, foi revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem, através da Resolução COFEN nº 358/2009. E não, pela decisão do Tribunal Regional da 1ª Região como inveridicamente divulgado na internet.

    Aliás, tamanha a desinformação (ou flagrante má-fé) daqueles que veicularam a matéria que, a bem da verdade a Resolução desta Autarquia Federal que tratava sobre o diagnostico de doenças, prescrição de medicamentos e solicitação de exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, garantidos ao enfermeiro, era a 271/2002, também revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem através da Resolução COFEN nº 317/2007.

    Nesse passo, dúvidas não restam de que a verdade deve ser restabelecida por aquelas pessoas (profissionais de medicina, de farmácia e de odontologia, entre outros) e conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas que, indevidamente, fizeram a veiculação na internet daquela inverídica matéria, reconhecendo as competências dos valorosos profissionais de enfermagem como indispensáveis à saúde pública do Brasil, daí pugnando aos Conselhos Federais de Medicina, Farmácia e Odontologia que adotem as medidas necessárias junto aos seus Conselhos Regionais, para o restabelecimento da verdade.


  314. em julho 19, 2011 at 2:33 am | Resposta Elias Diogo Correia

    Falar de Enfermeiro é fácil, dificil é ser um, aquele verdadeiro que estudou 4 anos e agora são 5 anos. Vejamos, já pensou na coleta de um preventivo, vc colher e ver um corrimento, e ter que ir a um médico e perguntar qual medicação dar a ela? pq vc sabe qual é, mas não pode passar, por que existe uma palavra chamada “Prescrever” que é ato médico. Mas tudo bem, porém, se vc mora no interior do Amazonas, onde existem 18000habitantes, e 2 médicos clinicos gerais, ganhando por mês em média 20.000,00 reais, e não dão conta porque é 9000mil habitantes para cada um. Então vamos deixar essas pessoas apodrecerem em vida, até que consigam uma consulta real com o médico. Quanto o pré-natal, os médicos dariam conta de fazer uma consulta de pré-natal, onde ouviriam a cliente, ouviriam o BCF do feto, mediriam a altura uterina para ver se está pig, ou gig. Sim, com certeza não dariam conta. Agora eu vi prescrição médica em um Pronto Socorro a uma criança de 4 dias de vida, de dez gotas de berotec em 5ml de soro fisiológico, para melhorar a respiração, e o coração dessa criança como fica?. Ví um homem de 19 anos morrer de pneumonia, porque o médico estava com dó de antibióticos (só pode ser isso). Os médicos estão virando empresários, e super ricos, enquanto enfermeiros trabalham jornadas de trabalhos e ainda corrigem erros médicos como soro glicosado em diabéticos e muitos outros… existem médicos excelentes, a existem… com certeza absoluta, Mas não desfaçam dos enfermeiros, pq eles são a única solução e muitas partes desse país, onde os médicos preferem trabalharem nas metropoles pq teem conforto.


  315. em julho 20, 2011 at 5:18 am | Resposta ENFERMEIRO JOAO CARLOS CURITIBA PR

    O Cofen esclarece sobre a decisão de prescrição de medicamentos. Leia mais.

    O Conselho Federal de Enfermagem – COFEN vem a público, para transmitir a sociedade e aos profissionais de enfermagem, este em especial, a verdade sobre os fatos que vem sendo veiculados na internet por certas pessoas, e também por alguns conselhos de profissões legalmente regulamentadas, a exemplo dos Conselhos de Farmácia, Conselhos de Medicina e Conselhos de Odontologia, de que o “TRF proíbe prescrição de medicamentos por enfermeiro”.

    Em novembro de 2006, o Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira e a Federação Nacional dos Médicos impetraram em desfavor da União Federal o Mandado de Segurança, com pedido de liminar, que tramitou na 4ª Vara Federal da Justiça Federal da Seção Judiciária de Brasília sob o nº 2006.34.0034.729-1, visando à decretação da nulidade da Portaria M. S. nº 648/GM/2006 e do seu anexo (esse o seu objeto). Já no primeiro momento, o Juiz Federal daquela Vara Federal indeferiu o pedido de liminar, tendo o Conselho Federal de Medicina interposto o Agravo de Instrumento nº 2007.01.00.000126-2 para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Sem sucessos, destaque-se.

    Na malfadada nota, afirmam os seus autores que “o Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região (Brasília), tornou definitivamente sem efeito a Resolução 272/2002 do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) que permitia aos enfermeiros diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde”.

    Em verdade, a trata-se da divulgação da mesma matéria veiculada em agosto de 2008, à época sepultada pela própria decisão judicial proferida no encimado Mandado de Segurança que, diante da expedição da Portaria nº 1.625, de 10 de julho de 2007, pelo Ministério da Saúde, decidiu o MM. Juiz Federal que o conduzia por sepultá-lo definitivamente o referido processo, concluindo ao final: “diante do exposto, em face da falta de interesse de agir superveniente, JULGO EXTINTO O PROCESSO, SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, nos termos do art. 267, VI, do Código de Processo Civil” (segue a sentença do Juiz Federal, NÁIBER PONTES DE ALMEIDA, como prova das afirmações aqui trazidas a público).

    Conforme se vê, não prospera a notícia indevidamente veiculada na internet, de que os enfermeiros não podem mais diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, porquanto falaciosa.
    Por outro norte, não restam dúvidas que as atribuições do profissional de enfermagem permanecem preservadas e garantidas pela Lei nº 7.498, de 25 de julho de 1986, dispondo claramente que: “O Enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem cabendo-lhe” (Art. 11): privativamente (inc. I) a “consulta de enfermagem” (alínea “i”). E, “como integrante da equipe de saúde” (inc. II): a “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde” (alínea “c”).

    Destarte, deve sim o enfermeiro exercer a sua profissão com a liberdade, dignidade e autonomia que lhe assegura a Constituição Federal e a Lei do Exercício Profissional, devendo ele assumir firmemente o título de enfermeiro (a) a que está legalmente habilitado. Título esse alcançado com esforço e privações inesquecíveis, vividos durante aquele lustro dentro de uma sala de aula, cuja memória não deixa escapar.

    Relevante salientar que a Resolução COFEN nº 272/2002, foi revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem, através da Resolução COFEN nº 358/2009. E não, pela decisão do Tribunal Regional da 1ª Região como inveridicamente divulgado na internet.

    Aliás, tamanha a desinformação (ou flagrante má-fé) daqueles que veicularam a matéria que, a bem da verdade a Resolução desta Autarquia Federal que tratava sobre o diagnostico de doenças, prescrição de medicamentos e solicitação de exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, garantidos ao enfermeiro, era a 271/2002, também revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem através da Resolução COFEN nº 317/2007.

    Nesse passo, dúvidas não restam de que a verdade deve ser restabelecida por aquelas pessoas (profissionais de medicina, de farmácia e de odontologia, entre outros) e conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas que, indevidamente, fizeram a veiculação na internet daquela inverídica matéria, reconhecendo as competências dos valorosos profissionais de enfermagem como indispensáveis à saúde pública do Brasil, daí pugnando aos Conselhos Federais de Medicina, Farmácia e Odontologia que adotem as medidas necessárias junto aos seus Conselhos Regionais, para o restabelecimento da verdade.

    Conselho Federal de Enfermagem
    Diretoria


  316. em julho 20, 2011 at 5:21 am | Resposta ENFERMEIRO JOAO CARLOS CURITIBA PR

    O Cofen esclarece sobre a decisão de prescrição de medicamentos. Leia mais.

    O Conselho Federal de Enfermagem – COFEN vem a público, para transmitir a sociedade e aos profissionais de enfermagem, este em especial, a verdade sobre os fatos que vem sendo veiculados na internet por certas pessoas, e também por alguns conselhos de profissões legalmente regulamentadas, a exemplo dos Conselhos de Farmácia, Conselhos de Medicina e Conselhos de Odontologia, de que o “TRF proíbe prescrição de medicamentos por enfermeiro”.

    Em novembro de 2006, o Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira e a Federação Nacional dos Médicos impetraram em desfavor da União Federal o Mandado de Segurança, com pedido de liminar, que tramitou na 4ª Vara Federal da Justiça Federal da Seção Judiciária de Brasília sob o nº 2006.34.0034.729-1, visando à decretação da nulidade da Portaria M. S. nº 648/GM/2006 e do seu anexo (esse o seu objeto). Já no primeiro momento, o Juiz Federal daquela Vara Federal indeferiu o pedido de liminar, tendo o Conselho Federal de Medicina interposto o Agravo de Instrumento nº 2007.01.00.000126-2 para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Sem sucessos, destaque-se.

    Na malfadada nota, afirmam os seus autores que “o Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região (Brasília), tornou definitivamente sem efeito a Resolução 272/2002 do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) que permitia aos enfermeiros diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde”.

    Em verdade, a trata-se da divulgação da mesma matéria veiculada em agosto de 2008, à época sepultada pela própria decisão judicial proferida no encimado Mandado de Segurança que, diante da expedição da Portaria nº 1.625, de 10 de julho de 2007, pelo Ministério da Saúde, decidiu o MM. Juiz Federal que o conduzia por sepultá-lo definitivamente o referido processo, concluindo ao final: “diante do exposto, em face da falta de interesse de agir superveniente, JULGO EXTINTO O PROCESSO, SEM RESOLUÇÃO DO MÉRITO, nos termos do art. 267, VI, do Código de Processo Civil” (segue a sentença do Juiz Federal, NÁIBER PONTES DE ALMEIDA, como prova das afirmações aqui trazidas a público).

    Conforme se vê, não prospera a notícia indevidamente veiculada na internet, de que os enfermeiros não podem mais diagnosticar doenças, prescrever medicamentos e solicitar exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, porquanto falaciosa.
    Por outro norte, não restam dúvidas que as atribuições do profissional de enfermagem permanecem preservadas e garantidas pela Lei nº 7.498, de 25 de julho de 1986, dispondo claramente que: “O Enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem cabendo-lhe” (Art. 11): privativamente (inc. I) a “consulta de enfermagem” (alínea “i”). E, “como integrante da equipe de saúde” (inc. II): a “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde” (alínea “c”).

    Destarte, deve sim o enfermeiro exercer a sua profissão com a liberdade, dignidade e autonomia que lhe assegura a Constituição Federal e a Lei do Exercício Profissional, devendo ele assumir firmemente o título de enfermeiro (a) a que está legalmente habilitado. Título esse alcançado com esforço e privações inesquecíveis, vividos durante aquele lustro dentro de uma sala de aula, cuja memória não deixa escapar.

    Relevante salientar que a Resolução COFEN nº 272/2002, foi revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem, através da Resolução COFEN nº 358/2009. E não, pela decisão do Tribunal Regional da 1ª Região como inveridicamente divulgado na internet.

    Aliás, tamanha a desinformação (ou flagrante má-fé) daqueles que veicularam a matéria que, a bem da verdade a Resolução desta Autarquia Federal que tratava sobre o diagnostico de doenças, prescrição de medicamentos e solicitação de exames com autonomia no âmbito dos programas de rotinas aprovados em instituições de saúde, garantidos ao enfermeiro, era a 271/2002, também revogada pelo Conselho Federal de Enfermagem através da Resolução COFEN nº 317/2007.

    Nesse passo, dúvidas não restam de que a verdade deve ser restabelecida por aquelas pessoas (profissionais de medicina, de farmácia e de odontologia, entre outros) e conselhos de fiscalização de profissões regulamentadas que, indevidamente, fizeram a veiculação na internet daquela inverídica matéria, reconhecendo as competências dos valorosos profissionais de enfermagem como indispensáveis à saúde pública do Brasil, daí pugnando aos Conselhos Federais de Medicina, Farmácia e Odontologia que adotem as medidas necessárias junto aos seus Conselhos Regionais, para o restabelecimento da verdade.

    Conselho Federal de Enfermagem
    Diretoria
    POSTADO POR ENFERMEIRO JOAO CARLOS/CURITIBA FONTE: PORTAL DO CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM!


  317. TODA PROFISSÃO É IMPORTANTE!!!

    TODO PROFISSIONAL DE SAÚDE DEVE TRABALHAR EM EQUIPE, BUSCANDO A QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO.


  318. TODA PROFISSÃO É IMPORTANTE!!!

    TODO PROFISSIONAL DE SAÚDE DEVE TRABALHAR EM EQUIPE, BUSCANDO A QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO.
    O ENFERMEIRO DEVE SIM PRESCREVER MEDICAMENTOS, DESDE QUE TENHA CAPACITAÇÃO PARA EXERCER ESSA FUNÇÃO.


  319. Sou enfemeiro do trabalho e tenho outras todas categorias da enfermagem (35 anos de exercicio).
    Fico triste em ver tantas palavras denegrindo uma profissão.
    Gostaria de saber se voces que falam sem conhecimento de causa gostari de tomar um simples e necessario banho de leito com um medico. Vamos mais longe um pouquinho, experimente tomar uma IM com um CRM.
    Depois me fala.
    Gente, conheço muitas Enfermeiras doutoras que dá um banho em muitos CRM por aí……
    Em certos casos com um dedo do enfemeiro salva um vida……..


    • Juntando tudo Paulo, tbm sou Enfermeiro e atuo no Pré Hospitalar…

      Leia a histórinha!!

      – Doutor, então vamos fazer uma medicação pra dor??
      – Vamos, vamos!! Qual que vc tem aí??
      – Tenho Dipirona, …, …,!!
      – Ah, pode fazer essa aí!!
      – Quantas miligramas vamos fazer??
      – Quantas vc acha que devemos??
      – Acho que …mg já resolve!!
      – Isso, então faz!!

      ou em uma IRA o médico olhar para vc e diz??
      – Meu, e se ele PARAR??

      Será que devemos dizer que ele deve entubar e prescrever as drogas vasoativas….!!

      Isso acontece, a incompetência de muitos médicos é observada no dia a dia, isto é fato!!


  320. Rafael retornando

    É , cadê Michel e Alfinetinho agora ?

    Eu tentei avisar em 2010 que a coisa não era bem assim, mas … parece que o tempo tratou de explicar de vez a força da 7498 rsrs.

    Abraço aos caros colegas profissionais da saúde, trabalhemos juntos !


  321. Detalhe

    Alfinetinho (Caso volte)

    Esse Ricardo fulano de tal é bem obstinado ! Será que é imputável ? rs

    Fora os comentários dele, os finais, demais, me parecem bem adequados…


  322. O reconhecimento pela ANVISA sobre a prescrição medicamentosa do Enfermeiro

    ANVISA reconhece a atribuição do enfermeiro sobre a prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde, conforme a Lei nº 7498/86.
    Recentemente, o Conselho encaminhou ofício solicitando a revisão da RDC nº 44/2010, que dispõe sobre o controle de medicamentos antimicrobianos de uso sob prescrição, solicitação acatada com a edição da RDC nº 20, datada de 05/05/2011.
    Assim, com o art. 4º da RDC n° 20/2011, fica claro que a prescrição medicamentosa é de atribuição de todo e qualquer profissional regularmente habilitado, não se tratando, portanto, de ato exclusivamente médico. Através desta Resolução da ANVISA, ficou estabelecido o que a legislação
    federal já previa, que o enfermeiro realiza prescrições de medicamentos pertencentes ao programa de saúde pública, tendo em vista também a relação de medicamentos certos e previstos no programa ou rotina da instituição.
    Os gestores de cada unidade de dispensação não podem negar-se a fornecer o medicamento prescrito pelo enfermeiro, uma vez que este esteja vinculado a instituição que contenha programa, protocolos de saúde pública ou rotinas aprovada pela instituição de saúde, exemplo, Ministério da
    Saúde, Secretarias Municipais e Estaduais de Saúde.
    Nesta ordem de ideias, todo e qualquer cidadão que tenha sido atendido por enfermeiro em algum programa de saúde e esteja portando um receituário com pedido de medicamentos que prescreva antimicrobianos, não pode ter negado a venda ou entrega do medicamento pois a nova Resolução
    20/2011 da ANVISA está em plena conformidade ao estatuído no artigo 11, II, “c” da Lei 7.498/86.


  323. deixo mimha indignção ,se uma enfermeira estudou tanto,e ela não pode nem entregar um medicamento ,por quantos anos estudou uma recepcionista pra que só ela pode entregar os medicamentos,se ao menos sabe pra que serve ,para mim este é o maior crime,espero que o ministerio tenha consiencia disto.podendo fazer uma visita no psf da feirinha no bairro de mangabeira1,lotado no distrito3.espero que venha um farmaceutico, muito obrigado.


  324. sou tecnica em enfermagem fico muito triste com esses comentarios, pois a saúde de um paciente depende de uma equiipe multiprofissional onde é constituida de medico, enfermeiro, tecnico em enfermagem, ou auxiliar de enfermaem sendo cada um com as competencias que lhe cabe, porem tds em conjunto com um unico proposito, o melhor para o paciente que confia a vida nas nossas mãos…. sem a equipe td não tem saude, ou seja um depende do outro para dar o melhor atendimento aos pacientes. o que seria do medico sem o enfermeiro, do enfermeiro sem o tecnico em enfermagem e do tecnico sem o enfermeiroo?


  325. Blablablá dá dinheiro? se der eu vou entrar, bando de bestas o setor saúde só funciona com a interação interdisciplinar, médicos entende de medicina, enfermeiro de enfermagem, psicólogo de psicologia, fisioterapeuta de fisioterapia e estas ciências devem estar envolvidas mas as suas atribuições não devem ser misturadas, cada um no seu quadrado entende?


