Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘entrevista’

Lei Complementar 1.193 , que institui a Carreira Médica no Estado de São Paulo, sancionada pelo governador, Geraldo Alckmin, na última quarta-feira, 2 de janeiro, ainda está distante das expectativas dos médicos.

geraldo

Após avaliação do texto final aprovado, o Sindicato chegou à conclusão de que a oferta do governo não é vantajosa para os médicos que já trabalham no serviço público. De acordo com Cid Carvalhaes, presidente do Simesp, os critérios de enquadramento não são claros e os interstícios para promoções são longos. “Se um médico hoje com mais de 20 anos de exercício for enquadrado na primeira classe, não terá tempo hábil para chegar à terceira, a menos que possa trabalhar por mais 20 anos antes de completar 70 anos de idade”, relata.

Outro aspecto é a criação da categoria de 40 horas semanais de trabalho com dedicação exclusiva. Apesar de a ideia ser positiva, o número reduzido de vagas para esta classe deixa o sistema defasado. “O projeto limita pouco mais de 1.200 vagas para essa jornada. É um número pequeno para atender à crescente demanda assistencial da população”, explica Carvalhaes.

Para o Simesp, a medida apresentada pelo governo tem avanços, mas ainda insuficientes, especialmente no que remete à remuneração. “Esses valores não vão fixar nem atrair profissionais, que, de fato, terão cerca de 20% a 25% de aumento na remuneração atual. É um projeto bem dissociado do que o Sindicato havia proposto à administração estadual”, avalia o presidente do Sindicato.

Fonte : SIMESP

Anúncios

Read Full Post »

Durante a cerimônia que consagrou a posse da nova diretoria da FENAM, biênio 2012/2014, realizada na última quinta-feira (16), o presidente da entidade, Geraldo Ferreira, falou de suas expectativas, bandeiras de luta e prioridades. Assista à reportagem:

Read Full Post »

 

Read Full Post »

Por: Denise Teixeira

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) realiza, nos dias 19 e 20 de abril, a sétima edição do Seminário Nacional Médico/Mídia, evento que já se transformou em referência para profissionais e estudantes das duas áreas e que visa estimular o debate sobre comunicação e saúde. Este ano, o evento apresenta uma novidade: pela primeira vez, desde que teve início, o seminário não será realizado no Rio de Janeiro, mas, sim, em São Paulo, na sede do Sindicato dos Médicos (Simesp). Outra inovação é a parceria com o Conselho Federal de Medicina para a realização do Médico/Mídia 2012, mostrando que as entidades nacionais estão unidas não só na luta do movimento médico, mas também na área de comunicação, fundamental para dar maior visibilidade e credibilidade à pauta nacional da categoria.

O evento terá início às 9h do dia 19/04, com as boas vindas do presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, e do presidente do CFM, Roberto DÁvila, e contará com a participação de profissionais da área médica e da grande imprensa, bem como especialistas na área de tecnologia da informação e publicidade.

As inscrições são gratuitas e já podem ser feitas através do formulário de inscrição , ou pelo telefone (21) 9144-3323, das 10h às 18 horas, de segunda a sexta-feira, na Coordenadoria de Comunicação, com a jornalista Denise Teixeira. As vagas são limitadas.

Em sua sétima edição, o Seminário Nacional Médico/Mídia tem como objetivo colaborar com os profissionais de saúde no seu relacionamento com a mídia e também simplificar o trabalho da imprensa, ajudando os jornalistas a entenderem melhor o setor.

Direcionado a profissionais e estudantes das áreas de jornalismo, medicina e tecnologia da informação, publicidade, gestores do setor de saúde e público em geral, o programa do evento prevê a interação permanente entre os participantes, com trocas de ideias livremente expostas.