  326. em setembro 9, 2011 at 1:19 pm | Resposta Tiozão Biólogo

    Como biólogo graduado na USP, com mestrado Bioquímica na Université de Montréal e doutorado em Farmacologia pela Yale University, não me sinto no direito de exercer as atribuições que são legalmente do farmacêutico, mesmo tendo ele sido formado numa instituição de qualidade discutível. Escolhi cursar a faculdade de Ciências Biológicas e ponto. Não posso dispensar medicamentos e nem ser responsável técnico por farmácia, mesmo sabendo muito mais que boa parte dos farmacêuticos por aí. Da mesma forma, não se deve discutir se o enfermeiro é capaz ou não de realizar uma atividade privativa médica. As atribuições dos médicos, são dos médicos e as atribuições dos enfermeiros, são dos enfermeiros. Médicos erram, sim! Enfermeiros erram, também! Mas é muito cômodo pra mim, como profissional acadêmico e estritamente de laboratório apontar os enganos cometidos por esses dois profissionais no calor e no estresse de sua atividade diária numa instituição de saúde. Ajudo a desenvolver uma nova linha de medicamentos anticonvulsivantes com menor efeito colateral. Se já cometi erros alguma vez nos testes com voluntários? Nunca! Mas trabalhei num ambiente completamente controlado, protegido: o mundo mágico da pesquisa! Um médico neurologista, ainda que errando eventualmente, é infinitamente melhor que eu para tratar um paciente com crises epiléticas. Disso não tenho dúvida. O que é meu extenso currículo, minhas centenas de artigos publicados, minhas centenas de congressos, meus anos de aula na universidade diante da experiência prática diária de um ambulatório de neurologia? Sabe o que aconteceria se me pusessem numa emergência de hospital? Eu sairia correndo! Sem sombra de dúvida! Minha função é produzir conhecimento para que a vida dos valorosos médicos (e também dos ruins) seja mais fácil. Espero beneficiar também enfermeiros e farmacêuticos, bem como odontólogos. Mas minha contribuição se resume ao laboratório, que é meu limite legal e ético. Com relação à arrogância do médico, posso afirmar do alto dos meus 58 anos que: Muitos enfermeiros adoram humilhar técnicos e auxiliares de enfermagem. E sobre a qualificação dos enfermeiros: os saídos das boas instituições são formidáveis. Busquemos, portanto, profissionais da saúde, nosso espaço legal e ético. Se, quiserem mudar de atribuição, faça outro curso, não é difícil. Tenho certeza que eu não teria mais dificuldades em fazer uma faculdade de farmácia, do que um molecote recém saído do ensino médio. Passar a vida lamentando que não fez o que gostaria, isso sim é duro! Um salve aos enfermeiros e médicos que cuidam de todos nós!


  327. O enfermeiro estuda muito pouco para ter esta habilidade. Muitos médicos no brasil ainda erram bastante com todo esse estudo imagina se um enfermeiro tomar conta de medicar. Recentemente no Recife um PM filho de uma senhora doente que num posto de saúde foi submetida a um medicamento prescrito pelo enfermeiro de plantão, a senhora sua filha informou que ela era alérgica ao medicamento e mesmo assim o profissional aplicou-lhe o medicamento que provocou uma forte alergia. Seu filho PM sabendo do caso, prendeu o enfermeiro e levou-o a delegacia. A secretaria de saúde informou na Tv que o tal profissional está autorizado por participar de diversos programas de saúde. Não acredito que o PM não esteja coberto de razão. Estou cansado de ver vendedores de farmacias medicando compradores. Outro dia peguei pesado com um que logo recuou após minhas explicações ao usuário de uma possível reação da criança medicada e de quem assumiria tal responsabilidade.


    • Me responda o seguinte, quantas vezes você já viu ou ouviu uma situação parecida e que o ator principal fosse o médico!! Com certeza há uma explicação, verdade ou mentira, isso não é comum… Você presenciou o acontecido pra dizer com tanta certeza que o enfermeiro negligenciou a informação de que o paciente era alérgico?? Cuidado com o que fala!!


      • Esqueci, e outra, nesta situação, até onde sei, o PM não poderia prender o profissional!! a não ser um mandato!!


  328. As pessoas ficam “viajando”, com blá blá sobre a “importância da minha profissão” mas o fato é : Nunca vi políticos levarem seus filhos para se consultarem nos postos onde enfermeiros fazem consultas médicas (que esquisito, né ?). Também nunca vi um enfermeiro levar seu filhinho para consulta pediátrica com outro enfermeiro.
    Na medicina há maus profissionais como em qualquer profissão.Portanto, é mau caratismo de certos enfermeiros usarem os exemplos desses maus médicos para justificarem ações para quais os enfermeiros não foram capacitados. Sou pediatra e cansei de pegar criança resfriada tomando amoxicilina prescrita por enfermeiros ou tomando sulfa prescrita por farmaceuticos. Saúde é algo interdisciplinar. O paciente precisa do trabalho do médico, do enfermeiro, do técnico de enfermagem, do fono, do fisioterapeuta, do farmacéutico etc. Mas cada uma na sua!!!!


    • Que engraçado Ezequiel, a Gisele Bündchen escolheu uma enfermeira para fazer o parto dela em casa, a qual havia acompanhado toda sua gestação… Logo ELA uma mulher sem conhecimento e sem dinheiro para pagar um médico para fazer seu parto… COITADA DELA…


    • SÓ NÃO LEVA POR QUESTÃO CULTURAL, ASSIM COMO É UMA QUESTÃO CULTURAL CHARMAR A TODOS OS MÉDICOS DE DOUTORES POIS A MAIORIA NÃO TEM DOUTORADO.


  329. Cara Rayelle, quem deve fazer pré-natal é o médico OBSTETRA. Nem é o clínico, nem o pediatra, nem o farmacêutico e etc. Se você acha que pré-natal é só ouvir BCF, medir útero, e distribuir sulfato ferroso, estás muito enganada. Ah, é. vc é enfermeira, não é capacitada para isso.


  330. Ah, e outro detalhe. Se os conselhos estaduais e federal de enfermagem gastassem seu tempo buscando melhorar as condições de traballho da enfermagem , e não metendo o dedo nas profissões alheias, estariam prestando um grande serviço a sociedade brasileira!!!!


    • Olá Ezequiel, engraçado será que Conselho quer “meter” a mão nas outras profissões…
      VC já leu o ato médico ?? se não, então leia…
      PQ quando li ri muito. Quero ver médico prescrevendo e indo aplicar medicação (pelo ato médico apartir do tecido subcutâneo SÓ MÉDICO PODE) vai ser lindo.
      Não estavam preocupados com isso não (ao formularem o ATO MÉDICO), apenas estavam interessados em “pegar” as áreas dos tatuadores e acumputuristas…(que dá MUITO mais dinheiro e a tendência é crescer.
      Eu trabalho em um ESF e graças a Deus a equipe é muito unida e por incrivel que pareça o médico do ESF é contra o ATO MÉDICO.
      E o que eu citei está em apenas um artigo…

      Saudações a todos os colegas da SAÚDE !!!


  331. Acho certo enfermeiro prescrever medicamentos assim como pedreiro projetar prédios, caminhoneiro dirigir aviões!.. e por aí vai (sem noção…)


  332. Eo profissional Farmaceutico que é o profissional que de fato estudo a farmacologia na sua totalidade mais as analises clinicas e toxicologica , será que tambem não estaria capácitado a prescrição ? por duas vezes a conselho federal de medicina empetro um recurso contra a a prescrição farmcêutica alengando falta de conhecimento farmacologico e clinico , devo lembra-los que na formação de um Farmacêutico nos vemos tanto semiologia médica qunto farmacologia clinica aplica , por tanto nós temosd total capacidade a prescrever medicamentos chamados otcs ou de venda livre , devo lembralos que o profissonal médico obtem o conhecimento sobre medicamentos atraves de um profissional que vista os consultórios chamdo de propagandista farmaceutico que nada mais e que um representante de um determinado laboratório . haaa só mais uma coisa segundo dados estátisco do dadta folha de dezembro de 2006 78% das consultas no brasilforam feitas por profissionais farmaceuticos em diversas farmácias pelo o brasil , mais uma vez devo lembralos que somos nós farmaceuticos -bioquimicos que realizamos os exames que os médicos e enfermeiros vão enterpretar para chegar a uma conclusão sobre uma patologia abraços a todos


  333. Alexandre, o profissional farmacêutico estuda a toxicologia, química das drogas etc. Mas quem é habilitado para indicá-las baseado na doença é o médico. Cansei de ver crianças tomando amoxicilina para resfriado. Tudo prescrito por farmacêuticos e enfermeiros. Cansei de ver criança com diarréia tomando sulfa ou loperamida, prescritos por enfermeiros ou farmacêuticos.
    Você dizer que um fármacêutico pode prescrever porque conhece as drogas é mesmo que dizer que o médico pode exercer a função de farmacêutico. O que é uma mentira, visto que médico não foi capacitado para exercer a função de um farmacêutico. Além disso, dizer que médico prescreve baseado em visita de representante é um sofisma sempre usado quando se quer confundir os leigos. Ou então é mal caratismo, mesmo (que creio não ser o seu caso). Como eu disse antes: O doente precisa do trabalho do médico, enfermeiro, farmacêutico, bioquímico e etc. Mas cada um na sua!!!!!

    Abraço.


    • caro ezequiel, devo ressaltar que o uso indiscriminado de antibioticos é principalmente de responsabilidade dos medicos, o que tem feito com que as bacterias fiquem cada vez mais resitentes, e a industria farmaceutica mais rica. hoje trata-se como primeira escolha de varios médicos uma amigdalite as vezes viral com ceftriaxona, e o enfermeiro aqui sabe que nao ha criterios para tal tto. é dar um tiro de basuca em um mosquito.


  334. em setembro 20, 2011 at 12:47 am | Resposta Reginaldo vicente ferreira

    MINHA NOBRE INAJARA, É VERDADE COMO VOCÊ DISSE O ENFERMEIRO ESTUDOU 5 ANOS PARA FAZER MUITO MAIS DOQUE ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTO E OUTROS PROSSEDIMENTOS DE ENFERMAGEM. MAIS OQUE ACONTECE NA MAIORIA DAS VEZES É QUE VOCÊS NÃO DÃO CONTA DE FAZER MEDICAÇÃO PEGAR VEIAS DANÇARINAS ETC… DAI A GENTE TÉCNICOS E AUXILIARES É QUE TÊM QUE FAZER A DIFERECIA QUE SERIA OBRIGAÇÃO DE VOCÊS.


  335. a classe de enfermagem deveria ser unida, muitos medicos acabam saindo com razao por q profissionais enfermeiros nao sao unidos e ficam calados em certas situacoes, na minha cidade por exemplo fico envergonhados em ver enfermeiros graduados ganhando 1.200 reais, sendo q o profissional medico ganhar seus 10.000 ou ate mas e o sindicado nada faz para buscar certas solucoes, e nao ha muita diferencia em relacao a competencia profissional entre medicos e enfermeiros, e o q eu peco a todos profissionais de enfermagem q nao calem a boca diante todas a situacoes q tiverem diante ao profissionais medicos, essa briga ja é antiga porem temos q fazer valer a pena o nosso valor e a nossa capacidade profssional…..


  336. o Gh7a e a médica Ana Paula, na minha opinião, sintetizam a visão mais correta desta polêmica! Se pelo menos 50% dos profissionais (médicos e enfermeiros) agissem de acordo com esta lógica, a saúde estaria bem melhor…..
    Vamos acabar com essa infantilidade?


  337. em outubro 2, 2011 at 2:38 pm | Resposta Enfermeira com dois doutorados

    RESUMO
    1 – Médicos e Enfermeiros devem trabalhar unidos para a saúde do indivíduo, família e comunidade e lutar juntos por melhores condições de trabalho e remuneração.
    2 – Os Enfermeiros podem fazer coleta de dados, solicitar exames e prescrever medicamentos em programas governamentais e em rotina aprovada pela instituição. Nesses casos não há competição com médicos, pois é o médico quem faz a primeira prescrição e assim continua se o paciente possui complicações. O especialista em obstetrícia pode fazer parto sem distócia.
    3 – O diálogo entre médicos e enfermeiros deve ser constante e diário, para melhor atendimento ao paciente.
    4 – Docentes da saúde devem desestimular a competição entre as profissões e estimular o mérito pela competência.
    5 – Cabe à própria Enfermagem divulgar à população a importância de seu papel na sociedade, começando pelas crianças, mostrando a nobreza de seus atos e a cientificidade com que atua.
    6 – Assim como no Direito existem divisões (Juízes, Promotores, Advogados) na Saúde há diferentes profissões, mas todas com a mesma intenção – promover a saúde. A remuneração estará diretamente relacionada ao grau de investimento e esforço inteligente de cada um.
    7 – A liberdade de expressão é uma conquista importante, por isso, não parem de expressar suas ideais.


  338. ESSE NEGÓCIO DE QUEM PODE, OU QUEM DEVE…. TODOS NÓS SABEMOS O QUE PODEMOS, E O QUE DEVEMOS, E ATÉ ONDE PODEMOS CHEGAR. OU SEJA, FODAM-SE OS MÉDICOS


  339. Emfermeiros prescrevendo isso sim da cadeia


  340. No Canada, Estados Unidos e Europa um enfermeiro além de medicar pequenas consultas (rotineiras), pode fazer até pequenas cirurgias. Eles são em 1 lugar em saúde mundial.

    Quem está errado, eles ou nós?
    Enfermeiro poderia fazer isso sim DESDE que CAPACITADO. Brasileiro tem mania de só valorizar o MÉDICO, quando quem realmente cuida é o ENFERMEIRO.

    O médico vai vê 1 minuto, fala o que tem. Quem passa HORAS ajudando são os enfermeiros.

    (obs SOU MEDICA)


  341. Gente, estou apavorada com essa discussão, que considero idiota… sempre um querendo afirmar que sua profissão é a mais importante (infantiliade isso)! Considero que todas tem real importância e tantos médicos quanto farmacêuticos, enfermeiros, tecnicos e auxiliares devem se empenhar, fazer o melhor q puderem para que bons resultados sejam obtidos, que contribuam para o bem estar do paciente e a promoção da saúde.
    Devemos lembrar que existem profissionais e profissionais, não dá p generalizar. Já vi profissionais de saúde realmente comprometidos com a profissão, como tb já vi profissionais que pouco se lembram do juramento que fizeram.
    Costumo brincar dizendo que médico entende de doença, farmacêutico entende de medicamento e enfermeiro do cuidar e administrar.
    Já fui técnica de enfermagem e no hospital que eu trabalhava, via que os enfermeiros ficavam mt à toa (exceto enfermeiros da UTI) , tecnicos que ralavam bastante…. realmente é a enfermagem de um modo geral que tem contato com o paciente, devendo fazer evolução. estar atenta… para assim ajudar o médico. Eu como farmaceutica hospitalar me atento às interações medicamentosas, costumo fazer visitas aos pacientes, visitas aos centros de enfermagem e trocar informações com os enfermeiros e médicos, tudo objetivando a melhoria do paciente. Considero fundamental o trabalho em equipe! E não uma concorrência idiota.

    Não sei se lembram…há algum tempo passou no Jornal Nacional 2 médicos que brigaram durante uma cirurgia…e a paciente morreu… (lindo isso né? Puro profissionalismo!).

    Voltando ao tema.. NÃO concordo do enfermeiro prescrever… pra mim o MÉDICO PRESCREVE, ENFERMEIRO REESCREVE (qnd o caso), FARMACÊUTICO DISPENSA, ENFERMEIRO ADMINISTRA.

    TRABALHO EM EQUIPE, sem competição!!!


  342. Boa-Tarde! Sou Acadêmico de Enfermagem, a respeito da (Prescrições Medicamentosa), deixo claro a (Sra. Daniele Brito). Que Enfermeiros podem sim prescrever medicamentos conforme a (lei 7498/86) ANVISA reconhece a atribuição do enfermeiro sobre a prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde. o que está confundindo a cabeça de alguns sobre prescrição médica ou de enfermagem é que a uma diferença entre prescrições. é que certas medicações, só quem poderar prescrever é medicos. medicações mais simples como antimicótico, antitérmico, antifungicos, dentres outros enfermeiros são habilitados legalmente por lei para prescrever e não adianta alguns dizerem que enfermeiros não sabem diagnósticar, por quê diagnósticamos muito bem, conforme nossa habilitação técnica / ciêntica.
    Fora que acho um desrespeito ambos os profissionais ficarem se martirizando, pois cada um sabe da sua competência técnica / ciêntifica.


  343. Não sei se o pior sou eu parando de estudar pra me indignar com posts idiotas e sem fundamento ou se esse povo todo ai em cima também se debatendo com um querido blogueiro que infelizmente parou no tempo e não consegue fazer uma diferenciação tão simples de o que é diagnostico e prescrição de enfermagem e o quais são os da medicina…. mas é obvio que se ocorre de em uma unicade basica o médico brotar apenas das 4 as 5 da tarde algumas medidas não cabiveis a classe da enfermagem são tomadas né??? sem respaudo da lei mas seguindo a primeira parte do juramento feito pelo menos… Parar no tempo é foda… e eu não condeno vos micê doutor por não saber as resoluções da SAE que é tão nova e ainda desconhecida… mas esse engaufinhamento como se a enfermagem quissesse morder um pedaço da profissão de vocês é que me mata… como se não tivesse tarefa pra todo mundo né… o brasil é mt saudavel…

    Art. 1º – Ao Enfermeiro incumbe:

    I – Privativamente:
    A implantação, planejamento, organização, execução e avaliação do processo de enfermagem, que compreende as seguintes etapas:

    Consulta de Enfermagem
    Compreende o histórico (entrevista), exame físico, diagnóstico, prescrição e evolução de enfermagem.

    Para a implementação da assistência de enfermagem, devem ser considerados os aspectos essenciais em cada uma das etapas, conforme descriminados a seguir:

    Histórico: Conhecer hábitos individuais e biopsicossociais visando a adaptação do paciente à unidade de tratamento, assim como a identificação de problemas.

    Exame Físico: O Enfermeiro deverá realizar as seguintes técnicas:
    inspeção, ausculta, palpação e percussão, de forma criteriosa, efetuando o levantamento de dados sobre o estado de saúde do paciente e anotação das anormalidades encontradas para validar as informações obtidas no histórico.

    Diagnóstico de Enfermagem: O Enfermeiro após ter analisado os dados colhidos no histórico e exame físico, identificará os problemas de enfermagem, as necessidades básicas afetadas e grau de dependência, fazendo julgamento clínico sobre as respostas do indíviduo, da família e comunidade, aos problemas, processos de vida vigentes ou potenciais.

    Prescrição de Enfermagem: É o conjunto de medidas decididas pelo Enfermeiro, que direciona e coordena a assistência de Enfermagem ao paciente de forma individualizada e contínua, objetivando a prevenção, promoção, proteção, recuperação e manutenção da saúde.

    Evolução de Enfermagem: É o registro feito pelo Enfermeiro após a avaliação do estado geral do paciente. Desse registro constam os problemas novos identificados, um resumo sucinto dos resultados dos cuidados prescritos e os problemas a serem abordados nas 24 horas subsequentes.


  344. Oi pessoal eu só queria falar uma coisa que eu duvido se um hospital vai pra frente apenas com médicos eles nem sabem o q é arte de cuidar.Já nos consultórios médicos que é de rico como um rpz falou acima também tem um enfermeiro NE seu filho da puta .
    Se eu quiser ser uma porra de um médico eu tenho condições suficiente para pagar uma faculdade.
    É-nos que se preocupa de está olhando sua mãe quando está internada de 4/4,6/6,8/8 ou ate mesmo de ficar do lado do leito para qualquer coisa fazermos o primeiro atendimento seu porra.


  345. Boa noite a todos os enfermeiros, o q Ocorrem entre medicos e enfermeiros ha uma diferencia muito grande, pois o medico soh prescreve e nem olha no rosto do paciente muito menos um exame fisico! qto os bons enfermeiros chegam + perto do paciente e faz algumas pergunta ao pctes que o medico num t’a nem ai!ja cheguei num plantao com um paciente na emergencia + de 36 horas no leito, o clinico jogando o mesmo para o cirurgiao e cirurgiao jogando para o clinico! cheguei recebie o plantao fui fazer minha visita ao investigar ou exame fisico ao paciente , falei para os medicos do plantao q o paciente estava com suspeita de apendicite…………….ao realizar uma USG ! O PACIENTE FOI LEVADO IMEDIATAMENTE PARA O CENTRO CIRURGICO!! ESSA ‘E A DIFERENCIA Q O ENFERMEIRO FAZ!


  346. nobre ROGÉRIO, quer dizer sem noção, vc com certeza é mais um medicozinho desses que se acha, mas não sabe nem e nem consegue entubar um cliente em uma situação de emergência. A sua atitude descriminátoria e preconceituosa só reforça o que sabemos de medicos: que na grande maioria (98%) não sabem a diferença entre efeitos colaterais e reações adversas, por que estavam tão ocupados com assuntos banais (gazetando aula) que nem asistiam as aulas. As parteiras são mais sabias e inteligentes.


  347. Danielle Brito, sua posição é patetica, seria melhor vc não ter se manifestado…
    vc já trabalhou como técnica de enfermagem e não aprendeu nada???
    sabe afirmar que prescrever é coisa de médico, é a mesma coisa que dizer que lugar de mulher é beira do fogão, na pia, em casa cuidando dos filhos…
    …é isso ai vamos retroceder, voltar aos louros da escravidão….
    não é mesmo senhorita brito……..
    vamos soltar balões e elogiar os doutores (médicos) que nem olham na cara do cliente…


  348. em novembro 28, 2011 at 10:15 pm | Resposta Itzok Abramokwitz

    Vejam bem: Concordo totalmente que há enfermeiros extremamente capacitados, mas garanto que há mais médicos capazes de escrever uma receita do que enfermeiros. Por favor, não é não, gente.. Atentemos ao Português, não?


  349. em novembro 29, 2011 at 6:46 pm | Resposta constantino duarte

    acho que tudo vai do nível de ensino da instituição,faço graduação de enfermagem na universidade federal de campina grande,e garanto,tenho conhecimentos cientificos para fazer “consultas de enfermagem”,e me consulto sem nenhum problema com enfermeiros formados nesta istituição,a gente estuda farmacologia nos mesmos livros que os estudantes de medicina aqui estudam,e são 5 anos…portanto,quando eu me formar,dentro das leis,vou fazer consultas de enfermagem segundo as resoluções do cofen.E quando ao que nosso amigo disse “medicina é curativa”,ele deve estudar os princípios básicos do sus,pois esse era o antigo paradigma meu caro.


  350. Se o profissional de enfermagem quer prescrever, prescreva. Agora, assuma a responsabilidade pelos maus resultados, como nós, médicos, temos que assumir. Cansei de ver criança com amigdalite viral ou mesmo mononucleose tomando amoxicilina prescrito pela “enfermeira do postinho”. E as mães dizem:”Ela passou esse remédio mas como a criança não melhorou, ela me mandou pra cá”.


    • em janeiro 29, 2012 at 12:23 am | Resposta DRº DANIEL ROBSON

      É LAMENTAVEL ESSE TIPINHO DE PESSOAS QUE SE DIZEM MÉDICOS, AO INVÉS DE VOCÊS FICAREM CRITICANDO A CONDUTA DOS ENFERMEIROS, DEVERIAM CRITICAR ESSES MÉDICOS QUE ASSASSINAM CRIANÇAS TENTANDO FAZER PARTO, MENOSPREZAM OS PACIENTES, TRABALHAM SEM REGISTRO NO CRM, …
      VAI CUIDAR DA SUA VIDINHA, DEVERIA SE PREOCUPAR COM O QUE ESTÃO COLOCANDO EM SUA CABEÇA.


  351. Gostaria de comentar caros amigos, para os que estavam comentando a respeito da pratica da Odontologia, que a mesma eh uma area da medicina embora seja uma graduacao de nivel superior, a Odontologia separou-se da Medicina ha poucos anos, por isso mantem todas as caracteristicas da pratica medica e tem sua area de autonomia totalmente respeitada, pois naum ha nenhuma especialidade medica que possa levar a odontologia, eu acredito que o problema com a Enfermagem eh cultural, muito mais do que escopo profissional, do enfermeiro ou do medico… Criou-se uma hierarquia na saude, que nao deveria exisitir, onde Medicos e Dentistas estao no topo e descutem casos como colegas, e tratam todo outro profissional como um incapaz, mal sabem eles que sem os demais naum ha saude….


  352. …onde Medicos e Dentistas estao no topo e descutem casos como colegas…

    “dEscutir” foi épico !! rsrs Falou pouco mais falou bonito !! rs

    Até agora, top são os PHDs , isso em qualquer área do conhecimento.

    Reconhecimento profissional é algo que todos querem , buscam, almejam, dês de quando estão ali no início de suas formações.

    Ai a galera fica discutindo na guerra de egos, mas não sabem, ou não querem enxergar que os Docs e PHDs , sejam eles de enfermagem, medicina ou qualquer área da saúde , tem autonomia de pesquisa e remuneração mais alta, chegando a ganhar 11 mil reais por 30 horas semanais , fora o que ganham de fomento e financiamento de projetos de CAPS , CNPq , FIESP etc.

    Ai ficam vocês aqui no blog da FENAM quebrando o pau atoa …

    Sem ler o que já foi dito , o que é pior ainda !!

    dois anos depois … segue o embate , vamos ver se até o fim do mundo em 2012 vocês estarão aqui nessa mesma hora e canal …


  353. O JONAS fala do erro do comentário acima e escreve (atoa) junto, meu Deus eh o iletrado falando do analfabeto, se fez medicina deve ser na CESUMAR… huahua… e concurso público abandona…

    Quero morrer de catapora!!!!

    huahuahua


  354. o nome já diz tudo: “prescrição médica” … porwue fazer ENFERMAGEM e não MEDICINA se querem tanto serem reconhecidos como capacitados a substituir o médico , não levo meu processo trabalhista para um arquiteto , não tiro dentes com um advogado , não do casa pro dentista construir nem levo meus cães a um psiquiatra. a coisa mais normal em toda sociedade é que existam profissões de nivel superior paralelas às outras , o contador pode ser um paralegal e auxiliar com eficácia o advogado mas não está ápto a escrever uma peça inicial, o psicologo auxilia e muito o psiquiatra mas não está habilitado a prescrever medicamentos , o mesmo se dá com nutricionistas , fisioterapeutas , enfermeiros e etc são profissões de nivel superior da área paramédica e isso não é ofensivo , é apenas o que de fato são. Viage mundo áfora e verá a naturalidade com que se usa o termo paramedico para tais profissões e ninguem se ofende. Enfermeiro é uma nobre e vaoliosissima profissão da área paramedica que auxilia o médico no seu dia à dia , mas não tem o conhecimento academico igual ao mesmo , enquanto um estouda 4 anos para a área de cuidar do paciente e auxiliar o medico o outros faz de 06 ( tempo basico ) a 10 anos ( de 02 a 04 anos de residencia médica ) para se formar definitivamente como médico. bons e maus sempre haverá em toda profissão, mas legalmente falando medico é medico e enfermeiro é enfermeiro e que cada um cumpra seu papel dando o seu melhor pois ambos lidam com vidas. Ah e … Veterinário tembém utiliza enfermeiros como auxiliares , Dentistas também utilizam enfermeiros como auxiliares , Fisioterapeutas também itilizam e ai vão dizer que podem exercer as 5 profssões ? hora hora ,Bom senso generalizado está faltando no mundo.


    • Não, sssantos. É normal o pedreiro fazer o projeto, o arquiteto executar e o engenheiro projetar a obra. Meu vizinho mesmo projetou a sala dele com pedreiro. Outra vizinha toma benzodiazepínicos prescritos pelo enfermeiro. Oras, todos estudaram e podem perfeitamente executar essas coisas.


  355. “Prescrição medica” eh coisa de medico, de dentista (que entre aspas eh medico tbm) e de medico veterinário, se quiser prescrever deve fazer essas graduações no Brasil, do contrario vai ficar na vontade,como responsabilizar um enfermeiro por uma prescrição errada se ele naum foi treinado corretamente para isso, porque saber farmacologia, naum significa saber conduta clinica, ai eh que mora a diferença entre o medico e o enfermeiro.

    Essa discussão vai longe…


  356. Essa discussão já foi bem longe … (Vide lá em cima em posts de até anos atrás)
    E Concordo com a falta de moderação !

    Au revoir


  357. Não sei porque tamanha problemática acerca da prescrição por enfermeiros… a maioria está esquecendo do balconista de farmácia que todos os dias “orientam”, “prescrevem” “indicam” (sei lá como designar) para seus clientes inúmeros medicamentos, e o que foi dito sobre isto?. Penso que médico e enfermeiro exercem um papel fundamental em qualquer unidade de saúde _ preservar a vida do usuário; indepedente do quanto se gastou o estudou para obter o seu diploma. Sou enfermeira, sei que existem tanto bons quanto maus médicos e enfermeiros. Ao que parece há um grande medo por parte da medicina em geral de perder seu poder (de cura???), de prescrever, de ter bons salários… É preocupante o despreparo com que o profissional de medicina tem chegado ao mercado de trabalho, se estudam tanto ( 10 anos?), pelo menos em teoria deveriam ser muito bons. Alguns ainda tem o bom senso de ter um blackbook como companheiro de trabalho. Enfermeiro não quer substituir médico, a diferença está em que a enfermagem avalia o paciente na sua integralidade, se preocupa o bem estar geral do paciente.


  358. como profissional da área de enfermagem em emergência ha 12 anos, tenho visto erros e acertos de ambas as partes, porem gostaria de ressaltar que a sociedade deveria entender melhor as duas profissões, pois, fazem dos médicos”DEUSES” e dos profissionais de enfermagem seus submissos e subordinados, sendo que um depende do outro para executar da melhor forma o intuito maior que é o de cuidar e preservar a vida, o profissional de enfermagem não é subordinado do medico e sim um membro da equipe.para ter um exemplo do que digo, diga em qualquer local que vc é médico ou enfermeiro e notara a diferença na recepção e tratamento, principalmente em no comercio e instituições financeiras e digo mais, nossos administradores deveriam se envergonhar dos salários pagos aos profissionais de enfermagem, que estao em contato direto com as moléstias que assolam a humanidade e ainda podem transmiti-las aos seus familiares sem o minimo de valorização. já passou da hora do cofen trabalhar em prol da enfermagem neste sentido. PS: um plantão medico de dose horas é de R$ 900,00, com acomodação( cama, TV, ar condicionado, frigobar, alimentação), fora consultas particulares e plantões a distancia onde se ganha as vezes sem ter que ao menos ver um cliente. este mesmo valor corresponde ao salario de um técnico de enfermagem e até de alguns enfermeiros no mês e ainda tem descontos alem de que o cliente fica totalmente sobre a responsabilidade do profissional de enfermagem enquanto o DR.( que pra mim é quem faz doutorado)esta dormindo ou assistindo um filme. nao sou contra a boa remuneração aos médicos mesmo porque também posso precisar dos seus conhecimentos, mas o que a enfermagem ganha e pelo tanto que trabalha é absurdamente indigno.


  359. os médicos são tao inteligentes que se o enfermeiro devidamente capacitado tivesse autorização legal para executar certos procedimentos (pequenas suturas, algumas punçoes, retirada de corpo estranho, entre vários de baixa complexidade), seriam eles poupados de faze-lo, e o o cliente sairia muito mais satisfeito devido a dedicação e carinho peculiares da enfermagem. a medicina precisa ser humanizada como a enfermagem.


  360. precisamos uns dos outros, e a recuperaçao e saude do ser humano é foco do nosso conhecimento, temos que trabalhar juntos


  361. SOU ENFERMEIRO, PRESCREVO MEDICAÇÕES E SONHO COM O DIA EM QUE OS MÉDICOS ASSUMIRÃO TOTALMENTE A ARTE MÉDICA PARA QUE NÓS ENFERMEIROS NÃO MAIS PRECISAREMOS PRESCREVER MEDICAÇÕES… TENHO TRISTEZA QUANDO VEJO UM SER HUMANO SER MENOSPREZADO PELOS MÉDICOS QUE CHEGAM A GANHAR R$ 1, 300,00 POR DIA NO MUNICIPIO EM QUE TRABALHO.


  362. tatiane morais
    DANIEL DEUS TE ILUMINE E A NOS TODOS ENFERMEIROS, UM DIA SEREMOS BEM REMUNERADOS!!!!
    agradeço a Deus por ter me dado a graça de ser enfermeira hoje! Não estamos aqui para criticar a profissão de ninguem, mais sim para ajudar-mos uns aos outros…seja medicos, enfermeiros ou tecnico estamos para compartilhar nossos conhecimento e aaprender-mos com outros..Deus deu um dom para cada pessoa , basta sabermos conduzir com atenção e amor ao proximo, como assim os pacientes precisam de uma assistencia seja ela qual for,os medicos estao la para nos ajudar caso não tenhamos os medicos o enfermeiro estarão la para ajudar ao proximo de alguma maneira.qd chegamos em hospital ou unidade de saúde que nos recebe nao e o medico,e sim um profissional como o porteiro ou as pessoas que trabaham na recpeção em seguida a enfermagem, pois e ela que vai colher a historia do paciente e que ira conduzir ate ao medico….basta saber-mos respeirar cada profissção e nao critica enfermeiro, medico, porteiro…Pois o dia de amanha so a Deus pertence..PARABENS AOS ENFERMEIROS QUE ESTÃO TODOS OS DIAS PROXIMOS DOS PACIENTES PRESTANDO A ASSISTENCIA QUE MERECEM…PENA QUE NÃO SOMOS BEM REMUNERADOS…DEUS GUIE A MÃOS DE TODOS NOS!!!!!


  363. Bom dia a todos que administram este site!

    Gostaria de tirar algumas duvidas sobre a profissão de enfermagem…

    Um enfermeiro que não trabalhar por conta própria, realizando consulta, prescrevendo exames, e medicamentos, e ainda cobrar pela consulta?

    Aguardo o mais breve a sua resposta e se vocês puderem me ajudar com embasamento em leis eu agradeço.

    Sem mais para o momento.

    Fabrício Campos


  364. Desculpe, formulei errado a minha pergunta.

    o que eu gostaria de saber…

    UM ENFERMEIRO PODE TRABALHAR POR CONTA PRÓPRIA, REALIZANDO CONSULTA, PRESCREVENDO EXAMES, E MEDICAMENTOS, E AINDA COBRAR PELA CONSULTA?

    Aguardo o mais breve a sua resposta e se vocês puderem me ajudar com embasamento em leis eu agradeço.

    Sem mais para o momento.

    Fabrício Campos


    • Colega, é claro que podemos, inclusive deveríamos ganhar no serviço público por procedimentos realizados por nós… somos amparados legalmente. Por exemplo, em passagem de PICC, procedimento com a mesma finalidade e inclusive parecido com acesso venoso central passado pelo médico e que ganham horrores, mas com alguns riscos a menos!! deveríamos ganhar, soh que nosso Brasil…. Bom acho que não preciso comentar do atrasado e desvalorização do Enfermeiro. Inclusive podemos solicitar exames, prescrever curativos e medicamento sob protocolo, ou seja, podem ter consultório e tudo mais… Mas vc acha que com este salário conseguimos virar empreendedores, bom já ví exemplos, mas são poucos.
      O problema é a hipervalorização da atividade médica, e as demais áreas da saúde desvalorizadas… Daqui a pouco médicos vão querer até montar consultório de fisioterapia!! não fiquem chateados, existem muitos médicos ótimos, sensatos, racionais e honestos…

      Procure no site do CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM a legislação!!


  365. Pesso-lhe sua ajuda para esclarecer minhas duvidas.

    UM ENFERMEIRO PODE TRABALHAR POR CONTA PRÓPRIA, REALIZANDO CONSULTA, PRESCREVENDO EXAMES, E MEDICAMENTOS, E AINDA COBRAR PELA CONSULTA?

    Aguardo o mais breve a sua resposta e se vocês puderem me ajudar com embasamento em leis eu agradeço.

    Sem mais para o momento.

    Fabrício Campos


    • Querido Fabricio eh claro que o enfermeiro naum consulta, nem pode prescrever medicamentos e exames sem a presenca de um medico ou de um dentista. O enfermeiro eh parte do tratamento que pode ser passado por esses profissionais, eles são os únicos habilitados por Lei e com escopo cientifico para diagnosticar doenças e passar tratamentos, o Dentista exclusivamente na área Odontológica, que seria o rosto e o pescoço, soh pra esclarecer.
      Isso naum significa que o enfermeiro naum eh importante, alias ele eh o mais importante de todos para o sucesso do tratamento, estou me formando cirurgião, e quando fiquei internado muito doente a tempos atras antes da Faculdade, ,aprendi a apreciar esses profissionais, que me tratavam com carinho, sempre tentando me fazer sorrir e reagir, naum teria me curado e naum me formaria se naum fosse por eles, a quem agradeco a Deus po eles existirem.
      O merito de cada profissão a justiça decidira, o respeito a todas, os justos jah decidiram ter, soh menospreza um enfermeiro que nunca precisou de um…

      Bjus a todos vcs colegas enfermeiros, que cuidam taum bem de nos e de nossos pacientes.


      • Com todo respeito Gustavo,essas características por vc citada são características que já vem de nossa formação…a humanização é fundamental nos serviços de saúde…Imagina vc, um paciente com grave problema de saúde, já fragilizado com tanta informação e mudanças da sua rotina, e ainda ser mal cuidado ou tratado por um profissional…alguém merece??…então esta é nossa essência, cuidar com humanização, mas não quer dizer que somos habilitados somente para isto…levanto para a técnica, procedimentos e tal, podemos por exemplo, com capacitação fazer passagem de PICC, e existem muitos riscos, vc sabe… ou debridar uma ferida, nós podemos!!


    • Colega, é claro que podemos, inclusive deveríamos ganhar no serviço público por procedimentos realizados por nós… somos amparados legalmente. Por exemplo, em passagem de PICC, procedimento com a mesma finalidade e inclusive parecido com acesso venoso central passado pelo médico e que ganham horrores, mas com alguns riscos a menos!! deveríamos ganhar, soh que nosso Brasil…. Bom acho que não preciso comentar do atrasado e desvalorização do Enfermeiro. Inclusive podemos solicitar exames, prescrever curativos e medicamento sob protocolo, ou seja, podem ter consultório e tudo mais… Mas vc acha que com este salário conseguimos virar empreendedores, bom já ví exemplos, mas são poucos.
      O problema é a hipervalorização da atividade médica, e as demais áreas da saúde desvalorizadas… Daqui a pouco médicos vão querer até montar consultório de fisioterapia!! não fiquem chateados, existem muitos médicos ótimos, sensatos, racionais e honestos…

      Procure no site do CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM a legislação!!


  366. Mais um nurse se passando por Médico para se auto-elogiar…..só rindo mesmo…..


  367. em janeiro 27, 2012 at 12:18 am | Resposta DRº DANIEL ROBSON

    ESTAMOS TERMINANDO O SÉCULO 21 E PODEMOS PERCEBER QUE A IGNORANCIA HUMANA SE SUPERA A CADA DIA. É IMPRESSIONANDTE A QUANTIDADE DE OPINIÕES DE PESSOAS IGNORANTES QUE PENSAM SABER O QUE ESTÃO FALANDO E NEM SE QUER CONHECEM AS LEIS….
    ATRIBUIÇÕES DOS ENFERMEIROS CONFORME A LEI 7.498, DE 25 DE JULHO DE 1986 PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS ESTABELECIDOS EM PROGRAMAS DE SAÚDE PÚBLICA E EM ROTINA APROVADA PELA INSTITUIÇÃO DE SAÚDE.

    PAREM DE FICAR QUERENDO DIMINUIR O GRANDE PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM. A SAUDE PUBLICA CONSEGUE FUNCIONAR POR UM MOMENTO SEM O PROFISSIONAL MÉDICO, MAS SEM A EQUIPE DE ENFERMAGEM É IMPOSSÍVEL…..


  368. Se não fossem os enfermeiros, ninguém mais sairia curado dos hospitais. Enfermeiro é o único que acompanha o paciente. O ideal seria que os médicos indicassem o tratamento somente e que o enfermeiro desse a prescrição, pois é quem conhece os dois lados: da medicina e da condição humana.
    Quem acha que enfermeiro não deve prescrever medicamentos nunca ficou sofrendo na cama de um hospital.
    Amigos enfermeiros, não desanimem. Precisamos de vocês!


  369. Deixe de ser preconceituoso! Naum sou enfermeiro, mas respeito a profissão das demais pessoas, lembre-se que as atividades do medico devem sempre respeitar a liberdade profissional dos demais profissionais da saúde, levando em consideração o respeito mútuo e o atendimento multidisciplinar do Paciente, eu pratico a Medicina por Amor, quero ver meu paciente bem, naum tentar provar pra ele que eu sou fodah. Eu sei ateh onde sou capaz de ir, ou quando eh necessário um especialista, ou quando preciso de apoio do psicologo, coisas assim. Arrogância naum leva a nada, soh prejudica o paciente. Largue esse passado, e veja o Futuro, o mundo mudou, tem muito conhecimento na medicina, na psicologia( que alias eu gosto muito de xeretar um pouco…huauha), na odontologia. Vou te dar um exemplo… vc sabe que o inventor da Anestesia foi um dentista? se ele naum tivesse inventado a anestesia a medicina teria evoluído tanto na área cirúrgica? Pare e pense se você quer ser lembrado como um medico que era bom clinico e tinha exito com seus pacientes, ou se vc quer ser o Dr Preconceito que mata por arrogância, Medicina eh coisa seria! Eu decidi que na frente do meu Dr. no jaleco, vai estar escrito “eterno estudante e aprendiz, com todo respeito e sem nenhum preconceito”, faca o mesmo por você, abra sua mente!!!


  370. em janeiro 27, 2012 at 4:24 pm | Resposta Rodrigo de Oliveira Silva

    Loucura !!!!!!!!!!!!!!!


  371. Se continuar assim alem de consulta medica, daqui a pouco vai ter enfermeiro implantando Dente, fazendo Anestesia Geral, gente tenham bom senso…

    O Pilar da Enfermagem nao eh esse, esse pilar hipocrático soh pertence a Medicina, Odontologia (Medicina Dentaria), e Medicina Veterinária que saum as ciências verdadeiramente Medicas.

    Esses três profissionais são os únicos que podem por Lei, diagnosticar e tratar as doenças, cada um na sua área eh claroo.

    Os enfermeiros saum ótimos, mas naum se formaram pra isso, naum basta farmacologia, tem que ter conduta clinica, pra saber quando e onde aplicar.

    Deve prevalecer o respeito, naum eh por tempo de curso que vcs vaum medir quem pode ou naum receitar, eh a legislacao baseada na formacao.

    O medico tem 6000 de carga horaria em media dedicadas as ciencias basicas e conduta clinica.

    O Veterinário idem, mas na área da veterinária, claroo.

    O cirurgião-dentista, tem as matérias do currículo medico, ateh certo ponto, depois foca no rosto e pescoco, e tem cirurgia, clinica cirurgia e cirurgia avançada como estagio do terceiro ao quinto ano, ou seja eh um cirurgião por formação, dispensa comentários, nao tem absolutamente nada haver com enfermagem.

    O fato da enfermagem ser diferente em outros países naum quer dizer nada, cada pais tem uma legislação diferente, nos EUA por exemplo voce pode ser medico se tiver o nivel de MD ( doutor em Medicina) ou cirurgião-dentista se tiver DDS (doutor em cirurgia dentaria) fazendo-as como pós de qualquer área da saúde.


    • em janeiro 29, 2012 at 12:26 am | Resposta DRº DANIEL ROBSON

      SÓ FALTA VC DIZER QUE DENTISTA TEM MAIS PREPARO DO QUE OS ENFERMEIROS,…KKKKKKKKKKKKKKKKKK
      APRENDA A DISCUTIR FATOS QUE VOCÊ CONHECE PRA EVITAR PASSAR VERGONHA.


      • Caro Dr.Daniel , é óbvio que na área dele ele tem mais preparo que um enfermeiro. Ou não ? Daqui a pouco vai ter enfermeiro fazendo projeto arquitetônico, defendendo réus em um fórum, tudo porque “estudaram 5 anos”!!!


  372. Huahua …pega um cirurgião-dentista Buco-maxilo-facial, com 8 mil horas de residencia, eu garanto pra você que eh bem mais preparado, desculpe não sou Dentista, mas posso falar porque eu conheço vários que são ótimos cirurgiões, e você não consegue saber a diferença com qualquer medico no hospital a menos que ele te diga o que ele faz, assumem a responsabilidade dos fatos, e receitam ate remédio controlado muito bem… sem exageros.

    Me desculpe mas eu tenho que concordar com o Almeida do comentário acima, os Dentistas são muito mais preparados que os enfermeiros, mas cada um na sua área né!

    Eles estão entre os melhores cirurgiões faciais!!! Isso eh fato!

    A Daniel Robson você fez doutorado em que pra ta usando Dr antes do nome, pelo que me consta você e enfermeiro, sem doutorado isso eh reservado por Lei a Advogados, Médicos e Dentistas… realmente naum deve haver muita diferença com os Dentistas né, por isso a sociedade os considera Doutores e voces… humm… deixa quieto…

    Inútil essa discussão…


    • em janeiro 31, 2012 at 10:56 pm | Resposta DRº DANIEL ROBSON

      o Conselho Federal de Enfermagem – COFEN – autoriza o uso do título pelos enfermeiros, conforme Resolução COFEN nº 256/2001.


    • Não querendo me meter, mas falando da minha área…. amigão, acredito que vc não connhece mais de resoluções, leis e codigos de ética da enfermagem do que um Enfermeiro. A questão é, SIM, NÓS PODEMOS utilizar o tão bonito DR. pra nos conferir STATUS. Mas não utilizamos, não fazemos questão de status, cuidamos dos pacientes, não nos exibimos com nossos jalécos abertos! Só para embasar esta questão, se tiver interesse leia a RESOLUÇÃO COFEN-256/2001 que resolve – Autorizar aos Enfermeiros, contemplados pelo art. 6º, incisos I, II, III, IV, da Lei 7.498/86, o uso do título de Doutor.
      deixa quieto….é inútil discutir com leigo!!


  373. em janeiro 31, 2012 at 11:01 pm | Resposta DRº DANIEL ROBSON

    CONHEÇO UM AUXILIAR DE CONSULTÓRIO DENTÁRIO DAQUI ONDE MORO QUE ATENDE EM UM CONSULTÓRIO COMO SE FOSSE DENTISTA E REALIZA TODOS OS PROCEDIMENTOS DE UM ODONTÓLOGO, INCLUSIVE FAZ CANAL…O PIOR É QUE JA FOI DENUNCIADO VÁRIAS VEZES E NINGUÉM FEZ NADA…ACREDITO QUE DEVE SER MUITO FÁCIL EXERCER ESTA FUNÇÃO, POIS QUALQUER “UM” CONSEGUE FAZER…


  374. em janeiro 31, 2012 at 11:10 pm | Resposta DRº DANIEL ROBSON

    RESOLUÇÃO COFEN-256/2001, que: Autoriza o uso do Título de Doutor, pelos Enfermeiros.


    • COFEN ? Tá bom. Se o COFEN se preocupasse em dar melhores condições de trabalho a enfermagem, ao invés de perder tempo com esse detalhe fútil, vocês não precisariam destilar vossa ira no site da FENAM!!!


      • Meu querido, se informa!! é o Cofen que dá melhores condições de trabalho para a Enfermagem…. Nunca vi isto, mas sei que este conselho luta pela categoria!! Quem deveria dar melhores condições de trabalho é nosso governo corrupto em apoiar a Enfermagem do Brasil Sancionando as leis de melhorias, por exemplo, a de jornada de trabalho e de piso salarial…. Se informe antes de comentar!!


      • O COFEN é corresponsável pelas condições de trabalho sim. Por que não fiscalizam as condições de trabalho dos enfermeiros e pressionam os governantes ? Pelo mesmo motivo que os conselhos de medicina não o fazem : Só serve de trampolim político e está cooptado pelos governantes de plantão!!!!


      • anh anh, estás enganado. Quem deve fiscalizar são os conselhos regionais, CORENS, mas isso não basta. Deve se ter total apoio político para que as condições sejam favorecidas!!


  375. Canal qualquer um faz, eh simples, qualquer um sabe, quero ver fazer uma Ortognatica, Cirurgia de ATM, fratura de orbita, coisas que soh um bom Dentista faz, soh axoo que Dr tem que ser usado por quem tem doutorado, ateh mesmo pra incentivar o profissional a estudar ateh alcançar o titulo, a Odontologia eh uma ciência cirúrgica, tampar buraco em dente THB faz e muito bem por sinal, cirurgias jah são outra historia.
    Comparar Dentista e Enfermeiro eh igual comparar um gato e um cachorro, totalmente diferentes.

    Dr Daniel o senhor deve estar desinformado, pois procedimentos odontológicos vão bem alem de um simples canal, a odontologia do Brasil eh uma das mais desenvolvidas do mundo, odontologia naum se limita aos dentes, eh cirurgia de rosto e pescoço tbm, ateh porque nos últimos 4 mil anos a odontologia pertenceu a medicina, soh ficou independente como ciência ha 120 anos mais ou menos, sao 5 anos em período integral, com muita cirurgia, e clinica. Eu acredito que Bons Dentistas, gostam dos Bons Enfermeiros, meu professor de Cirurgia eh Diretor do Centro Cirúrgico do Hospital Sao Lucas, um dos maiores da região metropolitana de Curitiba e conta muito com o corpo de enfermagem para o sucesso do tratamento, segundo o que nos disse…

    O que vale eh transferir o conhecimento de um profissional para o outro, eu sei que o contato entre dentistas e enfermeiros trabalhando juntos ainda não eh tao grande, mas eh vantajoso para todos, agora com a lei que obriga todo hospital a ter um dentista na UTI esse intercambio vai aumentar.

    Essa raiva generalizada do enfermeiro pro medico, do medico com o dentista, acontece porque alguns espíritos de porco querem ver o circo pegar fogo e ficam disseminando o ódio entre as profissões, pura perda de tempo, estamos tao dependentes uns do outros que nao conseguimos nos separar mais, por isso brigamos tanto… O medico fica fudido quando tem que passar a cirurgia pro dentista porque a área eh odontológica, e o dentista fica com ódio de ter que mandar cartinha pro Cardio qdo o paciente eh Cardiopata, mas cada vez mais isso esta diminuindo, porque estamos percebendo que tbm tem muita coisa boa de se atender multidisciplinarmente. E quem vai tratar de todos nos um psicologo (huahua), um profissional tbm cada vez mais necessário e valioso, diga a verdade o que seria do mundo sem eles.

    Eu estou me formando em Odontologia, e sou feliz com o que faco, fiz seis meses de Medicina e transferi para Odonto, louco? Naum, quero fazer o que eu gosto, o que eh pra mim… Colegas enfermeiros quero aconselha-los se me permitirem, a desconsiderar comentários depreciativos das pessoas, nos os bons profissionais, valorizamos vocês, sabemos que sem vocês o hospital para e fica todo contaminado, cheio de paciente indo a óbito.

    Garanto pra vocês que quem comenta maldades, não deve ser medico nem dentista… porque profissional que eh bom reconhece seus limites, deve ser esse povo de cursinho que se axaa, tah prestando medicina ha 5 anos e nao passa, e quer descontar a raiva, falando de assuntos que naum conhecem.

    Com certeza vão comentar maldades abaixo desse comentário quero dizer a essa pessoa que fizer isso, que o peixe morre pela boca, então cuidado com o que diz, qdo vc menos esperar o dente dói, ou vc fica de cama… Pense bem antes de comentar sobre o que nao conhece


    • em fevereiro 2, 2012 at 12:17 am | Resposta DRº DANIEL ROBSON

      SOU ENFERMEIRO, TRABALHO EM UM PSF NO INTERIOR DO ESTADO DA BAHIA. TENHO 6 ANOS DE TRABALHO PRESTADO A UMA COMUNIDADE CARENTE E A MAIORIA SEM OPORTUNIDADE NENHUMA NA VIDA, ATÉ A NATUREZA COSTUMA SER SEVERA AQUI. SEMPRE PRESCREVI MEDICAÇÃO, NÃO PORQUE QUERO SER MELHOR OU DESMERECER ALGUÉM, SIMPLESMENTE FAÇO ISSO PARA QUE O SOFRIMENTO DESSE POVO SEJA AMENIZADO. GOSTARIA MUITO QUE TIVESSE MÉDICOS AQUI QUE REALMENTE AMASSE A PROFISSÃO E QUE CUIDASSE DESSE POVO, SÓ ASSIM EU TERIA TEMPO SUFICIENTE PRA CUIDAR DA BUROCRACIA DO PSF QUE FICA TUDO POR MINHA CONTA E MUITAS VEZES EU LEVO DOCUMENTOS PARA SEREM PREENCHIDOS EM CASA. GOSTARIA DE TER UM POUCO DE TEMPO PRA CUIDAR MELHOR DE MINHA FAMILIA… NUNCA USEI TITULO DE DRº, POIS TIVE UMA PROFESSORA QUE É DOUTORA (DRª ILDA CECÍLIA) EM ENFERMAGEM E GOSTARIA QUE ESSE PRESTIGIO SÓ PERTENCESSE Á ESSAS PESSOAS QUE DEDICAM A MAIOR PARTE DE SUA VIDA AOS ESTUDOS…O COFEN E O COREM SÓ SABEM CONQUISTAR COISAS QUE NÃO MELHORAM NOSSA VIDA EM NADA…SOMOS PROFISSIONAIS SEM NENHUM DIREITO TRABALHISTA (FÉRIAS, SEGURO DESEMPREGO, PIS, INSS,…), FICAMOS MAIS DE 10 ANOS SEM UM AUMENTO DE SALARIO APENAS OBSERVANDO A INFLAMAÇÃO NOS REDUZINDO AO MINIMO. A UNICA COISA QUE PLEITEAMOS É O DIREITO TRABALHISTA. SERÁ QUE PASSAREMOS A VIDA TODA SENDO MENOSPREZADOS PELO GOVERNO?
      TODOS OS PROFISSIONAIS SÃO IMPORTANTES NA EQUIPE, MAS A ENFERMAGEM OCUPA O MAIOR ESPAÇO NA SAUDE PÚBLICA. IMAGINEM A EQUIPE DE GREVE, PRATICAMENTE TODOS OS PROCEDIMENTOS FICARIAM PARADOS…SE OS MÉDICOS OU OUTROS PROFISSIONAIS FAZESSEM GREVE, O SISTEMA CONTINUARIA ATENDENDO COM TODA DIFICULDADE, MAS SEM A ENFERMAGEM NÃO TERIA COMO FUNCIONAR.

      NÃO QUEIRAM MENOSPREZAR OS PROFISSIONAIS MAIS DEDICADOS COM A VIDA DE VOCÊS. NUNCA FAZEMOS SÓ PELO DINHEIRO. AMAMOS NOSSOS PACIENTES.


      • SÓ UMA CORREÇÃO
        ESCREVI INFLAMAÇÃO, MAS NA VERDADE QUERIA ESCREVER INFLAÇÃO.
        NO LUGAR DE FAZESSEM, DEVERIA TER ESCRITO FIZESSEM.


  376. O Brasil é muito atrasado em muitos aspectos e toda essa discussão é porque desde cedo, por uma razão cultural, o médico foi colocado sobre um pedestal, enquanto outras profissões da saúde menosprezadas.

    Em outros países como Estados Unidos e Inglaterra, outros profissionais podem prescrever como, por exemplo, o farmacêutico.
    Nos Estados Unidos, os farmacêuticos estão autorizados a fazer ajustes na farmacoterapia, de acordo com protocolos, em quarenta estados, executam imunização em 44 e têm autorização para prescrever e dispensar certas classes de fármacos que exigem receita, incluindo os anticoncepcionais emergenciais, em nove estados.

    E na Grã-Bretanha, há a prescrição suplementar, que é uma parceria entre um médico e um farmacêutico para, de comum acordo com o paciente, elaborar um plano de manejo clínico. Esse plano implica em o farmacêutico oferecer cuidados continuados a pacientes específicos, no uso de medicação cardiovascular, respiratória, endócrina, do sistema nervoso central e outras. Os profissionais são treinados em programas que incluem duzentas horas de estudo, trabalham integrados com o clínico, podem solicitar exames laboratoriais e prescrever, segundo o plano previamente elaborado.

    Acho inteiramente concebível a prescrição pelo enfermeiro, haja vista que suas prescrições e alguns outros procedimentos obedecem a protocolos e diretrizes nacionais, cientificamente bem fundamentados.

    E o cuidar do paciente é responsabilidade de qualquer profissional de saúde dentro da sua área de atuação.

    Abraços a todos e espero que o nosso Brasil um dia consiga ir avante nessas discussões, tendo em vista que a nossa união beneficia principalmente os pacientes.


  377. 1) Há vários equívocos neste tópico. O primeiro consiste em afirmar que os médicos não amam sua profissão porque não se submetem a trabalho em postos de saúde sujos, mofados, quentes, sem papel para receitar e etc.
    Trabalhar em condições insalubres (que existem porque o dinheiro que deveria ser investido tem outros fins) não é sinônimo de amor a profissão.
    É pura alienação. Essa é a mentalidade de nossa classe política. E ela é incorporada por profissionais de saúde, que inocentemente, aceitam esse argumento. O trabalho, onde está incluído o trabalho do médico e demais profissionais de saúde, serve para dignificar o trabalhador e,em tese, ser um meio de torná-lo livre. Livre para tomar suas próprias decisões. Porém a mentalidade predominante é a de que profissional de saúde é escravo da necessidade alheia. Se fez um juramento é escravo dos outros. É por isso que são oferecidas as piores condições possíveis. Curiosamente ninguém explica o porquê dos super salários dos políticos se eles também juraram!!!
    Em suma : Não é pecado um profissional se negar a trabalhar em condições que ele não considera ideal (inclusive se ele considera que o salário está aquém de sua responsabilidade).

    2) A ignorância generalizada, mesmo entre profissionais de saúde, torna senso comum que o bom médico é aquele que atende o maior número de pacientes. Um dos motivos que leva muitos médicos a desistirem de UBS é a alta demanda. Como consultar decentemente se há 50 pacientes esperando consulta e fazendo baderna nos postos (que, por sinal, não oferecem segurança alguma) ? O trabalho do médico é puramente artesanal e mental. Por isso mesmo é impossível fazê-lo com qualidade diante de uma demanda absurda.O fato do sujeito trabalhar na base não é motivo para massacrá-lo.

    3) A lei que os enfermeiros citam acima não nasceu porque os médicos se negam a atender os mais pobres. Surgiu com o objetivo de camuflar a mediocridade da gestão de nosso sistema de saúde. O problema, a meu ver, é que a classe médica ainda , veja bem AINDA, pode questionar a própria condição. Enfermeiros, demais profissionais de saúde e professores estão tão massacrados que nem têm tempo de parar para pensarem na própria condição.

    4) No dia em que eu for a um supermercado e, na hora do pagamento, levar tudo de graça por ser médico, ter feito um juramento e salvar vidas, certamente atenderei de graça.


  378. em fevereiro 21, 2012 at 11:05 am | Resposta Ronaldo de Oliveira Jr

    Fatality, Ezequiel.

    Sem mais.


  379. Graduanda de Enfermagem.

    Meus caros, cada profissional tem a sua função, o que sei é que o enfermeiro tem que seguir um protocolo de atendimento de enfermagem e ninguém é doido para não segui-lo.
    ” Já vi pescocinhos de Enfermeiros arrancados” por não seguirem o protocolo de enfermagem e prescreverem medicação que não é de sua alçada.
    Já vi médicos mandar a enfermeira prescrever dipirona sódica para gestante, e a enfermeira o corrigir.


  380. Na minha opinião enfermeira é auxiliar de médico.Auxiliar de enfermagem é auxiliar de enfermeira. Atendente de enfermagem é auxilia do auxiliar de enfermagem. Dentro do hospital enchergo assim esta Hierarquia.


    • ahh, isso pode ser para quem é leigo….se informa, veja o que é hierarquia e quem é o responsável pelo funcionamento de um setor!! o Enfermeiro… vc acha mesmo que somos auxiliares de médicos?? bom, nos meus cinco anos de academia não tive esta matéria (auxiliar médico), talvez porque ela não existe ou não é nossa função!! veja que nos formamos para cuidar, temos nossas responsabilidades e nossa autonomia, não ficamos com o paciente 24 horas por dia para auxiliar o médico. É claro que é fundamental o médico saber sobre o estado do paciente no período, pois é a enfermagem que assiste o paciente em tempo integral, e dependerá desta as tomadas de decisão deste profissional, mas não quer dizer que somos os auxiliares. Somos independentes, responsáveis pelo cuidado. Seja para salvar ou reabilitar um paciente, este depende da multidisciplinaridade, não de um médico, ele só é inútil!!


    • misericórdia. como tem gente ignorante nesse mundo. deveriam ter até vergonha de fazer comentários tão ignorantes desse geito. pq vcs não usam a internet para entenderem um pouco mais sobre as profissões?


  381. A QUESTÃO AQUI PESSOAL NÃO É SER OU NÃO SER, MAS SIM TER OU NÃO TER. NÓS QUE TRABALHAMOS NA AREA DA SAUDE (UNIDADE BASICA SAUDE) sabemos QUE NÃO EXISTE MÉDICO SUFICIENTE PARA ATENDER O BRASIL, AO QUAL A POPUILAÇÃO ESTÁ EXPOSTA AO RIDÍCULO,MORRENDO NAS FILAS. PORTANTO ACHO QUE SERIA BOM PARA OS POBRES QUE HOUVESSEM SIM ENFERMEIROS ,CLARO QUE COM FORMAÇÃO DECENTE ,PUDESSEM CLINICAR DENTRO DE SUA CAPACIDADE , E RESOLVER PROBLEMAS BÁSICOS DE SAÚDE PÚBLICA,COMO DORES SIMPLES,GRIPES,VERMINOSES, ENFIM DOENÇAS AS QUAIS UM ENFERMEIRO TEM TOTAL CONHECIMENTO.
    SÓ NÃO ENTENDO PORQUE A MEDICINA, DO ALTO DA SUA SOBERBA, PREFERE SACRIFICAR UM POVO A SE VER AMEAÇADA PELOS ENFERMEIROS. SERÁ QUE ELES ESTÃO COM MEDO? AFINAL QUALQUER MEDICAÇÃO ADMINISTRADA POR UM PROFISSIONAL VEM COM TOTOAL RESPONSABILIDADE DA PARTE DE QUEM ADMINISTRA,OU NÃO?
    COMO TODO ENFERMEIRO JÁ VI PÉSSIMOS MÉDICOS OS QUAIS NÃO DEVERIAM SER NEM …..AGORA MAUS PROFISSIONAIS TEM EM TODAS AS PROFISSÕES,POR ISSO DIGO : como estamos em um país pobre, o enfermeiro seria de grande ajuda.
    E DIGO MAIS, COMO ENFERMEIRO, NÃO TENHO A MENOR VONTADE DE SAIR CLINICANDO POR AI, MAS COMO SER HUMANO, ME VEJO NA OBRIGAÇÃO DE AJUDAR MEUS IRMÃOS QUE PASSAM TANTA NECESSIDADE NAS FILAS DO SUS.

    O RESTO AI EM CIMA QUE ESTAS PESSOAS FALAM É TUDO PAPO FURADO.
    OU SOMOS SERES HUMANOS DECENTES, OU SOMOS ANIMAIS EM BUSCA DE PREENCHER NOSSOS EGOS DISTORCIDOS.


  382. É PRECISO QUE HAJA MAIS RESPEITO E UNIÃO ENTRE OS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE, SEJA QUAL FOR SUA ESPECIALIDADE. AFINAL, A PRIORIDADE É O “CLIENTE”. LOGO, TODOS DEVEM FAZER SUA PARTE PARA ALCANÇAR A “CURA”, OU “MELHORA” DO ESTADO DE SAÚDE DESTE. E MAIS, CONHECIMENTO É FUNDAMENTAL NESSE TIPO DE ATENDIMENTO. PORTANTO, É PRECISO ESTAR SEMPRE ATUALIZADO. ALÉM DE TUDO, A EQUIPE DE SAÚDE DE UMA INSTITUIÇÃO É FORMADA POR VÁRIOS TIPOS DE PROFISSIONAIS, SENDO TODOS INTERDEPENDENTES ENTRE SI, ISSO QUER DIZER QUE JAMAIS PODERÃO SER “RIVAIS”. E SE NÃO OCORRER INTERAÇÃO ENTRE TODOS OS ENVOLVIDOS, QUEM PAGA O PREJUÍZO É O “CLIENTE”, PORQUE PASSA A RECEBER UM “MAL ATENDIMENTO”.

    ABRAÇOS.

    TYNA


  383. Uma anamnese bem feita evita qualquer tipo de erro tanto pelos médicos quanto pelos enfermeiros….Sou enfermeira, e jamais vou quer entra no ramo médico, pois o enfermeiro está bem próximo do paciente enquanto os médicos estão próximo das patologia dos pacientes ou clientes.


    • CONCORDO!! Todo profissional possui uma função dentro da equipe multidisciplinar no cuidado com o paciente. Nós Enfermeiros, não cuidamos apenas da patologia, da ferida ou de uma singularidade do paciente, CUIDAMOS DO PACIENTE COMO UM TODO, COM UM OLHAR HOLÍSTICO. Não somos mais, nem menos importantes dentro da equipe, somos iguais, trabalhamos em equipe, e cada um com uma função, a do médico é a patologia, a singularidade, a nossa, bem mais ampla, não querende desvalorizar o profissional médico. Mas nós Enfermeiros, temos que estar envolvidos para que sejamos valorizados, desde um simples dimensionamento de pessoal até o cuidado direto com o paciente. Temos que lembrar que somos detentores de conhecimento técnico e científico, e ainda, para que a melhoria das condições de trabalho e valorização de nossa classe depende exclusivamente de nós, temos que gostar de política, atualizar o conhecimeto e lutar pela nossa classe… LOGO LOGO SEREMOS RECONHECIDOS, MAS TEMOS QUE LUTAR, SERMOS COOPERATIVISTAS!!


  384. Quanta hipocrisia, recalque e ignorância junto! Todos querem dinheiro e/ou status; alguns buscam mérito para tais, outros tentam entrar pela porta dos fundos. Demagogia me enoja…


  385. Existem vários comentários que poderiam ser feitos. Apenas um me basta no quesito prescrição! Médico, prescreve medicação e enfermeiro, prescreve cuidados.
    Ambos, comprovados precisam estar juntos para um tratamento digno ao paciente!


  386. Concordo com a cara colega quando menciona a hipocrisia que existe subentendida em algumas falas.Sou acadêmica de Enfermagem e o que vejo diariamente é uma rivalidade sem procedência entre Enfermeiros e médicos que não faz sentido.Concordo com alguns que dizem que estudamos bastante na graduação, porém não o suficiente para prescrever medicamento.Não podemos aprender farmacologia em 1 semestre mesmo com o mais TOP dos professores.O que os Enfermeiros não entendem é que a mesma mão que te alimenta é a mesma que te pune.Ao mesmo tempo que existe essa resolução, e mesmo no código de Enfermagem onde está previsto a prescrição de medicamento pelos enfermeiros, há a parte que diz: Avaliar criteriosamente sua competência técnica e legal e somente aceitar encargos ou atribuições, quando capaz de desempenho seguro para si e para a clientela.Então devemos entender que a responsabilidade em prescrever é enorme e depende de um conhecimento bem maior que o adquirido na graduação em Enfermagem.Fica a dica=Em vez de querer prescrever medicamentos, porque os Enfermeiros não procuram fazer as suas funções,pois pelo que tenho visto não dão conta nem das funções que lhe são privativas e deixam a “clientela” na mão dos técnicos e auxiliares ,muita das vezes nem aparecem no setor e tem como desculpa a parte burocrática ou seria burrocrática!O que deve existir é uma equipe de saúde,cada qual com suas atribuições e ponto.


    • E TU ACHA QUE TODOS OS MEDICOS SABEM FARMACOLOGIA? ENTÃO ME RESPONDE PORQUE É QUE TODOS ELES ANDAM COM DEF OU VADE MECUM PR DEBAIXO DO BRAÇO E A MAIORIA SÃO DESATUALIZADOS NAS NOVAS MEDICAÇÕES QUE SURGE NO MERCADO OS NOVATOS MEDICAM CONSULTANDO O DICIONARIO FARMACEUTICO E TAMBEM NÃO SABEM O CID E QUANTO AOS ENFERMEIROS ALGUNS SABEM MELHOR QUE OS MEDICOS COMO SABEM AVALIAR MELHOR O PACIENTE E TE DIGO MAIS JA VI MEDICOS EXPERIENTE COMETER ERROS GRAVISSIMOS. FAZ O SEQUINTE PROCURA QUALQUER MEDICO DE UMA EMERGENCIA DE MEDIA COMPLEXIDADE E PERGUNTA A ELE COMO SE FAZ O CALCULO DE SORO ANTI-RÁBICO ISSO É FARMACOLOGIA OU COMO TRANSFORMAR UM SG 500ML A 5% PARA 10% TENDO A DISPOSIÇÃO AMP DE 5ML GLICOSE A 50% E NÃO VÃO SABER TE RESPONDER A PRATICA LEVA A PERFEIÇÃO E NOS ENFERMEIRO, TECNICOS E AUXILIARES PRATICAMOS, EMPROVISAMOS NESSA EMERGENCIAS DA VIDA A SUA REALIDADE COMO ACADEMICO VAI MUDAR E VOCE VAI SER FORÇADO A SER PERFECCIONISTA NO QUE FAZ OU VAI FICAR PRA TRAS. ENTÃO MEU AMIGO NÃO MENOSPREZE O PROFISSIONALISMO DOS ENFERMEIROS PORQUE VOCE AINDA NÃO ESTA DENTRO DO CALDEIRÃO.


      • Tbm já vi diversas vezes médicos prescrevendo soluções e medicações inadequadas, e não por equívoco, por desconhecerem mesmo!! Atualmente tenho visto enfermeiros, principalmente de emergencia muitos mais atualizados e por dentro da questão farmacologia que os médicos,e isso é uma das primícias da enfermagem, pois ela é quem administra e cuida durante as medicações. Ao colega que é acadêmico, é uma obrigação do enfermeiro saber farmacologia, e o que eu vejo, é uma parcela de enfermeiros atualizados quanto a medicações e parte preguiçosos que não buscam a atualização e que não deveriam estar na enfermagem… e é por isso que se rebaixam e não discutem com outros profissionais quanto ao processo patológico e tratamento do paciente. NÃO possuem conhecimento para discutir!! E a questão do trabalho burocrático, quem vai fazer se não o enfermeiro?? Há um grande problema de falta de Enfermeiros na assistência direta com o paciente. A falta de profissionais reflete diretamente na qualidade da assistência, mas as instituições cumprem o dimensionamento de pessoal exigido por lei?? Nunca ví!!…E é como o colega ZCARLSC comentou, não critique se não esta por dentro!! Enfrentamos uma grande desvalorização profissional relacionado desde o aspeto cultural quanto histórico…além da pouca liberdade que temos para nos impor e tomar decisões!! diferentemente de outras classes profissionais que tomam condutas errôneas diariamente colocando vidas em risco, além de desrespeitarem o ser humano e são hipervalorizados!! Já pensou??


      • Vai deixar de “emprovisar” e aprende português primeiro. É isso que dá faculdade de enfermagem em toda esquina!!!!


      • É cara, realmente não sou muito bom em português se você é parabém, pelo menos sei que o meu mau puurtuqués não vai matar ninguém, então você esta me fazendo crer que o erro de português nas prescrições é proposital nê! Ou é para se eximir em caso de erro? Agora entendo porque o MS obrigou os conselhos de medicina a emitir uma portaria obrigando os médicos a prescrever de modo legível e em letra de porma opsss é forma, deixa isso pra lá vamos nos dignar ao tópico que é prescrição. Eu entendo sua raiva interior. Realmente você deve ser um profissional na área de saúde (médico) para estar tão tolamente ofendido. Pelo menos sei que você sabe que tudo que falei neste bloq é a mais pura da realidade. Isso me conforta muito. Rs… …


      • zcarlsc essa foi otima kkkkkkkkkk


      • É ALEX QUANDO EU FOR PARA O BLOQ DO PROFESSOR PASQUALE AI EU VOU ME PREOCUPAR EM ESCREVER CERTINHO QUE CARA MAIS IDIOTA.


      • OUTRA COISA EU NÃO ESTUDO EM FACULDADE E SIM EM UNIVERSIDADE, OK


      • Eu não sou da área de saúde, faço ciência da computação, mas devido ao comentário que li do Ezequiel procurei ler algumas das replicas dele e o que percebi é que quando ele não tem nada para dizer ele simplesmente ataca a forma de escrever do autor do comentário o que demostra uma pequenez que não cabe a uma pessoa que se diz medico e concordo com você zcarlsc quanto ao modo de escrever dos médicos em geral, letras inelegíveis é um insulto à população, a ponto de realmente ter-nos que nos dirigirmos aos enfermeiros para interpretar o que ali esta prescrita, quem já foi a uma consulta medica sabe que falo a verdade.


      • Alex, contra a verdade não se tem argumento. O problema de muitos médicos não todos claro, é que vivem no século passado, eles não enxergam os profissionais enfermeiros como igual tem dificuldade em trabalhar com uma equipe multidisciplinar, Eles acham que somos auxiliares deles. Eles não aceitam que somos tão capacitados quanto eles. A prepotência de alguns chega a ser absurda a ponto de fecharem plantões apenas para irem dormir e determinar que a recepcionista ou o enfermeiro o acorde quando desse 05h da manhã, evidentemente que isso deu inquérito administrativo e a Secretaria e Saúde de Pernambuco proibisse o fechamento de plantões naquele hospital. Eu só fiquei sabendo por que nesse dia eu fui transferir um paciente classificado com fita vermelha (grave – classificação de risco manchester) e tive que retornar com o paciente para a unidade de origem. A medica que estava de plantão na minha unidade uma evangelica é extremamente competente e ligou imediatamente para central de leitos e exigiu que ele atendesse o paciente, o que gerou posteriormente o inquérito administrativo. Por isso e muito mais coisa que acontecem nas unidades de saúde que afirmo que as faculdades de medicina estão falhando no preparo desses profissionais. Fui Conselheiro de saúde por dois anos (2001 e 2002) e certa vez conversando com a diretora da unidade ela me falou da extrema dificuldade de lidar com os médicos observe que a maioria não quer tirar ferias durante o correr do ano, so nos periodos festivos e ai o que acontece o que nos vemos nos jornais, falta de medicos nas unidades de saude basica nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro ou seja os gestores são pressionados a conceder ferias nesses meses e tambem é por isso que os medicos estão brigando pelo ato medico de que so eles podem dirigeir um hospital evidentimente para manter o cooporativismo.


      • Oh, ele não sabe ortografia! Certamente deve ter dificuldade de interpretação. Por isso generaliza sobre tudo e todos e se acha o suprassumo da inteligência por conta disso. Foi conselheiro de saúde, foi ? Por isso não entende nada sobre quem está na ponta, seja médico, enfermeiros, técnico de enfermagem e etc.
        Vomita senso comum e se acha revolucionário por isso. KKKKKKKKK Que peninha!!!


      • Ah, e se a médica citada fosse tão competente ela mesma teria levado o paciente com fita vermelha, como se isso fosse patognomônico de gravidade. Já trabalhei com sistema de manchester e cansei de receber paciente grave com fita verde. Quem classificou ? Quem ? Quem ? Mr. Ortografia.


      • Ezequiel se alguém te mandou um paciente grave com fita verde no braço só pode ter sido classificado por um colega seu com CRM comprado em algum país vizinho e homologado aqui no Brasil por alguns milhares de reais, porque erros desse tipo só veem na classe que você tanto defende e faz parte. Aproposito a lei 2048/02 do MS classifica os tipos de ambulâncias bem como a equipe que a compõem, nem todo paciente grave, exceto o entubado ou o que esteja em risco eminente de morte tem necessidade de ser transferido pelo medico, ah! Desculpe deve ser o fuso horário você não sabe disso. Kkkkkk…


      • zcarlsc, quem classifica risco é enfermeiro. E olhe, vocês precisam estudar mais. Não dá para receber fichas mal classificadas (paciente com insuficiência respiratória classificado como verde e com escabiose classificado como vermelho), e ainda com pérolas do tipo :
        Obsseço (abscesso), ezantema (exantema), alegia (alergia) , dô de dente (odontalgia) , entre outras. Como confiar na qualidade técnica de analfas funcionais que mal sabem ortografia ?? Não tem paciência que chegue, né ? Ter que fazer meu trabalho e o de enfermeiros incompetentes atrasa e prejudica o paciente.
        Ah, e diferente de vossa excelência, incapaz de ir além de generalizações tolas,afirmo que não são todos os enfermeiros que estão na situação de mediocridade citada acima. Conheço ótimos enfermeiros! Porém, com a proliferação de faculdades de enfermagem e com a remuneração medíocre que pagam a vocês , estão cada vez mais raros.


      • Kkkk!!!!! Meu amigo eu sei que a classificação e feita por enfermeiros eu apenas conjecturei. Agora se os enfermeiros escreve taaaooooo errado como você diz então me explica porque o CNS e o Ministério da Saúde ‘exigiram’ que o Conselho Federal de medicina editasse uma resolução exclusiva para o modo de escrever uma prescrição. Explica-me porque vários médicos são multados e processados por prescrever de modo ilegível e com erro de português. Vocês estudam tanto que esqueceu o básico a ortografia, na revista do teu próprio conselho vem falando a respeito. A população não fala nada a respeito de nos enfermeiros, quanto a vocês, já não posso dizer o mesmo.


      • Sim em tempo: Levando em conta maior proximidade com o paciente, procedimentos invasivos e não invasivos, como; punção, sondas, soros e etc. Quantidade de profissionais de enfermagem em relação aos profissionais médicos seja no geral em torno de cem para um, ou mais. A quantidade de erros funcionais dos profissionais de enfermagem no geral é infinitamente menor que dos médicos. O que não corrobora com a sua descrição de analfa funcionais ao passo que; erros diagnósticos, ausência de anamnese seguida de adivinhações terapêuticas mediúnicas, terapias alopáticas equivocadas, analfabetismo ortográfico nas prescrições. Esses sim fazem parte dos analfas funcionais. Recomendo terapia de humanização e mais tempo de faculdade e meditação diária no juramento de Hipócrates. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…………..


      • Ezequil me tira uma duvida já que tu és bom de puurtuguês, acho que escrevi errado! eu não sei se é juramento de Hipócrates ou juramentos de hipócritas. Como tô em duvida acho que vou ficar com a segunda opção. Hipócrates e hipócritas são sinônimos nê?


      • zcarlsc,gente hipócrita existe em qualquer categoria profissional, não é uma exclusividade de nossa classe. E claro que há médicos hipócritas, também. A oligofrenia consiste em generalizar. É mais cômodo, para enfermagem, descarregar as próprias frustrações generalizando sobre médicos a lutar pela própria classe.
        Quando as resoluções do CFM, boa parte são piada, até porque ele serve de trampolim político para alguns espertalhões. Essa da letra é uma que não pega. Assim como a resolução que preconiza 14 atendimentos, por médico, em 4 horas de trabalho!


  387. Senhores,
    Sou estudante de enfermagem, 3º período, e espero fazer parte de profissionais que acreditem que o imortante é o paciente. Sem demagogias, rancores ou ataques à médicos ou fisioterapeuras para levantar a bandeira da minha profissão. Acredito que todos tem seu valor e em um meio de amizade e profissionalismo acima de tudo, cada um em seu espaço de conhecimento poder prestar um bom atendimento àquele que necessita. O médico diagnosticando e tratando; o Enfermeiro cuidando e implementando cuidados; o paciente reestabelecido. Esse é o objetivo; não um jogo de interesses de quem sabe mais e quem tem mais atribuições. Deixo essas palavras para que reflitam.


    • Perfeito. Acho que é por aí. Agora, é mais fácil ficar chorando contra médicos a lutar pela própria categoria. Por isso um site de uma entidade médica é mais acessado por enfermeiros recalcados (Nem todos, claro).


  388. Sou acadêmica de enfermagem do 9º semestre. Acho que vcs estão em um bate boca que no mínimo julgo vulgar. Médico é médico e enfermeiro é enfermeiro… são profissões distintas. Médico cuida do paciente enfermo. O enfermeiro cuida do paciente ainda saudável orientando, conversando e tomando medidas para que o mesmo permaneça saudável ou que esteja aderindo ao tratamento de forma satisfatória. Enfermeiro não está capacitado para prescrever medicamento para um hipertenso ou diabético mas ele deve ter a competência de saber os efeitos colaterais de tais medicações e identificar possível falha no tratamento, seja por falta de uma adesão correta ou por falha medicamentosa. Não prescrevemos tais medicações mas sim o médico. O Enfermeiro deve ter a habilidade e o conhecimento científico para detectar tais alterações e encaminhar para uma consulta médica. Nós trascrevemos a receitada que anteriormente foi prescrita pelo médico… Enfermeiro consulta pré-natal de baixo risco… mas como julgar um pré-natal de baixo risco ou seja uma gravidez saudável se não sabemos como está a glicemia, hemograma ou sorologias( toxoplasmose, hiv, cmv, hepatite b…. etc). Os exames servem para IDENTIFICAR possíveis patologias e se estas estiverem presentes encaminhamos para o médico. Trabalhamos em EQUIPE para não sobrecarregar o sistema SUS e principalmente os profissionais. MICHEL apenas solicitamos exames para podermos identificar o paciente saudável de um enfermo. Prescrevemos sim( existe uma lista basta ler o protocolo) dentro da nosso competência enquanto profissionais. Atendemos paciente diabéticos, hipertensos, tuberculosos, realizamos prevenção do cãncer do colo do útero porém, nosso papel é de acompanhar tal paciente verificando como está sua SAÚDE, orientando, identificando fatores de riscos. Trabalho numa equipe muito bem estruturada e acredito que vcs estejam discutindo médicoxenfermeiro poque ainda não estejam na prática ou no mercado de trabalho. Prescrevemos pouquíssimas drogas, nossa função mesmo é a de prevenção para que o cliente não venha a ficar enfermo e precise ser acompanhado de um médico e tomar alguma medicação. Espero ter ajudado na discussão e por favor parem de debater quem é melhor e sim o que precisamos fazer para melhorar a saúde da papulação e principalmente sua adesão ao tratamento. Raquel Mendes. Leiam o exercício da profissão e o seu respectivo código de ética.


    • Raquel vc esta equivocada quando diz que cuidamos de pacientes saudáveis. Cuidamos também, mas não é só, Pacientes saudáveis na prevenção, pacientes doentes na recuperação e reabilitação do processo saúde doença. E quando se refere as discussões contra médicos, temos que discutir sim. Temos que ser contras as politicas que os conselhos medicos querem instituir, como o ato medico. Estamos perdendo nossa autonomia, que já não é grande coisa. Vc acha justo fazermos uma especialização e quando desenvolver não sermos valorizados como tal? por esemplo, um procedimento que so o enfermeiro especialista tem a autonomia para fazer, e não receber por isto, enquanto os medicos recebem um absurdo por procedimentos realizados por eles. Um exemplo é o PIC. Tem muitos riscos, a mesma finalidade que um acesso por via central e não recebemos por isso, diferente da classe medica, que chega a ganhar 200, 300 reais, por um acesso central. Acordem!! Enquanto não sermos


      • em abril 12, 2012 at 2:54 pm Paulo Roberto

        … corporativista como outras classe, continuaremos neste bate boca!!


      • Paulo Roberto, para um juiz ter aumento salarial não diminuem o do promotor.
        As pessoas falam como se a remuneração dos médicos fosse a culpada dos valores aviltantes que pagam as outras profissões da área de saúde. Quando dizemos que nossa remuneração é baixa, o dizemos pela responsabilidade de nossa profissão. Exemplo :Há certas cirurgias, no SUS em planos privados , que remuneram em 100 reais. Pode parecer muito, mas uma cirurgia não se limita ao ato cirúrgico, mas ao pré e pós operatório, por exemplo. Além disso, quando os médicos reivindicam melhores remunerações não significa que acham a remuneração das outras profissões excelente. Sabemos que vcs ganham mal diante da responsabilidade que tem. A área de saúde sairia ganhando se todas as categorias se unissem e não ficarem nessa briguinha de menino. Quem ganham com essas briguinhas são os políticos, donos de planos de saúde, indústria farmacêutica, industria de exames desnecessários e etc.


      • em abril 26, 2012 at 8:57 am Antônio Milad Waked

        Entendo que, técnica e legalmente o enfermeiro (como qualquer outro profissional) NÃO tem legitimidade para discutir diretamente com o médico exatamente por se tratarem de profissões distintas e com objetivos claros, definidos por legislação específica. “Ato Médico” é algo previsto em lei e de competência e RESPONSABILIDADE do profissional habilitado por lei como MÉDICO. O enfermeiro tem legitimidade por, estar habilitado legalmente, para discutir sobre os atos descritos com sendo de responsabilidade do ENFERMEIRO e com relação a procedimentos supostamente equivocados cometidos por outro enfermeiro, podendo ser inclusive nomeado judicialmente com perito para esclarecer em juízo, ato praticado por outro colega ENFERMEIRO . Qualquer questionamento a respeito de um ato médico, supostamente equivocado, deverá ser levado pelo enfermeiro, assim como por qualquer cidadão que o questione, ao conselho de classe daquele profissional MÉDICO para que, ele sim, o conselho, verifique se de fato houve falha e, sempre através do competente processo administrativo que poderá redundar em punições de diversos graus, essas também previstas em estatuto próprio. A recíproca também existe. O profissional habilitado com médico deverá, como qualquer cidadão, dar ciência sobre suposto erro de ato de enfermagem, ao conselho de classe competente que procederá de forma idêntica e dentro da lei. Resumo: legalmente, o enfermeiro (como qualquer cidadão) para questionar diretamente ato médico, só se for também habilitado como médico;
        Da mesma forma, o médico (como qualquer outro cidadão) para questionar diretamente ato inerente à enfermagem, só sendo habilitado como enfermeiro. Sem as habilitações requeridas, somente os conselhos de classe poderão se manifestar, além, é claro, de peritos HABILITADOS nas respectivas profissões e designados por um juiz, para se manifestar sobre o caso a ser apurado. O que nunca se pode perder de vista é a noção clara da responsabilidade e dos limites legais de atuação da profissão que CADA QUAL OPTOU ABRAÇAR. Um abraço.


  389. Sim Paulo Roberto concordo plenamente com vc.. temos que unir forças e lutar pelos nossos direitos e não ficar debatendo com nossos colegas médicos quem faz o que… isso que acho ser banal e fútil. Não será assim que conseguiremos melhorar nossa classe e sermos mais admirados e principalmente respeitados e valorizados. Falei da nossa profissão de um modo generalista… se fosse falar de todas as aptidões do enfermeiro faria um livro no blog. Claro que cuidamos de pacientes doentes mas não damos diagnósticos MÉDICOS damos diagnósticos de enfermagem… os pacientes enfermos que atendemos são pacientes do médico e do enfermeiro… um trabalho em equipe com o médico diagnosticando e o enfermeiro cuidando do paciente, orientando, verificando sua adesão, analisando se realmente aqueles medicamentos e a dose prescrita está sendo eficaz… mas não damos diagnósticos médicos nem tampouco tratamos de um paciente enfermo sozinhos… temos nosso papel e o médico o dele. Sim 40h já… teto salarial,,, JÁ. Mas não será assim que conseguiremos nada. Será na união pois ela faz a força e não existe classe mais desunida que o da enfermagem… enquanto os médicos se protegem nós nos atacamos e se podermos derrubar o outro, assim muitos profissionais o fazem. Me desculpe mais essa é a realidade. Sou muito bem respeitada pelos meus colegas médicos mais muitas vezes isso não acontece com os profissionais da enfermagem. Sou enfermeira com muito orgulho tenham cuidado em quem votam no corem e a briga está feita com os orgãos responsáveis… enquanto tem vários médicos sendo vereadores e deputados lutando pelos seus direitos nós não elegemos nenhum ainda… não temos representante na câmara para defender nossos ideais de melhoria salarial… é essa a realidade e olha que somos a maioria dos profissionais da área da saúde. Por que isso ocorre…??? é esse tipo de debate saudável que gostaria de ver meus colegas discutindo. Pra que tudo se inicie temos que ter não apenas um mais vários representantes na câmara lutando por nós. Política é assim e ponto.

    Abraços a todos…
    Enfa Raquel Mendes.


    • ;) … que bom ver que ainda temos na enfermagem pessoas que gostam de política..isso nao eh uma grande realidade ainda, mas acredito na mudança do pensamento politico da nossa categoria. Infelismente o que vc falou eh realidade neste meio, a desunião da classe. Isso nos desarma totalmente contra a frente política de outras profissões… Mas o importante eh debater, como fazemos, saudavelmente e criticar do que discordarmos!!

      Com relação as relações multiprofissionais, felizmente muitos entendem e sabem da importancia da multidisciplinariedade, ela é que faz toda a diferença para o paciente!!

      Abraços!!


    • Pois é Raquel. Mas não se iluda. Médico, quando assume cargo de chefia, normalmente esquece que foi plantonista. O que me deixa triste é ver comentários generalistas sobre toda a classe. Os órgãos que se dizem de classe CREMEPE, aqui em Pernambuco, SIMEPE, CFM são meros trampolins políticos para alguns espertalhões, que dizem defender a saúde de dia mas a noite come caviar com aqueles que lucram as custas da doença do povo (donos de planos de saúde, políticos, industria farmacêutica, profissionais que não têm compromisso e etc).


  390. Parabéns enfermeiros pela garra, dedicação e amor pelas vidas dos pacientes! E digo mais, sem vocês, médicos estariam mais perdidos que criança que se perde dos pais! E para os médicos que são inchados de orgulho por se acharem doutores, uma coisa eu digo: “CAMARADAS, SAIM DAS NUVENS E VOLTEM PARA TERRA, PARA O SOLO. VOCÊS NÃO SÃO DOUTORES PORQUE NÃO FIZERAM DOUTORADO.” Por lei os advogados tem muito mais direito de serem chamados de doutores do que médicos. Ato médico? Podem dizer que essa proposta é resquício de burrice em indivíduos buscando conhecimento. Ainda bem que há um artigo do ato médico que diz que a lei não se aplica à Odontologia, Afinal médico não entende nada de sistema estomatognático, oclusão dentária e patologias orais, que são inúmeras e não só cárie. rsrsrs Pergunte a um médico o que é uma pericementite apical aguda primária ou secundária e verás a veracidade do que digo.


  391. Tche….ta loco….que piada!!! Tem que dar risada mesmo!!! Oligofrenia é pouco!


  392. em abril 21, 2012 at 10:42 pm | Resposta Antônio Milad Waked

    O fato é que a legislação prevê que os profissionais autorizados a diagnosticar e prescrever medicamentos são: o médico, o cirurgião-dentista (para humanos) e o médico-veterinário (para animais). Ponto final para a discussão.


    • comentário de um parasita ignorante


    • Concordo plenamente, se querem prescrição de medicamentos tem que mudar a grade curricular dos cursos, lembrem-se que o que permite a esses profissionais acima prescrever não é o estudo da farmacologia, mas sim de terapêutica e Clinica médica e/ou Odontológica e/ou Veterinaria. O que os enfermeiros não têm. Mas não vejo problema na prescrição desde que mudem a grade curricular do curso.


  393. em abril 21, 2012 at 10:48 pm | Resposta Antônio Milad Waked

    Frases para reflexão:

    1) Muitos querem fazer medicina, porém, poucos querem ser médicos.

    2) Nos bastidores do sucesso de um grande médico há sempre um(a) enfermeiro(a) competente.


    • Concordo, Antonio. E acrescento : Muitos fazem enfermagem mas poucos querem se enfermeiros. Por isso destilam ódio quando médico pede ajuste como se isso fosse a causa de receberem tão mal. Além disso, boa parte quer fazer auditoria. Mas, na hora de querer prescrever, todo mundo é bonzinho e dedicado.


  394. Concordo ,Antônio.muitos estão no lugar erado ,querem fazer o serviço dos
    medicos,colocam a vida das pesoas inocentes risco.


  395. Esse poster antigo trás informações erradas, antes mesmo de vcs opinarem sobre isso, conheça a verdade… leiam http://site.portalcofen.gov.br/node/6908


  396. Por que nao estudam medicina entao? ao invez de ficarem criticando os medicos .


  397. Receitar remédio é coisa de médico e de dentista, apenas. Mas axo q isso pode ser alterado se as formações também foram…


  398. Sou enfermeiro e concordo que a enfermagem não possui grade suficiente no curso de enfermagem para assumir prescrição de medicamentos.Inclusive acho que o ministério deve averiguar esta situação para nós enfermeiros principalmente para o atendimento da triagem de manchester é o mesmo que tirar responsabilidades medicas e passar para enfermeiros o curso não oferece segurança para determinadas atribuições somos enfermeiro temos de cuidar,gerenciar, o mec deve olhar nossa grade do curso de enfermagem.


    • Discordo sobre a Triagem André, aquilo não tira responsabilidade médica, é a porta de entrada do paciente para organizar o funcionamento do sistema. Vc avalia parametros e o protocolo determina a prioridade. E vc como Enfermeiro, acredito que estudou fisiologia, patologia e sabe avaliar um paciente, veja bem, não eh dar diagnostico, é avaliar a condição do paciente com propdeuticas e teoria. Tambem sou Enfermeiro, e o Manchester é um grande aliado na organização dos serviços de UeE do Brasil, e se realizado de forma correta e respeitado, tudo ocorrera de forma segura.


    • André, acho que se houvesse uma triagem, de fato, a mesma deveria ser feita por médicos. O que há é acolhimento e classificação de risco. Algo bem diferente de triagem.


  399. Todos nos sabemos que o curso de medicina é sem dúvida estenso e mais exaustivo, se for comparar com outros curso,quando se trata de patologia em geral,por isso o médico tem a maior autonomia p/ prescrever medicamentos
    O problema é que tem gente que não consegue ser atendido por médico,
    essas pessoas costumam se automedicarem,e nesse caso é melhor ter um enfermeiro capacitado para atender os paciente mais carente, já que infelizmente nem sempre tem médico no local,eu acredito que nem todos trabalham por amor a saúde e o bem estar das pessoas, e sim por de status na área de saúde,sendo assim até aqueles que tiraram notas baixa durante o curso de medicina e ainda assim se sentem melhores do que os outros,rsss!!!
    Sem dúvida, médico é médico, e enfermeiro é enfermeiro,cada um com sua profissão que foi escolhido. Se o enfermeiro quer fazer o trabalho do médico tem que estudar também o curso de medicina,e os estudos é mais profundo e bem mais cansativo.Se os próprios médico erram, imagina quem não é medico!!!!
    Devemos respeitar todas as profissões, o profissional tem o direito e o dever de fazer a sua parte, o médico nao pode fazer o trabalho do enfermeiro,dentista
    fisioterapeuta,e nem do nutricionista etc!!! Boa madrugada para todos !!!


  400. Correção
    O curso de medicina é extenso,muito cansativo, e não tem fim, realmente tem que amar a profissão,principalmete amar o proximo. boa madrugada p/ todos
    da área de saúde!!!!! Vou dormir!!


  401. Ler todos esses comentários me deixou muito decepcionada… Excluindo um ou outro profissional sensato, o que vemos aqui é um ranso de séculos… Quando vamos amadurecer??? Sou enfermeira mestre, formada pela UFSC, pós graduada na USP. Nunca pretendi ocupar a posição de um médico e discordo desses arranjos “tapa buraco” que apenas nos colocam mais uma obrigação, que não é nossa função. O enfermeiro tem um campo imenso na ESF e não precisaria fazer tarefas médicas se tivessemos um número adequados de médicos para atender a população. Funciona, mas não me agrada! Se cada um fizesse seu trabalho adequadamente não teriamos tantos problemas e tantas iatrogenias. O papel do enfermeiro é gerenciar os cuidados de enfermagem, através da SAE, composta por cinco fazes: Histórico (entrevista e exame físico), Diagnósticos de Enfermagem, Resultados esperados, Prescrição de Enfermagem e Evolução. Para tanto temos também as linguagens internacionais de enfermagem, que nos auxiliam no diagnósticos, resultados esperados e prescrições (NANDA, NOC e NIC). Gostaria muito de saber que todos os enfermeiros prescrevem cuidados personalizados por que usam com maestria todos os instrumentos e literaturas disponíveis. E me faria muito feliz saber que os médicos estão ouvindo seus pacientes, realizando o exame físico de forma acurada antes de pedir inúmeros exames complementares. É fato que a saúde brasileira anda mal das pernas. Detalhe muito importante: somos nós, profissionais da saúde, que compomos este quadro, com auxílio do poder legislativo e do executivo. Por que ao invés de lutarmos uns contra os outros não lutamos por uma saúde melhor para todos??? Já ouviram falar de equipe multidisciplinar? Já trabalharam assim? Me perdoem se serei bruta ou indelicada agora, mas preciso lhes dizer como me sinto. Eu não estudei mais de 8 anos para enaltecer meu Ego, e sim para promover a saúde, prevenir doenças, suas complicações e auxiliar o paciente a reestabelecer sua saúde, a ter qualidade de vida. MÉDICOS E ENFERMEIROS: nunca se esqueçam que nosso principal objetivo é auxiliar pessoas!!!! Parem de brigar uns com os outros e briguem por condiões de trabalho melhores, mais saúde para a população, mais educação….


  402. O enfermeiro pensa que é Deus
    O medico tem certesa que é Deus


    • entao ta se o enfermeiro pode prescrever medicamentos sejam basicos ou nao porque estudaram farmacologia na graduaçao entao o farmaceutico tambem pode o nutricionista tambem pode,SABE PORQUE O ENFERMEIRO QUER PRESCREVER E SER CHAMADO DE DOUTOR?PORQUE ESQUECERAM A BELA DEFINIÇAO DE ENFERMAGEM DE WANDA HORTA QUE É A ARTE E A CIENCIA DO CUIDAR ISSO PORQUE ELES TEM OS TECNICOS E AUXILIARES PARA FAZER O SEU TRABALHO AI ELES QUEREM PEGAR ATRIBUIÇOES DE OUTRAS PROFISSOES SE ELES FIZESSEM MEDICAÇAO TROCASSEM FRALDA DASSEM BANHO E FIZESSEM CURATIVOS DE FATO ELES NSE VOLTARIAM PARA A ENFERMAGEM DE CABECEIRA E NAO TERIAM TEMPO PRA FICAR QUERENDO SER MEDICOS PRESCREVENDO E SENDO CHAMADOS DE DOUTORES POR FORÇA DE LEIS QUE OS COFENS BAIXAM


      • ENFERMEIRA NEISA VOCES ENFERMEIROS ESTUDAM QUATRO ANOS PARA NAO FAZER A ENFERMAGEM DE FATO POIS TEM OS TECNICOS PARA FAZEREM SEU TRABALHO ESSA É UMA VERDADE INCOMODA,E NINGUEM AQUI NESSE BLOG DISSE ISSO! NO GERAL O ATENDIMENTO REAL DE ENFERMAGEM É FEITO PELOS AUXILIARES E TECNCICOS QUE ARTICULAM A ASSISTENCIA DE SAUDE COM OS MEDICOS SENDO ASSIM O ENFERMEIRO FICA SE TORNA FIGURA DESNECESSARIA APENAS PRESENTE NAS UNIDADES DE SAUDE POR FORÇA DE LEI!ESSA ,E SIM A MELHOR RACIONALIZAÇAO DE UM RACIOCINIO OBVIO :ENFERMEIROS NAO SAO NECESSARIOS NA EQUIPE DE SAUDE POIS EXISTEM AQUELES QUE FAZEM O SEU SERVIÇO!SE ENFERMEIRO NO BRASIL DE FATO PRATICASSE ENFERMAGEM ELES NAO TERIAM TEMPO PARA QUERER SER MEDICOS POIS TERIAM QUE DAR BANHO , FAZER MEDICAÇAO ,SISTEMATIZAÇAO DA ASSISTENCIA DE ENFERMAGEM,TROCAR UMA FRALDA ENFIM CONDUTAS TAO BELAS QUANTO AS ATITUDES DO MEDICO


      • Nossa!!! Mas é impressionante o nível de desinformação e achismos nesta página! Caros colegas enfermeiros que fizeram a faculdade de enfermagem por não terem conseguido passar em medicina façam o favor de tentar continuando. Caros colegas (ou futoros colegas) que querem realizar técnicas, administrar medicamentos, o curso técnico dura só 2 anos e é mais barato que a faculdade. A profissão é pouco reconhecida, possui salários ínfimos, mas é extremamente importante, quando bem executada. Cabe ao enfermeiro gerenciar, planejar estratégicamente os cuidados ao paciente/família, com base em diagnósticos de enfermagem, reconhecidos internacionalmente. Qual é a dificuldade em entender isso??? Se o enfermeiro fizesse seu papel de forma adequada não teria que ficar “pescando” o que fazerm, já que o SAE bem feito demanda muito trabalho.


    • Eu não penso que sou Deus, estou muito longe de ser perfeita, mas executo meu trabalho com competência e respeito, algo que falta para muitos aqui….


  403. OCORRE O SEGUINTE, OS POLITICOS QUE NAO QUEREM VALORIZAR A SAUDE DA POPULAÇAO E OS PROFISSIONAIS DA SAUDE ALIAM O UTIL AO AGRADAVEL,FACILITAM A ATRIBUIÇOES DE FUNÇOES MEDICAS A PROFISSIONAIS NOTORIAMENTE FRUSTADOS POR NÃO SEREM MEDICOS DEIXANDO ELES SE SENTIREM COMO TAL PRESCREVENDO MEDICAÇOES E ESCREVENDO EM SEUS CARIMBOS E JALECOS QUE SAO DOUTORES…ORA CHEGAMOS A UMA SITUAÇAO DE ROMANTISMO ABSUUURDA DE DUELOS DE EGOS MUITO CLARA SUBSIDIADA PELO MINISTERIO DA SAUDE QUE QUER ENFERMEIROS PRESCREVENDO E PAGANDO PESSIMOS SALARIOS A ELES APENAS PARA LHE DAR A SENSAÇAO QUE SAO DOUTORES, UM ABSURDO ISSO


  404. sou enfermeira pós-graduada em urgência emergência e UTI achei isso aqui muito ridículo não pela frase do contexto de quem fez esse site e sim pelos comentários tô terminando meu mestrado e não vejo diferença entre eu e uma médica pois me graduei a 5 anos pra ser enfermeira minha pós foi de 2 anos e meu mestrado tá levando mal 2 anos total 9 anos de estudos antes de alguém julgar a equipe de enfermagem tem que ver que existe enfermeiros (a) especialistas na área como eu que sou chama da doutora graças o mestrado


  405. nossa que coisa absurda isso aqui sou enfermeira pós-graduada com mestrado e doutorado tô trabalhando na área de pediatria não sou ignorada por nem um médico! pois tenho doutorado e muitos deles só tem a graduação me chamo dra valeria lima enfermeira chefe do setor de pediatria a equipe de enfermagem é uma das mais belas do hospital a medicina tbm mais para cada um tem seu tempo!


  406. Enquanto os profissionais que se denominam “Doutor” estiverem estudando medicina para satisfazer o ego dos pais, teremos sempre profissionais frustrados e incompetentes. Enquanto os Enfermeiros não entenderem que arrogâncias de alguns médicos é apenas demonstração de insegurança pois o sábio é simples e humilde, inclusive insegurança na escrita demonstra o medo de erro na grafia, muitos preferem prejudicar o paciente do que errar uma palavra são essas coisas simples mais verdadeiras que causa tanta polemica.


    • Ah, tá. E todos os enfermeiros são santos bonzinhos e humildes, né ?
      É cada uma! Pensar não implica em classificar coisas e pessoas como mauzinhos ou bonzinhos !


  407. Querida Aline, a receita não é do médico é do usuário, é da pessoa que precisa de cuidados, imagine se as receitas fossem só dos médicos, eles iriam morrer de beber remédios! Pois é eles não ter tantas receitas só quando estiverem doentes precisando de remédios(acontece, ninguém é imortal) inclusive, se adoecer precisará dos cuidados da enfermagem! Mas leia mais um pouquinho, não precisa nem ler muito para aprender que o enfermeiro é um profissional liberal e não é “capacho” de ninguém; aliás estamos em uma democracia, o mundo é plural os conhecimentos dos membros de uma equipe são diversos, ou você acha que “só o médico e ponto” poderiam atender todos os doentes e resolver todos seus problemas? Só te dou um conselho: leia mais, estude mais aprimore seu conhecimento, pq vc não saber uma coisa tão básica, que o enfermeiro prescreve!


  408. Esse Daniel é Maluco… bom… um cara que escreve “PESQUIZA” realmente não merece meu respeito…


  409. Só digo uma coisa, Estudava medicina, pois sempre foi o sonho da minha vida. Porém, quando cheguei a estudar de fato, descobrir que, não era isso tudo não, dai, percebi a importância da Enfermagem. Não que,a medicina não tenha seu valor. não!!! Mais o que seria da Medicina sem a Enfermagem? O medico faz seu diagnóstico, mas, se não tiver o enfermeiro do lado, além de outros profissionais. Ele não é nada.

    Obrigado.


  410. UCMB
    Lendo todos os textos, sinto uma vergonha absurda de ter escolhido a saúde como forma de profissão, e olha que já são longos anos com Enfermeiro (Auditor, Emergência, PSF, CTI, UTI NEO, Centro Cirurgico, dentre outros locais da rede hospitalar), vejo aqui Classes diferentes se degladiando quando uma não consegue viver sem a outra, por mais que tenhamos bagagem científica por vezes precisamos de uma avaliação médica, assim como já por várias vezes ajudei colegas Médicos a chegarem a um diagnóstico, mas isso depende é claro do grau de maturidade da equipe, pois temos que trabalhar para a melhora do paciente, deixando de lado o ego e a necessidade de “tapinhas nas costas” uma classe não sobrevive sem a outra, por mais que se diga o contrário, somos por muitas vezes execrados, mas cabe a nós enfermeiros nos colocarmos de maneira correta para defender nossa categoria, pois não é apontando defeitos que nossas qualidades serão reconhecidas…
    Espero que as classes tenham o olhar mais amplo do que é o cuidar, e o que é prescrever… pois esses atos são realizados por vezes no mesmo paciete, e que no final trabalhamos para melhora da saúde como um todo.


  411. Quanta ignorância junta ou melhor prepotência mesmo só pode vir de burgueses burros que tiveram suas faculdades pagas ou cursinhos mais caros do país os médicos. Engraçado é que não troco meu COREN pelo CRM de metade de vocês que ficam tirando foto de respirados (ventilador mecânico) e perguntando para amigos se deve mudar parâmetro, quantas vezes tive que entubar paciente pois o colega inteligente que aprendeu na faculdade não sabia fazer. Trabalho em UTI e Emergência e tenho especialização em UTI (pediatrica, geral, Cardiologica e Neonatologia) e Cardiologia ao qual tenho o desprazer de acompanha a 6 anos descaso e morte seguida de morte por erro medico ou melhor por imprudência e imperícia. Se realmente fossemos fazer uma peneira dos médicos que servem não ficaria nem 30 % pois uma medica pedir para no tratamento de EAP após instalado ventury a 50% e ver a melhora da SPO² pediu para por uma 100%, doutores sem doutorado saibam que vão começar a fabricar não sei quando mais um dia chega lá. Adoraria pegar metade destes energúmenos que compram seus diplomas nas faculdades piores do mundo e dar um show rindo enquanto fazem merda e ficar ao lado orientando como agir pois no final das coisas termino sendo o preceptor de vocês ou se quiserem o fellow de vocês. O comentário da Vivaldi nem vale a pena comentar deve ser mais uma drogada, ateísta ou algo assim e ainda por cima conhecimento limitado sobre atribuições de enfermagem no minimo ela é ortopedista (especialista em mão) alguns ossinhos e só se tiver uma crise epilética ela pede ajuda ao SAMU né Valdivia. Pena que os pacientes sofrem com isso e quem tem amor a profissão e não trabalha apenas por que o pai queria ou por que o dinheiro é bom também sofre. Para e pensa nisso deusa e nem bonita é para dizer que foi nesse sentido aproveita o dinheiro e faz uma plastica primeiro e depois entra numa faculdade de enfermagem quem sabe vira gente de verdade.
    Abraços e muitos beijos já que sobra tão pouco o tempo para fazer isso né medica de esquina ocupada.


  412. O “Doutor Ruas”, deve ter matado inúmeros pacientes, e nem tem conhecimento científico para saber que matou, ainda por cima acha-se vítima por não poder diagnosticar e prescrever, demonstrando toda sua médico-fobia ,porém se for acometido de doença grave, ele sabe muito bem que não quer ser diagnosticado e prescrito por seus pares.


  413. O cemitério está cheio de pacientes atendidos por “entedidos” em medicina ! e o inferno lotado desses pseudos médicos !


  414. ola boa noite eu fique muito decepcionado, em ver todos os comentario, eu terminei o colegiado e tou pesando em fazer medicina luto a 3 anos para entra muitas vezes me da a vontade de desistir em fazer enfermagem ou odonto, mas fico triste porque um fica criticando a profissão do outro gente. tanto o medico e enfermeiro um precisa do outro o melhor tanto em hospital entre outros no lugar de critica vá ajudar as pessoas que estão ali sofrendo em uma uti ou em quanto voçes tão ai muita gente tão querendo entra numa faculdade e não pode sem te condição….


  415. Conheço ótimos médicos que fizeram enfermagem antes, porque os enfermeiros que querem diagnosticar, tratar não seguem esse exemplo ?


  416. Acho que a todos que pensão que enfermeiros não podem prescrever medicamentos quem fica com a maior parte do tempo com os pacientes são enfermeiros os técnicos e eles sim sabe o que os pacientes necessitam os médicos prescrevem sim claro é dever deles mais os enfermeiros também podem prescrever eles são amparados por lei, dentro dos programas de saúde do Ministério da Saúde encontra respaldo na Lei Federal 7.498/86, art. 11, inciso II, alínea “c” que diz que cabe ao enfermeiro, quando integrante da equipe de saúde, a “prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e em rotina aprovada pela instituição de saúde” (grifo nosso). Mais, o Ministério da Saúde já regulamentou esta prática através da Portaria nº. 648/GM/2006, em seu Anexo I, das competências do profissional enfermeiro afirma que o enfermeiro “conforme protocolos ou outras normativas técnicas estabelecidas pelo gestor municipal ou do Distrito Federal, observadas as disposições legais da profissão, realizar consulta de enfermagem, solicitar exames complementares e prescrever medicações esta respaldado por lei ou seja não tem questionamento ou seja todos são uma equipe não deve ao enfermeiro nem ao medico ter esse tipo de briga isso é futilidade vcs tem que somar conhecimentos pois somos uma só equipe eu conheço uma enfermeira que tem só de profissão 30anos e 1 doutor que tem 1 mês e eu cansei de ver ele pedindo orientação p ela ou seja, não existe mais nem menos mas temos que somar todas as informações pois nós SOMOS UMA SÓ EQUIPE. temos que respeitar a todos só porque aquela pessoa é pedreiro eu não vou respeitar ele e vou respeitar o engenheiro pois fique sabendo que sem o pedreiro o trabalho não executa.
    Téc.em Enfermagem Juliane.


  417. Dr. Jorge (médico). Como infelizmente o Sr. só esta no blog para discutir erros de português devo informá-lo que o seu “quiz” deve ser escrito com “s” e não “z”. Ok?

    Em tempo Neisa. A equipe só é multidisciplinar quando há várias especilidades diferentes de uma mesma profissão (ex.: Médicos anesntesistas, pediatras, ginecologistas, ortopedistas, etc, compõem uma equipe multidisciplinar – com as várias disciplinas da profissão de médico). O que voce quiz dizer foi equipe multiprofissional: Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapêutas ocupacionais, etc. OK?


  418. Dr. Jonas e Enfermeira Neisa, fico muito feliz por ter encontrado pessoas sensatas como vocês em cada profissão, que souberam levar o assunto adiante sem constranger ou denegrir nenhuma pessoa ou profissão. Quero que os colegas de área da saúde entendam que o motivo do blog é discutir sobre a polêmica da medicação receitada por enfermeiros. Acredito que quem esta apto a medicar o paciente é o médico, embora que se o enfermeiro note na prescrição algo de errado, é claro antes de medicar consultar o médico para que ambos cheguem a uma conclusão, pois algo pode passar despercebido. Por isso, cabe ao enfermeiro também ter conhecimento das drogas a serem aplicadas aos pacientes, como também informá-los o por quê da medicação e o que estão consumindo. Assim o processo é revisado duas vezes diminuindo a chance de erros.

    Obrigado pelo debate, acredito que muito tenha sido esclarecido, apesar dos insultos.

    Até um próximo debate


  419. Lamentável ver o PENSAMENTO e POSICIONAMENTO de algumas pessoas que se dizem médicos. Foi-se o tempo, que a medicina era feita por amor (bem vindo grana)(não que alguém vá trabalhar de graça). Entendam uma coisa, a Enfermagem e Medicina são duas ciências paralelas, que podem sim, se cruzar, ou não existe equipe multiprofissional? Ademais, Enfermeiro não é Auxiliar de Médico como vi alguns comentários ai. Tazzera, que péssimo seu comentário. Saiba que a graduação de Enfermagem é forte, e com uma grade curricular excelente. Seja humilde.


  420. em julho 23, 2013 at 3:24 pm | Resposta prof.dr.enf. marco paulo

    soc

    O engraçado de todos os comentário negativos, com as tentativas de querer diminuir o profissional enfermeiro, e que de tudo isso só rolou bobagem, será que os deuses KKKKKK), se acham, mas na verdade são so ser humanos como qualquer outro, pena que não percebem que estão sendo egoístas e que não são capazes de realizar nada sem o enfermeiro, e outra, eles, coitados pensam que os enfermeiro são seus auxiliares, sem chance queridos, o enfermeiro não estuda 5 anos (conforme MEC), pra ser baba de medicos, informo ainda que os deuses (KKKKKK), estudam apenas mais um ano, pois se contar o tempo de residencia, tambem os enfermeiros contarão a pós, mestrado, doutorado, phd, é acho que está de bom tamanho, eu mesmo ja cansei de ensinar medicos a prescreverem, incansáveis vezes. ah..”doutores”, doutor pra vc que tem doutorado não pra vc que simplesmente tem um curso superior como o enfermeiro, embora, muitos enfermeiros têm pós, mestrado, doutorado e phd, medicos………….me poupem criaturas.


  421. médico de cú é rôla!!!


  422. Hahaha…essa piada de enfermeiros que ensinam médicos a prescrever, entubar, diagnosticar….é velha e típica de recalcados…que não suportam ver o maior prestígio e a melhor remuneração dos médicos!!! Agora…uma coisa é fato….os enfermeiros….em sua maioria….só querem ocupar cargos burocráticos em chefias e setores administrativos em diversas instituições de saúde….fazendo inúmeras baboseiras que não servem pra nada!!! No grosso….na real….no dia-a-dia….quem toca no paciente, são os técnicos de enfermagem e os médicos!!! Os enfermeiros só ficam tentando cagar na cabeça dos técnicos, pq sentem uma necessidade de mostrar que são superiores a alguém!!! Aiai….entra ano e sai ano….e segue a mesma baboseira nisso aqui!!! Ao invés dos enfermeiros tentarem lutar sua própria luta….ficam aqui….tentando se equiparar aos médicos em conhecimento e capacitação!!! Como seres humanos….somos todos iguais….acertamos, erramos….o importante é o resultado final…a saúde…..o bem estar do paciente!!! CADA MACACO NO SEU GALHO MEUS AMIGOS….QUEREM FAZER ALGO PARA OS QUAIS NAO FORAM TREINADOS? MUDEM DE PROFISSÃO!!!!


  423. Gente que briga mais boba, médico e médico e enfermeiro é enfermeiro. Olha só o que me magoa ainda é a desvalorização da enfermagem e aquele velho discurso que enfermeiro é aquele ser amoroso do hospital que cuida. Enfermeiro também é portado de conhecimentos científicos, o enfermeiro é o gestor do cuidado. Sou aluna de Enfermagem em uma universidade particular e só eu sei o quanto eu ralo pra ser o melhor que eu posso ser. Sou aluna também de Serviço Social e uma federal, e faço isso para poder ser mais pelos meus pacientes. Porém, eu preciso que meus pacientes saibam o valor que eu tenho, precisam eles saber o que eu faço para poderem fazer por mim. E não me conformar com esse velho discurso de que enfermagem é amor e só, aliais acho que toda profissão é amor. Eu tenho um bom relacionamento com os médicos que ate hoje me rodearam graças a Deus, e os que eu não tive bom relacionamento não julgo a medicina como culpada, mais pessoas educadas e mal educadas a gente encontra em qualquer profissão. Então médicos não são seres desumanos e irresponsáveis, assim como enfermeiros não são estudantes que se estudassem um pouco mais vivariam médicos. Médicos e enfermeiros, juntos a gente fazem saúde.
    Médicos cuidam da cura, eles são responsáveis na promoção da saúde, são eles que vão fazer com que Sr° João melhores da pneumonia. Enfermeiros cuidam de um certo modo daquela pessoa que esta doente como um todo, é a enfermagem que vai verificar se Sr° João que esta com pneumonia dormiu bem, se ele medicou-se na hora certa, se ele precisa de algo ate que ele seja capaz de fazer as coisas por ele mesmo. Enfermeiros não são doces. Medico, enfermeiros, auxiliares e técnicos todos nos temos juntos temos uma responsabilidade com a sociedade. E deixo aqui uma mensagem a quem trata a enfermagem apensa a enfermagem: Eu uso as palavra de Suzanne G. que diz “- eu sou apenas um enfermeiro, eu faço a diferença entre vida e a morte. Eu faço apenas a diferença entre a cura, esperança e desespero. Eu sou apensa um enfermeiro, sou apensa a linha centra do cuidado em saúde”.

    Ahh, e sobre o assunto a prescrição: olha acho que enfermeiro deveria poder prescrever sim, porem só na ausência do medico e teriam que ser feitos alguns ajustes na grade de quem esta cursando e algum curso para quem já saiu, não que enfermeiro não seja capaz, mais só para assegurar já que estamos falando de vida. Mais meu professor de farmacologia 1 (ele é medico) ele leciona a aula como se a gente fosse prescrever, kkk, segundo ele a gente é capaz. rs


  424. Olha, só vou fazer um comentário: “pergunte ao farmacêutico”!!! Ele é quem sabe tudo sobre “medicamento”!! Vai por mim!!!!


  425. em fevereiro 20, 2014 at 11:08 pm | Resposta Leonardo Cesar Santos

    Li vários (não todos) comentários de enfermeiros, médicos, farmacêuticos, alunos, etc. Fiquei encantado com alguns depoimentos, mas francamente muitos me assustaram pelos enormes e indesculpáveis erros de português. São erros de ortografia, de gramática, de semântica e outros praticados por profissionais que passaram por uma faculdade, por um curso superior. Tudo bem, argumentam que são profissionais de saúde, cuidam de doentes, não de linguagem. Neste espaço verificamos o linguajar típico do internetês, com kks, rsrs, vcs, uso incorreto da vírgula, das abreviações, porém vamos considerar: são práticas impróprias para doutores no sentido strictu sensu da palavra. Nesse aspecto podemos então compreender o porquê de ainda não existir brasileiro ganhador de prêmio Nobel, coisa que argentino e português tem cinco cada um. Então é preciso primeiro decidir qual a grafia correta: “apesar” ou “apezar”, para depois sabermos se o enfermeiro, o dentista, o fisioterapeuta, o psicólogo, o farmacêutico e até mesmo o médico pode prescrever ou receitar. Sou cirurgião-dentista e formando de medicina e na minha opinião TODOS esses profissionais podem e devem prescrever medicamentos. As faculdades deveriam dar o suporte farmacológico aos alunos desses cursos e os médicos deveriam reconhecer a importância de todas essas profissões nas suas respectivas áreas da saúde humana, do mesmo modo como acontece nos países desenvolvidos. Enfermeiro deve se encarregar das funções de administração e não de chefia. Chefiar é coisa de índio. Um grande abraço a todos os colegas enfermeiros e demais profissionais da saúde.