Programação preliminar

Dia 19/04 – quinta-feira

9h – Abertura – boas vindas do presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, e do presidente do Conselho Federal de Medicina, Roberto DÁvila

9h30min – Profissão repórter, o compromisso com a verdade e com a qualidade da informação

10h30min – O sigilo do paciente, o respeito ao atendimento e o direito à informação

12h30min às 14h – Intervalo

14h – As novas regras para a publicidade médica – Resolução CFM 1974/2011

16h – Media training para dirigentes de entidades médicas (com simulação de entrevista)

17h30min – Mini oficina web 2.0 – As redes sociais na vida de médicos e jornalistas

19h – Encerramento

Dia 20/04 – sexta-feira

8h30min – A cobertura política em saúde e a medicina na política

10h – Ética profissional – médico x mídia

11h30min – Dr. Google – a internet como fonte de informação e de busca de dados para uma reportagem

12h30min às 14h – Intervalo

14h – A importância da comunicação institucional

15h30min – O poder da mídia e a liberdade de expressão

17h – Encerramento

Read Full Post »

Por: Taciana Giesel

O presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, participou nesta sexta-feira (25) do I Encontro das Câmaras Técnicas de Medicina de Família e Comunidade (MFC) e II Fórum de Medicina de Família e Comunidade do CFM . Os dois eventos balizaram debates sobre questões que atingem o exercício da especialidade de Medicina de Família e Comunidade no País, como por exemplo, o Programa Estratégia de Saúde da Família (ESF)

O dirigente explicou que o ESF é um dos mais avançados e arrojados Programas para atender a demanda da população brasileira, entretanto deixa algumas lacunas preocupantes. Entre elas, a formação dos profissionais, o provimento, a forma de inserção dentro das equipes, definição clara das competências das equipes e do médico, formas de contratação dos profissionais e estrutura básica de atendimento.

“É um programa fantástico, altamente diferenciado, que sem dúvida representa um ponto enorme de avanço na atenção à saúde da população, solidificando a atenção básica, mas que precisa de uma série de adequações para que ele tenha a eficiência que se espera.”

Em entrevista à Rádio FENAM, Carvalhaes também citou o papel do estado para garantir a eficiência do Programa.

Confira!

Read Full Post »

Por: Taciana Giesel

As casas do Congresso reúnem diversas propostas de lei de interesse da categoria médica. Entre elas, a que regulamenta a profissão, o projeto que define o salário do profissional no setor privado e a proposta de emenda constitucional que institui a carreira de estado para o médico. Para falar do andamento desses projetos a equipe da FENAM TV conversou com o assessor parlamentar da Comissão de Assuntos Políticos (CAP) das entidades médicas, composta por representantes da Federação Nacional dos Médicos, Conselho Federal de Medicina e Associação Médica Brasileira. A reportagem também mostra como funciona a atuação da CAP no Congresso Nacional.

Read Full Post »

Por: Fernanda Lisboa

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM), aprovou decisão do Ministério da Educação em reduzir 514 vagas em 16 cursos de medicina. O corte foi determinado na última sexta-feira (18), com base no Conceito Preliminar de Curso (CPC), o qual obteve nota inferior a três, em uma escala que varia de 1 a 5. A capacidade dos alunos é avaliada no Exame nacional de Desempenho de Estudante (Enade) e em outros critérios como a infraestrutura e o corpo docente da instituição.

Em entrevista à Rádio FENAM , o 1° vice-presidente, Wellington de Moura Galvão comentou a medida publicada no Diário Oficial da União.

“É o nosso objetivo reduzir cada vez mais essas universidades que não tem devida qualidade. A visão do movimento médico é que esta decisão do MEC foi acertada, pois o governo não deve autorizar um aprendizado precário. Não é justo oferecermos isso para a nossa população.”

Ele complementou que este resultado é fruto de um excelente trabalho realizado pela Comissão Intersetorial de Recursos Humanos do Conselho Nacional de Saúde (CIRH) do Ministério da Educação. A Comissão é responsável pela avaliação dos pareceres nos processos de abertura e renovação de cursos de saúde, entre eles os de medicina, na qual a FENAM tem representatividade.

As instituições responderão ao processo de supervisão e terão prazo de um ano para sanar as deficiências. Poderá haver encerramento da oferta de cursos, caso as exigências não sejam atendidas. A partir da notificação, elas terão 30 dias para informar ao MEC as providências adotadas para o cumprimento das medidas cautelares.

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: